“Retalhos” de uma vida

Por Luana de Almeida Medeiros

Craig Thompson conta passagens de sua juventude em história em quadrinhos

Estamos passando por um período atípico em nossas vidas, carregado de medos e incertezas. A pandemia causada pelo novo coronavírus (Covid-19) fez com que a nossa rotina diária mudasse completamente, ambientes de trabalho e salas de aula deram lugar ao home office e semestres remotos. De fato, é um grande desafio se adaptar ao modelo de distanciamento social e à quarentena, por mais que saibamos o quanto essas medidas são importantes para preservar a nossa saúde e a de todos ao nosso redor, é normal que essa situação gere estresse e preocupação, seja por questões de adaptação à nova rotina, questões financeiras ou até mesmo pelo medo de contrair o vírus.

Diante desse cenário, é importante dedicar um tempo do nosso dia a dia a atividades que promovem o nosso bem-estar, como fazer boas leituras. Na modalidade quadrinhos, uma excelente indicação é o livro “Retalhos”, de Craig Thompson, uma graphic novel muito premiada, vencedora de três prêmios Harvey, dois prêmios Eisner e, também, vencedora do prêmio da Associação Francesa de Críticos e Jornalistas de Quadrinhos.

O livro é uma autobiografia, que conta a história de Thompson desde a infância até o final de sua adolescência. No Brasil, foi publicado pela editora Companhia das Letras no ano de 2009 e conta com 592 páginas, divididas em nove capítulos. A trama não é escrita de forma linear, em muitos momentos o autor insere flashbacks sobre acontecimentos de sua infância que ajudam a situar o leitor e a compreender o contexto da narrativa. As principais temáticas abordadas no livro são os conflitos que o autor enfrenta em relação à sua família, vida amorosa e religião.

Livro foi lançado em 2009 no Brasil

Ao iniciar a leitura, o primeiro aspecto apresentado é o relacionamento de Thompson com seu irmão Phil. Os dois eram obrigados a dividir a mesma cama durante a infância e, na maior parte do tempo, estavam sempre brigando (situação muito comum entre irmãos, não é mesmo?!), porém, também havia momentos de muita diversão entre os dois, principalmente quando a brincadeira envolvia a maior paixão de Craig: desenhar.

O autor nasceu em Traverse City, Michigan, e foi criado na zona rural de uma cidade do estado de Wisconsin, no Centro-Oeste dos Estados Unidos. Sua juventude foi fortemente marcada pela presença da fé cristã conservadora, religião imposta por seus pais. Essa relação de Craig com a fé, baseada no temor a Deus, interferiu diretamente na sua percepção do mundo e na sua visão sobre o que é certo ou errado, dessa forma, o autor cresceu atormentado pela ideia de ser um pecador pelo fato de perder seu tempo com atividades “mundanas” ao invés de se dedicar inteiramente ao criador.

No entanto, sua vida muda completamente após conhecer Raina, seu primeiro amor, em um acampamento de férias da igreja. Ela é dona de uma personalidade oposta a de Craig, é uma menina alegre, carinhosa e realista, enquanto Thompson é mais introvertido e sonhador. A conexão entre os dois acontece de forma natural, os dois se tornam muito próximos e passam a trocar cartas de amor depois do acampamento. Passado algum tempo, Craig convence os pais a permitir sua estadia na casa de Raina durante duas semanas. 

Durante o tempo em que conviveu com a família de Raina, o autor se deparou com uma realidade totalmente diferente da sua. Os pais da jovem estão em processo de divórcio e possuem uma filha com deficiência intelectual, todo o contexto apresentado deixa subentendido que Raina precisa assumir responsabilidades muito além da sua alçada. Nesse mesmo período, o relacionamento entre os dois é relatado de forma muito sensível e encantadora, o amor que sentem um pelo outro é lindamente expressado através das ilustrações do autor.

É nesse momento importante da vida de Craig que ele começa a questionar certos valores e aspectos que a ele foram repassados durante a infância e adolescência, principalmente sobre os ensinamentos cristãos e o relacionamento distante que mantinha com a família. Outros temas também são abordados ao longo da história, como bullying na escola e pedofilia. A narrativa é intimista e muito sincera, ao longo da história, o leitor vai se deparar com dilemas importantes da vida do autor, além de trazer reflexões sobre as diferentes realidades que nos cercam e que, muitas vezes, desconhecemos. Thompson nos mostra que é preciso ter coragem para enfrentar nossos medos e que a vida está sempre em constante mudança. Sem dúvida, uma história que vale a pena ser lida e compartilhada.

História conta o primeiro grande amor do autor desenhista

PRIMEIRA PÁGINA

COMENTÁRIOS:

Comments

comments

%d blogueiros gostam disto: