Festquilombola celebra a contribuição negra

Por Jéssica Griep Timm     

Evento alusivo a cultura afro-brasileira é realizado em Canguçu

O município de Canguçu possui uma grande diversidade étnica cultural em sua formação. Até os dias de hoje, é possível observar uma forte presença de traços da imigração alemã, italiana, japonesa e africana em seu território. Por essa razão, ao longo dos anos, vêm sendo promovidos eventos para apresentar e valorizar essas culturas, como exemplo, o FestQuilombola.

O Festival da Cultura Quilombola é realizado desde 2014, instituído pela Secretaria Municipal de Educação e Esportes, em uma iniciativa da secretária de Educação da época, a historiadora e ativista do movimento negro, Ledeci Lessa Coutinho. Ela lembra que a ideia do festival surgiu perante a observação da falta de representação negra em eventos escolares no município.

“Não havia um movimento cultural educacional referente à questão da cultura negra em Canguçu. Ocorria o Festival da Cultura Alemã e Pomerana, também a Ciena, que fazia referência à questão do nativismo e havia até abordagens da cultura japonesa, mas nada que fizesse referência à presença e à contribuição dos negros na história e desenvolvimento de Canguçu. E, daí, surgiu a ideia do Festival da Cultura Quilombola, o FestQuilombola”.

O objetivo, conforme Ledeci, é prestar reconhecimento e dar visibilidade à história do povo negro.

“Quando tem um evento da cultura pomerana, por exemplo, as crianças que têm essa origem podem se enxergar na cultura, na indumentária, nos pratos típicos, nas suas danças. E as crianças negras, até então, não tinham esse momento de se reencontrarem com as tradições de seu povo. O FestQuilombola chega para preencher essa lacuna”, declara.

     Discurso de Ledeci Coutinho na segunda edição do FestQuilombola              Foto: Carina Reis

Em sua primeira edição, em 2014, o evento proporcionou às escolas municipais o conhecimento da cultura afrodescendente, através de oficinas de contação de histórias, danças e capoeira. Dimensionou a importância da contribuição do povo negro para a história canguçuense, riograndense e brasileira. Já no ano seguinte, foi realizada a 1ª Mostra Municipal do FestQuilombola, aberta ao público e com apresentações musicais, artísticas e artesanais da cultura negra.

Com grande participação da população, o festival vem mantendo a sua realização de forma anual, na seguinte dinâmica: em um ano de forma interna nas escolas e entidades quilombolas e no outro a realização da Mostra no Ginásio Municipal de Esportes. 

A primeira edição do FestQuilombola  foi um marco para Canguçu           Foto: Carina Reis

As comunidades quilombolas também participam ativamente na formação e preparação das atividades realizadas nas escolas, como protagonistas na construção do conhecimento, momento em que o município cumpre a implementação da lei 10.639/2003, que determina a obrigatoriedade da implementação da história e cultura afro-brasileira em seu currículo escolar.

Para Maica Soares, coordenadora do Núcleo de Etnias, Mulheres, Juventude e Melhor Idade da Prefeitura de Canguçu e integrante de comunidade quilombola, a realização do festival é observada como uma grande conquista.

“Eu falo como quilombola, este evento é um marco histórico nas comunidades de Canguçu. É um evento fundamental para nós mostrarmos as mais variadas formas de contribuição do negro para o Brasil. É uma data para refletir, valorizar e resgatar nossa cultura, que é omitida pela história”.

Além do festival, o município também realiza a Festa da Consciência Negra, na qual acontece em diferentes comunidades, que, atualmente, já somam 16 certificadas pela Fundação Cultural Palmares e espalhadas pelos cinco distritos do município.

As escolas têm participado com apresentações de dança no Festival                     Foto: Carina Reis

PRIMEIRA PÁGINA

COMENTÁRIOS

Comments

comments

%d blogueiros gostam disto: