Início do conteúdo

Museu de Ciências Naturais Carlos Ritter prepara material de divulgação científica em mais uma parceria com a Gestão Ambiental da Duplicação da BR-116/392/RS – DNIT

Nesta semana o Museu de Ciências Naturais Carlos Ritter (MCNCR) integrou a equipe de filmagens para a produção de um vídeo documental de curta-metragem para a nova temporada da série Florestar. A série é uma realização da Gestão Ambiental da Duplicação da BR-116/392/RS – DNIT e produção da Rastro – Ecologia Criativa e da Hubittat. Para este episódio a equipe contou com a participação do Prof. João Iganci para a produção do novo episódio, representando o MCNCR e o Instituto de Biologia da UFPel. Este episódio terá como tema a Floresta Estacional Semidecidual, que representa o limite sul da Mata Atlântica e se estende ao longo da encosta da Serra do Sudeste. O episódio foi gravado no Cerro das Almas, localizado no município do Capão do Leão. Além da história geológica, as condições climáticas atuais e a ecologia destes ambientes proporcionam a presença de ecossistemas tropicais e temperados ocorrendo lado a lado, originando a grande diversidade de espécies encontrada na região. De forma geral, os ambientes naturais encontrados ao longo da Serra do Sudeste são formados principalmente por espécies herbáceas e arbustivas, que compõem campos e savanas naturais. No entanto, a face leste da Serra do Sudeste, conhecida como Encosta do Sudeste, recebe a umidade vinda do oceano e abriga uma vegetação florestal que acompanha a sazonalidade climática da região. Estas florestas são chamadas de Florestas Estacionais Semideciduais, pois parte das espécies arbóreas perde as folhas durante uma estação do ano. As florestas estacionais vêm sendo cada vez mais estudadas por abrigar uma alta diversidade de espécies e por serem ameaçada pela substituição dos ambientes naturais por atividades antrópicas. As partes mais altas do Cerro são cobertas por formações campestres naturais que aparecem em meio aos afloramentos rochosos, proporcionando paisagens de beleza única e grande potencial para o desenvolvimento do turismo sustentável. O material de divulgação será lançado em junho deste ano e ficará disponível livremente para atividades de educação ambiental e de divulgação científica em escolas, para os trabalhadores da duplicação da BR e para a comunidade em geral.

Prof. João Iganci

Chefe do Museu Carlos Ritter



    

Gustavo Arruda (Rastro) e Cauê Canabarro (STE/DNIT)

                   

Publicado em 07/05/2021, em Sem categoria.
Translate »