Ciena em Canguçu é transferida devido à pandemia

Por Jéssica Timm

Evento ocorreu de forma online durante o período de isolamento social

A Ciranda Estudantil Nativista (Ciena), evento anual que celebra a cultura gaúcha no município de Canguçu, não pode ser realizada de forma presencial no ano de 2020. O movimento que ocorreria nos dias 22, 23 e 24 de outubro precisou ser adiado em virtude da pandemia do novo coronavírus. Criada em 1987, a Ciena surgiu com o intuito de despertar o interesse de crianças e jovens pela cultura gaúcha. São contados 33 anos do evento, com apresentações artísticas e culturais nas modalidades de: artesanato, declamação, culinária, instrumentos musicais, canto e dança.

O símbolo do festival é a Ciranda, brincadeira de roda infantil que neste contexto, representa o círculo de união e respeito dos estudantes e comunidade escolar.

Reunindo cerca de 2 mil alunos de toda rede pública de ensino e atraindo um público de cerca de 10 mil pessoas, a celebração é um marco no mês de outubro para a cidade de Canguçu, conforme coloca a integrante da comissão responsável pelo evento, Roberta Oliveira:  “A Ciena é uma mistura de emoções, quando se tem a culminância de todo trabalho realizado por alunos, professores, equipe diretiva e comunidade escolar. A cada apresentação, uma superação, em que não se imagina a história de cada um para conseguir chegar até ali”, destaca.

Apesar da impossibilidade da realização do evento presencial, foram realizados outros projetos para resgate e culto as tradições. No dia 23 de outubro, o Departamento Municipal de Cultura, realizou uma live no Facebook, pela página Festejos Farroupilhas, com avaliadores e alguns ganhadores das últimas edições, buscando relembrar e celebrar o evento. Além disso, no final do ano ainda estão sendo preparados outros projetos com essa temática. 

“Teremos em dezembro o evento virtual de Mostra de Culturas, em que os alunos poderão demonstrar os seus talentos virtualmente”, completa Roberta. O coordenador de danças, Guilherme Ellwangue, também é um dos responsáveis pela execução de propostas para valorização dessa solenidade, através de apresentações online nas escolas onde trabalha. “Para me aproximar novamente dos meus dançarinos, mesmo que, virtualmente, preparei o projeto ‘Ciena é tradição, em casa’,” explica.

Nesta proposta, cada aluno poderia mandar um vídeo de no máximo 30 segundos. “Tivemos lindas participações em nossa Ciena virtual, proporcionados pelos dançarinos das sete escolas onde ensaio, somando 16 grupos de dança”. Guilherme ainda frisa as dificuldades de trabalhos culturais em meio à pandemia do Coronavírus e a importância de maiores investimentos nessa área.

“A escola pode proporcionar culturalmente o crescimento destas crianças, jovens e adultos do nosso município, que estão se desenvolvendo melhores seres humanos, sabendo desde cedo que participar deste evento é investir em cultura, não somente investir em dinheiro, mas em buscar e descobrir o seu dom e o seu talento. Investir em cultura não é dinheiro jogado fora”. 

A previsão para o próximo ano é de retomada das atividades presenciais do evento, conforme coloca o ex-secretário de educação e vice-prefeito da cidade, Cledemir de Oliveira Gonçalves. “Esperamos que a situação referente ao Covid-19 já tenha se normalizado para o próximo ano. Pois temos uma grande expectativa com relação ao tradicionalismo de Canguçu. Em agosto de 2021, realizaremos a Distribuição Estadual da Centelha da Chama Crioula, e queremos junto a este grande evento, disseminar o nome da Ciena, envolvendo os alunos das redes de ensino, afinal, são dois eventos marcantes e com valor imensurável para o município.”

Abertura da Ciena na realização de outubro de 2018

A Ciranda além de reunir toda a comunidade escolar também é responsável pela revelação de talentos da cidade. Com a sua realização, o apreço pela cultura gaúcha e a integração em Centro de Tradições Gaúchas (CTGs) cresceram significativamente nos últimos anos.

PRIMEIRA PÁGINA

COMENTÁRIOS:

Comments

comments

%d