A história da Faculdade

Faculdade de Odontologia de Pelotas

A Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Pelotas foi fundada em 21 de setembro de 1911, pelos Senhores Manuel Serafim Gomes de Freitas, Francisco José Rodrigues de Araújo – seu primeiro diretor-, Álvaro Eston, Pedro Luis Osório, Pedro Batista Gomes de Freitas, Antônio Guerreiro de Almeida e Silvestre Galvão, sob o nome de Faculdade de Pharmacia e Odontologia. Esses pelotenses criaram as bases fundamentais para o início do curso inspirados na única escola oficial de odontologia que funcionava no Rio de Janeiro. Possuía 3 “cadeiras”- Chimica ministrada pelo Prof. Manoel Gomes de Freitas, Pharmacologia pelo Prof. Álvaro Eston, Técnicas Dentárias pelo Prof. Pedro Freitas e “todas as outras disciplinas” pelo Prof. Antonio Guerreiro, com duração de 2 anos.

Foram tempos em que a vontade de criar um curso que abrigasse alunos que não se enquadravam no perfil de estudantes de cursos que existiam na época Veterinária, Agronomia, de Ciências Domésticas e da escola de Belas Artes. O curso de Direito seria fundado um ano após.

A Faculdade surgiu com características de pioneirismo incluindo número de mulheres matriculadas que superava o de homens, o atendimento gratuito à comunidade e a primeira Clínica Dentária Infantil do Brasil, criada em 1914.

O novo curso funcionou nas instalações do prédio do antigo Gymnasio Pelotense e a ele ficou vinculado administrativamente até 1915 quando houve uma cisão entre seus membros e, por um curto período de tempo, até 1919, Pelotas contou com duas faculdades de Odontologia e Pharmácia!

Em 1918, com o surto de Gripe Espanhola após a Primeira Grande Guerra, os cursos de Pharmacia tiveram papel importante na prestação de serviços e a comunidade pelotense mais uma vez comprovou a importância da faculdade.

Com apenas uma das faculdades funcionando após 1919, a Faculdade de Pharmacia e Odontologia foi sustentada pela dedicação abnegada de alguns professores, que faziam todas as funções docentes e, não raro, também as de secretaria, e pelas doações de “Sócios Protetores”, que mantinham as finanças razoavelmente saneadas. Nesta época, recebe o reconhecimento da comunidade pelotense pelos serviços prestados e por ser a única clínica odontológica gratuita do estado, sendo nomeada “Estabelecimento de Utilidade Pública”. Isto resultou não só na isenção de taxas, como no apoio financeiro da Intendência Municipal e dos governos Estadual e Federal, à partir de 1924.

Em 1920 os alunos da Odontologia participaram do I Congresso Odontológico realizado em Montevidéo com o apoio do Prof. Bruno Gonçalves Chaves, que se tornou o patrono do “grêmio estudantil”.

No entanto, a Faculdade ainda não havia sido reconhecida e os diplomas expedidos desde 1913, ano da formatura da 1ª turma, ainda careciam de regulamentação e o ano de 1941 foi marcante para a história da Faculdade, sendo o ano em que foi obtido seu reconhecimento definitivo pelo Governo Federal, graças ao trabalho do Cirurgião-Dentista e Advogado Prof. Edmundo des Essarts Peres, que tinha a faculdade como “sua filha dileta”.

Neste período a Faculdade funcionava num prédio doado pelo governo estadual, na rua Félix da Cunha 656 onde hoje está nosso estacionamento e o “casarão”, prédio para onde está projetado a nova biblioteca da FO e que já serviu a muitos usos na Odonto.

Este prédio abrigava salas de aula para, no máximo, 10 alunos, laboratórios antiquados de farmácia, sala de prótese com armários construídos pelos alunos…mas mesmo frente a este acanhado patrimônio físico, o Ministro da Educação Gustavo Capanema, em visita a faculdade feita em 1943, ressalta  que “…estava em um meio educacional forte e ativo.” Reflexo provável de uma comunidade odontológica que se caracterizava pela união e orgulho em vencer todas as dificuldades que se apresentavam”.

Sob a direção do Prof. Paulo Assumpção Osório em 1946, foram realizados os primeiros concursos para docentes; a FOP se integrou à ABENO – Associação Brasileira de Ensino Odontológico – e a primeira revista da FO foi publicada. Foram também tempos de crescimento!

Outro grande passo para o reconhecimento da importância do trabalho que vinha sendo realizado aconteceu em 1950, com a incorporação da Faculdade de Pharmacia e Odontologia pela Universidade do Rio Grande do Sul.

Projeto arquitetônico para a construção do Prédio da Faculdade de Odontologia-URGS

 

Este fato se deveu muito à participação dos acadêmicos de Pelotas, que realizaram um grande comício em frente à Prefeitura Municipal, angariando o apoio dos professores da Faculdade, da Câmara de Vereadores e do Prefeito, Joaquim Duval. A estes estudantes se juntaram os de Porto Alegre e assim, com um esforço conjunto, nossa faculdade passou a fazer parte da URGS e assim permaneceu até 1969, quando, juntamente com as Faculdades de Direito, de Agronomia, de Veterinária, de Ciências Domésticas e Instituto de Sociologia e Politica, deu origem a Universidade Federal de Pelotas – UFPel, mas ainda ostenta com orgulho na fachada de seu prédio a marca da antiga aliança -URGS.

 

Em 1950 foi dado inicio a construção do atual prédio com entrada pela rua Gonçalves Chaves

        Prédio modular que poderia ser replicado com facilidade se necessário e isto foi feito em 1970 quando foram construídos mais 2 módulos. A chamada “parte nova” foi feita a partir do elevador dos fundos e abrigava salas de aula e área administrativa.

Assim continuamos até 2007 quando o programa do Governo Federal REUNI- Programa de Reestruturação e Expansão das Universidades- injetou verba nas IFES e a Odonto inicio então um momento de renovação de seu quadro docente e de reforma em sua área física.

 

Profa. Márcia Bueno Pinto