Projetos de Extensão

Projeto de Extensão Vivências Teatrais em Escolas
Coordenadora: Prof.ª Vanessa Caldeira Leite
Descrição do Projeto: Oficinas de teatro em escolas públicas, em contra-turno, com o objetivo de desenvolver as potencialidades criativas e expressivas de crianças, adolescentes e jovens da educação básica; despertar o gosto pelas artes em geral; apresentar a linguagem cênica como uma possibilidade de criação artística e fruição estética; contribuir com a formação de indivíduos mais críticos, reflexivos, participativos e comprometidos com sua autoformação.
Contato (Telefone/Site): leite.vanessa@hotmail.com

 

Blog Histórias do Teatro 
Coordenadora: Prof.ª Taís Ferreira
Descrição do Projeto: Projeto de extensão e divulgação de materiais relativos a história, teoria e pedagogia das artes cênicas.

 Mutirão das Artes

Coordenadores: Prof. Paulo Gaiger / Prof. José Everton / Prof. Ney Bruck

Descrição do Projeto: Criar espaços e oportunidades multidisciplinares de uso adequado do tempo livre, habilidades e fruição das artes, especialmente da música, do teatro, do cinema e da dança, com estudantes em situação de vulnerabilidade social da escola de ensino fundamental municipal de Capão do Leão, Elmar da Silva Costa, bem como, de capacitação e motivação para as rotinas docentes de ensino-aprendizagem.

Contato (Telefone/Site): Facebook: Mutirão das Artes – Capão do Leão

Brincando de faz-de-conta: a exploração do lúdico nas séries iniciais

Coordenadora: Prof.ª Marina de Oliveira

Descrição do Projeto: Trata-se de um projeto de extensão do Curso de Teatro em parceria com o Instituto Nossa Senhora da Conceição, que atende meninas de 6 a 12 anos, em situação de vulnerabilidade social. Tem como ênfase o lúdico como propulsor do desenvolvimento cognitivo das crianças. A partir da realização de jogos, o teatro desenvolve potencialidades vinculadas ao conhecimento estético, à socialização e à autonomia dos participantes.

Contato (Telefone/Site):marinadolufpel@gmail.com

Núcleo de Teatro da UFPel

Coordenador: Prof. Dr. Daniel Furtado Simões da Silva

Grupo de Estudos e Pesquisa em Teatro, Educação e Práxis Social – GETEPS

Objetivo: Articular as pesquisas desenvolvidas pelos professores do Curso de Teatro-Licenciatura da UFPel cujo enfoque sejam as relações do Teatro com a Educação em todos os níveis de ensino da educação formal e em outros espaços de formação.

Linhas de Pesquisa:

  • Teatro e Práxis Social: A Linha de pesquisa se propõe a compreender os processos pedagógicos emancipatórios que as atividades de teatro podem propiciar aos participantes. Utilizando como referencial teórico estudos sobre Educação Popular e investigações de autores do campo teatral que têm proximidades com as pedagogias críticas.
  • Teatro na Escola e Formação do Professor: A Linha de pesquisa procura desenvolver estudos com o enfoque nas práticas pedagógicas escolares para o ensino e aprendizagem de teatro e na formação do professor envolvido nestas práticas.

Professoras pesquisadoras do grupo: Fabiane Tejada da Silveira, Maria Amélia Gimmler Netto e Vanessa Caldeira Leite

Teatro do oprimido na Comunidade – TOCO

Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Fabiane Tejada da Silveira

Descrição do Projeto: A proposta do Projeto de Extensão surgiu durante o desenvolvimento da disciplina de Teatro na Educação III, do Curso de Teatro-Licenciatura da UFPel no ano de 2010. Nesta disciplina estudamos a Metodologia de Teatro desenvolvida por Augusto Boal, denominada Teatro do Oprimido que enfoca principalmente em um Teatro, desenvolvido por todos e todas para transformação social a partir das transformações das opressões de grupos. O projeto surgiu a partir da necessidade encontrada pelos estudantes de Teatro de propor no campo de trabalho do/a futuro/a professor/a experiências com os estudos feitos na disciplina. Paulo Freire, também é um teórico importante para a concepção de teatro apresentada pelo projeto TOCO, pois ele alertava em seus estudos que narrando passagens da vida se revelam os acontecimentos da condição humana, vivente e vivida. Surgem á consciência os condicionamentos e as circunstâncias que nos colocam à frente os momentos em que pudemos optar, fazer escolhas de inserção no mundo e não apenas de adaptação. O Projeto de Teatro do Oprimido na comunidade desenvolve em suas atividades técnicas teatrais que mobiliza as pessoas a narrarem sua existência a partir das opressões que sofrem, justamente para procurarem superar tais opressões. A autoria da práxis-teatral para Augusto Boal, sistematizador da proposta de Teatro do Oprimido, que é experienciada pelos espect-atores constitui-se para fundamentar o caráter dialógico desta práxis. Boal entendia o teatro como instrumento de emancipação política e de transformação da sociedade – ao identificar-se com situações de opressão apresentadas, o “espect-ator” poderia repensar sua própria postura diante destas opressões. O Teatro do Oprimido e da Oprimida é um método estético que sistematiza Exercícios, Jogos e Técnicas Teatrais que objetivam a desmecanização física e intelectual de seus praticantes, e a democratização do teatro. Cumpre ressaltar que todas as técnicas pressupõem a criação de grupos. As experiências de cada integrante do grupo são matéria-prima do trabalho. O TO parte do princípio de que a linguagem teatral é a linguagem humana que é usada por todas as pessoas no cotidiano. Sendo assim, todos podem desenvolvê-la e fazer teatro. Desta forma, o TO cria condições práticas para que o oprimido e a oprimida se apropriem dos meios de produzir teatro e assim amplie suas possibilidades de expressão. Além de estabelecer uma comunicação direta, ativa e propositiva entre espectadores e atores.