Início do conteúdo
    Notícias
  • Conselho Departamental organizou as listas tríplices para Direção do ICH e confirma a consulta à comunidade

    A Reunião do Conselho Departamental do Instituto de Ciências Humanas, ocorrida na quinta-feira (18/10/2018),  confirmou a escolha do professor Sebastião Peres para Diretor e da professora Andréa Bachettini para Vice-Diretora do Instituto de Ciências Humanas no período 2018-2022.

    Escolha seguiu as regulamentações vigentes

    Inicialmente o presidente do CD, professor Sidney, esclareceu que o processo de escolha de Diretor e Vice-Diretor de unidades acadêmicas está regulado pelo Decreto Nº 1.916, de 23 de maio de 1996, que regulamenta o processo de escolha dos dirigentes de instituições federais de ensino, nos termos da Lei Nº 9.192, de 21 de dezembro de 1995. Explicou que, nos termos da legislação vigente “o colégio eleitoral que organizar as listas tríplices observará o mínimo de setenta por cento de participação de membros do corpo docente em sua composição”, como ocorre com o Conselho Departamental do ICH. Salientou que “o colegiado máximo da instituição poderá regulamentar processo de consulta à comunidade universitária, precedendo a elaboração das listas tríplices, caso em que prevalecerão a votação definida no § 2º e o peso de setenta por cento dos votos para a manifestação do corpo docente no total dos votos da comunidade”. Que “o Diretor e o Vice-Diretor de unidade universitária serão nomeados pelo Reitor, observados, para a escolha no âmbito da unidade, os mesmos procedimentos e critérios prescritos neste artigo” que regulamenta a escolha de Reitor e Vice-Reitor.

     

    Consulta à comunidade foi homologada pelo CD

    Nesse sentido, explicou que a consulta realizada pelo Conselho Departamental do ICH, ao utilizar o voto universal não seguiu os procedimentos definidos pela lei e, sendo assim, não tem validade jurídica nesse processo. A consulta comunitária apontou 234 (duzentos e trinta e quatro) votos no total, sendo 225 (duzentos e vinte e cinco) votos para a chapa 1, única inscrita na consulta, que tinha como candidato à Direção o professor Sebastião Peres e à Vice-Direção a professora Andréa Bachettini, três votos brancos e seis votos nulos. O professor Sidney lembrou que a tradição do ICH é de proceder a consulta comunitária com o voto universal e, mesmo que o processo da consulta realizada não possa ser incluído como elemento do processo, havia o comprometimento de todos em respeitar a consulta realizada. De qualquer modo, em atendimento à legislação, será feita a escolha nos termos estabelecidos, de modo que o processo não possa ser contestado. Na sequência, será feita a organização das respectivas listas tríplices.

     

    Chapa Integração apresentou seu programa

    Considerando que houve uma chapa postulante à gestão, o professor Sidney sugeriu que fosse feita a exposição de motivos por parte dos candidatos. O encaminhamento foi aceito. O professor Sebastião Peres se manifestou, na condição de candidato à Direção, juntamente com a professora Andréa Bachettini, candidata à Vice-Direção. Disse que queria deixar claro o fato de que existe uma certa continuidade nos projetos das últimas gestões do ICH e que pretendiam dar sequência aos projetos já iniciados. A chapa optou por destacar o caráter de integração como palavra-chave do processo de gestão que desejam implantar. Destacaram a necessidade de integração entre a graduação e a pós-graduação, entre o ensino, a pesquisa e a extensão, e também entre as diversas áreas de conhecimento que compõem a unidade, assim como a integração entre os três segmentos da comunidade acadêmica. Também destacaram a necessária integração entre os diversos setores de gestão, a necessidade de integração de todos nos processos de gestão e, por fim, destacaram a necessidade de integração física do ICH em um espaço comum. Junta-se à presente ata o documento “Programa de Gestão”, apresentado durante a reunião. A professora Andréa se manifestou dizendo que havia resolvido aceitar o desafio da gestão principalmente em função da proposta de integração. Trabalha em uma área que há muito tempo está isolada do todo do ICH e que isso está sendo mudado de modo que a integração seja uma realidade de fato. Coloca-se à disposição para atender as demandas de todos.

    Programa de Gestão da Chapa Integração: Sebastião e Andrea_2018_2022

     

    Membros do CD felicitaram os candidatos

    O professor Moisés se manifestou cumprimentando os candidatos pela iniciativa e se colocou à disposição para contribui no que for possível durante a gestão no sentido de construir um ICH integrado. Também o professor Roberto se manifestou agradecendo a disponibilidade dos professores Sebastião e Andréa, disse que Sebastião já havia sido chefe do departamento no qual ingressou na universidade e sua atuação foi muito importante, um verdadeiro exemplo de profissional no serviço público. No mesmo sentido, reconhece na atuação da professora Andréa amplas possibilidades de sucesso. O professor Miguel disse que as palavras anteriores resumiam muito bem o espírito de todos. O sentido proposto pelo professor Sebastião, de integração era muito bem vindo, face a necessidade de união na construção do ICH e tinha a certeza de que com esse espírito isso seria possível. A professora Ana disse que reconhecia as capacidades dos colegas e colocou seu trabalho à disposição. Reconhece que há momentos em que as diferenças entre os cursos são necessárias, mas fundamentalmente há momentos em que a união do ICH é necessária. Também a professora Rosane salientou que a palavra integração era muito importante no momento e parabeniza a chapa pela escolha. A professora Giovana se disse muito contente com a eleição dos colegas e que considera muito importante a disponibilidade dos colegas em assumir o encargo tendo em vista isso ser fundamental para o sucesso. O conselheiro Cleoni se manifestou dizendo se sentir muito contente, como representante de origem no curso de História, por reconhecer a capacidade de trabalho do professor Sebastião. Colocou-se à disposição para contribuir. A conselheira Mariuza agradeceu o acolhimento que tem tido no ICH e se coloca à disposição para ajudar no que for possível e parabeniza aos professores pela proposta apresentada. A professora Louise disse que também se colocava à disposição e parabenizava os colegas pela eleição. O professor Sidney se manifestou dizendo da satisfação que tinha em verificar o interesse dos colegas Sebastião e Andréa em assumir a gestão da unidade. Tinha certeza, pelo tempo em que contou com o trabalho do professor Sebastião na Vice-Direção, que a Direção do ICH estava muito bem encaminhada. Ao longo de toda a gestão o professor Sebastião foi muito mais do que um Vice-Diretor que assumiu apenas nos impedimentos regimentais, mais do que isso, esteve sempre presente, tornando a tarefa de administrar muito mais fácil. Desejou a mesma sintonia na próxima gestão. Disse ainda ser importante dar continuidade aos trabalhos já desenvolvidos e que a escolha dos dois representava também um aval aos projetos desenvolvidos até então. Por fim, se colocou à disposição e desejou sucesso aos colegas.

     

    Listas Tríplices

    Logo em seguida o professor Sidney passou a organizar as listas tríplices. Assim, “a votação será uninominal, devendo as listas ser compostas com os três primeiros nomes mais votados em escrutínio único, onde cada eleitor vota em apenas um nome para cada cargo ser preenchido”. Em primeiro lugar foi feita a votação uninominal para o cargo de Diretor do ICH. Foram apontados 10 (dez) votos para o professor Sebastião Peres, 02 (dois) votos para o professor Miguel e 01 (um) voto para o professor Moisés. Depois, foi feita a votação uninominal para o cargo de Vice-Diretor do ICH. Foram computados 10 (dez) votos para a professora Andréa Bachettini,  02 (dois) votos para a professora Ana e 01 (um) voto para a professora Rosane. Sendo assim, a lista tríplice para Diretor do ICH fica composta pelos professores Sebastião Peres, Miguel Pinto de Oliveira e Moisés Ortemar Rehbein. A lista tríplice para Vice-Diretor do ICH fica composta pelas professoras Andréa Lacerda Bachettini, Ana Inez Klein e Rosane Aparecida Rubert.

    Nesta segunda-feira (22/10/2018) as respectivas listas foram encaminhadas para a Reitoria que deverá emitir portarias nomeando os indicados para posterior posse.

  • Professor Sebastião Peres será o novo Diretor do ICH e professora Andréa Bachettini a nova Vice-Diretora

    A comunidade do Instituto de Ciências Humanas (ICH), elegeu em votação universal a nova direção da Unidade, professor Sebastião Peres, como Diretor, e professora Andréa Bachettini, como Vice-Diretora.

    A eleição foi realizada  no dia 16 de outubro de 2018, terça-feira e contou com a presença dos três segmentos da universidade lotados no ICH, servidores Docentes, servidores Técnico-Administrativos e discentes. O voto foi universal, seguindo a tradição das consultas feitas na unidade.

    Na quinta-feira (18/10/2018) haverá reunião do Conselho Departamental do ICH para elaboração das listas tríplices a serem encaminhadas à Reitoria para oficialização dos nomes indicados. Na sequência, o Reitor deverá dar posse aos eleitos.

    O mandato da atual gestão, professor Sidney Gonçalves Vieira, Diretor e professor Sebastião Peres, Vice-Diretor, será encerrado em 03/11/2018, sendo a nova direção empossada para um mandato de quatro anos.

     

  • ICH escolhe nova Direção 2018-2022

    Eleição para Direção do ICH
    “A Comissão Eleitoral comunica que em 16/10/2018 (terça-feira) estará fazendo a consulta à comunidade acadêmica para Direção do ICH/ 2018.
    As urnas estarão disponíveis no Campus I do ICH, para os cursos de Graduação e Pós-graduação em História; Antropologia e Ciências Econômicas e no Campus II do ICH, para os cursos de Graduação e Pós-graduação em Conservação e Restauro; Geografia e Museologia.
    O horário de votação será das 10h às 12h; das 13h e 30m. às 16h e das 18h e 30m. às 20h e 30m. Contamos com a participação de todos e todas! “
    A Comissão Eleitoral
  • Ciências Econômicas: PPG em Organizações e Mercados terá curso de Doutorado

    A Universidade Federal de Pelotas teve mais um curso de doutorado aprovado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Ensino Superior (CAPES): o programa de pós-graduação em Organizações e Mercados, do Departamento de Economia do Instituto de Ciências Humanas da UFPel, está autorizado a oferecer vagas nesse nível de stricto sensu.

    Focado na área de Economia Aplicada, o programa manterá para o novo doutorado as mesmas linhas de pesquisas que já vem sido trabalhadas pelos pesquisadores de mestrado e seus orientadores: Economia da Saúde, da Educação e do Trabalho e Finanças e Economia Rural e do Meio Ambiente.

    O Doutorado em Organizações e Mercados da UFPel é o primeiro do interior do estado: até hoje, os demais doutorados em Economia do estado estão localizados em Porto Alegre. “Esse é um ponto que merece destaque”, afirma o coordenador do PPG, Felipe Garcia.

    O dirigente do programa mostrou-se bastante satisfeito com a notícia da aprovação da proposta de doutorado, divulgada nesta sexta-feira (5). “É um reconhecimento do nosso trabalho e do nosso empenho”, diz Garcia, ao lembrar que essa consideração já havia sido apontada na última avaliação do PPG, quando este teve seu conceito elevado para o nível 4, o que possibilitou a inscrição da proposta do novo doutorado. Ele lembra que este é um programa jovem, criado em 2009, e que mesmo com corpo docente enxuto, de cerca de 10 professores, tem conseguido desenvolver pesquisa de excelência.

    Para o coordenador, esse resultado é fruto do alinhamento das pesquisas desenvolvidas no âmbito do PPG com aquilo que há de mais moderno na pesquisa em Economia, em especial de uma das áreas que tem concentrado mais a atenção de seus pesquisadores: o impacto dos programas sociais no desenvolvimento humano e nas condições do mercado de trabalho. “Tudo isso utilizado as técnicas mais modernas de pesquisa em Economia”, explica.

    A partir de agora, a expectativa é de uma qualificação ainda maior do trabalho desenvolvido pela unidade. “Com o doutorado, nossos alunos ficam conosco mais tempo, desenvolvendo pesquisas mais aprofundadas”, pontua o docente. Essa visão é partilhada pelo pró-reitor de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação da UFPel, Flávio Demarco, que também comemora a aprovação da proposta: “Nossos estudantes acabavam migrando para outros programas justamente quando começariam a realizar uma produção mais consistente”. Outras portas abertas com esse novo curso são as da internacionalização.

    A previsão é que o novo doutorado já tenha suas primeiras atividades no primeiro semestre letivo de 2019. De acordo com Garcia, o cronograma ainda deve ser aprovado no Colegiado do PPG, mas a previsão é que o edital de seleção seja divulgado no mês de dezembro.

    Fonte: ccs2.ufpel.edu.br/wp/2018/10/05/ppg-em-organizacoes-e-mercados-tera-curso-de-doutorado/

  • Avaliação de desempenho dos Servidores Técnico-Administrativos

    O Programa de Avaliação de Desempenho dos Servidores Técnico-Administrativos da UFPel tem como um de seus objetivos aferir o desempenho do servidor para obtenção de progressão por mérito na carreira.

    Em virtude disso, a Coordenação de Desenvolvimento de Pessoal informa que a primeira etapa do processo deve ser realizada entre os dias 24/09 e 31/10 e consiste no cadastro do Plano de Trabalho no sistema Cobalto. Ressaltamos que, diferentemente do processo avaliativo passado, o servidor deverá informar o nome da chefia imediata e salvar. Após, informar as atividades pactuadas e clicar em “Adicionar”. Em seguida, o servidor avaliado deverá ASSINAR o plano. Ato contínuo o  plano ficará disponível para a chefia informada. Caso a chefia assine concordando com as atividades cadastradas o plano passará para a situação “Pronto para a Avaliação”. Caso a chefia realize algum ajuste nas atividades, então o plano voltará para a ciência do servidor. Esse ciclo se repete até que ambas as partes estejam de comum acordo com as atividades propostas no plano.

    A segunda etapa consiste na avaliação propriamente dita e será realizada a partir de 1º de Novembro, no entanto, é obrigatório o cadastro, prévio, do Plano de Trabalho para que o servidor possa realizar a avaliação de seu desempenho.

    Nesse sentido, solicitamos ampla divulgação nas Unidades e reiteramos que a avaliação de desempenho é indispensável para a obtenção da progressão por mérito.

    Alertamos que o sistema foi modificado e tanto o Plano de Trabalho quanto a avaliação serão realizados somente no Sistema Cobalto. Maiores informações e o passo a passo encontram-se disponíveis na página  https://wp.ufpel.edu.br/progep/cdp/%EF%82%A7programa-de-avaliacao-de-desempenho-do-servidor-tecnico-administrativo/

    Ressaltamos que a participação de todos é de suma importância para o bom andamento do processo avaliativo.

  • ICH contemplado com crédito orçamentário pelo bom gerenciamento energético

    Pela segunda vez, nos últimos três anos, o ICH é contemplado com crédito orçamentário resultante do bom uso energético, de acordo com análise feita por laboratório da UFPel. Veja a informação da PROPLAN, a seguir.

    Conforme informado pelo Laboratório de Conforto e Eficiência Energética (LABCEE), no processo SEI 23110.037650/2018-04, serão repassados às UGRs das Unidades listadas na planilha 0249702 os valores apresentados na mesma, na forma de créditos para uso em capital. O crédito será aberto em 22/08/2018, ficando disponível no sistema de créditos orçamentários a partir do dia 23/08/2018.

    UGR    Unidade                                                                  Total
    154125 Faculdade de Direito                                           2.183,89
    154127 Escola Superior de Educação Física                    978,81
    154120 Faculdade de Arquitetura e Urbanismo         9.301,20
    154131 Centro de Artes                                                  11.513,13
    154126 Faculdade de Educação                                     8.084,84
    154123 Instituto de Ciências Humanas                        7.006,00
    154137 Instituto de Filosofia, Sociologia e Política    2.866,87

  • Direção do ICH se reúne com área de Antropologia e Arqueologia para prestar informações

    Na manhã de terça-feira (25) a Direção do Instituto de Ciências Humanas, professores Sidney Gonçalves Vieira e Sebastião Peres, esteve reunida com professores e técnicos das áreas de Antropologia e Arqueologia da Unidade a fim de prestar uma série de informações sobre assuntos relevantes para a área.

    A reunião foi proposta em conjunto pela Coordenadora do Colegiado do Curso de Antropologia, professora Louise Prado Alfonso e pela Chefe do Departamento de Antropologia e Arqueologia, professora Rosane Aparecida Rubert e a Direção do ICH, diante da necessidade de esclarecer diversos assuntos cujas informações não chegaram aos interessados.

    Inicialmente o professor Sidney realizou uma apresentação mostrando a todos os procedimentos adotados pela Direção sobre os temas em questão. Depois, se realizou amplo debate para aprofundamento da pauta.  A ordem do dia proposta para a reunião versou em torno dos seguintes itens:

    a) Laboratórios Didáticos para o Curso de

    Antropologia e Arqueologia

    Diante da situação relatada pela professora Louise de que o Laboratório de Ensino e Pesquisa em Antropologia e Arqueologia (LEPAARQ) não poderia ser usado para a oferta de disciplinas de Práticas de Laboratório surgiu a discussão sobre onde deveriam ser viabilizadas tais práticas. A impossibilidade do LEPAARQ se deu em função de acidente ocorrido no laboratório, quando uma porta caiu sobre uma estudante. A porta se encontrava em péssimo estado diante do ataque de cupins ocorrido no local.

    Primeiramente o professor Sidney explicou que os laboratórios de Ensino, Pesquisa e Extensão, tem sua constituição garantida em regimento próprio aprovado no Conselho Departamental do ICH. No regulamento é que são definidos o caráter, funções e atividades de cada laboratório. Não há qualquer obrigatoriedade, para constituição de um laboratório desta natureza, que ele esteja diretamente vinculado à função de ensino curricular. Não obstante, pela prática desenvolvida na área até agora, praticamente todos os laboratórios se envolvem com atividades curriculares. Ocorre que a obrigatoriedade desse vínculo curricular é dos laboratórios didáticos. Tais laboratórios, didáticos, sim são constituídos para o atendimento das aulas práticas em suas diversas especialidades. Portanto, restou esclarecido que nem o LEPAARQ nem qualquer outro dos laboratórios teria a obrigação de resolver o problema curricular do curso. Há que se salientar, entretanto, que todos os laboratórios contribuíram de alguma forma para que o problema fosse solucionado.

    Com relação a esse ponto, concluiu-se que a coordenação do curso deverá analisar como poderá resolver essa questão, havendo pelo menos três possibilidades: i) a criação de laboratórios didático próprios e específicos para as disciplinas de Prática de Laboratório e outras disciplinas práticas; ii) formalizar um vínculo ou protocolo para que os atuais laboratórios que queiram se envolver com o ensino curricular assim o estabeleçam; e, iii) propor a criação de laboratórios próprios e formalizar o compromisso com os atuais. A opção ii), de estabelecer uma formalização  que garanta a participação dos laboratórios no processo de ensino-aprendizagem curricular se mostrou a opção mais interessante, haja vista que, em certa medida os laboratórios existentes já fazem isso, o que acontece é que não existindo a formalização ou o protocolo estabelecido não há garantia nem segurança nesse compromisso para que o colegiado do curso possa estabelecer essa situação como uma prática curricular. Novas reuniões serão realizadas entre a Direção, Coordenação do Colegiado do Curso e coordenadores dos laboratórios, para que se encontre uma maneira de institucionalizar aa prática de laboratório como atividade curricular nos laboratórios.

    b) Reserva Técnica de Arqueologia

    A Direção explicou que o tema da Reserva Técnica de Arqueologia tem sido uma preocupação não resolvida que vem sendo discutida há muito tempo. Em 2011 foi estabelecida uma Portaria Interna  (Nº067/2011) do ICH que regulamentou a concessão de Endosso Institucional e o uso da Reserva Técnica ficou associado. A decisão, na época, foi no sentido de que a Reserva Técnica teria sua gestão à cargo do LEPAARQ, porque era o laboratório mais estruturado e que já vinha realizando tais procedimentos desde sua criação.

    Na situação atual o que se verifica é que a Reserva Técnica funciona dentro do LEPAARQ e continua sendo gerida pelo referido laboratório. Nos últimos três anos tem sido desenvolvido grande esforço no sentido de mudar esta situação. A proposta da Direção, com a qual vem trabalhando junto à Pró-Reitoria de Planejamento e com a coordenação do LEPAARQ, aponta no sentido de desvincular fisicamente a Reserva Técnica do LEPAARQ. Para isso, desde a gestão passada na administração da Reitoria, tem sido discutidas uma série de alternativas para relocalização da Reserva Técnica. Até o momento, a Reitoria não pode viabilizar qualquer das propostas anteriores. No momento, se está trabalhando com a possibilidade de instalação da Reserva Técnica no local onde estava a Sala de Periódicos da Biblioteca do CCHS quando funcionava no prédio do CCHS. Com relação a essa proposta ainda estamos aguardando o planejamento a ser apresentado pela PROPLAN.

    No mesmo sentido da decisão anterior, ficou estabelecido que serão feitas novas reuniões para informar e decidir sobre os encaminhamentos acerca da Reserva Técnica.

     

    c) Endosso Institucional Arqueológico

    Com relação à concessão de Endosso Institucional Arqueológico foi explicado que o procedimento adotado é aquele estabelecido pela Portaria Interna ICH Nº067/2011 (Acesse  AQUI), que estabelece o protocolo de solicitação e concessão de Endosso Institucional, depois complementado pelo Termo de Responsabilidade estabelecido pela Portaria Interna ICH Nº193/2014 (Acesse AQUI).

    Desde 2016 a concessão de Endosso Institucional é objeto do Projeto de Extensão intitulado Endosso Institucional Arqueológico (Acesse AQUI), estabelecido naquela ocasião a fim de atender as regulamentações estabelecidas pela Universidade e órgãos de controladoria. A partir do projeto foi firmado um acordo entre a Universidade Federal de Pelotas e a Fundação Delfim Mendes Silveira (FDMS), a fim de que a gestão financeira do projeto se adequasse às exigências de funcionamento e fiscalização dos órgãos competentes. A partir daí a coordenação do projeto passou a executar o projeto nos termos autorizados pela FDMS.

    Como o projeto foi realizado de forma muito rápida em virtude dos exíguos prazos que foram estabelecidos para regularização, sob pena de perda dos recursos existentes e impossibilidade de geração de novas receitas, contém algumas especificidades que só foram analisadas durante sua execução. Por exemplo, o Plano de Trabalho criado tem uma limitação de recursos arrecadados (R$60.000,00) que não pode ser ultrapassado. Além disso, dado a especificidade do Plano, referido à concessão de endosso e sua gestão pela Reserva Técnica, tem sido impossível executar o recurso com qualquer rubrica que não seja voltada estritamente para esse fim.

    No momento, deve-se elaborar um novo Plano de Trabalho, para prorrogar o projeto. Trata-se, portanto, de uma oportunidade de analisar as possibilidades existentes, de modo que a execução daquilo que está previsto na Portaria 067/2011 seja possível, especialmente a distribuição de recursos para que todos os laboratórios da área usufruam do crédito existente.

    Com relação a transparência do uso de tais recursos ocorre a prestação de contas anual, aprovada pelo Conselho Departamental do ICH, verificada pelo setor financeiro da FDMS e órgãos de controladoria. A esse respeito, o professor Sidney disse que iria propor ao CD/ICH a análise mensal da prestação de contas, tal como ocorre com as contas da Unidade Gestora de Receitas do ICH na atualidade.

    Na sequência, o professor Sidney apresentou o Relatório Financeiro mensal de janeiro a agosto de 2018 (Acesse AQUI), ainda não submetido à prestação de contas, para análise. Chamou a atenção para o fato de que o saldo apresenta um valor praticamente igual ao dobro do previsto (R$119.725,25) e que a movimentação existente no ano demonstra não ter havido receita gerada no período, assim como os gastos se restringem às despesas bancárias e de administração e ao pagamento de uma bolsa nos termos do Edital de seleção. A falta de movimentação, referente ao item despesas, se explica em função da enorme dificuldade de efetivação de gastos nos termos do projeto, motivo pelo qual se torna importante sua reformulação.

    Também com relação a este tema serão realizadas novas reuniões, principalmente para encaminhamento da prorrogação do projeto.

     

    Debates

    Logo após a apresentação o grupo realizou amplo debate sobre os temas tratados na reunião, tendo sido aproveitado o debate para diversos esclarecimentos sobre pontos tratados em reunião anterior realizada pelo Colegiado e Departamento. Os servidores técnicos presentes manifestaram sua contrariedade à expressão contida na referida ata no sentido de que não haveria comprometimento da categoria com atividades de ensino, o que, de fato, não corresponde à realidade, haja vista a intensa participação dos técnicos no preparo e execução das aulas práticas as mais diversas e outras atividades acadêmicas, tendo sido salientado também a importância da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão. Houve explicação sobre o contexto da frase.

    A maior parte da discussão se deu em torno da questão dos laboratórios, onde ficou evidente a disponibilidade de todos em contribuir para o ensino curricular. As manifestações abrangeram as posturas do LEPAARQ (Laboratório de Ensino e Pesquisa em Antropologia e Arqueologia, LÂMINA (Laboratório Multidisciplinar de Investigação Arqueológica), LEICMA (Laboratório de Estudos Interdisciplinares de Cultura Material), LECA (Laboratório de Estudos sobre a Cerâmica Antiga), NETA (Núcleo de Etnologia Ameríndia) e LEPPAIS (Laboratório de Ensino, Pesquisa e Produção em Antropologia da Imagem e do Som).

    Estiveram presentes: Sidney Gonçalves Vieira, Sebastião Peres, Pedro Luís Sanches, Rogério Reus Gonçalves da Rosa, Rosane A. Rubert, Fábio Vergara Cerqueira, Loredana Ribeiro, Rafael Corteletti, Jorge Luiz de Oliveira Viana, Sara Teixeira Munaretto, Aluísio Gomes Alves, Cláudia Turra Magni, Louise Prado Alfonso e Cláudio Baptista Carle.

    Arquivo com áudio de 2h48min da reunião ficará à disposição na Direção do ICH.

  • Direção se reúne com chefias, coordenações e STAs para debater “Reforma Administrativa” no ICH

    Na tarde do dia 25 de setembro (terça-feira) a Direção do Instituto de Ciências Humanas (ICH) da UFPEL, esteve reunida com as chefias dos departamentos, as coordenações dos colegiados de curso de graduação e de pós-graduação e com a representação dos Servidores Técnico-Administrativos no Conselho Departamental, para debater maneiras de possíveis reorganizações de secretarias em função do pouco número de profissionais disponível.

    11 para 19

    Do total de vinte e oito servidores técnicos atualmente lotados no ICH a perspectiva é de que a partir de 2019 esse número caia para apenas onze, se forem computados apenas aqueles cujos cargos permitem atender secretarias administrativas. Em contrapartida, o número de setores existentes no ICH é de dezenove.

    Portanto, a atual estrutura administrativa com secretarias para departamentos e colegiados exclusivas não têm mais como se manter. Foram feitas simulações a partir do quadro existente, com a formulação de hipóteses de novas distribuições e compartilhamentos a fim de atender a demanda existente.

    As lâminas apresentadas a seguir foram utilizadas para esclarecer uma série de questões referente ao tema e servem de material de apoio para futuras discussões.

    Ficou acertado que a Direção chamará novas reuniões para aprofundar a discussão.

    Estiveram presentes Sidney Gonçalves Vieira, Sebastião Peres, Giovana Mendes Oliveira, Régis Augusto Ely, Marcelo de Oliveira Passos, Roberto Heiden, Diego Ribeiro, Allan de Oliveira, Erika Collischonnn, Ana Inez Klein, Jonas Moreira Vargas, Rosângela Spironello, Cláudia Turra Magni, Thaise Thurow Schaun, Louise Prado e Álbio Ferreira da Costa.

    Reunião Direção ICH Administrativo

  • Eleição para Direção do ICH

    Candidatos têm inscrição homologada.

    Despacho da Comissão Eleitoral instituída pelo Edital para realização da eleição para Direção do ICH informa que a chapa que se apresentou para concorrer, teve sua inscrição homologada. Com isso, ficou oficializada a seguinte candidatura

    professor Sebastião Peres, do Departamento de História, para a Direção do ICH e professora Andréa Lacerda Bachettini, do Departamento de Museologia, Conservação e Restauro, para a Vice-Direção.

    Não houve mais inscritos.

     

    Consulta à Comunidade será no dia 16 de outubro de 2018

    Na data de 16 de outubro de 2018 será realizada consulta à comunidade acadêmica, nas dependências do ICH, para eleição da nova Direção do ICH/UFPel. Convidamos discentes, servidores/as docentes e servidores/as técnico-administrativos/as para trabalho voluntário de mesário/a em um dos locais e horários indicados abaixo.

    Aos/às interessados/as, favor contatar a Comissão Eleitoral pelo e-mail <thaiseschaun@gmail.com> através do assunto: mesário/a.

    Informe o seu nome completo, se discente ou servidor/a, local e horários de disponibilidade.

    Contamos com a colaboração dos/as colegas.

    Locais:

    Campus I e II do ICH.

    Horários:

    10:00 – 12:00;

    13:30 – 17:00;

    17:00 – 20:30;

    Comissão Eleitoral

    Moisés Ortemar Rehbein, Thaise Schaun e Rui Delgado.