Início do conteúdo
Publicações

Memória Coletiva Entre lugares, conflitos e virtualidade

Organizadores:
Daniele Borges Bezerra
Darlan De Mamann Marchi
Isabel Cristina Bernal Vinasco,
Jaime Alberto Bornacelly Castro
Karla Nazareth-Tissot
Priscila Chagas Oliveira

O livro Memória coletiva: entre lugares, conflitos e virtualidade foi organizado a partir de comunicações feitas no X Seminário Internacional em Memória e Patrimônio (SIMP), organizado pelo Programa de Pós-Graduação em Memória Social e Patrimônio Cultural e pelo Núcleo de Estudos em Memória e Patrimônio em lugares de sofrimento (NEMPLUS), da Universidade Federal de Pelotas, em outubro de 2020. O X SIMP teve como tema gerador uma “revisita” à obra “Memória Coletiva” de Maurice Halbwachs, tema que perpassa os dezessete textos que compõem a obra que agora apresentamos, de forma direta ou indiretamente. O livro se apresenta dividido em três partes: A produção subjetiva dos lugares; Memória Coletiva e Virtualidade; Conflitos de memória na contemporaneidade.
O X SIMP, ao comemorar o septuagésimo aniversário da obra póstuma de Maurice Halbwachs, “Memória Coletiva”, abriu espaço para outras tantas reflexões e universos empíricos, tantos diálogos entre o criador da Sociologia da memória e o transbordamento dessa teoria da memória coletiva nos tempos atuais, quando a palavra memória aciona não apenas representações sobre o passado, mas justificativas de presente e projeções de futuro.

Ver livro: Memória Coletiva Entre lugares, conflitos e virtualidade

Memória e patrimônio: preservação, políticas e acesso

Coordenadoras
Juliane Conceição Primon Serres
Maria Letícia Mazzucchi Ferreira
Organizadores
Darlan de Mamann Marchi
Eduardo Roberto Jordão Knack
Rita Juliana Soares Poloni

O terceiro e último volume da coleção, “Memória e patrimônio: preservação, políticas e acesso”, envolve trabalhos que se debruçaram sobre temas como cidades e preservação patrimonial, políticas públicas de memória e urbanização, patrimônio, acessibilidade e ensino. Tal como o segundo volume da coleção “Memória e patrimônio”, o último livro congrega estudos avançados de casos, com o olhar voltado para questões técnicas, políticas e metodológicas.
O e-book está disponível no repositório da universidade. No seguinte endereço: http://guaiaca.ufpel.edu.br:8080/handle/prefix/4965
Ver livro:Memória&Patrimônio_Volume3_compressed

Memória e patrimônio: identidade, emoção e ditaduras

Coordenadoras
Juliane Conceição Primon Serres
Maria Letícia Mazzucchi Ferreira
Organizadores
Darlan de Mamann Marchi
Eduardo Roberto Jordão Knack
Rita Juliana Soares Poloni

O livro que apresentamos ao público interessado nos temas, problemas, debates e questões que envolvem os estudos da memória e do patrimônio é o resultado dos trabalhos apresentados e das conferências que ocorreram durante o IV Colóquio Internacional Memória e Patrimônio (que ocorreu entre os dias 08 e 09 de novembro de 2018), promovido pelos docentes e discentes do Programa de Pós-graduação em Memória Social e Patrimônio Cultural – PPGMP, da Universidade Federal de Pelotas. As operações de seleção da memória, envolvendo também o esquecimento, em uma perspectiva individual e coletiva, fundamentais para compreensão da identidade e do patrimônio cultural de uma comunidade, foram amplamente debatidas durante os dias em que o evento foi realizado.
O segundo volume, “Memória e patrimônio: identidade, emoção e ditaduras”, além de reunir trabalhos em torno de temas como identidade, questões envolvendo processos de patrimonialização, emoção patrimonial, memória e regimes autoritários, de uma forma geral, apresenta, em âmbito geral, estudos de casos específicos, indicando trabalhos que apresentam resultados concretos no âmbito de suas pesquisas.

Ver livro:Memória_&_Patrimônio_-_Volume_2__compressed (1)

Link repositório UFPEL: http://guaiaca.ufpel.edu.br:8080/handle/prefix/4955?fbclid=IwAR2S254kXTFgkhzjj43tHI2oyF0oeWDBgvsxQO7rkjqRLTx4Axphc5CwoTU

Memória e Patrimônio – tramas do contemporâneo

Coordenadoras
Juliane Conceição Primon Serres
Maria Letícia Mazzucchi Ferreira
Organizadores
Darlan de Mamann Marchi
Eduardo Roberto Jordão Knack
Rita Juliana Soares Poloni

Esta obra, em forma de coletânea de artigos, é resultado de alguns dos trabalhos apresentados por pesquisadores e pesquisadoras durante o 9º Seminário Internacional em Memória e Patrimônio (SIMP), evento promovido pelo Programa de Pós-Graduação em Memória Social e Patrimônio Cultural (PPGMP), da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), ocorrido nos dias 15, 16 e 17 de maio de 2019, nas dependências do ICH-UFPel. O SIMP possui uma trajetória social e científica consolidada junto à comunidade acadêmica. Tanto através da participação de conferencistas nacionais e estrangeiros reconhecidos quanto nos simpósios temáticos, com a divulgação de trabalhos de pesquisadores de diferentes formações e instituições de ensino superior, o Seminário tem contribuído, em todas as edições, para o debate de temas e conceitos que emergem nas áreas da memória e do patrimônio.
O 9º SIMP foi uma oportunidade excepcional para ampliar redes de pesquisas e promover debates sobre um tema que tem sido objeto de estudos e pesquisas, alguns dos quais presentes nesta coletânea, pelos professores e alunos que atuam no PPGMP. Essas pesquisas buscam analisar como as memórias associadas ao sofrimento convertem-se em memória coletiva ou, como afirma Joel Candau, em formas de compartilhamento,diferenciando-se quanto à intensidade e capacidade de afirmação dentro de um conjunto social, o que estaria associado ao papel relevante dos sociotransmissores, elementos atuantes na construção de discursos memoriais e em sua transmissão. Ao se pensar em experiências fortemente associadas ao sofrimento, o grau de compartilhamento interno aos sujeitos atores desses processos é muito maior do que seria com outros que não possuem vivências semelhantes. A capacidade de transmissão de experiências da dor deriva da necessidade de conferir visibilidade e ressonância às lembranças, utilizando-se para tanto diferentes mecanismos, dentre os quais a patrimonialização e a musealização. Os processos de sofrimento, em que pese a dimensão intimista e pessoal com que são vivenciados, constituem-se como elementos identitários e de busca pelo reconhecimento quando projetados na esfera do coletivo. É assim que a diversidade de rupturas violentas, que se inscrevem nas tramas existenciais de sujeitos e grupos, busca tornar-se objeto de narrativas para descrever as experiências do sofrimento e dos fenômenos sociais e culturais que o acompanham, a partir de diferentes linguagens que ocupam o espaço público, tais como memoriais, museus, associação de vítimas, movimentos de Direitos Humanos, dentre outros.

Memória & patrimônio: lugares, sociabilidades e educação: Volume I. 

Coordenadoras
Juliane Conceição Primon Serres
Maria Letícia Mazzucchi Ferreira
Organizadores
Darlan de Mamann Marchi
Eduardo Roberto Jordão Knack
Rita Juliana Soares Poloni

O livro que apresentamos ao público interessado nos temas, problemas, debates e questões que envolvem os estudos da memória e do patrimônio é o resultado dos trabalhos apresentados e das conferências que ocorreram durante o IV Colóquio Internacional Memória e Patrimônio (que ocorreu entre os dias 08 e 09 de novembro de 2018), promovido pelos docentes e discentes do Programa de Pós-graduação em Memória Social e Patrimônio Cultural – PPGMP, da Universidade Federal de Pelotas. As operações de seleção da memória, envolvendo também o esquecimento, em uma perspectiva individual e coletiva, fundamentais para compreensão da identidade e do patrimônio cultural de uma comunidade, foram amplamente debatidas durante os dias em que o evento foi realizado.
O primeiro volume desta obra organiza-se em torno de três subcapítulos, que buscam congregar, a partir de temáticas afins, reflexões que se apresentam como fruto de pesquisas em processo de desenvolvimento ou de recortes temáticos de objetos de investigação outrora explorados de forma mais aprofundada por seus autores. Procura ser uma obra que objetiva provocar os leitores acerca de temáticas de interesse, despertando questionamentos em torno de objetos com grande potencial de investigação, além de apresentar ao público resultados específicos de pesquisa que permitam, desde já, contribuir com o desenvolvimento de seus campos e temáticas de estudo.

Memória e patrimônio: temas e debates

Eduardo Roberto Jordão Knack; Maria Letícia Mazzucchi Ferreira; Rita Juliana Soares Poloni (Orgs.)

O presente livro resulta dos temas, debates e discussões desenvolvidas durante o Colóquio Internacional Memória e Patrimônio, realizado entre os dias 09, 10 e 11 de outubro de 2017 nas dependências do Museu do Doce-UFPel, em Pelotas, Rio Grande do Sul. Além das comunicações apresentadas pelos participantes, também constam palestras conferidas durante as mesas redondas, trabalhos que possuem íntima relação com a temática do livro. Antes de tecer uma breve apresentação sobre os artigos que compõem essa obra, é importante contextualizar o colóquio que reuniu pesquisadores de diferentes instituições, estados e países. Foi sua execução que permitiu a construção desse livro, e é aos autores que o compõe, aos participantes que contribuíram para realização desse evento, ao público que se fez presente durante aqueles dias que destinamos nossos sinceros agradecimentos. O Colóquio Internacional Memória e Patrimônio, organizado por docentes e discentes do Programa de Pós-Graduação em Memória Social e Patrimônio Cultural da Universidade Federal de Pelotas teve como principal objetivo promover um momento de debate com pesquisadores de diferentes áreas sobre dois temas fundamentais na nossa sociedade: a memória e o patrimônio. Além de conferências com nomes qualificados e reconhecidos nacional e internacionalmente, também foi reservado um espaço para mesas redondas, abordando diferentes temas, como os impactos da pós-graduação em memória e patrimônio na vida profissional de egressos do PPGMP; cidades, patrimônio e urbanização; patrimônio imaterial.

Ver livro: Memória e Patrimônio

 

 

Antropologia dos restos: da lixeira ao museu

Autoria: Octave Debary

Organização e tradução: Maria Leticia Mazzucchi Ferreira

O livro que ora apresentamos ao público brasileiro trata-se de uma série de reflexões feita pelo antropólogo francês Octave Debary e que foram trazidas para o debate acadêmico por ocasião da Escola de Altos Estudos realizada na Universidade Federal de Pelotas e Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, no mês de outubro de 2016.

O livro de Octave Debary, ao lançar mão de alguns dos principais debates contemporâneos referentes à memória, ao patrimônio e aos museus, tais como o estatuto ontológico dos objetos, os dilemas entre guardar e descartar, a patrimonialização como instauração de uma ordem contrária ao sentido natural das coisas vividas, nos leva a refletir sobre os mecanismos sociais que envolvem o binômio lembrar-esquecer, sendo o museu o lugar de confluência de todos estes questionamentos, solução simbólica de nossas inquietudes frente o que devemos fazer de nossos restos, mediação silenciosa entre a vida que cessa para que se instaure o tempo do patrimônio.

Da obra Antropologia dos restos: da lixeira ao museu podemos dizer que se trata de uma reflexão profunda sobre os dilemas que fundam o ato museológico, mas também que se trata de uma grande provocação, pois ao relativizar nossas certezas, nos convida a experimentar o desassossego da dúvida e a possibilidade de um pensamento mais amplo.

Ver  livro Antropologia dos Restos

 

Educação Patrimonial: Perspectivas Interdisciplinares

estudo-07-crop-208x300-1

Organizadores: Fábio Vergara Cerqueira; Ester Judite Bendjouya Gutierrez; Denise Ondina Marroni dos Santos; Alan Dutra de Melo

A Educação Patrimonial tem adquirido importância crescente, para uma gama de profissionais envolvidos na preservação do patrimônio, como jornalistas, professores, gestores, profissionais de museus, entre outros campos. Este volume congrega, a partir de abordagens variadas e multidisciplinares, uma série de estudos, em torno de três eixos:  educação e patrimônio, aspectos conceituais e legais e diversidade de expressões. A diversidade encontra-se no centro das discussões da literatura internacional e da política patrimonial internacional e brasileira.  O patrimônio só adquire pleno sentido na medida em que as pessoas estejam incluídas no planejamento e na gestão patrimonial e possam, desta forma, determinar suas características e possibilidades. Esse envolvimento da sociedade no cuidado do patrimônio depende de uma defesa ativa da diversidade como valor, de modo a permitir que as pessoas participem, com suas especificidades e diferenças, da vivificação patrimonial. A Unesco e outros organismos internacionais têm enfatizado a diversidade patrimonial, assim como a constituição brasileira e a legislação, em seus diversos níveis. Este volume insere-se, de forma criativa, nessa valorização de perspectivas participativas e transdisciplinares e constitui uma contribuição para especialistas e interessados no patrimônio.

Pedro Paulo A. Funari
Professor Titular da Unicamp

Memória e Esquecimento

memoria-e-esquecimento

La mémoire, la perte et le doute
Joël Candau

Memorial da Resistência de São Paulo:
uma perspectiva museológica processual
Kátia Regina Felipini Neves

Universidad Pública y memoria
Claudio Guevara

A construção da vocação: memórias e patrimônios
em Angra dos Reis, RJ
Aline Vieira de Carvalho

Los orígenes de la fotografía antropológica
en el Caribe: memoria y olvido
Gabino La Rosa Corzo y Lourdes S. Domínguez

Antimonumentos: a memória possível após as catástrofes
Márcio Seligmann-Silva

Apresentação

O livro eletrônico que ora apresentamos constitui-se de textos de conferências e mesas-redondas apresentadas durante o V Seminário Internacional em Memória e Patrimônio (SIMP), realizado pelo Programa de Pós-Graduação em Memória Social e Patrimônio Cultural da Universidade Federal de Pelotas, entre os dias 5 a 7 de outubro de 2011, na cidade de Pelotas.
O tema que articulou o Seminário foi o da Memória e esquecimento, exposto através de diferentes abordagens e áreas do conhecimento. O esquecimento passou a ser objeto das preocupações contemporâneas a partir de algumas reflexões teóricas relacionadas, sobretudo com o Holocausto e a memória. Esse tema vem aflorando no cenário mundial através de diversas expressões que vão desde a reflexão teórica associando dados das Neurociências e Ciências Sociais e Humanas, passando pela crescente presença de sinais da busca pela recuperação do esquecido nos centros urbanos (monumentos, memoriais, museus, parques, etc..), surgimento de arquivos e aberturas de outros cuja documentação se refere a processos traumáticos como repressão, tortura e violência de Estado (…)

Ver o livro Memória e Esquecimento: memoria__esquecimento_e-book

Memória e Patrimônio:ensaios sobre a diversidade cultural

Francisca Ferreira Michelon

Francine Tavares (orgs.)

Memória, Patrimônio & Tradição

capa-preview-211x300

Organizadoras: Maria Letícia Mazzucchi Ferreira; Francisca Ferreira Michelon

Este livro reúne ensaios com o conteúdo das conferências ministradas no evento promovido pelo Programa de Pós-Graduação em Memória Social e Patrimônio Cultural da Universidade Federal de Pelotas no ano de 2010 – IV Seminário Internacional Memória, Patrimônio e Tradição – e que desenvolveram questões referentes à imbricação de tais temas, tratadas sob diferentes perspectivas e a partir das concepções vigentes nos países de origem dos autores (México, França, Argentina e Brasil). A diversidade dos contextos dos quais advém os estudos estimula o debate e a reflexão sobre as variáveis que hoje conformam o campo de investigação do patrimônio cultural.

Ver livro Memória, Patrimônio & Tradição memoria-patrimonio-tradicao

Patrimônio cultural : Brasil e Uruguai, os processos de patrimonialização e suas experiências

uruguai_capa_v02-011-211x300

Organizadoras: Maria Leticia Mazzucchi Ferreira; William Rey Ashfield; Ana María Sosa González

O livro que ora apresentamos é resultado de diálogos e aproximações entre pesquisadores brasileiros e uruguaios em torno do tema patrimônio cultural. As equipes envolvidas nessa tarefa são egressas do Programa de Pós-graduação em Memória Social e Patrimônio Cultural da Universidade Federal de Pelotas –UFPel-, pelo lado brasileiro e da Universidad de la República –UDELAR-, pelo lado uruguaio.

Os textos aqui apresentados refletem resultados de pesquisas e reflexões sobre processos de patrimonialização, políticas públicas e estratégias patrimoniais observadas em estudos de caso no Brasil e Uruguai, buscando entregar ao leitor elementos que se traduzam em análises comparativas entre essas duas realidades nacionais.

Na origem dessa obra foi fundamental a aproximação entre a Coordenação do Programa de Pós-Graduação em Memória Social e Patrimônio Cultural, através da professora Maria Letícia Mazzucchi Ferreira, a pós-doutoranda PNPDI-CAPES Ana Maria Sosa González e o professor William Rey Ashfield da Universidad de la Republica.

Essa obra foi tecida a partir da necessidade de ampliar e fortalecer a Linha de Pesquisa Políticas de Memória e Patrimônio no MERCOSUL, no esforço de estabelecer estudos comparativos entre dois espaços nacionais que, se por um lado apresentam singularidades e contextos históricos e políticos bastante específicos, por outro lado compartilham passados, fronteiras e processos memoriais e patrimoniais, sendo exemplo disso a recente patrimonialização da Ponte Binacional Mauá, que une as cidades de Jaguarão, na margem brasileira e de Rio Branco, no lado uruguaio.

É fundamental destacar também que esse livro se apresenta como um dos primeiros resultados do Acordo de Cooperação entre o Programa de Pós-Graduação em Memória Social e Patrimônio Cultural e a Universidad de la República –UDELAR- (Vicerectoría de Investigación y Estudios de Posgrado), pelo qual estamos desenvolvendo projetos conjuntos e participações, de ambos os lados, em atividades acadêmicas vinculadas à pós-graduação. Nosso objetivo é o de compartilhar as múltiplas experiências de pesquisa e intervenções patrimoniais, enriquecendo nossas trocas acadêmicas e profissionais, intensificando diálogos entre ambas as instituições e os programas acadêmicos respectivos, fornecendo outras possibilidades e materiais de consulta para a pesquisa de nossos alunos, assim como de outras instituições voltadas para fins correlacionados.

Nesse livro são abordados temas que se enquadram no campo da memória e patrimônio e que versam sobre as legislações patrimoniais, práticas de preservação e guarda de bens culturais, políticas públicas de memória e patrimônio, dispostos sob a forma de quadros que apontam para análises comparativas e relacionais.

O livro se divide em cinco partes com textos que seguem aos seguintes eixos temáticos: 1 – Patrimônio material e sua preservação na região: políticas públicas, instituiçõese processos de salvaguarda, discussões centradas sobre legislações de patrimônio nos dois países e ações de conservação e restauro do patrimônio material, capítulos assinados pelos professores William Rey Ashfield e Ester Judite Bendjoya Gutierrez. 2 – Processos de patrimonialização em Uruguai e no Brasil: Museus, Arquivos e Acervos, reflexões acerca da gestão de museus, processos de educação patrimonial, acervos museológicos e arquivos, com trabalhos Manuel Esmoris e Francisca Ferreira Michelon. 3 – Patrimônio e turismo: relações e trajetórias através de estudos de casos no Uruguai e no Brasil, discussões centradas sobre as relações possíveis entre turismo – itinerários culturais-, patrimônio e os usos do passado como recursos para as economias locais a partir de dados de pesquisas de Nery González e Ronaldo Colvero. 4 – Legislação patrimonial na região: aspectos jurídicos, instrumentos e problemas com textos sobre as legislações patrimoniais e as instituições do patrimônio no Cone Sul, seus avanços e limitações, assinados por Alberto Quintela e Renata Albernaz. 5 – Patrimônio imaterial em Uruguai e no Brasil: novos patrimônios novos lugares com textos relativos ao patrimônio imaterial, processos e projetos recentes de patrimonialização, novos lugares, memórias em disputa, atores e conflitos. As contribuições nessa área são de Antonio di Candia, pelo Uruguai, Juliane Serres e Viviane Borges, Maria Leticia Mazzucchi Ferreira e Ana María Sosa González.

Refletir sobre as medidas adotadas, ou não, que possam garantir a salvaguarda do patrimônio cultural do extenso e diversificado panorama que constitui a nação brasileira, assim como no Uruguai, é um exercício, possivelmente infindável, que se manifesta de diversas maneiras: relatos de experiências, revisão de literatura, relatório de ações específicas, análises de casos.

As reflexões que permeiam os textos deste livro, respondem às demandas instauradas pelos processos contemporâneos de patrimonialização. Estes processos se consolidam a partir de relações em geral complexas e problemáticas, envolvendo atores e agentes patrimoniais, territórios e legislações, dinâmicas sociais e normatizações. É no interior dessa complexa matriz que ocorrem os processos de patrimonialização, em geral tensionados entre a memória, fluida e emocional, e o patrimônio, com viés identitário e econômico.

Mesmo que não se pretenda estabelecer uma discussão especificamente conceitual sobre as políticas públicas do patrimônio cultural no Brasil e no Uruguai, o contexto acadêmico alimenta a efervescência analítica que traduz os debates sobre as estratégias de preservação do patrimônio. O que esses textos buscam pode ser em síntese, o exercício de reflexão sobre as práticas patrimoniais contemporâneas e sobre as possibilidades de cooperações mais estreitas entre duas realidades do chamado MERCOSUL.

Ver livro Patrimônio cultural : Brasil e Uruguai, os processos de patrimonialização e suas experiências patrimonio-cultural-brasil-e-uruguai-os-processos-de-patrimonializacao-e-suas-experiencias

 Patrimônio cultural no Brasil e na Argentina: Estudos de caso

patrimonio-cultura-capa-198x300

Organizadores: Lúcio Menezes Ferreira; Maria Letícia Mazzucchi Ferreira; Mónica B. Rotman

O objetivo geral do livro é apresentar estudosde caso sobre processos de patrimonialização do passado e da cultura no Brasil e na Argentina […] A primeira parte dedica-se às políticas públicas do patrimônio cultural. A baliza teórica principal desse estudo, e que originalmente circunscreveu o projeto de pesquisa, situa-se em solo latino-americano. A segunda parte do livro invoca as relações entre patrimônio cultural, memória e acervos. Tais relações, nas sociedades contemporâneas, são cada vez mais impositivas. Os liames entre patrimônio cultural e comunidades são, justamente, descritos na terceira parte desse livro.

Políticas públicas e patrimônio cultural : ensaios, trajetórias e contextos

politicas-publicas-do-patrimonio-cultural

Organizadoras: Francisca Ferreira Michelon; Cláudio de Sá Machado Júnior; Ana María Sosa González

APRESENTAÇÃO: POLÍTICAS PÚBLICAS DO PATRIMÔNIO
O presente e-book originou-se a partir dos artigos dos alunos do Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Memória So-cial e Patrimônio Cultural da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) realizados para a disciplina Políticas Públicas do Patrimônio, ministrada pelos professores Ana María Sosa González e Cláudio de Sá Machado Júnior, organizadores deste livro, no primeiro semestre de 2012. Portanto, representa o esforço para traduzir em texto par-te das discussões realizadas em sala de aula, abordando os proces-sos patrimoniais que vem acontecendo nos últimos anos no Brasil e no mundo. Este e-book também teve sua origem a partir de convi-tes especiais, feitos pela professora Francisca Ferreira Michelon com colaboração dos professores supracitados a pesquisadores que desenvolvem trabalhos referentes ao tema.
A disciplina abordou conteúdos sobre a legislação brasileira e hispano-americana voltadas para a preservação de bens culturais, à luz das políticas públicas do patrimônio desenvolvidas especial-mente no Brasil e nos contextos do Mercosul. Trabalhou-se a partir do histórico dessas políticas, problematizando contextos e situações contemporâneas. A partir das discussões e leituras de diversos textos surgiu o diálogo com as pesquisas que os professores da disciplina, pós-graduandos no Programa de Pós-Graduação, desenvolvem, contando também com o apoio dos orientadores e a contribuição de vários docentes do curso.
Refletir sobre as medidas adotadas, ou não, que possam garantir a salvaguarda do patrimônio cultural do extenso e diversifica-do panorama que constitui a nação brasileira é um exercício, possivelmente infindável, que se manifestas de diversas maneiras: relatos de experiências, revisão de literatura, relatório de ações específicas, análises de casos. A análise das políticas públicas inscre-ve-se com muita desenvoltura no campo da ciência política, no entanto, mesmo nesse, o Brasil foi contemplado com estudos ocasionais até serem publicadas as obras de Maria Cecília Londres Fonseca e de Márcia Romeiro Chuva, ambas citadas nos capítulos deste livro. As referidas, publicadas em um curto espaço de tempo entre uma e outra, marcam o surgimento de um tema para o qual convergem muitas atenções que dedicam esforço em compreender os processos de negociação entre os agentes patrimoniais. (…)

Ver livro Políticas públicas e patrimônio cultural : ensaios, trajetórias e contextos politicas-publicas-do-patrimonio-cultural

Sociedade Anônima Frigorífico Anglo de Pelotas: O Trabalho do Passado nas Fotografias do Presente

livro-anglo_visualizacao-11-150x150

Texto e organização Francisca Ferreira Michelon

Ver o livro Sociedade Anônima Frigorífico Anglo de Pelotas sociedade-anonima-frigorifico-anglo-de-pelotas-o-trabalho-do-passado-nas-fotografias-do-presente