Início do conteúdo
    Notícias
  • Graduados de teatro da UFPel apresentam “O Cárcere da Alma Feminina”

    O grupo Os Encarceyrados, formado por ex-estudantes do curso de teatro da UFPel, apresentou na última semana o espetáculo O Cárcere da Alma Feminina.  Criada na disciplina de Encenação, em 2011, a peça recebeu elogios dos professores e hoje se tornou um espetáculo grandioso e premiado. Tendo como temática a transexualidade, em uma hora de apresentação, somos introduzidos à vida de um menino que nasceu no corpo errado. Foram feitas três apresentações na biblioteca pública pelotense, onde o público pode prestigiar de graça o espetáculo.

    O diretor da peça, Maicon Barbosa, achou no “Poema Gay” de Glória Horta um assunto que gostaria de falar há tempos, mas que ainda não havia encontrado uma forma certa de abordar. A ideia da transexualidade já estava em sua vida, desde o início da faculdade, quando seu colega menino, foi se transformando em uma linda mulher. Essa mulher hoje é Márcia Monks, a protagonista da peça.

    No enredo da história, Tábata é uma mulher com muitas recordações. Ao longo da narrativa viajamos em pequenos flashs de sua vida, de quando ainda era um menino que sonhava em ser menina. Porém, sua mãe era relutante e jamais aceitaria que o filho usasse as roupas da irmã.

    Questionada sobre a sua identificação com a personagem que interpreta, Márcia diz que já passou pelo que Tábata vive, mas que hoje já superou. “Como se trata de uma personagem que tem muito de mim, eu como atriz, acabo sofrendo junto. Minha mãe me ensinou a rezar antes de dormir e assim como na peça, eu sempre pedia a Deus para que ele me tornasse uma mulher, pelo menos por um dia. Hoje ele realizou o meu sonho”, conta emocionada.

    Projeto aprovado no Pró-Cultura

    Em 2013 o espetáculo foi aprovado no Pró-Cultura, projeto financiado pela Secretaria Municipal de Pelotas como um apoio à Cultura da cidade. Em contrapartida, o grupo apresentou a peça em diversas escolas da cidade, onde foi nítida a curiosidade dos estudantes acerca dos temas bullyng, sexualidade, religião e educação, que a peça traz. O diretor da produção vê esse retorno de forma positiva, já que poucas pessoas estão familiarizadas com o tema. “Nosso espetáculo conta o lado da história que a sociedade ainda não contou”, afirma Maicon.

    Tainara Urrutia, responsável pela iluminação do cenário, diz que com a ajuda do Pró-Cultura a peça cresceu em vários aspectos. Cristiano Morales passou a integrar o elenco, realizando uma trilha sonora ao vivo, onde toca violão, baixo e utiliza recursos de um computador; e foram incluídos novos personagens para engrandecer a história.

    Premiação

    A peça concorreu em dois grandes festivais no estado e no festival Pedritense de Teatro, que aconteceu no mês de setembro, dois atores da peça foram premiados. Jandira Brito ganhou como melhor atriz coadjuvante e Diogo Souza, que tem apenas 10 anos, como melhor ator mirim em um prêmio especial do júri. Na Fenadoce desse ano, o grupo ainda ganhou a segunda colocação de melhor espetáculo.

    Onde assistir

    No dia 25 de setembro o grupo fará uma apresentação no João Gilberto Bar, após o “Espetáculo festa com DJ Thalita”. O valor do ingresso é de R$10,00 e pode ser comprado diretamente no Bar.

    DSCN1502DSCN1518DSCN1508

  • Grupo Tatá homenageia Universidade Federal da Fronteira Sul

    O Grupo Tatá – Núcleo de Dança-Teatro, formado por alunos do curso de teatro e dança da UFPEL, apresentou em comemoração ao aniversário da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), o espetáculo Tatá Dança Simões. As apresentações ocorreram na última quinta-feira (19) no Centro Cultural 25 de Julho na cidade de Erechim/RS e na sexta, (20), no auditório do SESC, em Chapecó/SC. Ambas foram abertas para a comunidade, porém, tiveram como público alvo os próprios estudantes da UFFS.

    Geraldo Coelho, pró-reitor de extensão da Universidade Federal da Fronteira Sul, acredita ser importante destacar que a iniciativa de ter convidado o grupo perpassa a adversidade cultural. A oportunidade de apresentar o espetáculo visa trazer uma experiência especifica que remeta a possibilidades que a UFFS tem de atuar nas diferentes linguagens. “O campus possui várias iniciativas de extensão, que se esforça bastante para ter essa dimensão cultural, em pauta e bem desenvolvida. O grupo Tatá vem como uma contribuição, para mostrar uma experiência universitária de teatro, dança e cultura que deu certo”, relata Coelho.

    Baseado na obra de Simões Lopes Neto, o espetáculo “Tatá Dança Simões” é o primeiro do grupo.  Sendo uma transcriação da obra literária do autor pelotense, o espetáculo traduz para o palco a poética de Simões, sua fixação eminente no universo gauchesco, na oralidade e regionalismo de sua linguagem. “O negrinho do pastoreio“, “A M’boitatá“, “Casos do Romualdo“, “Batendo orelha“, “Meu Rosilho Piolho” e “A enfiada de macacos” são alguns dos contos do escritor que passaram por um processo e foram inseridos na linguagem cênica dança-teatro.

    Para saber maiores informações sobre o grupo, é possível acessar o endereço http://grupotata.blogspot.com.br/.

    1241078_567887219925729_845685230_n1305306_567887223259062_315222534_n1374519_567887213259063_1389847674_n

  • Quartas no Lyceu apresenta o filme “NO”

    Na próxima quarta-feira (25. set.2013), o projeto Quartas no Lyceu apresenta o filme “NO”, Direção de Pablo Larraín. A projeção será realizada às 17h30min no LYCEU (Calçadão, em frente ao Mercosul – ao lado do Largo do Mercado).O filme “No” retrata o final da ditadura de Pinochet no Chile. Encerrando o ciclo  de eventos alusivos aos 40 anos do  final da ditadura militar no Chile  o projeto Quartas no LYCEU apresenta o filme NO.

    O filme “NO”, realizado em 2012, reconstitui o histórico plebiscito de 1988, convocado por pressão internacional e em que Pinochet pretendia conseguir um aval popular para sua continuidade no poder depois de 15 anos do golpe.  NO é um filme que trata da luta da esquerda na consulta popular  com a contratação de um publicitário, filho de exilado político,que retorna ao país para orientar a campanha pelo NÃO (NO)  interpretado pelo ator mexicano Gael Garcia Bernal. Na  obra   de 118 minutos, os personagens fictícios se misturam a trechos da campanha televisiva real ,dando a estética do filme uma autenticidade da década de 80, inclusive com as filmagens realizadas no velho formato U-Matic.

    NO, grande vencedor da Quinzena dos Realizadores de Cannes 2012 foi o  candidato chileno  entre os indicados ao Oscar de filme estrangeiro 2013.

    Filme-NO

  • Quartas no Lyceu recebe o grupo GEPPAC no módulo Artes Cênicas em mês especial ao Chile

    A mais recente atração do módulo Artes Cênicas do Quartas no Lyceu foi “Quantas coisas quisera hoje dizer”, encenada pelo grupo GEPPAC da UFPel. Alunos do curso de teatro interpretaram poemas da obra “Canto Geral” de Pablo Neruda. O diretor da peça, Adriano Moraes, comenta que a ideia principal do experimento é acostumar o ouvido de quem está assistindo a ouvir as declamações. “Queríamos textos sem muita interpretação, para que o público pudesse se concentrar na palavra, no poema falado”, diz Moraes.

    foto3foto4

     

  • Festival Internacional de Folclore em Pelotas

    Na última segunda-feira (16) Pelotas foi palco do Festival Internacional de Folclore e Artes Populares, o FIFAP. O evento que já passou por Cruz Alta, em outras edições, acontece pela primeira vez na cidade, que pretende sediar novamente nos próximos anos.

    O festival visa unir o folclore da América que sendo representada por companhias de dança da Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela, que juntos denominaram o tema da edição de “América Unida”. Durante 10 dias, os artistas dos 10 países viajam em um ônibus itinerante que passará pelo Brasil, Uruguai e Argentina, oferecendo oficinas e realizando apresentações.

    A presidente da Organização internacional de Folclore no Brasil (IOV), Terezinha Miquilin, estava presente na abertura do evento, que aconteceu na Biblioteca Pública Pelotense. Terezinha garante que uma vez que somos povos irmãos, com as mesmas dificuldades e as mesmas semelhanças, temos que nos unir. Explicando que a IOV, junto com a ONU e UNESCO, trabalha a paz mundial através da arte popular, a executiva exalta a necessidade de intensificar a união e a irmandade. “Partimos do pressuposto de que ninguém deve impor a sua cultura a ninguém, e sim que cada povo tenha a consciência e consiga preservar a sua identidade cultural. A cultura popular, usos e costumes, nada mais é do que a historia de cada povo traduzida em arte no dia a dia”, diz.

    O evento conta com a realização da prefeitura de Pelotas e com a parceria da UFPel. A Secretária de Cultura, Beatriz Araújo, julga importante essa parceria, já que a instituição permeia atividades junto a comunidade de Pelotas, o que só ajuda a potencializar um festival internacional do porte do FIFAP. “Anuímos de pronto o apoio da universidade, já pensando que Pelotas pode se envolver nos próximos anos também. Essa amostra do folclore internacional, as culturas populares de países da América Latina é essencial para que troquemos experiências com pessoas que muito têm para enriquecer nossa cultura”, garante a Secretária da Prefeitura.

    Ao final da abertura do festival, houve uma confraternização entre autoridades e artistas, que foram ouvidos durante a pequena solenidade, além da Pró- Reitora de Extensão e Cultura da UFPel em exercício, entregar um certificado a Terezinha Miquilin. Para encerrar a passagem dos grupos por Pelotas, a organização realizou um espetáculo aberto ao público, no auditório do IFSul, que teve os ingressos esgotados.

    DSCN1441foto 2 (2)Ao final do evento, a Pró- Reitora de Extensão e Cultura da UFPel em exercício, entregou um certificado a Terezinha Miquilin.

  • ESEF convida a comunidade para participar do Programa de Atividades Físicas para Pessoas com Necessidades Especiais.

    Com o apoio do Ministério da Educação a ESEF proporciona a possibilidade de práticas de atividades físicas orientadas a melhoria da qualidade de vida. O programa de extensão está direcionado a pessoas com alguma necessidade especial como: hipertensão, obesidade, cardiopatias, diabetes, enfermidades neurológicas (esclerose múltipla, parkinson) entre outros. As inscrições podem ser realizadas na ESEF (rua Luiz de Camões, 625, bairro tablada) das 8h30min Às 12h.

    Mais informações pelo email fteixeira13@hotmail.com

  • Festival Internacional de Folclore e Artes Populares passa por Pelotas

    Pelotas sediou nesta segunda-feira (16) o 1º Festival Internacional de Folclore e Artes Populares de Pelotas, o FIFAP. Países como Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela, unem seus representantes artísticos para o evento que tem como tema “América Unida”. Em uma pequena solenidade na biblioteca pública pelotense, foram apresentadas companhias representantes de cada país e foi ouvida a palavra de cada autoridade envolvida no processo.

    Durante 10 dias grupos latino-americanos estarão viajando em um ônibus itinerante para Uruguai e Argentina, além do Brasil, oferecendo oficinas e realizando apresentações. O evento tem como objetivo unir a América, segundo a presidente do IOV Brasil, Terezinha Miquilin. “Uma vez que somos povos irmãos, com os mesmos problemas, mesmas dificuldades, devemos quebrar os muros que nos separam, intensificando nossa união e irmandade”, diz.

    Contando com a parceria da Universidade Federal de Pelotas, bem como da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da UFPel, o FIFAP fará um espetáculo aberto ao público no Auditório do IFSul, às 20h30 do dia de hoje.

    1186877_544711702263558_1300075606_n

  • Quartas no Lyceu apresenta “ Quantas coisas quisera dizer”

    Na próxima quarta-feira (18), às 17 horas e 30 minutos, dentro do módulo artes cênicas será apresentado “Quantas coisas quisera dizer” experimento poético a partir da obra “Canto Geral” de Pablo Neruda. A entrada é livre, sem distribuição de senhas. O Lyceu fica localizado no calçadão, em frente ao Prédio do Mercosul/Largo do Mercado.

    Sinopse

    “Quantas coisas quisera hoje dizer” é o título do novo experimento poético do GEPPAC-UFPel. O experimento é feito a partir da obra “Canto Geral” de Pablo Neruda. A escolha desse texto foi feita pelo fato de essa obra ter sido escrita em um momento de exílio do poeta chileno. Além disso, em “Canto Geral” o foco se concentra nos oprimidos da América Latina e não apenas no momento de opressão chileno. Dialogando com “Canto Geral” pretende-se sugerir um diálogo com o que ainda há de opressor na América Latina.

    O título do experimento é parte do poema “Dito no Pacaembu”, um poema-discurso em homenagem a Luiz Carlos Prestes. A adoção desse tema norteia a proposta de experimento poético, pois cada um dos textos declamados se revelam como pequenos discursos sobre um personagem – Pablo Neruda – que integra o rol dos grandes poetas latino americanos e que tem como matéria primeira a condição da existência no nosso continente.

    Os poemas que compõem o experimento poético “Quantas coisas quisera hoje dizer” são: Amor América, Os homens, Tupac-Amaru, Castro Alves do Brasil, Dito no Pacaembu, As terras e os homens, América, não invoco o teu nome em vão, Eternidade, Hino e regresso, Alturas de Machu Pichu (I e II).

    Elenco:

    Carlos Eduardo Pérola

    Carolina Ferreira

    Elias Pintanel

    Rodolfo Furtado

    Direção:

    Adriano Moraes

    Figurinos:

    Larissa Martins e

    Ateliê de Figurinos-Centro de Artes/UFPel

    Iluminação:

    Éderson Pestana

     

    Teatro Adriano 2foto 8Teatro Adriano 1

  • Debate sobre golpe no Chile é tema da semana no projeto Quartas no Lyceu

    O público do projeto Quartas no Lyceu dessa semana (11) pôde presenciar o debate acerca do tema “Pinochet: golpe no Chile e Tirania”. A conversa, mediada pelo professor Luiz Rubira, contou com a presença do presidente do Movimento de Justiça e Direitos Humanos, Jair Krischke, e do Pró-Reitor de Extensão e Cultura da UFPel e estudioso da história do Chile, Antonio Cruz.

     Em uma discussão sobre o que levou ao golpe militar do 11 de setembro de 73, Antonio Cruz deu ênfase a importância do debate sobre o golpe, dizendo que nenhum dos golpes militares teve a repercussão que o do Chile teve. “O processo da derrubada do governo de Salvador Allende foi único, porque o governo da Unidade Popular foi único”, diz.

     A próxima atração do projeto (18) estará dentro do módulo “Artes Cênicas” e terá a apresentação do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Processos Criativos em Artes Cênicas (Grupo GEPPAC) com o espetáculo “Quantas coisas quesera hoje dizer”. Lembrando que as apresentações do projeto acontecem sempre às quartas-feiras, 17h30min, no prédio do Lyceu.

     01