O CLC

Diretora do Centro de Letras e Comunicação
Vanessa Doumid Damasceno

Diretora Adjunta
Cintia Avila Blank

Endereço do Centro de Letras e Comunicação:
Rua Gomes Carneiro, nº 1 – CEP 96010-610 – Pelotas/RS – Brasil

Curso de Letras

O Curso de Letras da Universidade Federal de Pelotas, projetado pelo Departamento de Letras, do Instituto de Letras e Artes, ILA, foi criado através da Portaria n° 42, de 13 de janeiro de 1984 e reconhecido pelo Ministério da Educação através da Portaria n° 235/89. No ano de 2005, após o fim do vínculo com o ILA, foi criada a Faculdade de Letras com dois departamentos: o Departamento de Letras Vernáculas – DLV e o Departamento de Letras Estrangeiras – DLE. 

De 1984 a 1990, o Curso, na modalidade licenciatura, funcionou com duas habilitações duplas – Português/Francês e Português/Inglês. A partir de 1991, passou a oferecer também uma licenciatura simples – Língua Portuguesa e Literaturas de Língua Portuguesa, implantada pela Portaria n° 09, de 20 de julho de 1990, e, a partir de 1994, mais uma habilitação simples – Língua Espanhola e Literaturas de Língua espanhola – criada por ato do Magnífico Reitor Cesar Borges em 31 de agosto de 1993, depois de aprovada pelos conselhos da Universidade, em sessão do dia 19 de agosto de 1993.

Em maio de 2000, as habilitações Língua Portuguesa e Literaturas de Língua Portuguesa, Português/Francês e Português/Inglês foram recredenciadas, após serem inspecionadas por representantes do MEC responsáveis pela Avaliação das Condições de Oferta de Cursos na Área de Letras. A habilitação Língua Espanhola e Literaturas de Língua Espanhola não entrou nesse processo, já que só foram avaliados os cursos que participavam do Exame Nacional de Cursos (Provão) porque tinham habilitação em português.

Ainda no ano de 2000, através de processo de reformulação curricular aprovado pelo Conselho Coordenador do Ensino, da Pesquisa e da Extensão (COCEPE), deixou de ser oferecido ingresso no vestibular para a habilitação Português/Inglês e surge a habilitação simples Língua Inglesa e Literaturas de Língua Inglesa.

De 2001 a 2003, portanto, o Processo Seletivo de verão ofereceu ingresso para três habilitações simples – Língua Inglesa e Literaturas de Língua Inglesa, Língua Espanhola e Literaturas de Língua Espanhola, Língua Portuguesa e Literaturas de Língua Portuguesa – e para apenas uma habilitação dupla – Português/Francês.

Reflexões sobre o interesse em voltar a oferecer formação em Língua Portuguesa aos candidatos à área de Língua Inglesa, associadas às reflexões sobre o interesse em oferecer essa mesma formação aos candidatos da área de espanhol, fizeram surgir um novo quadro de possibilidades de cursos.

Em virtude da nova LDB, a vigorar a partir de 2004, fez-se necessária uma reformulação dos Cursos de Letras, a fim de atender às exigências da Lei, sobretudo quanto à carga horária de estágios, atividades práticas e atividades complementares. Àquela época, optou-se por cursos com duração de 10 semestres, com o intuito tanto de cumprir com os dispositivos da LDB como garantir ao aluno de Letras uma formação qualificada, nos aspectos teóricos, práticos e de atuação em estágios.

Assim, o Projeto Pedagógico 2003, em resumo, propunha: (a) a manutenção das quatro licenciaturas referidas acima, no parágrafo anterior, considerando-se, para o curso de inglês, apenas a modalidade licenciatura; (b) a volta da oferta no vestibular da licenciatura em Português e Inglês e Respectivas Literaturas; (c) a criação de nova licenciatura dupla de Português e Espanhol e Respectivas Literaturas; (d) o funcionamento, a partir do primeiro semestre de 2004, dos seis diferentes cursos, que passaram a ser designados, respectivamente, pelos seguintes nomes:

  • Licenciatura em Letras – Inglês e Literaturas de Língua Inglesa;
  • Licenciatura em Letras – Espanhol e Literaturas de Língua Espanhola;
  • Licenciatura em Letras – Português e Literaturas de Língua Portuguesa;
  • Licenciatura em Letras – Português e Inglês e Respectivas Literaturas;
  • Licenciatura em Letras – Português e Francês e Respectivas Literaturas;
  • Licenciatura em Letras – Português e Espanhol e Respectivas Literaturas.

A partir de 2004, os professores dos Cursos de Letras promoveram várias reuniões com a finalidade de discutir a implantação dos novos currículos. Um dos aspectos que sempre se julgou problemático nos currículos que vigoraram em 2004 era a duração dos cursos em 10 semestres. Se à época da formulação do projeto julgou-se que a carga horária exigida por Lei só poderia ser executada em cinco anos, posteriormente, sobretudo a partir da observação do exemplo de reformas curriculares adotadas em outras IES, os professores do Curso de Letras entenderam que seria possível a redução dos cursos para quatro anos, sem ferir os dispositivos legais nem os princípios pedagógicos anteriormente definidos.

Paralelamente a essas discussões pedagógicas, que objetivavam a reformulação dos currículos em vigor desde 2004, a Faculdade de Letras deliberou pela adesão ao Plano de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (REUNI), proposto pelo Ministério da Educação. Nesta perspectiva, percebeu-se que a reforma curricular respondia positivamente às diretrizes administrativas e pedagógicas previstas pelo REUNI. Na mesma oportunidade, diante do desafio de ampliar o número de vagas ofertadas, a então Faculdade de Letras, Centro de Letras e Comunicação desde 2010, atendendo antigas reivindicações da comunidade e demandas acadêmicas, aprovou a criação de novos cursos.

Desde então, o Centro de Letras e Comunicação conta com a seguinte configuração de cursos:

  • Licenciatura em Letras – Português e Literaturas de Língua Portuguesa;
  • Licenciatura em Letras – Português e Inglês e Respectivas Literaturas;
  • Licenciatura em Letras – Português e Francês e Respectivas Literaturas;
  • Licenciatura em Letras – Português e Espanhol e Respectivas Literaturas;
  • Licenciatura em Letras – Português e Alemão e Respectivas Literaturas;
  • Bacharelado em Letras – Habilitação em Redação e Revisão de Textos;
  • Bacharelado em Letras – Habilitação em Tradução Inglês/Português;
  • Bacharelado em Letras – Habilitação em Tradução Espanhol/Português;
  • Bacharelado em Jornalismo.

Em 2008 houve as seguintes alterações no Currículo: (i) extinção as habilitações simples de inglês e espanhol; (ii) ampliação do elenco de disciplinas optativas possibilitada pelo aumento do quadro docente e o consequente alargamento das áreas de pesquisa e extensão; (iii) inclusão da disciplina de Libras e consequente subtração da carga-horária mínima obrigatória e (iv) elaboração da nova política de estágios, cuja proposta é a formação de um professor cidadão, com um contato maior com sua comunidade e demais comunidades periféricas, que ultrapassem as fronteiras da rede regular de ensino.

As modificações explicitadas dinamizam o Curso, não alterando a essência do Projeto primeiro, que propunha uma consolidada base em Língua Estrangeira e suas Literaturas voltadas à formação de professores, assim como das áreas de Língua Portuguesa e Linguística, além de disciplinas optativas que contemplam os diversos interesses do acadêmico de Letras.

Curso de Jornalismo

O curso de Bacharelado em Jornalismo foi  criado pela portaria 1573 de 06 de outubro de 2010 e reconhecido pela Portaria nº 428 de 30/08/2013, publicada no D.O.U. de 03/09/2013. Obteve renovação do reconhecimento pela Portaria nº 629 de 23/06/2017, publicada no D.O.U. de 26/06/2017.

O Curso de Jornalismo da UFPel é presencial e noturno. Caracteriza-se por promover uma formação capaz de dotar o profissional jornalista de competências teórica, técnica, tecnológica, ética e estética para atuar criticamente e criativamente na profissão, de modo responsável, contribuindo para o seu aprimoramento em consonância com as exigências contemporâneas e na perspectiva de ampliar a atuação profissional a novos campos, reconhecendo as especificidades do contexto regional de integração dos países do Mercosul. Para isso, busca desenvolver a autonomia, a criatividade e o espírito de iniciativa, articulando teoria e prática por meio de atividades de ensino, pesquisa e extensão. Com base numa formação elementar em jornalismo e comunicação, o curso oferece ao estudante condições de estabelecer seu próprio percurso formativo em quatro áreas de atuação no jornalismo: impresso, rádio, televisão e web. Caracteriza-se, ainda, pela exigência de domínio da língua portuguesa e pelo desenvolvimento da capacidade de leitura e interpretação dos fatos presentes, reconhecendo a hierarquia dos acontecimentos e suas relações com o passado e o futuro.

Pós-graduação

O Curso de Pós-Graduação em Letras – Especialização –, criado em 1998, ofereceu até 2015/1 vagas aos professores das redes municipal, estadual e federal de ensino da região sul do Rio Grande do Sul, e também a recém-graduados. Há planos para que o curso volte a ser ofertado mas na forma EAD, porém, sem data definida até o momento.
Surgiu como desenvolvimento natural de cursos de pós-graduação lato sensu oferecidos anteriormente: de 1998 a 2002, em Literatura Brasileira Contemporânea; a partir de 2002 em Leitura e Produção Textual, e desde 2006, em Literatura Comparada. A partir de 2007, o Curso passou a oferecer as áreas de concentração: Literatura Comparada e Linguística Aplicada, com 15 vagas anuais cada uma.

Tal Curso atendeu à demanda local através das linhas de pesquisa que buscam o aprofundamento e a atualização de conteúdos, métodos e técnicas de ensino nas áreas de Língua Portuguesa, Línguas Estrangeiras, Literatura e Linguística, considerando as perspectivas da educação continuada e da preparação para atividades em nível de especialização.

No ano de 2010, o Centro de Letras e Comunicação obteve a aprovação do curso de Mestrado pela CAPES, uma conquista da Direção e do grupo de professores que trabalharam para essa realização. O Programa de Pós-Graduação em Letras – Mestrado conta com duas áreas de concentração (Estudos da Linguagem e Literatura Comparada) e quatro linhas de pesquisa (Descrição e Análise dos Fenômenos Linguísticos, Ensino e Aprendizagem de Línguas,  Estudos de Intertextualidade e Estudos de Literatura e História). Cada área de concentração oferece 15 vagas anualmente. No ano de 2013 ocorrerão as primeiras defesas de dissertação por parte dos alunos desse curso.

Estrutura atual

Depois de 25 anos funcionando em diversos prédios alugados, o CLC mudou-se para sua sede definitiva no Campus Porto em 2010, onde funcionam todos os cursos de graduação e pós-graduação.

Enquanto Centro, a estrutura vigente é composta por Direção, Câmara de Ensino, Câmara de Pesquisa, Câmara de Extensão, nove Colegiados de Curso e 11 áreas pedagógicas.