Início do conteúdo
Apresentação

O Mestrado em História da Universidade Federal de Pelotas, lotado no Instituto de Ciências Humanas, foi aprovado e recomendado pela CAPES em 2009 e teve sua primeira turma em 2010. Tem como área de concentração “Fronteiras e Identidades”. Conta com três linhas de pesquisa: “Estado: entre poder, tensões e autoritarismo”, “Imagens: entre iconografia, cultura visual e intermedialidade” e “Trajetórias: entre identidades, memória e conflito social”.

O PPGH/UFPel foi o segundo programa de pós-graduação stricto sensu sediado em instituição pública a ser criado no Rio Grande do Sul, e o primeiro programa em História na metade Sul do estado, pavimentando caminho para a expansão do estudo da história nesta região, em uma perspectiva acadêmica e permanente. Até junho de 2018, o programa totalizou 87 dissertações defendidas.

O curso é resultado do esforço coletivo de professores com formação em História da Universidade Federal de Pelotas em busca de ensino de qualidade e pesquisa inovadora. É composto, no momento, por dezoito professores permanentes, quinze dos quais pertencendo ao quadro docente da própria instituição, dois a outras universidades (FURG e UFRGS) e um vinculado na condição de pós-doutorando (FAPERGS). O programa conta ainda com dois professores colaboradores. Os professores da instituição vinculam-se a cinco unidades acadêmicas distintas (Centro de Artes, Centro de Letras e Comunicação, Instituto de Ciências Humanas, Faculdade de Administração e Turismo e Centro de Integração do Mercosul), configurando um conjunto de historiadores com formação interdisciplinar, envolvendo, além da História, Arqueologia, Artes Visuais, Educação, Letras, Sociologia e Turismo. Em 2018 o programa passa a contar com um Professor Visitante estrangeiro, mediante programa institucional.

Muito embora Pelotas, localizada que está no extremo sul do Brasil a pouco mais de cem quilômetros da fronteira, possua vocação histórica e geográfica para desenvolver os estudos atinentes a “fronteiras nacionais”, a problematização da área de concentração não se limita a um entendimento geográfico do tema, açambarcando amplo espectro de reflexões concernentes aos conceitos de fronteira e identidade, entendidos em suas múltiplas possibilidades de interpretação e aplicações, e com abertura para diferentes regiões e períodos da história.

O programa associa-se a quatro periódicos: a Ofícios de Clio, que é a revista discente dos cursos de História da UFPel; a História em Revista, publicação do Núcleo de Documentação Histórica da UFPel, editada desde 1994; os Cadernos do LEPAARQ – Textos em Antropologia, Arqueologia e Patrimônio, publicação do Laboratório de Antropologia e Arqueologia da UFPel, editada desde 2004; e a revista Interfaces Brasil/Canadá, publicação oficial da Associação Brasileira de Estudos Canadenses (ABECAN), editada desde 2001.

    Notícias
  • AULA INAUGURAL – “Relatos de viagem como documentação histórica – Suas morfologias específicas, sugestões para abordagens teóricas e de procedimentos metodológicos”

     

    A imagem pode conter: 1 pessoa

    Convidamos a todos(as) para participarem da Aula Inaugural do PPGH , Relatos de viagem como documentação histórica – Suas morfologias específicas, sugestões para abordagens teóricas e de procedimentos metodológicos, a ser realizada no dia 11 de abril (quarta-feira) às 9h.

    Obs: A sala será posteriormente divulgada.

     

     

  • NOTA DE PESAR

    O PPGH da UFPel vem a público manifestar o imenso pesar pela perda irreparável de sua antiga coordenadora, professora Beatriz Loner. Nossos sentimentos à família.

     

    “A Professora Beatriz Ana Loner, graduada em História pela UFRGS, com Mestrado em História na UNICAMP e Doutorado em Sociologia pela UFRGS, ingressou na UFPel em 1987, como Profa. Substituta e, em 1989, tornou-se Profa. efetiva da Instituição na qual aposentou-se em 2011, embora tenha atuado no Programa de Pós-Graduação em História da UFPel até 2015, como Colaboradora.

    Em sua trajetória na Universidade foi responsável pela criação do Núcleo de Documentação Histórica da UFPel, local de guarda de importantes acervos históricos e de onde emergiu incontáveis projetos de ensino, pesquisa e extensão. Também contribuiu fortemente para a criação do Mestrado em Ciências Sociais (atualmente Mestrado em Sociologia), tendo sido coordenadora daquele programa de pós-graduação. No Mestrado em História, foi uma das responsáveis pela escrita da primeira proposta apresentada à CAPES, tendo atuado como docente e orientadora desde a criação do programa. Na área de graduação foi uma das mentoras da criação do Bacharelado em História.

    Trabalhando com temáticas que envolviam prioritariamente História do Trabalho, Clubes Carnavalescos Negros, Trabalhadores e Literatura, História da UFPel, Industrialização em Pelotas, Abolição e Pós-Abolição, Acervos, entre outros temas, Beatriz foi responsável pela orientação de considerável número de bolsistas de iniciação científica, graduandos e pós-graduandos, tendo impactado significativamente na produção intelectual sobre tais temáticas na historiografia gaúcha.

    Ministrando aulas de História do Brasil, Metodologia e Teoria de História, Organização de Acervos, entre outros temas, tinha o reconhecimento de seus alunos como uma docente dedicada, competente e comprometida com a formação de bons profissionais na área de História e Ciências Sociais.

    Ao aposentar-se, ocupou uma cadeira como Professora Visitante na Universidade Federal de Santa Maria. Nos dois anos que lá esteve contribuiu para a formação de alunos de graduação e mestrado em História.

    Militante do Movimento Sindical, sempre esteve na vanguarda das lutas pelos trabalhadores e na valorização da profissão docente e do fazer universitário.

    Enferma há alguns meses, mesmo assim mantinha contato com orientandos de pós-graduação e planejava novas produções científicas, participando, atualmente, do Projeto Afrodescendentes na região Sul: biografias, trajetórias associativas e familiares, em parceria com pesquisadores da UFPR e da UFSC. Já hospitalizada teve sua obra homenageada na Feira do Livro de Porto Alegre e, nas dependências do hospital, autografou seu livro  Construção de Classe: Operários de Pelotas e Rio Grande, em evento que contou com a participação de dezenas de admiradores.

    Sua morte representa uma enorme perda para a produção acadêmica no Rio Grande do Sul e deixa a equipe do NDH-UFPel desolada.

    Aos familiares e amigos, fica a lembrança de uma boa companheira de estudos e lutas!

    Beatriz Ana Loner, Presente!”

    • Nota do Núcleo de Documentação Histórica da UFPEL.
  • MATRÍCULA TURMA 2018 E REMATRÍCULA TURMA 2017

    Prezados/as alunos/as

    Informamos que os dias para matrícula dos alunos aprovados na Seleção de Aluno Regular 2018, assim como a rematrícula dos alunos da Turma 2017, ocorrerão nos dias 05 e 06 de março, presencialmente na Secretaria do PPGH/UFPEL. Lembramos que tal procedimento é indispensável. 

     

    Abaixo segue grade de horários:

    HORARIOS 2018_1