Início do conteúdo
Apresentação

O Mestrado em História da Universidade Federal de Pelotas, lotado no Instituto de Ciências Humanas, foi aprovado e recomendado pela CAPES em 2009 e teve sua primeira turma em 2010. Tem como área de concentração “Fronteiras e Identidades”. Conta com três linhas de pesquisa: “Estado: entre poder, tensões e autoritarismo”, “Imagens: entre iconografia, cultura visual e intermedialidade” e “Trajetórias: entre identidades, memória e conflito social”.

O PPGH/UFPel foi o segundo programa de pós-graduação stricto sensu sediado em instituição pública a ser criado no Rio Grande do Sul, e o primeiro programa em História na metade Sul do estado, pavimentando caminho para a expansão do estudo da história nesta região, em uma perspectiva acadêmica e permanente. Até junho de 2018, o programa totalizou 87 dissertações defendidas.

O curso é resultado do esforço coletivo de professores com formação em História da Universidade Federal de Pelotas em busca de ensino de qualidade e pesquisa inovadora. É composto, no momento, por dezoito professores permanentes, quinze dos quais pertencendo ao quadro docente da própria instituição, dois a outras universidades (FURG e UFRGS) e um vinculado na condição de pós-doutorando (FAPERGS). O programa conta ainda com dois professores colaboradores. Os professores da instituição vinculam-se a cinco unidades acadêmicas distintas (Centro de Artes, Centro de Letras e Comunicação, Instituto de Ciências Humanas, Faculdade de Administração e Turismo e Centro de Integração do Mercosul), configurando um conjunto de historiadores com formação interdisciplinar, envolvendo, além da História, Arqueologia, Artes Visuais, Educação, Letras, Sociologia e Turismo. Em 2018 o programa passa a contar com um Professor Visitante estrangeiro, mediante programa institucional.

Muito embora Pelotas, localizada que está no extremo sul do Brasil a pouco mais de cem quilômetros da fronteira, possua vocação histórica e geográfica para desenvolver os estudos atinentes a “fronteiras nacionais”, a problematização da área de concentração não se limita a um entendimento geográfico do tema, açambarcando amplo espectro de reflexões concernentes aos conceitos de fronteira e identidade, entendidos em suas múltiplas possibilidades de interpretação e aplicações, e com abertura para diferentes regiões e períodos da história.

O programa associa-se a quatro periódicos: a Ofícios de Clio, que é a revista discente dos cursos de História da UFPel; a História em Revista, publicação do Núcleo de Documentação Histórica da UFPel, editada desde 1994; os Cadernos do LEPAARQ – Textos em Antropologia, Arqueologia e Patrimônio, publicação do Laboratório de Antropologia e Arqueologia da UFPel, editada desde 2004; e a revista Interfaces Brasil/Canadá, publicação oficial da Associação Brasileira de Estudos Canadenses (ABECAN), editada desde 2001.

    Notícias
  • 19ª edição da Ars Historica, revista discente do PPGHIS-UFRJ

    A Ars Historica, revista discente do Programa de Pós-graduação em História Social da UFRJ (PPGHIS), convida tod@s para o envio de artigos para o segundo dossiê de 2019:

    A segunda edição de 2019 da Ars Historica buscará divulgar estudos que contribuam para o debate sobre os conceitos e as práticas investigativas concernentes ao campo da história do trabalho e dos trabalhadores. Nesse sentido, a chamada para o dossiê temático visa abrir espaço para a publicação de discussões sobre as dinâmicas sociais e os processos históricos que envolvem as atividades produtivas e as relações de trabalho, bem como para a divulgação de diferentes abordagens, metodologias e perspectivas analíticas que são desenvolvidas no interior dessas temáticas.

    Centradas nos trabalhadores, as pesquisas recentes têm abordado diversas categorias, como: os trabalhadores livres, libertos e escravizados, urbanos e rurais, assalariados e autônomos, formais e informais, entre outros. Assim, observa-se um processo de renovação da historiografia brasileira que problematiza o fato de que as pesquisas sobre o trabalho estiveram, por muito tempo, restritas, por um lado, à análise do sistema escravista e, por outro, ao estudo da força de trabalho assalariada, masculina, urbana, branca e fabril. As pesquisas relativas ao trabalho também são ricas quanto às fontes de informação e às abordagens de análise, em que o diálogo interdisciplinar se faz possível e, muitas vezes, necessário.

    Assim, são bem-vindos artigos que abordem diferentes períodos e regiões e tratem de temas como: a cultura associativa; os aspectos de raça, gênero, sexualidade e questões etárias nas relações de trabalho; as táticas de resistência, enfrentamento e mobilização dos trabalhadores; as lutas por direitos sociais, trabalhistas e de acesso à cidade; as condições de trabalho; o cotidiano dos trabalhadores; a relação entre trabalhadores, patrões e poderes públicos; os debates que envolvem trabalho e direitos humanos; o sindicalismo e as formas de participação política dos trabalhadores; as relações sociais desenvolvidas entre os trabalhadores; as questões relativas ao trabalho doméstico; e os espaços de sociabilidade, articulação dos trabalhadores, entre outras possibilidades de estudo na área.

    A Ars Historica é uma publicação online, com ISSN 2178-244X, de acesso livre e editada pelo corpo discente dos alunos de Pós-graduação em História Social da UFRJ. Para mais informações sobre a publicação, consulte: http://www.ars.historia.ufrj.br/

    A revista possui avaliação A4 no novo sistema de avaliação Qualis (CAPES – 2019) na área de História.

    Os textos devem ser submetidos na sua versão completa, em língua portuguesa, de acordo com as normas editoriais presentes no seguinte endereço eletrônico: http://www.ars.historia.ufrj.br/index.php/normas

    Solicitamos atenção para as regras de submissão:

    Poderão ser submetidos trabalhos inéditos, produzidos por pós-graduandos, pós-graduados e graduados para as seguintes seções: Artigos para o Dossiê Temático; Artigos em fluxo contínuo (há uma seção para artigos livres), Resenhas e Notas de Pesquisa;

    O envio dos arquivos deve ser feito unicamente pelo e-mail oficial da revista:  revistaarshistorica@gmail.com

    *PRAZO* para o submissão de artigos e resenhas para o dossiê temático: *22/08 a 22/09/2019*.

  • UFPel terá vacinação contra o sarampo

    A Coordenação de Saúde e Qualidade de Vida (CSQV) informa à comunidade universitária sobre a imunização, orientações contra o Sarampo e atualização das carteiras de vacinas na UFPel. Podem se vacinar estudantes, servidores docentes e técnico-administrativos e trabalhadores terceirizados.

    O Ministério da Saúde divulgou um alerta sobre o aumento do surgimento de casos de sarampo em alguns estados brasileiros. Atualmente, 53 cidades em quatro estados brasileiros – São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e Paraná – se mantém com surto ativo.

    O Sarampo é uma doença viral grave, e pode ter complicações sérias para a saúde, porém é facilmente evitada através da vacina.

    No RS a orientação é para que se realizem campanhas para orientação e revisão das carteiras de vacinas, além da oferta das vacinas previstas no calendário nacional de vacinação, disponíveis nas unidades básicas de saúde dos municípios.

    “A CSQV entende que além da revisão das carteiras, é importante a oferta de doses à comunidade da UFPel, dado que recebemos um público proveniente de diversas localidades onde pode haver circulação da doença. Destacamos que a vacina tríplice viral é o principal meio de prevenção de sarampo, caxumba e rubéola. As doses serão fornecidas pela Secretaria de Saúde  de Pelotas em parceria com a CSQV”, informa a Coordenação.

    O setor também orienta aos pais, mães e responsáveis que vão viajar com os filhos de seis meses a menores de um ano de idade para os municípios em situação de surto ativo do sarampo no país. A recomendação é que essas crianças sejam vacinadas com a tríplice viral pelo menos 15 dias antes da viagem. Além de proteger a criança, a medida contribui para interromper a cadeia de transmissão do vírus do sarampo no país.

    OBS: É necessário trazer a carteira de vacinas e um documento de identificação.

    Quem deve receber a vacina:

    Adultos não vacinados: Até 29 anos – 2 doses

    De 30 a 49 anos – 1 dose

    O Calendário para a prevenção do sarampo na UFPel é o seguinte: 

    CAMPUS ANGLO – Perícia Médica, sala 210

    Dia 20 de agosto, terça-feira das 9:00h às 17:00h

    Dia 27 de agosto, terça-feira das 9:00h às 17:00h

    CAMPUS CAPÃO DO LEÃO – Posto Médico

    Dia 22 de agosto, quinta-feira das 09:00h às 17:00h

    Dia 29 de agosto, quinta-feira das 09:00h às 17:00h

    Em caso de dúvidas, entre em contato através do e-mail csqv@ufpel.edu.br  ou pelo telefone (53) 32843981.

    Outras  informações sobre o sarampo podem ser acessadas nos links abaixo.

    http://www.saude.gov.br/sarampo

    https://www.bbc.com/portuguese/brasil-49346963

    http://agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2019-08/ministerio-distribui-mais-de-16-milhoes-de-doses-da-triplice-viral

  • Abrem as inscrições para a 5ª SIIEPE

       Estão abertas as inscrições para 5ª Semana Integrada de Inovação, Ensino, Pesquisa e Extensão da Universidade Federal de Pelotas (SIIEPE/UFPel). Neste ano, o evento ocorrerá de 21 a 25 de outubro, no Campus Capão do Leão. A página do evento pode ser acessada aqui.

    O encontro congrega o 3º Congresso de Inovação Tecnológica (CIT), o 5º Congresso de Ensino de Graduação (CEG), o 6º Congresso de Extensão e Cultura (CEC), o 21º Encontro de Pós-Graduação (ENPOS) e o 28º Congresso de Iniciação Científica (CIC).

    Neste ano, o tema é alusivo ao cinquentenário da Instituição, comemorado em 8 de agosto: “UFPel 50 anos: construindo cidadania”.

    A SIIEPE terá palestra de abertura, show de encerramento, apresentações artísticas e culturais e ainda a segunda edição do evento “Sua Tese em Três Minutos”, no qual doutorandos têm a missão de apresentar sua pesquisa e a relevância para a sociedade numa linguagem dinâmica e acessível para o público leigo em, como o nome já diz, apenas três minutos (veja aqui como foi a primeira edição).

    Realizada em local único, a SIIEPE deste ano busca ainda mais integração do público e maior sincronização entre as equipes. “Efetivamente será um evento integrador”, adianta Taís Ullrich Fonseca, integrante da Comissão Organizadora.

    Serão 14 trabalhos por turno, com 20 minutos de debate em cada subturno, com a presença de debatedores e não mais avaliadores. “A iniciativa é de primar pelo debate e pela troca de experiências”, pontua.

    Outra das novidades desse ano vai ser a comprovação da presença através de QR Code.

    Inscrições
    As inscrições podem ser feitas no site da SIIEPE até 15 de setembro. Não haverá prorrogação. No site do evento também podem ser acessados os regulamentos de cada evento e outras informações.

  • Disciplina compartilhada com Professora com a Universidade de Évora

    No segundo semestre de 2019 as Disciplinas Historiografia III e Imagens: entre Iconografia, Cultura Visual e Intermidialidade serão ministradas pelas professoras Larissa Patron (UFPel) e Maria de Deus Manso (Universidade de Évora). Esta participação é de grande importância para o Curso graças às pesquisas qualificadas das professoras e isso só possível por causa do Convênio de Colaboração entre as Universidades.

  • NOVAS DATAS – Matrículas de Aluno Especial

    Em virtude da mobilização programada para dia 13/08/2019 as Matrículas de aluno especial serão realizadas nos dias 12 e 14 de agosto de 2019. Os alunos selecionados deverão trazer os documentos originais, já enviados por e-mail a fim de conferência.

    O horário de atendimento será das 8h às 14h.