Início do conteúdo
    Notícias
  • Homenagem aos formandos do Curso de Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis da Universidade Federal de Pelotas.

    É com carinho que dedicamos este texto aos formandos: Claudia Nogueira, Ana Paula Leal, Bárbara Borck, Bianca Gonçalves, Bruna Lobato, Caroline Peixoto, Daiane Valadão, Degli Quevedo, Igor Ulguim, Joana Bräkling, Juliana Cascais, Marcelo Madail, Mariana Perfetto, Rosaura Isquierdo e Suélen Neubert.

    Valeu a pena? Sim, valeram a pena os dias de angústia, de cansaço, de tédio e exaustão. Valeram a pena todos os passos pelo caminho traçado. Cada momento vivido nessa louca correria em busca de um objetivo em comum valeu a pena. E agora que não mais irão de mãos dadas e juntos continuar a jornada de suas vidas? E agora que deixam, para também seguirem seus caminhos, os companheiros de longa data? E agora que a estrada se estende ao longe até se perder de vista? Caminhemos. Navegar é preciso. Não podemos esquecer que, embora a alegria do presente exista, o futuro reserva outras a mais. Se antes a força do conjunto amparava as quedas, hoje estão preparados para aguentar as tramas da vida. Deixar para trás momentos plenos de união e companheirismo é doloroso, mas não podemos nos estagnar no tempo. É necessário seguir em frente, buscar nossos objetivos com muito esmero e dedicação, para encontrar o novo. A amizade de tantos anos fica assim como o respeito e as boas lembranças jamais serão esquecidas. O tempo não para e precisamos dar continuidade à vida. Nossos discentes agora estão diante do seu próprio tempo e suas escolhas hoje irão refletir o amanhã. Esta noite foi especial para todos nós, professores, pais e amigos. Esta foi noite em que confirmamos que o esforço feito em prol de uma boa educação para nossos discentes valera realmente cada gota de suor, cada lágrima, cada sorriso na construção do caráter de cada um desses alunos do Curso de Conservação e Restauro. O momento da formatura não é somente uma festa em homenagem a primeira de muitas conquistas, mas também marca um rito de passagem, quando se toma consciência do que é o estar no mundo e se prepara para a interação com ele. Este é um dia especial para todos nós pela alegria desta etapa concluída com êxito, da perspectiva para o caminho vindouro. Não chegaram ainda ao fim, pois a jornada é longa, mas temos a certeza de que o caminho futuro reserva gratas surpresas. Por isso afirmo a vocês: sim, valeu muito a pena.

    Por Cristiane Rodrigues

     

    Imagem

  • Formatura do Curso de Conservação e Restauro.

    No dia 12 de abril, o curso de Conservação e Restauro teve a honra de formar sua turma que ingressou no ano de 2010. A cerimônia externa foi realizada no auditório da Faculdade de Direito da Universidade Federal de Pelotas. A solenidade contou com as professoras homenageadas Luiza Fabiana Neitzke de Carvalho e Silvana de Fátima Bojanoski (coordenadora atual do curso), com o paraninfo Roberto Heiden e a patronesse professora Francisca Michelon. O professor Sidney Gonçalves Vieira, diretor do Instituto de Ciências Humanas, presidiu a solenidade. Em outra solenidade interna formaram-se Bárbara Borck e Ana Paula Leal, esta solenidade teve a presença da Professora e atual coordenadora do curso de Conservação e Restauração Silvana de Fátima Bojanoski. A Bacharel em Conservação e Restauro de Bens Culturais Móveis Degli Quevedo, recebeu o prêmio de 1º lugar do Curso de Conservação e Restauro de Bens Culturais Móveis, por sua dedicação ao longo do curso. Parabéns!

    Por Cristiane Rodrigues

    Imagem

  • II Semana da Conservação e Restauro

    Este importante evento, foi realizado pelo grupo PET do Curso de Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis da Universidade Federal de Pelotas.

    O PET foi implantado em Dezembro de 2010 e desde então é composto por doze bolsistas e dois voluntários. Segundo a professora e tutora do grupo, Francisca Ferreira Michelon, o principal objetivo do PET é a formação pedagógica dos alunos integrantes do Curso de Conservação e Restauro fundada através da ação coletiva, da interdisciplinaridade e da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão e busca que essas metas ocorram em ações contínuas com a comunidade.

    A II Semana de Conservação e Restauro, trouxe a tona temas bastante diversificados, relacionados à conservação e restauração de bens culturais. A programação se estendeu do dia 23 ao dia 26 de Abril e contou com oficinas e cursos, além de mesas redondas e palestras. As palestras ocorreram em um dos principais cartões postais da cidade de Pelotas, trata-se de um prédio histórico construído em 1878, que serviu como residência da família do Conselheiro Francisco Antunes Maciel. Hoje, o Casarão 08, como é conhecido abriga o Museu do Doce, projeto realizado pela Professora Nóris Leal do Curso de Museologia.

    No dia 23 de Abril o evento contou com a participação do Conservador Markus Wilimzig, que trouxe o tema: Danos físicos, químicos e biológicos nos materiais de construção. No dia 24, contamos com a presença do Professor Roberto Weider de Assis Franco, professor da Universidade Estadual do Norte Fluminense que apresentou o tema intitulado como: Física aplicada ao estudo de pinturas, esculturas e cerâmicas. No dia 25 o Conservador Antonio Gonçalves da Silva, representante do Arquivo Nacional, trouxe como tema: Características tecnológicas dos adesivos empregados na conservação de acervos. Ao término do evento foi servido aos presentes um coquetel de encerramento.

    Em paralelo as palestras principais, ocorreram diversas atividades, tais como: mesas redondas, oficinas e minicursos. Para as oficinas contamos com a participação da Professora Andréa Lacerda Bachettini que ministrou a oficina Conservação de Acervos Museológicos. A professora e coordenadora do Curso Silvana Bojanoski ministrou a oficina de Planejamento de Conservação de Acervos Bibliográficos e Documentais. Contamos com a participação da conservadora Ângela Macalossi que contribuiu com a oficina Fotografia de obras de arte. As conservadoras restauradoras Suélen Neubert, Degli Quevedo, Rosaura Isquierdo e Jossana Coelho, apresentaram a oficina intitulada como: Embalagens para fotografias de acervo. Contamos também, com a participação do acadêmico Jairo Kaster com a oficina de Biscuit. A conservadora Claudia Lacerda, contribuiu com a oficina intitulada: Técnicas de Reintegração Pictórica. A Professora do Curso de Museologia Nóris Leal proporcionou à comunidade a oficina sobre a Regulamentação do Estatuto dos Museus.

    É importante salientar que são eventos como esse que promovem a interação entre a comunidade acadêmica, proporcionando aos discentes, interesse para as mais diversas áreas que abrangem a conservação e o restauro de bens culturais móveis.

    Por Cristiane Rodrigues

    Imagem

     

     

  • A Restauração do Patrimônio Cerâmico

    A Bacharel em Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis Veronica Coffy Bilhalba Santos, apresentou sua dissertação em Memória Social e Patrimônio Cultural (UFPEL) intitulada “Restauração do Patrimônio Cerâmico: obtenção e análise de massas polivinílicas processadas por micro-ondas para recomposição de objetos cerâmicos”. O trabalho foi desenvolvido juntamente com a Profª Margarete Regina Gonçalves e o Curso de Engenharia de Materiais – UFPEL. Segundo a Conservadora Restauradora Veronica, a ideia de pesquisar o assunto massas polivinílicas irradiadas, surgiu a partir do conhecimento empírico sobre massas artísticas contemporâneas, pois antes de cursar o Bacharelado em Conservação e Restauro ela já trabalhava como artista plástica e artesã moldando objetos decorativos com uma massa artística denominada porcelana fria – ou massa de biscuit, como é conhecido popularmente esse material. A massa de porcelana fria é uma mistura de amido e emulsão PVA (produto comercial) que é processada no aparelho de micro-ondas. Para aproveitar o método na restauração de cerâmicas, a composição da massa foi adaptada com minerais argilosos; foi testada na sua utilização prática e analisada no seu desempenho técnico. De acordo com a mesma pesquisadora, a restauração de arte decorativa a base de gesso e a restauração cerâmica são carentes de referências nos dias atuais, sendo necessário desenvolver esse campo de pesquisa no Brasil.

    Como pesquisadora, Veronica buscou ofertar ao campo prático uma alternativa ao uso comum de gesso, de difícil moldagem de uma maneira geral e cujo manejo se torna inconveniente eventualmente. A massa polivinílica irradiada é uma solução simples de baixo custo tanto quanto o gesso, mas é de fácil aplicação e manejo, mínima toxidade e se mostrou eficiente nas análises instrumentais de Termogravimetria, Reometria e Espectroscopia de Infravermelho Transformada de Fourier. O ponto mais importante do seu estudo é a discussão do aproveitamento da tecnologia das micro-ondas para melhorar o desempenho técnico de massas de preenchimento a base de emulsão PVA.. O micro-ondas desidrata a água da emulsão; torna a massa de preenchimento menos porosa e, em torno disso, o sólido final sugere maior durabilidade. Apesar dos resultados profícuos, a pesquisa não oferece parecer conclusivo, uma vez que o material experimental não pode ser submetido ao ensaio de envelhecimento acelerado. Além disso, a massa polivinílica irradiada foi testada somente em cerâmicas de pequeno porte, de produção recente, com pequenas lacunas; o material não foi comparado com outros tipos de massas de preenchimento conhecidas e divulgadas nos dias atuais. Esses pontos abrem um leque de possibilidades de pesquisa sobre o tema: Restauração Cerâmica. Nós do Curso de Conservação e Restauro te parabenizamos pelo trabalho desenvolvido e desejamos sucesso!


     Por Cristiane Rodrigues

    Imagem

  • Os principais temas abordados pelos alunos em seus trabalhos de conclusão de curso.

         No dia 12 de fevereiro de 2014 foram apresentadas publicamente as defesas dos trabalhos de conclusão do curso de Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Os alunos desenvolveram ao longo dos dois últimos semestres pesquisas em geral com temas na qual apresentam afinidade, dentro da área de conservação e restauração de bens culturais. A alegria manifestada com que os futuros conservadores-restauradores apresentaram suas defesas contagiou e envolveu o público presente. Houve uma grande diversidade de temas abordados, o que cada vez mais contribui para a ampliação do conhecimento na área da conservação-restauração de bens culturais. O trabalho da acadêmica Claudia da Silva Nogueira abordou as “Políticas Públicas Patrimoniais: estudo dos instrumentos legais e estratégias de preservação na cidade de Pelotas/RS”, onde ela colocou em evidência os instrumentos e estratégias de preservação patrimonial, como a legislação patrimonial e as estratégias de manutenção do patrimônio edificado na cidade de Pelotas/RS. A acadêmica Suélen Neubert trouxe como tema “A fotografia e sua preservação: uma análise sobre as políticas de conservação de acervo de instituições de guarda de memória no Rio Grande do Sul/Brasil”, este trabalho, abordou basicamente as políticas de preservação de acervos em instituições de guarda e a influência do profissional de conservação e restauro na aplicação do conhecimento técnico ao longo de sua formação. Já a acadêmica Caroline Peixoto Pires, abordou o tema “Estudo dos valores patrimoniais e sua influência nas atividades do conservador-restaurador”, onde a acadêmica investigou como é considerado o conceito de valor patrimonial pelo profissional da conservação e do restauro e onde esses valores são aplicados durante o desenvolvimento de suas atividades profissionais. A acadêmica Degli Márcia S. de Quevedo apresentou o tema “Leitura Iconológica de obra funerária: monumento “Oferenda” de Antônio Caringi – Pelotas/RS.” Em que evidenciou a interpretação Iconológica de obra funerária enaltecendo a memória de Caringi, tendo estudado a trajetória artística de Caringi, pesquisou sobre o local onde se encontrava a obra e como conclusão do seu estudo, relatou o estado de conservação da mesma. A acadêmica Bárbara Maria B. Borck apresentou o tema “Cemitério Pomerano: estudo da história de um povo em uma memória presente”. A acadêmica apresentou o patrimônio cultural presente no cemitério de São Lourenço do Sul/RS e a importância da imigração pomerana. Já o acadêmico Igor de Freitas Ulguim apresentou o Diagnóstico da obra “Descanso da Sagrada Família na Fuga para o Egito”: Levantamentos e exames preliminares à restauração. Em seu trabalho, Igor salienta o estudo a respeito da pintura de cavalete em um estado avançado de deterioração, localizada no acervo sacro do museu da cidade de Rio Grande e traz à tona a importância da documentação para futuros restauros. A acadêmica Joana Andrea Brakling mostrou o tema O “Retrato de Visconde da Graça”: análise e restauro de uma pintura de cavalete”. Joana descreveu os procedimentos de restauro em uma pintura de óleo sobre tela que apresenta grande valor histórico e artístico, pois se trata de uma pintura do século XIX que retrata João Simões Lopes Filho. Outros trabalhos também foram apresentados como o da acadêmica Marina Perfetto Sanes que falou sobre a Preservação de Revestimentos de Interiores de Edificações Históricas: Os estuques Lustrados da Cidade de Santa Vitória do Palmar. A acadêmica Bianca Servi Gonçalves, trouxe como tema “Procedimento de restauro em obra rara – Museu dos Capuchinhos – Rio Grande do Sul/RS. A acadêmica Bruna Lemos Lobato abordou “Proposta de tratamento do mobiliário expositivo da coleção arte sacra do Museu da cidade do Rio Grande. O acadêmico Marcelo Hansen Madail fez seu trabalho baseado na “Água como agente de deterioração: uma análise no Museu da Baronesa, Pelotas/RS” e a acadêmica Rosaura Isquierdo Rocha, apresentou o seguinte tema: “Procedimentos e reflexões em torno da conservação de fotografias históricas: a coleção Clinéa Campos Langlois da Fototeca Memória da UFPel”. Rosaura explicou o processo de sistematização da coleção Clinéa Campos Langlois da Fototeca Memória da Ufpel, abrangendo desde sua conservação, tratamento da informação e disponibilização, buscando a construção de uma narrativa memorial. Gostaríamos de parabenizar os acadêmicos pelos trabalhos apresentados e desejar muito sucesso nesta nova etapa que se inicia como profissionais conservadores-restauradores.l

    Texto de Cristiane Rodrigues

    Fotos Cristiane Rodrigues e André Medeiros

  • Alunos do Curso de Conservação e Restauração participam do Congresso de Iniciação Científica.

    Alunos do Curso de Conservação e Restauro participaram do Congresso de Iniciação Científica da UFPel, edição 2013. O Congresso de Iniciação Científica (CIC) tem por objetivos a valorização do corpo docente da instituição dedicado ao desenvolvimento de atividades de pesquisa, o incentivo para que alunos de graduação tenham sua formação com forte acento na pesquisa, além da integração da universidade com os demais setores da sociedade.

    Como ocorre desde o primeiro ano de funcionamento do Curso de Conservação e Restauração da UFPel, os acadêmicos do curso participaram do CIC 2013. Dentre os participantes, a discente Rosaura Isquierdo Rocha (foto) apresentou o seguinte trabalho: Procedimento de Higienização do Monumento funerário do Poeta Lobo da Costa. O trabalho foi desenvolvido como proposta de avaliação final da disciplina de Introdução à Conservação e Restauro de Materiais Pétreos, ministrada pela Professora Luiza Fabiana Neitzke de Carvalho, que é também coordenadora do Projeto Marmorabilia – Inventário da Memória Tumular do Rio Grande do Sul. A proposta deste estudo tem como objetivo a higienização e a conservação de uma unidade tumular, a fim de aprofundar o conhecimento referente às técnicas de trabalho com o material em que foi executado, o mármore.

    A discente Marina Perfetto Sanes, apresentou a Ficha Descritiva do Monumento Funerário do poeta Lobo da Costa, cujo objetivo principal era detalhar o objeto de estudo, de maneira a compreender melhor sua história, autoria, suas características, materiais empregados, dimensões e principalmente seu estado de conservação.

    O trabalho apresentado pela discente Susana dos Santos Dode trouxe como tema a Conservação de Materiais Metálicos do Sítio Arqueológico Charqueada Santa Bárbara. Esse trabalho aborda as etapas de conservação arqueológica aplicadas aos objetos metálicos, oriundos das escavações na Charqueada Santa Bárbara. Tais escavações resultam do projeto “O Pampa Negro: Arqueologia da Escravidão na Região Meridional do Rio Grande do Sul (1780-1888)”, cujo coordenador geral é o Prof. Dr. Lúcio Menezes Ferreira. Por sua vez, a coordenação da equipe de conservação do projeto é de responsabilidade do Prof. Dr. Jaime Mujica Sallés.

    Já o trabalho apresentado pelo discente Jairo Hardtke Kaster, trouxe como tema: Reservas Técnicas em Museus. O trabalho teve como objetivo despertar a vocação científica e incentivar os alunos do Curso de Conservação e Restauro de Bens Culturais do ICH/UFPEL a atuarem dentro da linha de pesquisa “Instituições de Memória e Gestão de acervos” do doutorado em Memória Social e Patrimônio Cultural do ICH/UFPEL, o que proporcionará ao aluno da graduação a possibilidade de discutir sobre aspectos relacionados à conservação de acervos e também realizar estudos e aplicabilidades de procedimentos de conservação e guarda de acervos em instituições museais, contribuindo assim para sua formação acadêmica. As reservas técnicas deveriam conservar e difundir as informações de um museu. Sabe-se que na prática isso não ocorre por falta de conhecimento, por falta de profissionais capacitados ou mesmo por negligência, por esse motivo, se vê a necessidade de serem ampliadas as pesquisas e estudos desenvolvidos na área, para que possamos estimular os futuros profissionais.

    Por Cristiane Rodrigues.

    Image

  • Exposição sobre a conservação do túmulo do Poeta Lobo da Costa.

    Realizou-se junto a sede do futuro Museu do Doce da UFPel a exposição sobre a conservação do monumento funerário do Poeta Lobo da Costa intitulada “Conservação de Monumento Funerário – Poeta Lobo da Costa, Santa Casa de Pelotas”. O Monumento Funerário que é original do Cemitério da Santa Casa de Pelotas/RS, foi restaurado e parte do mesmo encontra-se junto a exposição didática sobre as técnicas de restauro utilizadas. A exposição é resultado de semanas de intenso trabalho, onde os estudantes e professores do Curso de Conservação e Restauro da Universidade Federal de Pelotas, colocaram em prática os conhecimentos adquiridos ao longo da disciplina de Introdução à Conservação de Materiais Pétreos, tornando o Cemitério um verdadeiro laboratório. As atividades do projeto de pesquisa intitulado Marmorabilia, coordenado pela Professora Luiza Fabiana Neitzke de Carvalho, contribuíram para a realização desta exposição. Este projeto tem como objetivos inventariar, conhecer, divulgar e preservar a arte cemiterial nas cidades de Porto Alegre e Pelotas/RS. Um dos objetivos do trabalho é sensibilizar a comunidade a zelar pelo nosso patrimônio cemiterial e incluí-lo como um ponto turístico para futuras visitações. Segundo a discente, Júlia Cavallieri, a higienização do monumento funerário foi feita para retirar sujidades que acabaram deteriorando o monumento. Primeiramente, foi feito um diagnóstico, com o preenchimento de uma ficha que documentou as patologias encontradas no monumento. A limpeza mecânica foi feita através da utilização de escovas macias e produtos químicos. A discente Vera Regina Cazaubon, destacou a importância da atividade, através das aulas práticas que foram importantes, pois complementaram as aulas teóricas. Foi à primeira vez que esse procedimento foi realizado dentro do Cemitério de Pelotas. Segundo a docente Luiza Neitzke foi uma honra ter realizado a atividade no jazigo do célebre poeta Lobo da Costa, pelo que o mesmo representa: “Para a nossa surpresa, Lobo da Costa (poeta, jornalista e teatrólogo brasileiro marcado pelo “mal do século” é um dos nomes mais expressivos do movimento romântico da literatura do Rio Grande do Sul) é homenageado na 41ª Feira do Livro de Pelotas, tornando ainda mais satisfatório o resultado do trabalho realizado por alunos e professores” Luiza também explica que pretende dar continuidade a atividade, através do completo processo de restauração. No dia 09 de Novembro Luiza coordenou uma visita guiada junto ao Cemitério Ecumênico São Francisco de Paula, local onde se encontra o túmulo do poeta. Nesta visita foram visitados os túmulos de escritores importantes, com ênfase ao túmulo do Lobo da Costa. Por Cristiane Rodrigues.Imagem