Os Saraivas saúdam seus fãs na internet

Por Ronaldo Luis

Desde março do ano passado grupo musical pelotense apresenta samba e pagode em lives

Em 2020 Os Saraivas tiveram de cancelar seus shows presenciais por tempo indeterminado

E a pandemia chegava para nós em março de 2020. Ninguém imaginava que fosse durar tanto tempo. E os primeiros que sentiram seu impacto foram os músicos, que desde então estavam proibidos de tocar para o público. Nascia assim um movimento que antes era incomum. Cantores e grupos musicais resolveram seguir apresentando shows, só que de uma forma que alcançasse ao seu público fiel durante a pandemia. E vieram as lives, que tomaram conta das inúmeras redes sociais. E os fãs agradeceram.

Aqui em Pelotas não foi diferente. O grupo musical Os Saraivas, cuja dupla principal são os irmãos pelotenses Fábio e Felipe Saraiva, em 17 de março de 2020, cancelavam sua agenda por tempo indeterminado. E no dia 26 do mesmo mês faziam sua primeira live “Em Casa”, apenas com voz, cavaquinho e pandeiro. Os fãs responderam com centenas de curtidas e compartilhamentos. E mais outras vieram.

O projeto se tornou maior e eles partiram para a primeira Live Solidária Especial”, em 1º de maio de 2020, quando ainda imaginávamos que em breve voltaríamos ao normal. Tendo já lançado anteriormente dois CDs, a dupla apostou no sucesso autoral, “Não perca a Fé”, traduzindo o sentimento de todos neste momento. Embora fosse de outro período, a composição adaptou-se perfeitamente à atual conjuntura. E o resultado foram mais de 10 mil toneladas de alimentos arrecadadas.

A exemplo de praticamente todos os músicos nacionais, em razão da pandemia, Os Saraivas também passaram por momentos difíceis em 2020. Precisaram ter criatividade artística para enfrentar as dificuldades sociais criadas pelo Covid-19. E repetiram os encontros muitas vezes em sua casa, através do Facebook e Instagram.

No primeiro trimestre de 2020, todos nós começamos os momentos de isolamento social e, temerosos por nossa saúde, assistir às músicas conhecidas em nossos lares era um alento. E outras lives solidárias aconteceram. Num total de cinco, Os Saraivas foram algumas vezes acompanhados por colegas de profissão.

Músicos da região fizeram confraternizações em lives solidárias para enfrentar pandemia

Os seguidores da dupla, motivados com a possibilidade de ver seus ídolos, imediatamente passaram a divulgar entre amigos, nas redes sociais, as datas dos eventos. Foi sucesso garantido. Os Saraivas foram procurados por outros músicos pelotenses, que também viviam momentos complicados em suas profissões, e organizaram assim um grupo maior que iria enfrentar a série de lives programadas.

Desde o início da pandemia, Os Saraivas fizeram lives que contagiaram a todos que os assistiram. Fizeram a alegria dos pelotenses e alcançaram, inclusive, cidades de fora do Estado.

Fábio indicou links para ver suas lives mais recentes e de outros músicos que admira

Em entrevista pela internet, conversamos com Fábio Saraiva, líder do grupo musical.

Olá Fábio, quais artistas locais ou não da área musical influenciaram ou ajudaram a dupla de alguma forma ou em algum tipo de atividade on-line?

Fábio Saraiva – Sobre os artistas locais que mais influenciaram nosso grupo cito o Grupo Regional Avendano Jr., e todos os outros chorões, tais como Solon Silva. Destaco também o Grupo Oitava Cor, que nos anos 90 influenciou muito nossa dupla na área de samba e pagode, e também um músico que muito nos ajudou, com empréstimo de instrumentos no início da carreira e incentivador, o amigo Café, boêmio da noite pelotense. Pelé e Beto também nos influenciaram muito. 

A gente se influencia de uma maneira positiva tanto na carreira como nas atividades que a gente tem que realizar. E, durante a pandemia, nas lives, eu destaco, sim, alguns artistas que nos influenciaram muito. Aquela live do Alexandre Pires e o Seu Jorge, para mim foi a melhor, também a live do Diogo Nogueira na Cozinha, e também destaco a live do Fundo de Quintal.

Quais foram os dois últimos trabalhos autorais da dupla e qual o total de lives durante a pandemia?  

Fábio Saraiva – Os dois últimos trabalhos autorais foram no formato Fabio Saraiva e Nuança.  Isso antes de oficializar o grupo Os Saraivas, e na participação do programa Show Livre com Os Saraivas, em dezembro de 2019. Esses foram os dois últimos trabalhos antes da pandemia..

Em relação às lives, oficialmente a gente fez cinco que constam nos links abaixo:

Os Saraivas: Live 1E – maio 2020 

Os Saraivas: Live 2   – junho 2020     

Os Saraivas: Live 3   – agosto 2020   

Os Saraivas: Live 4   – janeiro 2021   

Os Saraivas: Live 5 – fevereiro 2021  

Tu poderias indicar alguns links com apresentações e shows da dupla postados nas plataformas das redes sociais e internet?

Fábio Saraiva – Os Saraivas se apresentaram no Release Showlivre, no dia 3 de dezembro 2019, com transmissão a partir das 17h. As Inscrições estiveram disponíveis no canal do grupo e foi solicitado que ativassem o sininho. Para assistir ao programa ao vivo, foi só acessar no showlivre.com. Depois, os vídeos foram editados e podem ser visualizados no showlivre.com.

Na live “Os Saraivas – Sente O Clima”, as inscrições também foram, a exemplo das demais, no canal do grupo e pedido que  ativassem o sininho. Para ouvir, podem ser acessados os aplicativos SpotifyDeezer e Apple Music . O projeto “Sobre o artista: Os Saraivas” foi criado em Pelotas por mim e meu irmão Felipe Saraiva, unindo o ritmo do samba com outras vertentes da música popular brasileira, samba raiz e pagode, entre outras.

Você citaria artistas locais que, em início de carreira, estão atualmente propondo algum tipo de atividade no formato on-line?

Fábio Saraiva – Conheço sim, artistas locais que se propõem a fazer trabalhos virtuais. Destaco aqui Amâncio Jorge e Márcio Jaguarão-sambista.

Quais foram as fontes de divulgação que ajudaram muito as pautas dos eventos do grupo?

Fábio Saraiva – Não tenho como identificar todas as fontes de divulgação que ajudaram muito nas pautas, sejam empresários, um e outro, porque iria ficar faltando informações. Mas eu destaco algumas empresas locais que nos ajudaram, embora em outra oportunidade, como na gravação do nosso primeiro disco que é a extinta Premium Informática. Também destaco o Frigorifico Castro, a Tchê Farmácias, as empresas de comunicação Rádio Pelotense,  RBS e Diário Popular.

Vocês já possuem projetos ou alguma data para novos eventos presenciais?

Fábio Saraiva – Tem o projeto nosso que será o DVD “25 anos de Carreira”, o qual iríamos lançar no ano passado, mas foi adiado em virtude de a pandemia ter se estendido. Esse projeto está esperando as coisas amenizarem para ser colocado em prática. A gente tem em vista marcar a data para outros eventos, mas em função de que a instabilidade não deixa a agenda ser contínua, não conseguimos fixar nada. Então temos de deixar passar esse mau momento que vivemos. 

Quais são os canais para o público acompanhar as lives de “Os Saraivas”?

Fábio Saraiva – Sempre no canal de Os Saraivas, no Youtube ou na fanpage no Facebook. Em caso de qualquer projeto de live, esses são os dois canais que a gente usa tocando e sobre a agenda é através das redes sociais.

Para encerrar nossa entrevista, qual seria a música preferida do grupo?

Fábio Saraiva – A música preferida do grupo, autoral, é “Não Perca a Fé”. Mas tem outras músicas de artistas que nos influenciaram muito no “Especial Pagode 90”, como as obras do Negritude Jr. e Só para Contrariar. Eu colocaria uma obra, embora sem nenhum lado político, afinal eu sou um grande fã do cantor e compositor, Chico Buarque. Ele é o autor e letrista do samba que eu gosto muito, “Vai Passar”.

A entrevista encerrou com nossos agradecimentos e o desejo de que essa pandemia acabe e que nosso “novo normal” seja positivo. A música, afinal, sempre nos acompanhará, de uma forma ou de outra.

“Não Perca a Fé” é a música preferida de Fábio e Felipe Saraiva em suas lives

PRIMEIRA PÁGINA

COMENTÁRIOS

Comments

comments