Início do conteúdo
    Notícias
  • Comemoração dos 20 anos do grupo de pesquisa Enfermagem, Saúde Mental e Saúde Coletiva

     

    Em comemoração aos 20 anos do Grupo de Pesquisa em Enfermagem, Saúde Mental e Saúde Coletiva da Universidade Federal de Pelotas liderado pela Professora Luciane Prado Kantorski será realizado uma live Da raiz aos frutos: trajetória do Grupo de Pesquisa em Enfermagem, Saúde Mental e Saúde Coletiva no dia 17/12 as 19h.
    A Live irá abordar a trajetória do grupo de pesquisa nesses 20 anos de existência, fará uma retrospectiva histórica dia principais projetos, pesquisa e ações, com ênfase nos projetos desenvolvidos durante a pandemia. A transmissão será pelo Facebook através da página do Canal Conta comigo.

  • Manifesto da Faculdade de Enfermagem da Universidade Federal de Pelotas em defesa da Política de Saúde Mental

     

     

    A Faculdade de Enfermagem da Universidade Federal de Pelotas vem através deste manifestar publicamente o repúdio a proposta apresentada pelo Ministério da Saúde, que propõe alterar e revogar as portarias que orientam a Política de Saúde Mental do Brasil.

    Somos uma instituição de 44 anos que desde 2008 assumiu como modelo de formação dos enfermeiros a atenção psicossocial, um modelo constituído ao longo de mais de 30 anos de Reforma Psiquiátrica que está comprometido com o cuidado em liberdade. Entendemos que os hospitais psiquiátricos não são um lugar de formação, pois não é um lugar de cuidado e sim de exclusão e segregação, que retira a autonomia e a liberdade dos sujeitos, que mantem práticas psiquiatrizantes e cronificantes.

    Defendemos a Política Nacional de Saúde Mental legitimada pela Lei 10.216/2001, que dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas em sofrimento psíquico e/ou portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo de assistência em saúde mental, priorizando o cuidado em liberdade desenvolvido pela Rede de Atenção Psicossocial (RAPS).

    Reafirmamos a potência e a importância da RAPS que possibilita um trabalho intersetorial e interdisciplinar através dos serviços de base territorial, como os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), a Atenção Básica, Residencial Terapêutico, leitos em hospital geral, redução de danos, consultório na rua, dentre outros serviços que prezam pela liberdade, autonomia e cidadania das pessoas com transtorno mental. Ainda acrescentamos a importância das novas abordagens em saúde mental como grupos de auto mutuo ajuda (AMA), grupo de ouvidores de vozes, Gestão autônoma da medicação (GAM), do diálogo aberto, da atenção plena e das Práticas integrativas e complementares.

    O movimento da Reforma Psiquiátrica e as Políticas de Saúde Mental no Brasil foram construídas com participação de todos os atores (usuários, trabalhadores, sociedade civil, pesquisadores e instituições governamentais) e, referendadas por quatro Conferências Nacionais de Saúde Mental.

    A revogação das portarias pelo Ministério de Saúde coloca em risco a reestruturação da assistência psiquiátrica hospitalar, as equipes dos Consultórios de Rua e o Programa De Volta pra Casa.

    Essa proposta do Ministério da Saúde é um ataque ao cuidado em saúde mental com base territorial e em liberdade, e representa mais um ato de desmonte do Sistema Único de Saúde (SUS) que tem se mostrado um sistema de extrema importância principalmente neste momento de pandemia.

    Este manifesto é de apoio a Luta Antimanicomial, a Reforma Psiquiátrica Brasileira como prática de cuidado em saúde mental, e defesa da Política Nacional de Saúde Mental. Apoiamos a Frente Ampliada em Defesa da Luta Antimanicomial, que se organizou para evitar retrocessos e a desassistência à população. Por fim, estamos na luta como Faculdade de Enfermagem em defesa do SUS e por uma saúde mental que acolha e cuide de todos.

     

    11/12/2020

    Faculdade de Enfermagem da Universidade Federal de Pelotas

     

  • PROJETO DE EXTENSÃO – Formação de Equipes de Enfermagem com vínculos saudáveis

    Apresentação do CURSO

    Promove a reflexão e conscientização da dinâmica das relações grupais de modo que a(o) enfermeira(o) possa formar uma equipe de enfermagem com vínculos saudáveis e, assim garantir um cuidado de qualidade as pessoas que buscam pelos serviços de saúde.

     

    Objetivos:

    Habilitar os enfermeiros na formação de uma equipe com vínculos profissionais saudáveis.

    Promover a conscientização quanto ao processo de trabalho da enfermagem.

    Discutir os aspectos subjetivos e espirituais que envolvem o trabalho em equipe na enfermagem.

     

    Período de inscrição

    Início: 01/12/2020

    Término: até preencher o número de vagas ou a critério da comissão organizadora

    Total de vagas: 500

     

    Carga horária: 40hs

    Data de início:10/01/2021

    Data de término:10/07/2021

     

     

     

    Modalidade: a distância

     

    Caracterização: On-line

     

    Modo de inscrição: On-line

     

    Caracterização: aperfeiçoamento

     

    Participantes prioritários: Enfermeiros e acadêmicos de enfermagem.

     

    Parceria: Grupo de Pesquisa – Gerência em Saúde e Enfermagem da Universidade Federal de Juiz de Fora (GESENF/UFJF)

     

    CRONOGRAMA DO CURSO

     

    Modulo A – Aspectos Gerais para formação de Equipes de Enfermagem

     

    Ao apresentar os aspectos gerais das questões que envolvem o refletir sobre uma equipe de enfermagem, busca-se atentar as seguintes indagações: quem é ou quem são o(s) profissional(is) que compõe a equipe de enfermagem? Como esse(s) profissional(is) se insere(m) e se move(m) nessa equipe? Qual o papel e a função de cada membro da equipe?

     

    Aula 1 – Cotidiano do profissional de enfermagem no Brasil e no mundo (Dra. Beatriz Francisco Farah – UFJF)

     

    Aula 2 – Saúde das trabalhadoras(es) na enfermagem (Dra. Marluce Rodrigues Godinho – UFJF)

     

    Aula 3 – Ética na formação e construção de vínculos profissionais (Doutoranda Lisa Antunes Carvalho – FURG)

     

    Aula 4 – Proatividade na enfermagem: formação de equipes saudáveis (Dra. Adrize Rutz Porto – UFPel)

     

    Aula 5 – Equipe de enfermagem e a discriminação racial (Mestranda Karen Soares Porto – UFPel)

     

    Atividade reflexiva – Confecção de um texto reflexivo de no máximo três páginas e no mínimo três referências, sobre o tema desse modulo.

     

    Modulo B – Subjetividade nas equipes de enfermagem

     

    A discussão em torno da dimensão da subjetividade nas equipes de enfermagem tem seu foco no “saber-ser” um(a) profissional consciente de sua humanidade e, o quanto o seu modo de estar no mundo interfere no outro. E, no caso da enfermagem, o outro é um ser humano fragilizado, inseguro e que poderá resgatar sua dignidade, se o profissional da saúde estiver imbuído de o auxiliar nesse resgate. Alguns questionamentos necessários: como podemos ter consciência dos aspectos subjetivos ao formar uma equipe? O que já se tem como estratégias e modelos para uma equipe de enfermagem com vínculos saudáveis? Qual a importância das concepções teóricas para se pensar uma equipe de enfermagem?

     

    Aula 1 – Formação de equipes de enfermagem com habilidade relacional (Dra. Helen Nicoletti Fernandes – Prefeitura Capão do Leão/RS)

     

    Aula 2 – Teoria dos vínculos profissionais: uma estratégia de formação de equipes saudáveis (Dra. Maira Buss Thofehrn – UFPel e UFJF)

     

    Aula 3 – Autogerenciamento de equipes de enfermagem com vínculos saudáveis (Mestranda Maria Amélia Meira – UFJF)

     

    Aula 4 – Viabilidade da utilização da teoria dos vínculos profissionais na prática assistencial (Doutoranda Manuela Gomes Campos Borel – UFRJ)

     

    Atividade reflexiva – Confecção de um texto reflexivo de no máximo três páginas e no mínimo três referências, sobre o tema desse modulo.

     

    Modulo C – Espiritualidade nas equipes de enfermagem

     

    A dimensão da espiritualidade reflete no profissional o “saber-para-além da materialidade e da subjetividade”, de modo a ir ao encontro do sentido e significado da vida, com ênfase nos sentimentos genuínos, como solidariedade, compaixão e amor incondicional. Então emergem as questões: como é ser um(a) profissional na enfermagem com inclusão da espiritualidade na sua vida e no cuidado prestado? Como aplicar a dimensão da espiritualidade no cotidiano do trabalho de uma equipe?

     

    Aula 1 – Sentido da espiritualidade nas equipes de enfermagem (Dra. Isabel Cristina de Oliveira Arrieira – UCPel e HE/UFPel)

     

    Aula 2 – Espiritualidade na equipe de enfermagem durante o processo de morte de seus pacientes (Mestre Thayenne Barrozo Mota Monteiro – Unimed Juiz de Fora/MG)

     

    Aula 3 – Espiritualidade nas equipes de enfermagem no intensivismo adulto (Mestre Neyla Cristina Carvalló Viana – HE/UFPel)

     

    Aula 4 – Modelo permissão de partida: uma estratégia no processo de morte e morrer (Dra. Leoni Terezinha Zenevicz – UFFS)

     

    Atividade reflexiva – Confecção de um texto reflexivo de no máximo três páginas e no mínimo três referências, sobre o tema desse modulo.

     

     

    A atividade reflexiva visa favorecer o processo de aprendizagem, o qual segundo as ideias do construtivismo necessita de ferramentas mediadoras, aqui entendido por assistir as aulas, realizar a leitura os textos sugeridos e após a confecção de uma breve reflexão quanto a temática em pauta. Essas ferramentas mediadoras tem o propósito de subsidiar o processo de interiorização do conhecimento proposto.

     

  • Mês da Consciência Negra

    No mês da Consciência Negra (novembro) o Projeto de Extensão Barraca da Saúde lança um vídeo com falas de seus estudantes negros e da Professora Marina Mota. O mês de novembro tornou-se o referência para atividades que inspiram a luta, resistência e principalmente a força do povo negro, que historicamente tem sido os sujeitos principais no enfrentamento contra o racismo articulado nas diversas esferas da sociedade.
    O vídeo fala sobre as desigualdades enfrentadas pela população negra no Brasil e da importância de não somente nesse mês, mas todos os dias da lutada população negra, porque não basta ser apenas não racista e sim ser antirracista independente de classe ou cor. Devemos lutar por igualdade, liberdade e direitos, chega de exclusão e opressão. O vídeo tem por objetivo mostra a necessidade de posicionamento de não ficar calado diante das injustiças presentes nesse mundo, nada que separa pode ser bom, a luta é de todos.
    Os integrantes do Projeto de Extensão Barraca da Saúde UFPel, apoiam essa luta contra o racismo e repudiamos qualquer tipo de ataque, injúria ou opressão

    Assista o vídeo.

  • Faculdade de Enfermagem da UFPel agora é associada na ALADEFE

     

    A afiliação da Faculdade de Enfermagem da UFPel foi aceita na reunião Ordinária do Conselho Executivo de 29 de setembro de 2020 da Associação Latino Americana de Escolas e Faculdades de Enfermagem (ALADEFE)

    A ALADEFE é uma associação democrática de caráter internacional e não governamental que foi fundada na cidade de Havana/Cuba em 1986 durante a I Conferência de Faculdades e Escolas de Enfermagem da América Latina

    Tem como objetivo refletir sobre o papel histórico-social da Enfermagem e seu impacto no desenvolvimento da saúde; identificar situações críticas a serem superadas na profissão e buscar a cooperação técnica na área da Educação de Enfermagem. Está cooperação entre os países em desenvolvimento visa alcançar o aprimoramento da prática da enfermagem e promover o desenvolvimento e a melhoria da Educação do Enfermeiro na América Latina, por meio da divulgação de experiências na educação prática profissional.

    A afiliação da Faculdade de Enfermagem da UFPel na ALADEFE é um importante passo para a internacionalização, pois esta é uma associação que promove a integração das Escolas e Faculdades de Enfermagem para o desenvolvimento da enfermagem, realizando o intercâmbio, cooperação e estudos com vistas ao desenvolvimento do ensino de enfermagem e das Instituições formadoras.

    Site da ALADEFE https://www.aladefe.org/

  • I Simpósio Coletivo Hildete Bahia: Negritude em pauta

    O Coletivo Hildete Bahia: diversidade e saúde da Faculdade de Enfermagem da Universidade Federal de Pelotas estará promovendo o O Evento ocorre em alusão ao dia 20 de Novembro, dia de Celebração da Consciência Negra. Iremos celebrar com muita discussão e partilha de conhecimento entre as convidas e o público presente, nos dias 16, 17 e 18 de novembro das 19 horas às 20 horas.

    Nossas convidadas historicamente e diariamente tem se colocado por meio da educação, da saúde, da arte e da cultura na luta viva e constante contra o racismo estrutural estabelecido em nossa sociedade. Depois de 44 anos de fundação da Faculdade de Enfermagem, a comunidade acadêmica poderá estar revisitando sua história de lutas, desafios e conquistas que serão contextualizados também na fala de abertura do evento pela da Profª. Hildete Bahia da Luz, professora aposentada da fen/ufpel.

    Além disso, teremos a presença de tradutores e interpretes da Língua Brasileira de Sinais firmando nosso contínuo compromisso social e educacional com a inclusão, com a acessibilidade e com a diversidade. Toda comunidade está convidada a participar.

    As inscrições devem ser realizas pelo Link: https://forms.gle/fpndjgUPivtS2yQe8

     

  • Comitê de Ética em Pesquisa da Faculdade de Enfermagem recebe a Comissão Nacional de Ética em Pesquisa para qualificação.

    No dia 03 de Novembro de 2020, no período das 09h00 às 17h00 o Comitê de Ética em Pesquisa da Faculdade de Enfermagem da Universidade Federal de Pelotas (CEP/FE/UFPel) recebeu as consultoras da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP) DrªLízia Fabíola Almeida da Silva (Fisioterapeuta) e a DrªGlenda Moraes Rocha Brana (Advogada) por web conferência, para desenvolvimento do Projeto de Qualificação de CEP.
    O encontro foi desenvolvido em três momentos: Momento 1 – às 09h da manhã a Vice coordenadora Drª Marilu Correa Soares , no exercício da coordenação do CEP/FE/UFPel em virtude da coordenadora DrªJuliana Graciela Vestena Zillmer estar de licença maternidade, recepciona as visitantes. O momento foi de apresentação da trajetória do CEP/FEN/UFPel pela Vice coordenadora que elencou facilidades e dificuldades no exercício das atividades do CEP. Também presente à reunião funcionário administrativo do CEP Jonathan Dias Hardt que pontuou sobre suas atividades na secretaria do CEP. As Consultoras da CONEP explanaram sobre o projeto de Qualificação dos CEPs e enfatizaram a importância da participação do controle social na figura dos representantes dos usuários no CEP. O momento 2 iniciou às 11h da manhã e contou com a presença da Vice coordenadora do CEP e da Drª Valéria Cristina Christello Coimbra, Diretora da FE/UFPel. As Consultoras da CONEP reforçaram a importância do comprometimento e parceria da gestão da Faculdade de Enfermagem para com o CEP, salientando a coparticipação da Direção da FE no desenvolvimento das atividades do CEP. A Profª Valéria reforçou esta parceria e colocou–se à disposição para o trabalho conjunto com vistas a qualificar as atividades do CEP/FE/UFPel. O Momento 3 – iniciou às 14h com duração de três horas contou com a presença de todos os membros do CEP. As Consultoras realizaram uma roda de conversa com apresentação de temáticas sobre questões relevantes ao Sistema CEP/CONEP com ênfase na avaliação ética dos projetos de pesquisa submetidos ao CEP, elaboração dos Pareceres Consubstanciados e Termo de Consentimento Livre e Esclarecidos (TCLE). As representantes da CONEP classificaram os pareceres emitidos pelo CEP/FE/UFPel como muito bons e enfatizaram o comprometimento voluntário dos membros do CEP/FE/UFPel para o sucesso das atividades do CEP. No fechamento das atividades os membros do CEP/FE/UFPel elaboraram um Plano de Melhoramento para CEP com ações a curto, médio e longo prazo para a construção de possíveis alternativas de melhoria do trabalho do CEP. Este Plano de Melhoramento será anexado ao Relatório emitido pelas Consultoras da CONEP e enviado ao CEP para posterior discussão com a Direção da Faculdade de Enfermagem e coordenadores do CEP.

     

  • Roda de conversa sobre o Curso de Enfermagem na IV Mostra de Cursos da UFPel

    No dia 04 de novembro às 18h a Profa. Beatriz Franchini (Coordenadora do Colegiado) participará da roda de conversa sobre o Curso de Enfermagem na IV Mostra de Cursos da UFPel – (2020). A Live será transmitida pelo Portal UFPel e redes oficiais da instituição.
    A realização do evento em formato remoto acontece devido à Pandemia da Covid-19, sendo assim, a IV Mostra de Cursos pretende auxiliar e dar visibilidade aos Cursos de Graduação da UFPel através da criação de ambiente digital que possibilite ao (à) estudante, de qualquer localidade do Brasil ou do exterior, conhecer os cursos em mais detalhes, seus espaços, principais estruturas e propostas pedagógicas, sendo assim foi preparado espaço de visita virtual à UFPel.
    O Colegiado de Curso junto com estudantes da Faculdade de Enfermagem elaboraram um vídeo de apresentação do Curso que pode ser acessado através do link https://youtu.be/AF_hxNskdaA

  • NOVEMBRO ROXO – AÇÕES PARA SENSIBILIZAÇÃO DIANTE DA PREMATURIDADE

     

    O parto prematuro é aquele que ocorre antes das 37 semanas de gestação. Dados preliminares do Sistema Nacional sobre Nascidos Vivos (SINASC), no Brasil,  mostram que em 2019, ocorreram 313.937 partos prematuros, o que representa 11% de todos os partos, e em Pelotas, de acordo com o estudo de coorte de nascimentos, em 1982 os nascimentos prematuros representaram 5,8% dos partos e em 2015 foram 13.8% (SILVEIRA et al, 2019).

    Preocupados com o cuidado a estes pequenos guerreiros, foi criado em fevereiro de 2020, o Grupo de Estudos e Pesquisa de Pelotas em Neonatologia (GEPPNEO), por enfermeiros da Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN) do Hospital Escola/UFPel, juntamente aos docentes da Faculdade de Enfermagem. Com o objetivo de realizar estudos e pesquisas que busquem contribuir na implementação dos cuidados neuroprotetores e segurança ao paciente neonato e, compreender/apoiar a vivência do tornar-se família na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal.

    O mês de novembro é dedicado à sensibilização internacional da prematuridade, sendo a cor roxa o símbolo alusivo a prematuridade. No novembro roxo, GEPPNEO juntamente com a Unidade de produção do Hospital Escola/UFPel, estará promovendo diversas ações relacionadas a prevenção, conscientização e o cuidado diante a prematuridade. Através de suas redes sociais, serão disponibilizados Cards informativos, depoimentos de familiares e Lives direcionados aos profissionais de saúde, acadêmicos, pais e cuidadores dos pequenos prematuros e comunidade em geral.

    O grupo convida a todos a seguir suas páginas no Instagram e Facebook e o canal no youtube para ficar por dentro das atividades.

    Link Instagram: https://www.instagram.com/geppneo/

    Link Facebook: https://www.facebook.com/geppneo

    Link Youtube: https://youtube.com/channel/UCBZDNfQyDE66IKWdWQ0CwJQ

    E-mail para contato: geppneo@gmail.com