Voltar para Projetos

Pesquisa

Projetos de Pesquisa

MULTIFUNCIONALIDADE NA ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO PELA
AGRICULTURA FAMILIAR: abordagens comparativas sobre a paisagem rural nos
estados de MG, RS e SP

Partindo da diversidade espacial como a característica principal do agro brasileiro, temos ao longo da história, o rural organizado distintamente em contextos regionais, assim atrelando culturas a áreas específicas. Constatamos, também, a diversificação em contextos sociais e econômicos, criando tipos específicos de agricultores e agriculturas.

Uma das formas conceituais de entendimento de uma parte dessa realidade, resultado das “novas” dinâmicas do espaço rural, seria através da aplicação da noção de multifuncionalidade. A diferenciação de atividades nas unidades de produção agropecuárias não constitui um fato histórico novo, mas a valorização de tais atividades é que define o “novo”, o contexto de multifuncionalidade.

Em decorrência desses fatos, muitas propriedades agrícolas têm alcançado o seu
rendimento através de elementos externos aos limites de suas divisas, em atividades não agrícolas. Assim, a diversidade do campo torna-se um componente central que concebe uma multiplicidade de rurais, além de conformar novas articulações com o espaço urbano.

Reconhecer o potencial multifuncional das propriedades rurais familiares é o primeiro
passo para planejar e implementar o desenvolvimento municipal, quer pela ação individual ou comunitária, quer como objeto de políticas públicas. É com este objetivo que propomos o desenvolvimento do presente projeto, tendo como escala de análise estudos de caso a ser realizados em diferentes contextos histórico-espaciais, nos Estados de Minas Gerais, Rio Grande do Sul e São Paulo, a fim de permitir uma análise comparativa sobre a multifuncionalidade do espaço e o campo da agricultura familiar.

 

 

Saberes e sabores, objetos e imagens da colônia

Período de realização: janeiro/2014 a dezembro/2015

Por meio de pesquisa etnográfica e documental, tomando o estudo da alimentação como abordagem privilegiada para apreender modos de vida de grupos camponeses e os objetos materiais como partes integrantes dos sistemas classificatórios desses grupos, este estudo visa identificar e registrar objetos e técnicas pertencentes ao universo da alimentação da região colonial de Pelotas. Dessa forma e sempre colocados em contexto, serão alvo de particular interesse equipamentos e utensílios de cozinha, panos de parede, cadernos de receitas, ingredientes presentes na culinária, produtos tradicionais. Complementarmente e na medida em que produção e consumo de alimentos estão, no contexto em estudo, estreitamente associados, atenção será também dedicada a equipamentos e ferramentas empregados na produção agropecuária.

———————————————————————————————————————-

A sustentabilidade dos recursos hídricos na Colônia Maciel- Distrito de Rincão da Cruz- Pelotas -RS: turismo rural,educação e gestão ambiental

Período de Realização: Janeiro de 2007 a Agosto de 2011

Nos últimos anos, tem-se intensificado o debate pela sustentabilidade, novas temáticas passaram a ocupar as preocupações dos cientistas sociais, tais como os impactos ambientais dos processos produtivos agrícolas e a sustentabilidade dos recursos naturais e, especificamente, no que tange ao uso dos recursos hídricos. Dessa forma, analisar os impactos econômicos, sociais e ambientais nas áreas dos recursos hídricos tributários da bacia hidrográfica do Arroio Pelotas é que se justifica a realização deste projeto. Ainda, faz-se necessário desenvolver projetos que diagnostiquem os limites e potenciais destes recursos, principalmente dos recursos hídricos, de maneira a se traçar um perfil sócio-econômico e ambiental para, numa etapa posterior, promover um conjunto de ações na perspectiva da gestão territorial de bacias, aliadas ao turismo rural e a educação ambiental. A partir de um conceito amplo de territorialidade que engloba tanto o patrimônio natural (paisagens), quanto o patrimônio cultural (memória) da comunidade.

—————————————————————————————————————————————————-

Tipificação dos Produtores de Base Agroecológica do Município de Pelotas/RS

Período de Realização: Janeiro de 2007 a Agosto de 2010

O conceito de agroecologia quer sistematizar todos os esforços em produzir um modelo tecnológico abrangente, que seja socialmente justo, economicamente viável e ecologicamente sustentável. A rigor, pode-se dizer que a agroecologia é a base científico-tecnológica para um projeto de desenvolvimento sustentável. Dessa forma, através do projeto de pesquisa busca-se analisar as possibilidades e restrições para o desenvolvimento da agricultura familiar sustentável no município de Pelotas-RS, de maneira mais específica pretende-se caracterizar os produtores familiares de base agroecológica, segundo indicadores sociais, de produção, econômicos e técnicos por meio da proposta de Lamarche; Estabelecer comparações entre as unidades produtivas familiares, mediante análise empírica de elementos diferenciadores presentes na agricultura; Identificar as alternativas de desenvolvimento para a agricultura familiar, baseadas nos princípios da sustentabilidade e finalmente elaborar um estudo-diagnóstico sobre a realidade da produção de base agroecológica no município de Pelotas-RS, com fins de disponibilizar material bibliográfico para posteriores pesquisas sobre o tema.

—————————————————————————————————————————————————-

Saberes e sabores da Colônia: patrimônio alimentar e campesinato no Rio Grande do Sul

Período de Realização: Março de 2009 a Agosto de 2011

Inserindo a tradição dos doces coloniais pelotenses no conjunto dos saberes e práticas referentes à alimentação, aprofundar as relações entre distintos modos de fazer e modos de vida, correspondentes a grupos camponeses de diferentes origens e identidades étnicas. – Identificar e caracterizar, nos diversos grupos camponeses estudados, modos de fazer relacionados a tradições culinárias caracterizáveis como patrimônio alimentar. – Identificar, a partir da observação das práticas alimentares dos distintos grupos e de sua articulação aos modos de vida, elementos que apontam para uma cultura camponesa comum ou para a delimitação de fronteiras e distinções, não apenas entre os diferentes grupos, mas também em relação à cidade. – Identificar nas classificações referentes à alimentação as valorações operadas, particularmente aquelas que remetem às percepções do rural e do urbano e às tensões entre o saber tradicional/leigo e o saber científico/moderno, que orientam diferentes concepções de qualidade dos alimentos produzidos, consumidos e/ou comercializados.

—————————————————————————————————————————————————-

Cultura, patrimônio e segurança alimentar entre famílias rurais: etnografias de casos significativos

 Período de Realização: novembro/2011 a julho/2013.

A pesquisa que aqui se apresenta propõe a apreensão do saber-fazer constitutivo dos hábitos alimentares e da produção voltada ao autoconsumo de famílias rurais. Pretende-se aprofundar as relações entre distintas práticas alimentares e modos de vida, correspondentes a famílias rurais de diferentes origens e identidades étnicas, presentes nos processos de formação social das colônias da região de Pelotas (RS) e em assentamentos da Reforma Agrária nela estabelecidos. Por meio de pesquisa etnográfica e documental, este estudo visa mapear e analisar a conformação desse patrimônio alimentar e de suas dinâmicas, associadas aos modos como os grupos estudados concebem sua (in)segurança alimentar. A proposta inova ao pensar de modo articulado a produção e o consumo de alimentos, ao relacioná-los a partir da identificação das categorias êmicas que remetem à noção de segurança alimentar à discussão de patrimônio e ao tomar a alimentação como abordagem para apreender as percepções do rural, buscando a partir da comida vislumbrar identidades compartilhadas e pertencimentos e fronteiras a elas associados.

—————————————————————————————————————————————————-

Estratégias de Reprodução Social e Territorial da Agricultura Familiar: estudos na escala local e regional

Período de Realização: 01/07/2010 a 01/07/2012

O segmento da agricultura familiar caracteriza-se por apresentar uma grande diversidade de combinações, tanto no que se refere à disponibilidade quanto ao uso e distribuição dos recursos terra, trabalho e capital – no interior das unidades produtivas. Essa diferenciação pode ser observada em diversas escalas, tanto nacional, regional e local, ou seja, até mesmo em uma comunidade rural. A agricultura familiar, dessa forma, torna-se foco de estudos, principalmente àqueles relacionados às estratégias adotadas por este segmento para se organizar e reorganizar diante das especificidades do modo de produção capitalista. Assim, justifica-se aprofundar o conhecimento acerca da produção familiar na agricultura, vis à vis a diversidade de formas e de processos de adaptação e inserção no sistema de mercado ou ainda, na manutenção de estratégias não-capitalistas de reprodução social e permanência no contexto produtivo do espaço rural.

A Sustentabilidade dos Recursos Hídricos

A sustentabilidade dos recursos hídricos na Colônia Maciel – Distrito de Rincão da Cruz – Pelotas – RS: turismo rural, educação e gestão ambiental Período de Realização: Janeiro de 2007 a Agosto de 2011 Nos últimos anos, tem-se intensificado o debate pela sustentabilidade, novas temáticas passaram a ocupar as preocupações dos cientistas sociais, tais como …

Diagnóstico sobre as repercussões do PAA e PNAE sobre os sistemas agrários familiares no RS

DIAGNÓSTICO SOBRE AS REPERCUSSÕES DO PAA E PNAE SOBRE OS SISTEMAS AGRÁRIOS FAMILIARES NO RS: estudos sobre as relações entre a agricultura familiar, políticas públicas e o desenvolvimento rural na escala local Período de Realização: Março de 2017 a Agosto de 2020 O segmento da agricultura familiar caracteriza-se por apresentar uma grande diversidade de combinações, …

Multifuncionalidade na Organização do Espaço pela Agricultura Familiar

MULTIFUNCIONALIDADE NA ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO PELA AGRICULTURA FAMILIAR: abordagens comparativas sobre a paisagem rural nos estados de MG, RS e SP Período de realização: Janeiro de 2014 a Agosto de 2019. Partindo da diversidade espacial como a característica principal do agro brasileiro, temos ao longo da história, o rural organizado distintamente em contextos regionais, assim …

Tipificação dos Produtores de Base Agroecológica

Tipificação dos Produtores de Base Agroecológica do Município de Pelotas/RS Período de Realização: Janeiro de 2007 a Agosto de 2010 O conceito de agroecologia quer sistematizar todos os esforços em produzir um modelo tecnológico abrangente, que seja socialmente justo, economicamente viável e ecologicamente sustentável. A rigor, pode-se dizer que a agroecologia é a base científico-tecnológica …

Saberes e Sabores da Colônia

Saberes e sabores, objetos e imagens da colônia Período de realização: Janeiro de 2014 a Dezembro de 2015 Por meio de pesquisa etnográfica e documental, tomando o estudo da alimentação como abordagem privilegiada para apreender modos de vida de grupos camponeses e os objetos materiais como partes integrantes dos sistemas classificatórios desses grupos, este estudo …

Cultura, Patrimônio e Segurança Alimentar entre Famílias Rurais

Cultura, patrimônio e segurança alimentar entre famílias rurais: etnografias de casos significativos  Período de Realização: Novembro de 2011 a Julho de 2013 A pesquisa que aqui se apresenta propõe a apreensão do saber-fazer constitutivo dos hábitos alimentares e da produção voltada ao autoconsumo de famílias rurais. Pretende-se aprofundar as relações entre distintas práticas alimentares e …

Estratégias de Reprodução Social e Territorial da Agricultura Familiar

Estratégias de Reprodução Social e Territorial da Agricultura Familiar: estudos na escala local e regional O segmento da agricultura familiar caracteriza-se por apresentar uma grande diversidade de combinações, tanto no que se refere à disponibilidade quanto ao uso e distribuição dos recursos terra, trabalho e capital – no interior das unidades produtivas. Essa diferenciação pode …