A cidade de Pelotas apresenta em sua história uma forte vocação boêmia e, nesse contexto, destaca-se a prática do choro como uma sonoridade local fortemente ligada à identidade brasileira. O Regional Avendano Jr., um dos principais grupos de choro da cidade com mais de 30 anos de atuação, segue se apresentando semanalmente e conta ainda com dois músicos da sua formação original – o violonista Milton e o cantor e cavaquinista Roberval. O Bar Liberdade, que fechou as portas em 2013, tornou-se conhecido em todo o estado através do documentário O Liberdade (Moviola Filmes, 2011) e foi, por mais de 20 anos, o principal reduto do choro na cidade. O local, onde se apresentava semanalmente o Regional Avendano Jr., acabou se tornando um ponto de encontro de músicos e apreciadores do gênero.
 
Com o fechamento do bar e o falecimento do compositor e cavaquinista pelotense Avendano Jr. outros músicos da mesma geração (jovens aspirantes, cantores e frequentadores do Liberdade) continuaram a se encontrar em locais alternativos evocando o ambiente musical e democrático que caracterizava o saudoso bar e suas reuniões. Essas vivências deram origem a outros grupos de choro, dentre os quais se destacaram, recentemente, o Sovaco de Cobra, o Ninho do Pardal e o Choro de Passarinho.
 
Foi neste contexto de renascimento do choro pelotense que em 2015 foi criado o Clube do Choro de Pelotas em homenagem a Avendano Júnior. Em março de 2016 o clube iniciou uma parceria com o projeto de extensão Encontros de Música Popular da UFPEL, integrado por professores e alunos do bacharelado em Música, visando a ampliação dos encontros semanais para o estudo e a prática do choro que vinham sendo promovidos pelos integrantes do clube desde sua fundação. Além desses encontros o clube encontrou um novo local para as rodas quinzenais: o Mercado Público Municipal, espaço gerido pela prefeitura e pela iniciativa privada onde o grupo conquistou a admiração do público ao promover o choro pelotense em um ambiente democrático que reúne músicos experientes e iniciantes – e onde, anualmente, é celebrado com uma grande roda em 23 de abril o Dia Nacional do Choro.