Museu da Colônia Maciel sofre com desabamento do telhado

Prof. Fábio Vergara Cerqueira se manifesta sobre desabamento do museu

A coordenação do Museu Etnográfico da Colônia Maciel noticia, com pesar, o desabamento do telhado do prédio em que o museu se situa, no núcleo urbano da Vila Maciel. O fato ocorreu na noite de segunda-feira, de 13.02.2017. Pessoas da comunidade local averiguaram a situação do prédio na manhã do dia seguinte, tendo ocorrido divulgação de fotografias para tornar público o acontecimento e sua gravidade, pelo que agradecemos à sra. Cândida S. Portantiolo. Diante da informação, no turno da tarde, uma equipe técnica, com integrantes da Prefeitura Municipal de Pelotas e da Universidade Federal de Pelotas, acompanhados da Defesa Civil, se deslocaram até a Vila Maciel para averiguar a situação. Verificou-se risco de desabamento, razão pela qual se faz alerta de que a população não se aproxime do prédio. O primeiro passo será o escoramento, cujo procedimento está sendo difinido entre a Prefeitura Municipal de Pelotas, a Defesa Civil, a Universidade Federal de Pelotas e o Corpo de Bombeiros. Somente após este, mediante criteriosa análise das condições de segurança, proceder-se à remoção de telhas e demais destroços do desabamento. Numa etapa seguinte, com uma equipe formada por profissionais e estudantes das áreas de conhecimento envolvidas (História, Museologia, Conservação & Restauro), com a cooperação dos quatro museus do Circuito de Museus da Serra dos Tapes (Museu De Morro Redondo, Museu Gruppelli e Museu Colonia Francesa), fará o trabalho de retirada meticulosa do acervo, deslocando-o para outro espaço, em que se possa, com rigor técnico, realizar a restauração do que for possível recuperar. As duas reservas técnicas não foram atingidas. Ontem, sob supervisão, foi feita retirada dos objetos conservados na reserva técnica anexa ao prédio. Este material foi deslocado para outro local, na própria Vila Maciel, em condições de segurança. Por parte da equipe do museu, os primeiros procedimentos estão sendo tomados pela arqueóloga Luciana Peixoto , posto que me encontro afastado para pós-doutoramento fora do país. Por parte da prefeitura, o Secretário Municipal de Cultura, sr. Giorgio Ronna, e a arquiteta Liciane Almeida, acompanham com todo empenho e dedicação cada passo a ser tomado. Por parte da universidade, temos recebido apoio total do diretor do ICH, Prof. Dr. Sidney Gonçalves Vieira , assim como da administração superior, por meio do Magnífico Reitor, Prof. Dr. Pedro Hallal, assim como do Pró-Reitor de Planejamento e Desenvolvimento, Prof. Dr. Otávio Martins Peres, e do assessor do Reitor, Prof. Dr. Alexandre Gastal . Na Vila Maciel, contamos a sempre com a atenta colaboração da família Casarin, por meio da Loeci, Marli e Neiva. Desde a divulgação do infortúnio, temos recebido inúmeras mensagens de apoio. Tenho certeza que o museu superará, e renascerá mais forte. Certamente será a hora de um novo abraço, bem forte, com a comunidade local, como ocorreu na fundação do museu. É triste que o ano comemorativo dos dez anos de funcionamento do museu seja marcado por este fato. Mas nós, UFPel, temos um compromisso com a comunidade da Vila Maciel e redondezas, com a memória destes descendentes de imigrantes italianos, assim como de outras origens, que batalharam para construir nossa história, geração após geração. Juntos, superaremos!