Início do conteúdo

O Estande 50 anos da UFPel na Fenadoce

Nos 19 dias em que a UFPel esteve presente na Fenadoce, o estande, localizado no tapete vermelho, ao lado da entrada do Espaço Arte do Doce, foi um ponto de divulgação da Universidade, no qual muitas coisas aconteceram. Aconteceram fora do estande e nele, marcando a presença da comunidade universitária em muitas ocasiões e sob diferentes modos.

Vale lembrar que esta presença foi decorrência de uma demanda feita diretamente ao reitor, e atendida, por designação deste, pela Pró-Reitoria de Extensão e Cultura. A incumbência foi correta, porque é esta a dimensão que cuida para que a universidade estabeleça diálogos com a sociedade. O diálogo, nesta vez, consumou-se na forma de uma cooperação, que se deu pela troca do espaço e das condições para nele operar por ações que desempenhamos através de professores e alunos. Na cooperação, ambos os lados ganham: ganhamos um espaço em lugar de destaque na Feira, mobiliado, identificado e munido das condições de funcionamento necessárias; ganhamos, também, outros espaços para desenvolver as atividades que nos tinham sido pedidas; e ganhamos o que será indicado pelos números que se seguem, com a oportunidade de celebrar meio século de existência demonstrando que somos capazes de fazer muito, em muitas áreas, com muita energia e criatividade. O que nos foi demandado e atendemos também foi um imenso ganho para o objetivo que nos levou a estar na Fenadoce.

Ocupamos lugares com o que sabemos fazer inerentemente: aplicação do conhecimento gerado. Estivemos no Centro de Atenção ao Visitante, logo na entrada da Feira; estivemos no Controle de Qualidade dos Doces; no Festival de Gastronomia; e com os nossos museus, na Rota Turística indicada aos visitantes. Cada uma das ações, desenvolvida por uma equipe formada por alunos e professores, atuou na Feira em momentos determinados ou durante todo o período de duas semanas e meia. Jornada longa e rentável. Todos saíram ganhando. Alunos ganharam a experiência concreta de uma prática aplicada, professores acresceram autoridade a sua atividade pelo desempenho do grupo, a Universidade foi citada inúmeras vezes e a Fenadoce ganhou pela qualidade do trabalho que foi realizado.

Portanto, vale registrar alguns números. A chamada lançada para a inscrição de exposições na área aberta do estande compôs um quadro de 54 mostras, acrescidas por algumas exposições de núcleos da administração, o que veio a somar 60 apresentações que ocorreram efetivamente. Participaram da realização destas atividades perto de 200 pessoas. Para movimentá-las até a Feira, foram utilizados dois carros que realizaram nove viagens diárias de segunda a sexta e 13 viagens diárias nos sábados, domingos e feriado. Portanto, nestes 19 dias de feira, foram feitas 195 viagens.

As exposições e as demais ações da UFPel renderam 35 notícias diretas no site da Fenadoce, além de estarem citadas na programação diária da Feira, veiculada a partir do dia 9 de novembro. Algumas notícias motivaram matérias na imprensa local, tanto escrita quanto nas rádios.

A coordenação do estande foi feita por seis professores, seis Técnicos-Administrativos e treze alunos, todos vinculados à PREC. Ficou a cargo deste grupo, também, a produção de 80 banners, entre exposições unificadas por dias e separadas por projetos, programação e chamadas para o evento. O grupo exibiu, durante todo o período da Feira, mais de 30 vídeos enviados pelos expositores. Foi criada uma página própria do evento, que foi implantada no site da PREC.

Foi criado o Instagram da PREC, para fortalecer a divulgação da programação do estande. Foram feitas divulgações diárias no Facebook da PREC. Foram realizados registros e fotos para todas as exposições no estande e publicados na página diariamente. O site da UFPel e a rádio também contribuíram para divulgar os eventos do estande. A rádio UFPel, instalada dentro da área fechada do estande, atuou do segundo ao último dia de funcionamento da Feira. Foram feitas 46 entrevistas com a maioria dos projetos expostos e com grupos administrativos que se motivaram a abordar assuntos de grande interesse. Portanto, cerca de 90 pessoas falaram na rádio no período, com temas tão diversos quanto os campos nos quais atuamos. Para que isso acontecesse, a produção envolveu 20 pessoas que produziram 70 horas de programação direto da Fenadoce.

O Centro de Atendimento ao visitante operou com 35 alunos, oriundos, majoritariamente, do Curso de Turismo, mas com a presença de outros tantos. Os estudantes foram preparados para o trabalho durante um treinamento prévio à abertura da Feira, orientados pelas Professoras Dalila Rosa Hallal e Laura Rudzewicz e coordenados, durante todo o período, pela Profa Silvana Bojanoski. Na maior parte dos dias, operaram em grupos de três, preenchendo o horário da abertura ao fechamento do evento. Somando as horas de trabalho individual, os alunos perfizeram 198 horas de atendimento, o que, na soma de todos, chegou a perto de 600 horas.

A orientação correta e motivadora dada pelos estudantes do CAT aos visitantes reverberou nos museus da UFPel, que receberam no período um volume de visitas várias vezes maior do que o regular.
O Controle de Qualidade dos Doces foi atendido por um grupo de 19 alunos, coordenados e orientados pelos Professores Márcia Arocha Gularte e Valdecir Carlos Ferri. Os estudantes, oriundos de quatro cursos, trabalharam ao todo em 45 turnos de atividades, somando um total de 180 horas. Considerando que em média, entre alunos e professores, trabalhavam quatro pessoas por turno, o trabalho totalizou 720 horas.

O Festival de Gastronomia, coordenador pelo Prof. Felipe Herrmann, envolveu 26 alunos que atuaram em conjunto a oito professores do Curso de Gastronomia em 25 aulas-show, uma oficina e duas rodas de conversa, que somaram mais de 50 horas de atividades oferecidas ao público. Esta equipes de trabalho estavam identificadas com camisetas da UFPel ou de seus cursos, ou ainda com crachás e, pelo fato de circularem pela Feira, contribuíram para fazer a instituição presente e visível.

Ainda vinculadas à programação do Festival, ocorreram palestras cujos conteúdos estavam relacionados ao tema da Fenadoce e que contaram com 10 convidados, divididos em 6 conferências e uma mesa redonda.

No estande da UFPel, ainda ocorreu a assinatura do termo de cooperação entre a Secretaria de Cultura do Estado e a UFPel, para o restauro de obras do Museu Histórico de Piratini.
Portanto, foram muitas atividades. O tempo não foi tão longo, no entanto, temos certeza de que a UFPel foi apresentada e esteve muito bem representada por todos que lá estiveram.

Acesse a página com a programação completa e a as notícias do evento.

Confira abaixo algumas das fotos que movimentaram o estande 50 anos da UFPel na Fenadoce.

previous arrow
next arrow
Slider
Publicado em 26/06/2019, em Destaques, Notícias.