Lanceiros negros: ideia para alavancar carreiras

Por Ester Caetano  

Projeto foi um desdobramento do Festival Porongos lançado em 2019

Na coordenação estão João Pedro Lopes, Thaise Machado e Mauryani Oliveira     Foto: Elizabeth Thiel

Impulsionando a cena artística do Rio Grande do Sul e ressignificando as comemorações da Semana Farroupilha do mês de setembro, o projeto Aceleradora Lanceiros Negros foi lançado no mês de agosto. Apoia o trabalho de artistas negros gaúchos e objetiva o fomento da cultura negra no Sul do Brasil.

A iniciativa é um desdobramento do Festival Porongos, criado em 2019 por jovens empreendedores negros. Nasce em forma de manifesto, fazendo presente a história dos Lanceiros Negros, que lutaram na Guerra Civil Farroupilha em troca de liberdade. A diretora criativa do projeto, Thaise Machado, comenta que a Aceleradora veio com o objetivo de levar adiante a ideia iniciada pelo festival.

Depois do lançamento de um edital de seleção e a divulgação dos selecionados, as atividades de mentoria e facilitação começaram no dia 4 de outubro e vão até a data de 11 de novembro. Foram 20 artistas selecionados. O perfil dos participantes vai desde produtores culturais, aqueles que gostam de fazer cultura ou os que querem ingressar no meio. “Chamou-se aqueles que estão já atuando na área, mas também pessoas que gostariam de atuar. Então, podem ser artistas, produtores, performers, qualquer pessoa que tenha uma ligação com arte e cultura. A gente acredita que a arte e a cultura também são uma ferramenta para galgar espaços e ser reconhecido profissionalmente”, relata Thaise.

A diretora criativa do projeto revela que a ideia surgiu como forma de alavancar carreiras múltiplas ao compartilhar conhecimentos na área. Parafraseando a ativista de Direitos Humanos, Jurema Werneck, acredita que os seus passos vieram de longe e, assim como foi difícil para ela emergir, seria possível fazer mais pelos outros que irão vir. “Porque olhando pra trás, no nosso percurso, a gente viu que foi uma caminhada muito difícil, muito sozinha, e a gente pensou em congregar”. E complementa: “A gente entende que essa ação é olhar para trás e compreender os passos dos nossos mais velhos e entender também que no futuro seremos esses mais velhos dessa nova geração. Então, é importante entender mesmo essa conexão ancestral que a gente tem”, expõe.

Pensou em um espaço que primeiro acolhesse potenciais agentes culturais entre pessoas LGBTQIAP+, negros, indígenas e afro-indígenas. Foi preciso entender as características e quais são as dificuldades para alcançar as capacitações. É preciso união, mesmo sendo um grupo diversificado e que cada um carregue as suas particularidades.  “Somos diversos no grupo, mas também temos características que nos aproximam e peculiaridades”.

Além da Thaise, estão à frente no comando das realizações os produtores Mauryani Oliveira e João Pedro Lopes. Eles trouxeram profissionais que são renomados na cena artística gaúcha, como Nina Fola, Saskia, Valéria Barcellos, Silvia Abreu, Rafa Rafuagi, Jaqueline Fernandes, Carol Anchieta, Dina Prates e Tiago Souza.

Serão programadas várias atividades todas com transmissão posterior pelo YouTube. A Aceleradora Lanceiros Negros é um projeto financiado pela Natura Musical, via Lei de Incentivo à Cultura do Estado do Rio Grande do Sul. Acompanhe o andamento do projeto pela página do Facebook

PRIMEIRA PÁGINA

COMENTÁRIOS

Comments

comments

%d blogueiros gostam disto: