Início do conteúdo
Apresentação

O Mestrado em História da Universidade Federal de Pelotas, lotado no Instituto de Ciências Humanas, foi aprovado e recomendado pela CAPES em 2009 e teve sua primeira turma em 2010. Tem como área de concentração “Fronteiras e Identidades”. Conta com três linhas de pesquisa: “Estado: entre poder, tensões e autoritarismo”, “Imagens: entre iconografia, cultura visual e intermedialidade” e “Trajetórias: entre identidades, memória e conflito social”.

O PPGH/UFPel foi o segundo programa de pós-graduação stricto sensu sediado em instituição pública a ser criado no Rio Grande do Sul, e o primeiro programa em História na metade Sul do estado, pavimentando caminho para a expansão do estudo da história nesta região, em uma perspectiva acadêmica e permanente. Até junho de 2018, o programa totalizou 87 dissertações defendidas.

O curso é resultado do esforço coletivo de professores com formação em História da Universidade Federal de Pelotas em busca de ensino de qualidade e pesquisa inovadora. É composto, no momento, por dezoito professores permanentes, quinze dos quais pertencendo ao quadro docente da própria instituição, dois a outras universidades (FURG e UFRGS) e um vinculado na condição de pós-doutorando (FAPERGS). O programa conta ainda com dois professores colaboradores. Os professores da instituição vinculam-se a cinco unidades acadêmicas distintas (Centro de Artes, Centro de Letras e Comunicação, Instituto de Ciências Humanas, Faculdade de Administração e Turismo e Centro de Integração do Mercosul), configurando um conjunto de historiadores com formação interdisciplinar, envolvendo, além da História, Arqueologia, Artes Visuais, Educação, Letras, Sociologia e Turismo. Em 2018 o programa passa a contar com um Professor Visitante estrangeiro, mediante programa institucional.

Muito embora Pelotas, localizada que está no extremo sul do Brasil a pouco mais de cem quilômetros da fronteira, possua vocação histórica e geográfica para desenvolver os estudos atinentes a “fronteiras nacionais”, a problematização da área de concentração não se limita a um entendimento geográfico do tema, açambarcando amplo espectro de reflexões concernentes aos conceitos de fronteira e identidade, entendidos em suas múltiplas possibilidades de interpretação e aplicações, e com abertura para diferentes regiões e períodos da história.

O programa associa-se a quatro periódicos: a Ofícios de Clio, que é a revista discente dos cursos de História da UFPel; a História em Revista, publicação do Núcleo de Documentação Histórica da UFPel, editada desde 1994; os Cadernos do LEPAARQ – Textos em Antropologia, Arqueologia e Patrimônio, publicação do Laboratório de Antropologia e Arqueologia da UFPel, editada desde 2004; e a revista Interfaces Brasil/Canadá, publicação oficial da Associação Brasileira de Estudos Canadenses (ABECAN), editada desde 2001.

    Notícias
  • Sala de aula para a prova escrita

    A prova escrita da seleção do mestrado , no dia 10 de novembro ocorrerá na sala 101 no prédio do ICH, situado na Rua Alberto Rosa, 154.

  • FEIRA DO LIVRO/PELOTAS – LANÇAMENTO

    “História Política: interfaces e diálogos”, organizada por Luís Carlos Passos Martins (PUCRS) e Altemar da Costa Muniz (Universidade Estadual do Ceará)
    Dando sequência à cooperação entre os Programas de Pós-Graduação em História da UFPel e UECE, o prof. Dr. Altemar da Costa Muniz fará o lançamento da coletânea em Pelotas e conversará com o público sobre a obra, que é produto do primeiro encontro Nacional de História Política realizado em maio de 2015 em Fortaleza.
    Fala do autor: “Democracia e empresariado no Brasil”.
    Local: Salão Nobre da Bibliotheca Pública Pelotense.
    Dia e horário: 01.11.16, às 18 horas
    O historiador Altemar da Costa Muniz, doutor em História Social pela UFRJ, é coordenador do Programa de Pós-Graduação em História da UECE, tendo a História Política como sua área de especialização.Agradecemos por sua presença e divulgação entre seus contatos.

    feira

  • Professor do PPGH palestrou em Conferência da UNESCO

    O Professor Fábio Vergara Cerqueira apresentou na última quinta-feira( o6/10)   as experiências do Circuito dos Museus Étnicos na “Conferência Sul-Americana: Territorialidades e Humanidades”, realizada na UFMG – Belo Horizonte, sob a chancela do CIPSH (International Council for Philosophy and Human Sciences) / UNESCO, como parte da Programação do Ano Internacional do Entendimento Global de 2016, e como conferência preparatória para a World Humanities Conference, que ocorrerá em 2017 em Liège, e que terá como propósito “refundar as Ciências Humanas, retomando o seu lugar na sociedade contemporânea e aprofundando a dimensão transdisciplinar da pesquisa, em face das necessidades da Humanidade no século XXI”.
    O docente do PPGH partcipou como palestrante convidado e como representante oficial da FIEC (Fédération internationale des associations d’études classiques). A palestra “Pequenos museus da terra, generosas memórias do campo: o Circuito de Museus Étnicos da Serra dos Tapes (Pelotas & Morro Redondo, Rio Grande do Sul, Brasil)” foi apresentada na mesa “Relações da Terra com o Campo”. A repercussão positiva foi um avalizador da seriedade, criatividade, dedicação e responsabilidade com que estes projetos vêm sendo conduzidos, assim como da grande relevância destes projetos para se pensarem possibilidades de atuação dos museus, do patrimônio e da memória em prol do desenvolvimento humano a ser baseado no protagonismo das humanidades. A apresentação resultou de uma elaboração coletiva, elaborada on line, com a participação dos integrantes das equipes dos quatro museus. A nossa contribuição na conferência fará parte do documento resultante da conferência da América do Sul, para ser debatido na Conferência Mundial.

  • Divulgado Edital de Seleção de Aluno Regular 01/2017 do Programa de Pós-Graduação em História

    Programa de Pós-Graduação em História – Mestrado – UFPel

    Divulgação (informações resumidas): Seleção de Aluno Regular – 01/2017

     

    INSCRIÇÕES: de 24 de outubro a 03 de novembro de 2016 (presencial na Secretaria do Programa ou por correio/Sedex, com data limite de postagem de 03 de novembro de 2016). Taxa de inscrição: R$ 150,00.

    VAGAS (total de 26 vagas): 20 de ampla concorrência, 04 de política de acesso afirmativo (étnico-raciais) e duas de política de incentivo à qualificação (para servidores da UFPel).

    SELEÇÃO (quatro etapas): Prova Escrita, Anteprojeto de Pesquisa (modelo disponível em https://wp.ufpel.edu.br/ppgh/documentos/), Arguição e Análise de Currículo (Plataforma Lattes). Anteprojeto e Currículo impressos devem ser entregues no ato da inscrição. Mais informações acerca das provas constarão no edital a ser publicado em breve no site do Programa https://wp.ufpel.edu.br/ppgh/.

    Informações sobre docentes orientadores do PPGH/UFPel podem ser consultadas em https://wp.ufpel.edu.br/ppgh/corpo-docente/

     

    Bibliografia referente à prova escrita:

    Livros

    AMADO, Janaina; FERREIRA, Marieta de Moraes. Usos & abusos da História Oral. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

    ANDERSON, Benedict. Comunidades Imaginadas. Trad. Denise Bottman. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

    GINZBURG, Carlo. Mitos, emblemas e sinais: morfologia e história. Trad. Federico Carotti. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

    JENKINS, Keith. A História repensada. Trad. Mario Vilela. São Paulo: Contexto, 2013.

    LEVI, Giovanni. A Herança Imaterial: a trajetória de um exorcista no Piemonte no século XVII. Trad. Cynthia Marques de Oliveira. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.

    PINSKY, Carla Bassenezi (org.). Fontes Históricas. São Paulo: Contexto, 2005. REIS, José Carlos. O desafio historiográfico. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2010.

    SILVA, Tomaz T. da (org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. 4ª Ed. Petrópolis: Vozes, 2005.

    THOMPSON, E. P. Costumes em Comum: estudos sobre a cultura popular tradicional. Trad. Rosaura Eichemberg. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

     

    Capítulos de livros e artigos

    CHARTIER, Roger. O mundo como representação. In: Estudos Avançados. vol. 5, n.11, p. 173-191, 1991. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/ea/v5n11/v5n11a10.pdf Acessado em 07/09/2016.

    GINZBURG, Carlo. Representação: a palavra, a ideia, a coisa. In: GINZBURG, Carlo. Olhos de Madeira: nove reflexões sobre a distância. Trad.Eduardo Brandão. São Paulo: Cia. das Letras, 2001, p. 85-103.

    GUTFREIND, Ieda. Revisões historiográficas na temática da fronteira sul-rio-grandense: historiadores municipalistas na prática da oralidade. In: Anais Eletrônicos do IV Encontro da ANPHLAC. Salvador, p. 1-9, 2000. Disponível em http://anphlac.fflch.usp.br/sites/anphlac.fflch.usp.br/files/ieda_gutfreind.pdf. Acessado em 16/09/2016.

    VANGELISTA, Chiara. Formas de fabulação na construção do passado: história e memória em torno da brasilidade. Disponível em https://wp.ufpel.edu.br/ppgh/files/2011/10/4eafdb7c.pdf

    WASSERMAN, Cláudia. A historiografia latino-americana da questão nacional: nações inacabadas; inimigos da nação e a ontologia da nacionalidade. In: MALERBA, Jurandir; ROJAS, Carlos Aguirre (org.). Historiografia Contemporânea em Perspectiva Crítica. Bauru: EDUSC, 2007, p. 259-286.

     

    Secretaria:

    Rua Alberto Rosa, 154, térreo, sala 119 – Pelotas-RS

    Email: ppgh.ufpel@gmail.com

    Telefone: (53) 3284 5523 ou (53) 3284 5500 ramal 200

    Site: https://wp.ufpel.edu.br/ppgh/

     

    Pelotas, 11 de setembro de 2016.

    Prof. Dr. Fábio Vergara Cerqueira

    Coordenador do Programa de Pós-Graduação em História – Mestrado

    Edital de Seleção 01/2017.