FECANPOP é sucesso em Canguçu

Por Jéssica Timm    

Evento reuniu músicos locais e nacionais em transmissão ao vivo pela Prefeitura

O Festival Canguçu da Canção Popular (FECANPOP), realizado nos dias 25 e 26 de março, foi um sucesso em Canguçu. Em sua vigésima edição, o evento contou com a participação de artistas locais e nacionais. O objetivo, conforme informado pelo Departamento de Cultura da Prefeitura, era promover a integração de artistas de Canguçu e região e possibilitar ao público um espetáculo artístico e musical.

 

Após primeira noite do Festival, foram selecionadas 12 músicas para disputa da grande final   Foto: Jéssica Timm

 

Inicialmente, o Festival ocorreria no Ginásio Municipal de Esportes, mas, após um problema com a estrutura do palco, foi necessária a troca para o Cine Teatro da cidade. No novo local, não houve a liberação dos bombeiros para a presença de público, desta forma, o público pode acompanhar o evento somente através da transmissão ao vivo realizada pela Prefeitura.

Apesar dos imprevistos, a coordenadora de cultura Roberta Coutinho destaca a boa repercussão do Festival. “Faltando dois dias para o evento nós precisamos fazer a troca de local. Chegando no Cine Teatro não conseguimos a liberação dos bombeiros devido ao PPCI [Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndios]. Mas nem mesmo esses imprevistos conseguiram tirar o brilhantismo do nosso Festival e tenho certeza de que o público ficou maravilhado com o que assistiu”, destacou.

O Festival estava sem realização desde o ano de 2014 e foi retomado pela Prefeitura em 2021. Agora, conforme informado pelo prefeito Vinicius Pegoraro, a intenção é possibilitar a manutenção do evento de forma anual, “Estamos na segunda edição do Festival após a sua retomada e já observamos um sucesso consolidado. Por isso, é importante que possamos mantê-lo, até porque o setor cultural foi um dos principais prejudicados com a pandemia e essa retomada é uma forma de contribuir nessa recuperação”, frisou.

Ao todo, o Departamento de Cultura recebeu mais de 100 inscrições de artistas, entre os quais 16 foram classificados pela banca examinadora para a primeira etapa classificatória do Festival. Foram avaliados os quesitos de letra, música e intérprete. Após a primeira noite de apresentações do Festival, foram selecionadas 12 músicas para a disputa da grande final do evento.

Noite de encerramento do festival com a entrega dos prêmios                                  Foto: Camila Kreps

 

A cantora Pricila Olave, vencedora desta edição, destacou a sua alegria com a realização do evento. “Eu não conhecia o festival então foi uma surpresa muito positiva pra mim por abranger diversos gêneros musicais. Chegar lá e ter esse contato direto, com canções e músicos de extrema qualidade, expande a mente e a cultura”, disse.

A artista ainda falou sobre as dificuldades enfrentadas pelo setor de cultura devido à pandemia. “Nós trabalhadores da cultura vivemos tempos muito difíceis com a chegada da pandemia e a arte nos proporciona algo que vai muito além de trabalho, ela nos move, alimenta nossa alma. Por isso, eu aplaudo a todos os responsáveis pelo FECANPOP por escolherem a cultura, por entenderem a sua importância, a sua grandiosidade e por proporcionarem a todos nós artistas mais um espaço para mostrarmos nosso trabalho e partilharmos com o público a nossa arte”.

Olave interpretou a música “Eu Lírico”, uma composição das artistas Aline Ribas e Bianca Bergmann, que recebeu o prêmio de melhor letra do Festival. A cantora, por sua vez, foi premiada com o primeiro lugar na fase geral e o prêmio de melhor intérprete do Festival.

Pricila Olave foi premiada com canção “Eu Lírico”, composição de Aline Ribas e Bianca Bergmann    Foto: Camila Kreps

 

“Fiquei feliz com as premiações recebidas por ‘Eu Lírico’, porque é uma canção que vem para quebrar padrões, premiar a liberdade e o empoderamento feminino. Mas foi uma disputa difícil, pois as composições, arranjos, instrumentistas e intérpretes que defenderam as canções no palco do festival foram de extrema qualidade, bom gosto e profissionalismo”, disse a artista.

Com a resposta positiva do Festival, o Departamento de Cultura já está organizando o calendário cultural de eventos que ainda estão previstos para esse ano. Em junho, está o Festival da Cultura Alemã e Pomerana (FESTCAP), em agosto a Geração e Distribuição da Chama Crioula, em setembro os festejos farroupilhas, em outubro a Ciranda Estudantil Nativista (CIENA) e em novembro o FestQuilombola e o Canto dos Cardeais.

PRIMEIRA PÁGINA

COMENTÁRIOS

Comments

comments

%d blogueiros gostam disto: