Início do conteúdo
    Notícias
  • 1º Festival Internacional de Videodança do Rio Grande do Sul – FIVRS

    A Videodança é uma linguagem artística híbrida que imbrica as linguagens da dança e do corpo em movimento às linguagens das tecnologias da imagem em um amplo espectro de conformações. Em sintonia com as transformações socioculturais e tecnológicas, a Videodança está em constante devir, sendo expandida e ressignificada em diferentes ambientes e plataformas. Seja enquanto uma parceria de coreógrafos, dançarinos e performers com cineastas, videoartistas e videomakers, ou enquanto trabalho individual de videodançarinos, a Videodança vem definindo seu espaço no campo das artes nacional e internacional. O 1º Festival Internacional de Videodança do Rio Grande do Sul – FIVRS nasce como uma iniciativa do Programa de Pós-Graduação Mestrado em Artes Visuais e do Curso de Dança da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) em parceria com a Fundação Ecarta para promover a linguagem e a sua discussão na região sul do Brasil, sob a direção de Carmem Anita Hoffman e Rosângela Fachel, ambas vinculadas à UFPel.

    O  FIVRS acontece a partir de uma convocatória internacional que recebeu 81 inscrições, de 10 Países – Brasil, Chile, Espanha, França, Argentina, Portugal, Bolívia, Estados Unidos, Itália, México – e 15 estados do Brasil – Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Ceará, São Paulo, Pernambuco, Paraná, Sergipe, Amapá, Pará, Goiás, Paraíba, Santa Catarina, Distrito Federal e Rio de Janeiro.

    Os trabalhos que compõem a mostra foram selecionados por um comitê internacional de especialistas formado pelos seguintes membros: Ximena Monroy Rocha, diretora e curadora do festival Agite y Sirva – Festival Itinerante de Videodanza, do México; Ladys Gonzales, diretora do Corporalidad expandida, Argentina; Paulo Caldas, diretor artístico e curador do Dança em Foco, Brasil; e Ana Sedeño Valdellós, realizadora audiovisual e professora da Universidade de Málaga, Espanha.

    A mostra do  Festival Internacional de VideoDança do RS – FIVRS acontecerá na Fundação Ecarta, na cidade de Porto Alegre, de 23 de julho a 23 de agosto de 2020. Após o período da primeira exibição, a mostra do festival visitará outras cidades e instituições no Brasil e no exterior.

    ORGANIZAÇÃO

    Diretoras

    Rosângela Fachel – UFPel

    Carmem Anita Hoffman – UFPel

    Comissão organizadora

    Rosângela Fachel – UFPel

    Carmem Anita Hoffman – UFPel

    Luana Arrieche Echevengua – UFPel

    Ana Carolina Tavares – UFPel

    Carlise Scalamato Duarte – UFSM

    Marcos Júlio Fuhr – Fundação ECARTA

    André Venzon – Fundação ECARTA

    Valéria Ochôa – Fundação ECARTA

    Renatha

    Realização

    Mestrado em Artes Visuais (PPGAVI) e Curso de Dança – Centro de Artes, UFPel

    Fundação ECARTA

    Apoiadores

    Curso de Dança Licenciatura / UFSM

    Red INAV – Red Iberoamericana de Investigación en Narrativas Audiovisuales 

     

    Minibiografia jurados

    Ximena Monroy Rocha (México) – é criadora, curadora e pesquisadora intermediática. Formada em Ciências da Comunicação pela Universidad de las Américas Puebla (UDLAP) e Mestre em História da Arte pela Universidade Nacional Autónoma do México (UNAM). Seus trabalhos já foram selecionados e premiados em exposições e festivais na Argentina, México, Brasil, Estados Unidos, Espanha, Portugal e Xangai. Colabora internacionalmente em projetos de pesquisa, curadoria, mediação, criação e pedagogia. Trabalha em gestão e curadoria de videodança desde 2006. Em 2008, fundou, com Marianna Garcés, o Festival Agite y Sirva, no México, o qual dirige desde então, gerenciando-o em colaboração com Paulina Rucarba. Já realizou apresentações, conferências, laboratórios e seminários no México, Colômbia, Argentina, Suécia, Alemanha, Espanha e Canadá. E publicou ensaios e resenhas no Uruguai, Argentina, México e França. Foi curadora das exposições Retrospectiva Agite y Sirva 2008-2015 e # AgiteySirva10Años (2018) no Centro Cultural da Espanha no México, e Muestra de la Red Iberoamericana de Videodanza (REDIV) 2018-2019, exibidas internacionalmente. Editou, com Paulina Rucarba, a coleção de cinco livros La creación híbrida en videodanza, que aborda a temática por meio de ensaios, textos e materiais fotográficos, publicada pela Editorial UDLAP. Colaborou com CaSa (Oaxaca), codirigindo com Paulina Rucarba as residências internacionais: Comunidades Híbridas (2015), Resonancias (2017) e Híbridos expandidos (2018) y Diálogos intermediales (2019).

    Ladys Gonzalez (Argentina) – é pesquisadora, artista e produtora da linguagem do movimento e do audiovisual. Bacharel em Artes Combinadas pela Universidade Nacional de Buenos Aires – UBA. Professora universitária de Expressão Corporal da Universidad Nacional de las Artes. Cofundadora e codiretora do Proyecto CORPORALIDAD EXPANDIDA (PCE), que integra o Festival de Cinema (FICCE), Workshops de Videodança Social, uma Videoteca sobre o corpóreo. Integra a REDIV (Rede Ibero-Americana de Dança de Vídeo). É especialista em videodança social e comunitária em comunidades indígenas da província de Chaco, Argentina, coordena residências artísticas performáticas e executa videodanças. Sua experiência se desdobra entre o desenvolvimento artístico e docente, transitando entre a criação, a pedagogia, a curadoria e a escrita, em diferentes formatos. Questiona os processos criativos performáticos. Codirigiu conceitos coreográficos e desenho audiovisual, que conjuntamente com seus seminários, residências e oficinas, foram desenvolvidos na Argentina em Chaco, Jujuy e Grande Buenos Aires, como também na Itália, México, Espanha e Alemanha.

    Paulo Caldas (Brasil) – é formado em Dança Contemporânea na Escola Angel Vianna e Bacharel em Filosofia na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), mestre e doutor em Educação Universidade Federal do Ceará (UFC). Sua produção artística é marcada pela aproximação entre dança e cinema/vídeo. Sua companhia de dança Staccato, da qual é diretor e coreógrafo desde sua criação em 1993, já recebeu diversos prêmios e distinções nacionais e internacionais. Sua produção artística já foi apresentada em diversas cidades no Brasil, e também na Alemanha, Argentina, Colômbia, Estados Unidos, França, Itália, Japão, México e Portugal. Idealizador e diretor artístico, desde 2003, do Dança em Foco – Festival Internacional de Vídeo & Dança e do PODfest Festival de Poéticas Digitais (criado em 2014), foi professor dos cursos de graduação em dança da UniverCidade (2007-2010) e da Faculdade Angel Vianna (1995/2010), onde coordenou o curso de pós-graduação em Estéticas do Movimento: Estudos em Dança, Videodança e Multimídia. Entre outras publicações, organizou livros pioneiros no Brasil acerca da videodança. Em 2011 e 2014, foi jurado do International Dance Online Short Film Festival (Bélgica/França/Reino Unido). É codiretor do Ateliê Internacional de Dança (AID), realizado em Fortaleza, desde 2011, e professor dos cursos de Bacharelado e Licenciatura em Dança da Universidade Federal do Ceará, onde coordenou o Projeto de Extensão – Ateliê de Composição Coreográfica e Processos Criativos em Dança (2013-2014) e coordena o docdança (projeto de acervo físico e digital criado em 2012).

    Ana Sedeño Valdellós (Espanha) – é criadora e diretora audiovisual com doutorado em Comunicação Audiovisual e Professora do Departamento de Comunicação e Publicidade Audiovisual da Universidade de Málaga (Espanha). Suas linhas de pesquisa incluem as relações entre música os meios audiovisuais e as práticas audiovisuais na cena contemporânea sob uma perspectiva histórica ou educativa, com ênfase em produções artísticas, como videojockey, mapping e videodança. É autora dos livros: Linguagem do videoclipe, Música contemporânea no cinema, Análise do cinema contemporâneo: estratégias estéticas, narrativas e de encenação e História da videoarte na Espanha

  • Matrícula Especial

    A Matrícula Especial no Curso de Dança – Licenciatura para o calendário altenativo 2020/01 será feita via formulário (link abaixo) no dia 22/06/2020, das 8h às 18h.

    https://forms.gle/irPSM3h2eycmT5Mr6

    As vagas disponíveis são:

    • Tópicos Especiais em Dança VI – Reflexões Pedagógicas em Dança (03 créditos) – 05001163 – Turma 61 – Prof. José Francisco (Ico) e Profa. Eleonora – 3 vagas – Horário das atividades síncronas: Quarta-feira, 14h20min – 15h10min.
    • Tópicos Especiais em Dança VII – Possibilidades e desafios para o professor-artista-pesquisador (04 créditos) – 05001164 – Turma 61 – Prof. Thiago e Profa. Carmen – 5 vagas – Horário das atividades síncronas: Terça-feira, 14h20min – 16h.
    • Tópicos Especiais em Dança VIII – Danças emergentes na emergência (06 créditos) – 05001165 – Turma 61 – Profa. Maria, Prof. Manoel, Profa. Alexandra – 1 vaga – Horário das atividades síncronas: Segunda-feira, 15h10min – 18h.

    As ementas das disciplinas foram divulgadas no post “Orientações complementares para matrícula” abaixo.

    Em caso de dúvidas, favor entrar em contato com o Colegiado através do e-mail: danca.ufpel@gmail.com

  • Orientações complementares para a matrícula.

    Queridxs alunxs!!

    Apresentamos no documento abaixo as propostas a serem desenvolvidas em cada Tópico Especial em Dança para fazerem suas escolhas afinadas aos seus desejos, além de um tutorial com orientações sobre a solicitação de matrículas para o calendário alternativo 2020/01.

    ORIENTAÇÕES COMPLEMENTARES

    Atenciosamente,

    A Coordenação.

  • Ofertas Calendário Alternativo 2020/01

    Divulgamos a tabela de ofertas de disciplinas para o Calendário Alternativo 2020/01 no link:

    Ofertas Dança Calendário Alternativo 2020/01

    Em breve postaremos as ementas das disciplinas de Tópicos Especiais em Dança para que vocês possam saber os temas abordados em cada um dos Tópicos. Destacamos os subtítulos das disciplinas em vermelho na tabela, todavia, esses subtítulos não aparecerão no Cobalto no momento de solicitação on-line, fiquem atentos aos número romanos V, VI, VII e VIII.

     

  • Roda de Conversa online – Dança em tempos de isolamento social: pedagogias possíveis.

    O Projeto de Pesquisa Ensino Contemporâneo de Dança na Educação Básica: Pedagogias Possíveis, vinculado ao Grupo de Pesquisa OMEGA (UFPel/CNPq) e coordenado pela Profa. Josiane Franken Corrêa, convida professoras e professores de Dança de diferentes níveis e espaços de ensino para uma Roda de Conversa online no dia 22 de maio de 2020 às 17h30min.

    O encontro tem como objetivo ser um espaço de compartilhamento de ideias sobre novos formatos e metodologias de ensino de dança com atividades não presenciais. Estas atividades de dança à distância têm se mostrado como única possibilidade de trabalho devido ao isolamento social em tempos de COVID-19, porém, também são potentes dispositivos para pensarmos sobre os processos de ensino-aprendizagem em dança na educação básica, na graduação e nos espaços não-formais de ensino.

    Mediação: Profa. Débora Allemand (Colégio de Aplicação da UFRGS)

    O encontro tem inscrições limitadas por ordem de chegada e estas deverão ser realizadas através do e-mail pedagogiaspossiveis2020@gmail.com com o envio das seguintes informações: Nome completo, Instituição de ensino onde é professor(a) de dança, Formação e telefone para contato. O link da sala virtual será enviado por e-mail para as(os) participantes selecionadas(os). Dúvidas por e-mail.

    Apoio: FAPERGS.

  • Recado do Colegiado do Curso de Dança – Licenciatura

    Boa tarde alunxs!!

    Desejamos estarem todxs, na medida do possível, com a saúde bem cuidada. Estamos vivendo uma situação que modifica totalmente nossa rotina, nossos projetos e ainda com a nossa vida ameaçada, portanto é natural sentirmos angústia, medo, tristeza, desânimo, impotência, entre tantos outros sentimentos.  Nesse sentido, consideramos importante cuidar a intensidade e o quanto estão conseguindo suportar. Estamos passando aqui para dizer que o Colegiado do Curso de Dança-Licenciatura, através da Coordenação, tem na medida do possível, em contado com o CAD e a representante discente, identificar as dificuldades de vocês. Podemos ampliar nossa condução, em  caso de necessidade, seja emocional, financeira ou de qualquer natureza, não devem se furtar de nos procurarem. Ainda, pedimos o apoio no sentido de identificar algum colega do Curso que esteja passando por dificuldades no momento para que possamos auxiliar. Por favor, entrem em contato para fortalecer e consolidar essa corrente. Forte abraço à distância, por enquanto. Logo mais,  muitos abraços.  A coordenação.

  • UFPel faz ações para comemorar o Dia Mundial da Dança

    Para potencializar as atividades acadêmicas que estão sendo realizadas à distância e para comemorar o Dia Mundial da Dança, que transcorre nesta quarta-feira, 29 de abril, o Curso de Dança, Licenciatura, do Centro de Artes da UFPel, está com diversas ações em andamento. Entre elas, o lançamento do grupo de trabalho para o mapeamento da Cadeia Produtiva da Dança no RS, com diversas entidades em colaboração, como Articula RS/ UFPel, UFRGS, UFSM, UERGS, UCS, Articula Dança RS, ASGADAN, ATAC, Centro Municipal de Dança/POA, Colegiado Setorial de Dança/RS, Colegiado Setorial de Circo/RS, Conselho Estadual de Cultura/RS, FAMURS, Fórum de Ação Permanente pela Cultura, SATED/RS, SEDAC/RS.

    Também será realizado o Projeto “CINE-DANÇA”, em que professores da UFPel indicam filmes que devem ser apreciados pelos participantes, para posteriormente acontecer um debate mediado virtualmente através da plataforma de conferência remota Zoom. O coordenador da ação é o professor Manoel Alves Neto e os filmes tem relação com estudos da área da Dança.

    Outra ação é o Festival Internacional de Videodança composto a partir de convocatória internacional e sob curadoria de especialistas, como Ximena Monroy (UNAM – México), Silvina Sperling (Argentina), Carlise Scalamato Duarte (UFSM-Brasil). Após a seleção, o Festival deverá itinerar por cidades do Brasil e do exterior a partir de  Porto Alegre e Pelotas – no Centro de Artes da UFPel, já conta com 71 trabalhos inscritos, que serão selecionados.

    E, como forma de incentivar a comunidade da UFPel a permanecer artisticamente ativa durante o período de isolamento social, o Curso de Dança também está lançando o desafio #danceemcasaufpel, que será iniciado com o lançamento de um vídeo em que os professores do Curso dançam incentivando alunos e outros interessados a fazerem o mesmo. Quem quiser aderir deve gravar um vídeo dançando na sua casa e postar nas redes sociais, com a hashtag #danceemcasaufpel. Mais informações no site do curso de Dança, que é o https://wp.ufpel.edu.br/danca/ .

    Comemoração

    O Dia Internacional da Dança ou Dia Mundial da Dança  é comemorado no dia 29 de abril e foi instituído pelo CID (Comitê Internacional da Dança) da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura) no ano de 1982. É uma data que está se popularizando cada vez mais, pois artistas e profissionais da área reconhecem da importância para dar maior visibilidade e refletir sobre o campo de conhecimento da dança.

    É uma homenagem ao  mestre francês Jean-Georges,  Noverre, sua data de nascimento(1727-1810). Noverre ultrapassou os princípios gerais que norteavam a dança do seu tempo para enfrentar problemas relativos à execução da obra. Sua proposta foi de atribuir expressividade a dança por meio da pantomima, a simplificação na execução dos passos e a sutileza nos movimentos.

    Noverre se destaca na história por ter escrito um conjunto de cartas sobre o balé de sua época, “Letters sur la Danse”. O Dia Internacional da Dança  se constitui em mais uma estratégia de mobilização em torno do reconhecimento e consolidação do campo. Alguns dos objetivos desta comemoração é chamar a atenção do público geral, bem como  buscar incentivar governos de todo o mundo para proporcionarem  políticas públicas voltadas à dança.

    No caso do ensino  da Dança, ressalta-se que, com o crescimento da oferta de possibilidades formativas, o ensino de dança nas escolas brasileiras tem se tornado já se encaminha para uma realidade, na medida em que há um consenso entre os aspectos legais que o normatizam e uma demanda apresentada pelas escolas e profissionais da educação, que se dedicam a pensar, elaborar formas e criar estratégias de ingressar no cotidiano escolar.

    Desde 1998, o volume 6 dos Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino de Arte indica, como sugestão para as escolas, a inclusão das Artes Visuais, da Dança, da Música e do Teatro, como componentes artísticos a serem desenvolvidos na disciplina curricular dedicada ao Ensino de Arte.

    Porém, a ideia torna-se obrigatória, apenas em 2016, com a sanção da Lei 13.278, superando a Lei 11.769, de 2008, que instituía o ensino obrigatório de Música na Educação Básica. Logo, a Lei de 2016 afirma a importância de todas as linguagens artísticas no desenvolvimento integral dos estudantes nos diferentes contextos escolares brasileiros.  Acreditamos que a isonomia entre as linguagens artísticas no texto da Lei representa uma conquista da classe de professores de Arte, caldeada no debate sobre a valorização do seu ensino, que se torna urgente sempre que o direito à Arte, e mais especificamente à Dança, na Educação Básica é questionado.

     

    Notícia disponível em: http://ccs2.ufpel.edu.br/wp/2020/04/28/ufpel-faz-acoes-para-comemorar-o-dia-mundial-da-danca/