Início do conteúdo
Linfoma Canino

Resenha: Tody, labrador, Macho

Histórico clínico:  No momento da cnsuslta no HCV apresentou aumento de volume no  abdômen e no pescoço, linfoadenopatia  e edema nas patas. Estava apático

Diagnóstico: —  Linfoma de estágio IV, sub estágio b de linfoma multicêntrico; esse diagnóstico baseou-se no envolvimento dos linfonodos mesentéricos, esplenomegalia e alterações hepáticas, além da observação de sinais is clínicos como dispnéia, tosse e apetite reduzido

Tratamento: Quimioterapia com Ciclofosfamida e Vincristina

Evolução do quadro:

1ª sessão de quimioterapia:  Ocorreu na segunda consulta. Nesse momento o Tody possuía  31 Kg e linfoadenomegalia, destacando-se os linfonodos submandibulares que mediam cera de 20cm.

2ª sessão de quimioterapia: Houve visível diminuição do volume dos linfonodos.

3ª sessão de quimioterapia: Chegou ao HCV febril, extremamente apático, fezes escuras, com anorexia, tosse e dispnéia e baixa significativa do hematócrito.

O Tody se recuperou de todo esse quadro clínico. Seu hematócrito está em 26. Os linfonodos seguem diminuindo e ele pesa agora 31,5Kg. Ele CONTINUA o tratamento.

Esperança

 

Seguiremos as postagens sobre o seu estado.

Toda a equipe está torcendo muito por esse cão valente. Que ele consiga superar essa terrível doença!!

 

 

 

 

 

 

Comentário:  Linfoma é um termo genérico utilizado para designar um grupo de diversas doenças neoplásicas do sistema linfático que se originam da proliferação clonal de linfócitos B ou T em qualquer um de seus estágios de maturação.

É um neoplasma que acomete linfonodos  estende-se para baço, fígado, pulmões e rins. Animais adultos e idosos são mais acometidos

Os sinais clínicos variam de acordo com os órgãos acometidos.

Em felinos, a imunodeficiência viral felina e a leucemia viral felina (FIV e FelV, respectivamente) são consideradas predisponentes ao linfoma.

Autores: Aline Rocha Nunes, Cristine Cioato da Silva, Cristina Gevehr Fernandes