Início do conteúdo
previous arrow
next arrow
Slider
O que você procura?
    Todas Notícias
  • FORCULTSUL 2020 integrará a programação do VII CEC (6ª SIIEPE)

    A Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da UFPEL, a partir das diretrizes do FÓRUM DE GESTÃO CULTURAL DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR (FORCULT), destinadas a construção de orientações para as políticas públicas nas Instituições de Ensino Superior (IES), realizou nessa quinta-feira, 08 de outubro de 2020, a reunião do FORCULTSUL – Fórum de Gestão Cultural das Instituições de Ensino Superior da Região Sul, constituídas pelas IES dos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. Sob a coordenação do Coordenador de Arte e Inclusão da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da UFPEL, Fernando Igansi, ficou deliberado na referida reunião que a UFPEL sediará o FORCULTSUL 2020, previsto para acontecer durante o Congresso de Extensão e Cultura – VII CEC (6 SIIEPE), nos dias 24 e 26 de novembro.

    Na ocasião, além da palestra de abertura (ainda a ser definida), será apresentado as diretrizes Culturais das IES, bem como o resultado das reflexões dos Grupos de Trabalho – GT 1. Políticas culturais, GT 2. Fomentos à Cultura, GT 3. Inclusão e Acessibilidade e GT 4. Comunicação e registro.

    Os Grupos de Trabalho serão formados por adesão, em formulário a ser disponibilizado no site do FORCULTSUL, em construção, em breve disponibilizado.

  • Lançamento do livro “FAEM: um século e 35 anos” na 94ª Expofeira de Pelotas

    A UFPel todos os anos participa e tem um espaço garantido na EXPOFEIRA, um dos maiores eventos de agronegócio do Brasil, promovido pela Associação Rural de Pelotas e Sindicato Rural de Pelotas. Em um ano em que todos tiveram que se reinventar por conta do atual contexto pandêmico da COVID-19, a EXPOFEIRA 2020 acontecerá em um ambiente totalmente virtual.

     

    Para uma vez mais marcar a presença da UFPel junto a esta comunidade pelotense, será feito o lançamento do livro “FAEM: um século e 35 anos”, com uma versão em e-book e uma edição impressa, dentro da programação virtual da EXPOFEIRA, no dia 07 de outubro às 16 h, pelo link www.expofeirapelotas.com.br (Auditório 3).

     

    A obra faz parte das ações promovidas pela PREC em parceria com a direção da FAEM para as comemorações dos 135 anos da unidade mais antiga da UFPel, que aconteceram em 2019, sendo organizada por Dirceu Agostinetto, Francisca Ferreira Michelon e Silvana de Fátima Bojanoski, com edição de João Fernando Igansi Nunes e Isabela Almeida Nogueira.

     

    Esta publicação dá sequência aos fatos descritos no livro comemorativo aos 100 anos, elaborado pelo historiador Mário Osório Magalhães e publicado em 1983. No livro atual, além das fotografias e fatos que já haviam sido relatados por Mário Osório, também constam os depoimentos dos ex-diretores falando sobre os principais avanços da FAEM no ensino, na pesquisa, na pós-graduação e na extensão nos últimos 35 anos, seguido por depoimentos de vários representantes da comunidade acadêmica. Trata-se de uma obra que registra e celebra através de fotografias e depoimentos, tantas histórias e memórias construídas por servidores e alunos da FAEM.

     

    A produção do livro é parte de várias atividades realizadas na FAEM desde 2017 e que tiveram como motivação as comemorações dos seus 135 anos. Em um processo de preservação da história e da memória institucional, foi feita a identificação de objetos, documentos de fotografias dispersos pela unidade e que irão constituir posteriormente o Memorial Maria Eulália da Costa, uma homenagem à primeira mulher do país que conquistou a formação superior na área, no ano de 1915, na então Escola de Agronomia e Veterinária. Em outra ação, vários quadros de formatura e também as seculares cadeiras da Escola de Agronomia e veterinária de Pelotas, foram restauradas pelas professoras Andréa Bachettini e Daniele Baltz Fonseca junto com os discentes do curso de Conservação e Restauração da UFPel.

     

    No evento de lançamento do livro estarão virtualmente presentes o Reitor Pedro Curi Hallal, o Diretor da FAEM Dirceu Agostinetto, a Pró-Reitora de Extensão Francisca Ferreira Michelon, a Coordenadora de Patrimônio Cultural e Comunidade da PREC Silvana Bojanoski e a Prof. Andréa Bachettini, responsável pela identificação e ações de preservação dos acervos da FAEM. A mediação do evento será feita pela servidora da FAEM Mariane D’Avila. Serão apresentados os vídeos de alguns dos professores e servidores que deram seu depoimento para o livro, falando sobre estas histórias e memórias. Também será apresentado um vídeo produzido a partir das imagens do livro.

     

    Assim a participação da UFPel na 94ª EXPOFEIRA será marcada por um evento virtual cheio de histórias, memórias e homenagens muito justas à mais antiga unidade que deu origem à nossa universidade.

  • Lançamento do e-book “Acessibilidade Cultural: atravessando fronteiras” acontece nesta terça (06)

    Nesta terça, 06 de outubro, às 15h (19h em Portugal), será lançado o e-book “Acessibilidade Cultural: atravessando fronteiras”, publicação que reúne as palestras proferidas no Seminário Internacional de Acessibilidade Cultural (SIAC) e dois importantes documentos: A “Carta de Pelotas” e a “Carta aos Bípedes”.

    O evento é on-line e gratuito. Para participar, acesse a sala de webconferência no horário marcado. Não é necessária inscrição prévia.

    Para o lançamento, será realizada uma roda de conversa, que contará com a presença dos professores Jefferson Alves, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Patricia Dorneles, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Jeniffer Cuty, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Francisca Michelon, Pró-Reitora de Extensão e Cultura da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), e Desirée Nobre, do curso de Terapia Ocupacional da UFPel e coordenadora do SIAC. As quatro universidades compõem a Rede Interinstitucional de Acessibilidade Cultural.

     

    O SIAC

    O Seminário Internacional de Acessibilidade Cultural, promovido pela Rede de Museus da UFPel, foi realizado on-line entre 25 e 29 de maio de 2020. O evento contou com a participação de ouvintes e palestrantes de todo o Brasil e de Portugal. No total, foram realizadas 18 palestras, que debateram e refletiram sobre a inclusão da pessoa com deficiência em diferentes espaços e práticas culturais.

    A “Carta de Pelotas: Resistência e Mobilização pelas Diferenças” foi redigida no fim do Seminário, em assembleia final, por sugestão da professora Dra. Jeniffer Cuty, da UFRGS. Seu objetivo central é “firmar um compromisso ético de defesa e respeito às diferenças que caracterizam o ser humano em sua pluralidade” (trecho da carta). O documento é assinado por mais de 60 pesquisadores e profissionais da cultura, pessoas com deficiência, docentes e discentes de diferentes cursos que participaram da assembleia.

    A “Carta aos Bípedes” é de autoria do coreógrafo, dançarino e professor Edu O., um dos palestrantes do SIAC.

    Todas as palestras do Seminário Internacional de Acessibilidade Cultural estão disponíveis na Página do evento.

  • Primavera dos Museus 2020

    Devido à pandemia do novo coronavírus, museus de todo o país e do mundo precisaram fechar suas portas. Para não se distanciar do público, muitas instituições museológicas se adaptaram ao mundo digital. Foi pensando nesta mudança que o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) definiu o tema da 14ª Primavera dos Museus: “Mundo Digital: Museus em transformação”. Neste ano, o evento será realizado on-line, entre 21 e 27 de setembro, com participação da Rede de Museus da UFPel garantida.

    A programação da Rede começa no dia 21, com uma nova edição do programa “Museus para ouvir”, que vai ao ar na Rádio Federal até 27 de setembro, e com a abertura de duas exposições virtuais: “Cartas Que Levam Abraços”, do Museu Diários do Isolamento (MuDI), e “Patrimônio Cultural Quilombola”, do Museu da Colônia Francesa.

    No dia 22, inicia-se a exposição “Acervos que contam histórias!”, do Museu de Arte Leopoldo Gotuzzo (MALG). O dia 24 será o mais movimentado da programação, com a realização de uma série de lançamentos e com o início do seminário sobre as experiências digitais dos museus e projetos da Rede.

    No dia 26, ocorre a Mesa Redonda “Museu do físico ao digital: quais os melhores meio de comunicação com o público em época de pandemia?”, do Museu Etnográfico da Colônia Maciel.

    A participação nas atividades é gratuita e aberta a todos.

    Acesse a programação completa

  • Inscrição de propostas para participar do 38º SEURS

    A Pró-Reitoria de Extensão e Cultura, da UFPel, convida todos os coordenadores de projetos de extensão para inscreverem propostas no processo de seleção interna que visa a participação no 38º SEURS – Seminário de Extensão Universitária da Região Sul, a ocorrer de forma remota de 17 a 19 de novembro, sob a temática “Extensão Universitária: caminhos para inovação e desenvolvimento social”.

     

    A inscrição deverá ser realizada por e-mail, impreterivelmente até o dia 30 de setembro de 2020.

     

    Acesse o edital nº 06/2020 – Inscrição de propostas 38º SEURS

    Faça o download do Anexo I

    Faça o download do modelo de trabalho

     

    Mais informações e regulamento disponíveis no site do evento: http://www.uel.br/proex/seurs/

  • Manifestação da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura

    Foto: Reprodução

    Foto: Carlos Queiroz / Jornal Diário Popular

    A Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da UFPel manifesta-se frente a recente destruição da casa situada à rua Antônio dos Anjos esquina com a General Osório.
    O exemplo que a UFPel vem dando à cidade, há muitos anos, no aproveitamento do patrimônio cultural em novos usos, merece ser colocado nesta manifestação como uma das razões que motiva o posicionamento que ora divulgamos. Estamos convictos que cada vez mais contribuímos com a cidade quando mantemos, de modo respeitoso, o local histórico que vamos habitar e que ambos, o edifício e o novo uso, saem ganhando. Ganha-se, do nosso lado, em reconhecimento pela população, porque afirmamos, desse modo, que somos capazes de sustentar os testemunhos da história da cidade. Ganha-se, também, porque ao fazer assim, também acolhemos o entorno, colaborando para manter o cenário histórico que caracteriza a cidade e que a distingue, inclusive, no cenário nacional. E destacar-se como uma cidade histórica importa, por muitos motivos, inclusive pelo econômico.
    A nossa presença no entorno da Praça Coronel Pedro Osório é exemplo dessa posição. Pelotas deve orgulhar-se de três museus que pertencem à UFPel, estarem situados em casas históricas que foram edificadas e usadas ao longo da sua trajetória, para diferentes fins. Os acervos e exibições usam os espaços internos com respeito e concordância com a historicidade do local e os visitantes reconhecem a harmonia do uso e admiram o edifício como admiram o que nele esta exposto ou guardado. O mesmo acontecerá quando o restauro do Grande Hotel estiver concluído. Será uma unidade de ensino com um hotel escola, admiravelmente aberto à comunidade e um catalisador do melhor uso que a contemporaneidade poderia lhe ter dado. No mesmo entorno, a UFPel detém outro edifício, que outrora foi o Banco Nacional do Comércio, mantido, inclusive em detalhes, para uso de uma unidade acadêmica. Fora do centro da cidade, a casa que foi construída por Carlos Ritter, que foi o Instituto de Higiene Borges de Medeiros e que hoje pertence à Faculdade de Medicina, também exemplifica a manutenção do bem com novo uso. O mesmo vem acontecendo com os edifícios da Zona do Porto.
    A Universidade é um órgão público, mas há vários exemplos da iniciativa privada primando pelo uso respeitoso e vantajoso do patrimônio local. Somos, portanto, aliados na promoção dos valores da cidade histórica, que assim desejamos que continue sendo.
    Assim, nosso manifesto é de pesar frente ao que aconteceu com a casa que motiva esse texto. Não é necessário propor um novo uso com base na destruição. Se os nossos mecanismos de proteção falharam neste momento, devemos revê-los para que o fato não se repita. Se o bom senso não é suficiente para todos – para muitos, tem sido – que venham a ser mais efetivos os recursos que protejam exemplares essenciais para a preservação de Pelotas histórica.