Início do conteúdo
Disciplinas Obrigatórias

Disciplinas Obrigatórias – curso Mestrado

Teoria Sociológica I

Carga horária: 68h – 4 créditos

Ementa: A disciplina discute os problemas e temas constituintes da formação da sociologia a partir da influência do pensamento sociológico clássico de Karl Marx, Émile Durkheim; Max Weber e Georg Simmel. Nesse sentido, ela parte dos seguintes eixos teóricos e temáticos: Marx e os marxismos; Durkheim e os desdobramentos do funcionalismo; Weber e a sociologia alemã; Simmel e a “sociologia formal”; a Escola de Chicago e a sociologia norte-americana.

Bibliografia: ADORNO, Theodor W; HORKHEIMER, Max. Dialética do Esclarecimento. Tradução de Guido Antonio de Almeida, Rio de Janeiro: Zahar. 1985. ANDERSON, Perry. Considerações sobre o marxismo ocidental: nas trilhas do materialismo histórico. São Paulo: Boitempo. ARON, Raymond. Etapas do Pensamento Sociológico. São Paulo: Martins Fontes, 1982. BECKER, Howard. Uma teoria da ação coletiva. Rio de Janeiro: Zahar. 1977. ______. A escola de Chicago. MANA 2(2):177-188, 1996 BLUMER, Herbert. Symbolic Interactionism: perspective and method. Los Angeles: University of California. 1998. COLLINS, Randall. Quatro tradições sociológicas. 2009. Petrópolis: Vozes. DURKHEIM, Emile. Coleção Grandes Cientistas Sociais. Nº 1. São Paulo: Ática, 1984. COULON, Alain. A escola de Chicago. Campinas: Papirus. 1995. DOMINGUES, José Maurício. A SOCIOLOGIA DE Talcott Parsons FREITAG, Barbara. A teoria crítica ontem e hoje. São Paulo: Brasiliense. 2004. GOFFMAN. Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. Rio de Janeiro: Guanabara. 1988. HORKHEIMER, Max. Eclipse da razão. São Paulo: Centauro.2002. LALLEMENT, M. História das idéias sociológicas – vol. I: Das origens a Max Weber. Petropólis: Vozes. 2008. ______. História das idéias sociológicas – vol. II: De Parsons aos contemporâneos. Petropólis: Vozes. 2004. ROCHER, Guy. Talcott Parsons e a sociologia americana. Rio de Janeiro: Francisco Alves. 1976. SIMMEL, Georg. Questões fundamentais da sociologia: indivíduo e sociedade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar. 2006. VANDENBERGHE, Frédéric. As sociologia de Georg Simmel. Bauru/Belém: Edusc/UFPA. 2005. MILLS, C. Wright. Sobre o artesanato intelectual. Rio de Janeiro: Zahar. 2009.

Área(s) de Concentração Obrigatória(s) à Disciplina

ESTADO, SOCIEDADE E CULTURA

 

Teoria Sociológica II

Carga horária: 68h – 4 créditos

Ementa: A disciplina discute os problemas e temas contemporâneos da sociologia enfatizando as análises que propõem a articulação mútua entre estrutura e ação social e entre as dimensões objetivas e subjetivas que constituem as dinâmicas sociais. Para tal, ela parte dos seguintes eixos teóricos e temáticos: a sociologia configuracional de Norbert Elias; o estruturalismo construtivista de Pierre Bourdieu; as teorias da Estruturação e da modernidade de Anthony Giddens; as teorias da ação comunicativa e da modernidade de Jürgen Habermas; a teoria dos sistemas de Niklas Luhmann; o debate sobre reconhecimento, redistribuição e justiça; a analítica do poder de Michel Foucault; Pós-modernidade, Pós-estruturalismo e seus desdobramentos.

Bibliografia: BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Lisboa: Difel, 1989. Cap, 1 e 3. _____. Razões Práticas. Campinas-SP: Parirus,1996. Cap. 1 -13-33. _____. Os usos sociais da ciência. São Paulo: UNESO, 2004 p. 7-50. _____; Ioïc Wacquant. Uma invitación a la sociologia reflexiva. Buenos Aires, Século XXI, 2008, p. 26-90. COHEN, Ira. Teoria da Estruturação e Práxis social. I: GIDDENS, Anthony ;TURNER, Jonathan (Orgs). Teoria Social Hoje. São Paulo: UNESP 1999. 393-446 CURCUFF, Philippe. As Novas Sociologias: Construção da Realidade Social. Bauru – SP: EDUSC, 2001.48-66. DOSSE, François. História do Estruturalismo: o campo do signo, 1945/1966. São Paulo: Editora Ensaio, 1993; FOUCAULT, Michel. A Arqueologia do Saber. Rio de Jasneiro: Forense Universitária, 2007. _____. História da Loucura: na idade Clássica. São Paulo, Perspectiva, 2005. _____. As Palavras e as Coisas. São Paulo: Martins Fontes, 2002. _____ . Microfísica do Poder. Rio de Janeiro: Glaal, 1979. GIDDENS, Anthony. A Constituição da Sociedade. São Paulo: Martins Fontes, 1989. 1 -31. ______; PIERSAO, Cristopher. Conversando com Anthony Giddens. Rio de Janeiro FGV:2000. ______. La Teoría de la Estruturación. In: Cuaderno de Sociología, n 4, junio, 1988. 47-73. LUHMANN, Niklas. Sociedad y Sistema la Ambición de la Teoria. Barcelona, Buenos Aires, México: Ediciones Paidós; I.C.E la Universidad Autónoma de Barcelona, 1990. MACHADO, Roberto. Arqueologia, filosofia e literatura. In: CASTELO BRANCO, Guilherme e PORTOCARRERO Vera. Retratos de Foucault. Rio de janeiro: Nau, 2000. _____. Ciências e Saber: a trajetória da arqueologia de Michel Foucault. Rio de Janeiro: Graal, 1981. NEVES, Clarissa; NEVES, Fabrício. O que há de complexo no mundo complexo? Niklas Luhmann e a teoria dos Sistemas Sociais. Sociologias. Ano 8, n15 jan/jun, 2006. P.182-207. PETERS, Michael. Pós-estruturalismo e a teoria da diferença: Belo Horizonte: Autêntica,2000, p.20-39. RODRIGUES. Léo Peixoto. A (Des)estruturação das Estruturas e a (Re)estruturação dos Sistemas: uma revisão epistemológica crítica In: RODRIGUES, Léo P. e MENDONÇA, Daniel (Orgs.). Ernesto Laclau e Niklas Luhmann: o Pós-fundacionismo e a abordagem sistêmica nas organizações sociais. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2006, 35-67. ______. Autopoiésis e o Sistema Social de Niklas Luhmann: A Propósito De Alguns Conceitos. In: Sociologias. Porto Alegre: UFRGS. Ano 2, n3, jan/jun 2000, p.254-284. ______.Sistemas autorreferentes, autopoiéticos: noção-chave para a compreensão de Niklas Luhmann. Pensamento Plural. Ano 2 n.3 julho/dezembro, 2008, p.105-120. STRATHERN, Paul. Foucault em 90 minutos. Rio de Janeiro: Zahar, 2003.

Área(s) de Concentração Obrigatória(s) à Disciplina

ESTADO, SOCIEDADE E CULTURA


Metodologia da Pesquisa

Carga horária: 68h – 4 créditos

Ementa: A disciplina integra os principais elementos da pesquisa em sociologia, apontando para o desenvolvimento do projeto de pesquisa de dissertação do aluno. Visa mostrar a integração entre os elementos teóricos e metodológicos e os procedimentos de investigação. Apresentam-se as principais abordagens metodológicas na área da Sociologia, desenvolvendo-se concomitantemente técnicas de pesquisa quantitativas e qualitativas. Além dos aspectos mencionados, são abordados procedimentos de organização e análise da informação.

Bibliografia: ALAMI, Sophie; DESJEUX, Dominique, GARABUAU-MOUSSAOUI; Isabelle. Os métodos qualitativos. ANGROSINO, Michael. Etnografia e observação participante. Coleção Pesquisa Qualitativa. Porto Alegre: Artmed: 2009. VASILACHIS DE GIALDINO, Irene. (Org.). Barcelona: Gedisa, 2006. BARBOUR, Rosaline. Grupos Focais. Coleção Pesquisa Qualitativa. Porto Alegre: Artmed: 2009. BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Porto: Edições 70, 1995. BECKER, Howard. Métodos de Pesquisa em Ciências Sociais. Hucitec: São Paulo, 1999. BOURDIEU, Pierre. A miséria do mundo. Capítulo: Compreender. Petrópolis: Vozes, 1998. pp. 693-732. BRANDAO, Carlos R. Pesquisa participante. São Paulo: Brasiliense, 2006. CARDOSO Ruth. Aventuras de antropólogos em campo ou como escapar das armadilhas do método. Em: CARDOSO Ruth (Org.). A aventura antropológica: teoria e pesquisa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2004. pp. 95-105. CEA D’ANCONA, Maria Ángeles. Metodologia cuantitativa: estrategias y técnicas de investigación social. Madrid: Síntesis, 1998. CELLARD, André. A análise documental. In: POUPART, Jean et al (Orgs.). Petrópolis, RJ: Vozes, 2010. pp. 295-316. COULON, Alain. Etnometodologia. Petropolis : Vozes, 1995. DESLAURIERS, Jean-Pierre; KÉRISIT, Michèle. O delineamento de pesquisa qualitativa. In: POUPART, Jean et al (Orgs.). Petrópolis, RJ: Vozes, 2010. pp. 127-153. FALS BORDA, Orlando. Aspectos teóricos da pesquisa participante: considerações sobre o significado e o papel da ciência na participação popular. Em: Pesquisa participante. BRANDAO, Carlos R. (Org). Sao Paulo: Brasiliense, 2006. pp. 42-62. KERLINGER, Fred. Metodologia da pesquisa em Ciências Sociais. Um tratamento conceitual. São Paulo: EPU; EDUP, 1980. GIBBS, Graham. Análise de dados qualitativos. Coleção Pesquisa Qualitativa. Porto Alegre: Artmed: 2009. GIL, Antonio Carlos. Métodos y técnicas de Pesquisa Social. São Paulo: Atlas, 2009. GOBO, Giampietro. O projeto de pesquisa nas investigações qualitativas. Em: MELUCCI, Alberto (Org.). Por uma sociologia reflexiva. Pesquisa qualitativa e cultura. Petrópolis: Vozes, 2005. pp. 91-115. GOODE, William Josiah; HATT, Paul Kitchener. Métodos em pesquisa social. São Paulo: Nacional, 1973. pp. 237-268. HAGUETTE, Teresa Maria Frota. Metodologias qualitativas na sociologia: Petrópolis: Vozes, 2001. HOULE, Gilles. A sociologia como ciência da vida: a abordagem biográfica. In: POUPART, Jean et al (Orgs.). Petrópolis, RJ: Vozes, 2010. FLICK, Uwe. Qualidade na pesquisa qualitativa. Coleção Pesquisa Qualitativa. Porto Alegre: Artmed: 2009. MANN, Peter. Métodos de investigação sociológica. MALLIMACI, Fortunato e GIMÉNEZ BELIVEAU, Verónica. História de vida e métodos biográficos. In: Estratégias de investigación cualitativa. VASILACHIS DE GIALDINO, Irene. (Org.). Barcelona: Gedisa, 2006. MARCONI, Marina de Andrade e LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de Metodologia Científica. São Paulo, Atlas, 2010. MELUCCI, Alberto. Busca de qualidade, ação social e cultura. Por uma sociologia reflexiva. Em: MELUCCI, Alberto (Org). Por uma sociologia reflexiva. Pesquisa qualitativa e cultura. Petrópolis: Vozes, 2001. MINAYO, Maria Cecilia (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 1994. PIRES, Alvaro. Sobre algumas questões epistemológicas de uma metodologia geral para as ciências sociais. In: A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos. In: POUPART, Jean et al (Orgs.). Petrópolis, RJ: Vozes, 2010. POUPART, Jean. A entrevista de tipo qualitativo: considerações epistemológicas, teóricas e metodológicas. In: POUPART, Jean et al (Orgs.). Petrópolis, RJ: Vozes, 2010. RICHARDSON, Roberto Jarry. Pesquisa Social. Métodos y técnicas. São Paulo: Atlas, 2008. VASILACHIS DE GIALDINO, Irene. La investigación cualitativa. pp. 23-64. Em: Estratégias de investigación cualitativa. VASILACHIS DE GIALDINO, Irene. (Org.). Barcelona: Gedisa, 2006.

Área(s) de Concentração Obrigatória(s) à Disciplina

ESTADO, SOCIEDADE E CULTURA

 

Seminário de Dissertação

Carga horária: 34h – 2 créditos

Ementa: Promove encaminhamentos para a produção da dissertação através do debate dos projetos de pesquisa dos alunos. Fornece um suporte suplementar para o desenvolvimento e a estruturação da versão final do projeto a partir de indicações metodológicas direcionadas aos temas de pesquisa.

Bibliografia: BECKER, Howard. Métodos de Pesquisa em Ciências Sociais. Hucitec: São Paulo, 1999. BOURDIEU, Pierre; CHAMBORDERON, Jean-Claude.; PASSERON, Jean-Claude. Ofício de Sociólogo: metodologia da pesquisa na sociologia. Petrópolis, Vozes, 2007. BRUYNE, Paul de et al. Dinâmica da pesquisa em ciências sociais. Rio de Janeiro: F. Alves, 1977. CEA D’ANCONA, Maria Ángeles. Metodologia cuantitativa: estrategias y técnicas de investigación social. Madrid: Síntesis, 1998. CHAMPAGNE, Patrick; LENOIR, Remi; MERLLIÉ, Dominique; PINTO, Louis. Iniciação à prática sociológica. Rio de Janeiro: Vozes, 1999 . KERLINGER, Fred. Metodologia da pesquisa em Ciências Sociais. Um tratamento conceitual. São Paulo: EPU; EDUP, 1980. GIL, Antonio Carlos. Métodos y técnicas de Pesquisa Social. São Paulo: Atlas, 2009. MELUCCI, Alberto (Org.). Por uma sociologia reflexiva. Pesquisa qualitativa e cultura.. Petrópolis: Vozes, 2005. GOODE, William Josiah; HATT, Paul Kitchener. Métodos em pesquisa social. São Paulo: Nacional, 1973. HAGUETTE, Teresa Maria Frota. Metodologias qualitativas na sociologia.: Petrópolis: Vozes, 2001. FLICK, Uwe. Qualidade na pesquisa qualitativa. Coleção Pesquisa Qualitativa. Porto Alegre: Artmed: 2009. MARCONI, Marina de Andrade e LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de Metodologia Científica. São Paulo, Atlas, 2010. MINAYO, Maria Cecilia (Org.). Pesquisa social: teoria, metodo e criatividade. Petrópolis: Vozes, 1994. POUPART, Jean et al (Orgs.). A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos. In: Petrópolis, RJ: Vozes, 2010. RICHARDSON, Roberto Jarry. Pesquisa Social. Métodos y técnicas. Capítulos 12 e 14. São Paulo: Atlas, 2008. SELLTIZ, Claire;JAHODA, Marie; DEUTSCH, Morton;COOK, Stuart, M. Métodos de pesquisa nas relações sociais. São Paulo: Herder, 1974. SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. Capítulo III. Teoria e prática científica. São Paulo: Cortez, 2007. TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. Capítulo 2. Três enfoques na pesquisa em ciências sociais: o positivismo, a fenomenologia e o marxismo. São Paulo: Atlas, 2007. VALLES, Miguel. Técnicas cualitativas de investigación social. Reflexión metodológica y práctica profesional. Madrid: Síntesis, 1997. VASILACHIS DE GIALDINO, Irene. (Org). Estratégias de investigación cualitativa. VASILACHIS DE GIALDINO, Irene. (Org.). Barcelona: Gedisa, 2006.

Área(s) de Concentração Obrigatória(s) à Disciplina

ESTADO, SOCIEDADE E CULTURA

 

Disciplinas Obrigatórias – curso Doutorado*

Teoria Sociológica Avançada

Carga horária: 68h – 4 créditos

A sociedade contemporânea, como fenômeno científico, tem refletido toda a gama de complexidade emergente do próprio processo civilizatório, científico e produtivo, em diferentes organizações sociais mundiais. Neste sentido, atuais e renovados esforços teórico-epistemológicos têm sido desenvolvidos para a compreensão de como se produzem e se desfazem novas ordens, conflitos, consenso e dissensos sociais. Não apenas as teorias sociológicas, mas também a construção dos objetos de investigação sociais tem disputado por “hegemonia explicativa/compreensiva” no âmbito da sociologia, como disciplina científica.

Assim, esta disciplina irá produzir debates acerca de questões contemporâneas e complexas tais como: agente/agência; engajamento/neutralidade; normatividade/objetividade; subjetividade/interação agonismo/antagonismo; construção/desconstrução, em emergentes correntes teóricos-epistemológicas contemporâneas.

Bibliografia: AGANBEN, Giorgio. Estado de Exceção. São Paulo: Boitempo Editorial , 2004. ____ Homo sacer: Poder Soberano e Vida Nua. Belo Horizonte: UFMG, 2002. ALEXANDER, Jeffrey C..Neofunctionalism. Beverly Hills: Sage, 1985. ARCER, Margaret. Being Human: the problem of Agency. Reino Unido: Cambridge, 2004. BADIOU, Alain. La aventura de la filosofia francesa a partir de 1960. Buenos Aires: Eterna Cadência, 2013. BRAH, Avtar. Diferença, diversidade, diferenciação, in: Cadernos Pagu (26), janeiro-junho de 2006. BUTLER, Judith. Problemas de Gênero: Feminismo e Subversão da Identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003. DERRIDA, Jacques; CAPUTO, John. La desconstrucción en uma cáscara de nuez. CRITCHLEHY, Simone et. al. Desconstrucción y pragmatismo. In: MOUFFE. Chantal (Comp.). Buenos Aires: Paidós, 2005. HABERMAS J. Teoria do agir comunicativo. São Paulo: Martins Fontes, 2012. ____. Pensamento Pós-metafísico. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2002. HONNETH. Axel. Luta por Reconhecimento. São Paulo: Ed. 34, 2003. Beunos Aires: Prometeo Libros, 2009. LACLAU, Ernesto. Nuevas reflexiones sobre la revolución de nuestro tiempo. Buenos Aires: Nueva Visión, 1993. ____.; MOUFFE, Chantal. (1985). Hegemony & socialist strategy: towards a radical democratic politics. London: Vers. LUHMANN, Niklas. La sociedad de la sociedad. México: Iberoamericana/Herder, 2007. LYOTARD, Jean-François. O Pós-Moderno. Rio de Janeiro: José Olympio, 1989. OUTHWAITE. William. The Future of Society. Oxford: Bleckweel, 2006. JOAS, Hans. Pragmatism and social Theorhy. Chicago: Universityh of Chicago Press. 1992. ____.; KNÖBL, Wolfgang. Teoria Social. Rio de Janeiro: Vozes, 2017. MERQUIOR, José Guilherme. De Praga a Paris: o surgimento, a mudança e a dissolução da ideia estruturalista. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1991. ____. Michel Foucault ou o niilismo de cátedra. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985. PETERS, Michael. Pós-Estruturalismo e Filosofia da Diferença. Belo Horizonte: Autêntica, 2000. RANCIÈRE, Jacques. O dissenso. In: NOVAES, Adauto (Org). A crise da razão. São Paulo: Companhia das Letras, 1996. _____. O desentendimento. São Paulo: Editora 34, 1996. RODRÍGUES, Fernando; VALLEJO, Mauro. El estructuralismo em su márgenes: ensayhos sobre críticos e dissidentes Althusser, Deleuze, Foucault, Lacan y Ricoeut. Buenos Aires: Del signo, 2011. SLAVOJ, Zizek. Primeiro como tragédia depois como farça. São Paulo: Bom tempo, 2011. ____. Violencia en acto. Conferências em Buenos Aires. In: HOUNIE, Snalía (Comp.). Buenos Aires: Paidós, 2004. SPIVAK, Gayatri. Pode um subalterno Falar? Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.

Área(s) de Concentração Obrigatória(s) à Disciplina

ESTADO, SOCIEDADE E CULTURA

 

Seminário de Tese

Carga horária: 34h – 2 créditos

Um projeto de tese, mesmo após uma avaliação de ingresso, necessita aprimoramento quanto à forma e o conteúdo; reflexões mais acuradas sobre sua viabilidade teórica e empírica, espacial e temporal. A disciplina está voltada para um primeiro aprimoramento do projeto de pesquisa de doutorado, não apenas nestes aspectos macro, mas também no aperfeiçoamento de seus elementos técnicos, de fundamentação e teóricos inerentes à proposta de investigação científica, tais como: o estabelecimento da temática de pesquisa, a construção do objeto, formulação do problema, delimitação do campo, definição de objetivos e hipóteses, escolha dos métodos e técnicas de pesquisa, bem como o desenvolvimento e a estruturação da discussão teórica constante no projeto de pesquisa. Nesse sentido, a disciplina envolve processo interpares, sob a orientação do professor regente da disciplina, visando auxiliar na superação de questões diagnosticadas pelo grupo em cada projeto.

Bibliografia: A bibliografia desta disciplina é de responsabilidade do professor regente. Sugestão: BECKER, Howard. Métodos de Pesquisa em Ciências Sociais. Hucitec: São Paulo, 1999. BOURDIEU, Pierre; CHAMBORDERON, Jean-Claude.; PASSERON, Jean-Claude. Ofício de Sociólogo: metodologia da pesquisa na sociologia. Petrópolis, Vozes, 2007. BRUYNE, Paul de et al. Dinâmica da pesquisa em ciências sociais. Rio de Janeiro: F. Alves, 1977. CEA D’ANCONA, Maria Ángeles. Metodologia cuantitativa: estrategias y técnicas de investigación social. Madrid: Síntesis, 1998. CHAMPAGNE, Patrick; LENOIR, Remi; MERLLIÉ, Dominique; PINTO, Louis. Iniciação à prática sociológica. Rio de Janeiro: Vozes, 1999 . KERLINGER, Fred. Metodologia da pesquisa em Ciências Sociais. Um tratamento conceitual. São Paulo: EPU; EDUP, 1980. GIL, Antonio Carlos. Métodos y técnicas de Pesquisa Social. São Paulo: Atlas, 2009. MELUCCI, Alberto (Org.). Por uma sociologia reflexiva. Pesquisa qualitativa e cultura.. Petrópolis: Vozes, 2005. GOODE, William Josiah; HATT, Paul Kitchener. Métodos em pesquisa social. São Paulo: Nacional, 1973. HAGUETTE, Teresa Maria Frota. Metodologias qualitativas na sociologia.: Petrópolis: Vozes, 2001. FLICK, Uwe. Qualidade na pesquisa qualitativa. Coleção Pesquisa Qualitativa. Porto Alegre: Artmed: 2009. MARCONI, Marina de Andrade e LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de Metodologia Científica. São Paulo, Atlas, 2010. MINAYO, Maria Cecilia (Org.). Pesquisa social: teoria, metodo e criatividade. Petrópolis: Vozes, 1994. POUPART, Jean et al (Orgs.). A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos. In: Petrópolis, RJ: Vozes, 2010. RICHARDSON, Roberto Jarry. Pesquisa Social. Métodos y técnicas. Capítulos 12 e 14. São Paulo: Atlas, 2008. SELLTIZ, Claire;JAHODA, Marie; DEUTSCH, Morton;COOK, Stuart, M. Métodos de pesquisa nas relações sociais. São Paulo: Herder, 1974. SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. Capítulo III. Teoria e prática científica. São Paulo: Cortez, 2007. TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. Capítulo 2. Três enfoques na pesquisa em ciências sociais: o positivismo, a fenomenologia e o marxismo. São Paulo: Atlas, 2007. VALLES, Miguel. Técnicas cualitativas de investigación social. Reflexión metodológica y práctica profesional. Madrid: Síntesis, 1997. VASILACHIS DE GIALDINO, Irene. (Org). Estratégias de investigación cualitativa. VASILACHIS DE GIALDINO, Irene. (Org.). Barcelona: Gedisa, 2006.]

Área(s) de Concentração Obrigatória(s) à Disciplina

ESTADO, SOCIEDADE E CULTURA

 

* Os alunos aprovados para ingresso no Doutorado, com mestrado em outra área que não seja específico em Sociologia deverão, necessariamente, cursar as disciplinas teóricas e metodológicas obrigatórias (com exceção do Seminário de Dissertação) do Curso de Mestrado em  Sociologia do PPGS/UFPel,  são elas: Teoria Sociólogica I (4 créditos), Teoria Sociológica II (4 créditos), Metodologia (4 créditos). Totalizando assim os 18 créditos em disciplinas obrigatórias.