Início do conteúdo
Nossos Pacientes

Queremos compartilhar histórias que nos encantam! O sucesso no tratamento ou no estabelecimento de qualidade de vida ao nosso paciente é o que nos motiva, SEMPRE!

JORGE

Oi pessoal! Meu nome é Jorge, sou um senhor muito bem conservado, um lindo exemplar da raça Doberman. Modestamente, também sou muito simpático, adoro fazer novas amizades. Venho aqui hoje compartilhar minha história com voces. Felizmente, já com certa idade, fui adotado e desde então recebo muito amor e carinho da minha tutora. Certo dia, comecei a sentir um incomodo na pata traseira, começou com uma dor discreta que depois se intensificou. Comecei a mancar e minha tutora imediatamente percebeu e me levou para uma consulta. Foi então que diagnosticaram uma alteração óssea no exame de raio-x compatível com neoplasia óssea. Realizei mais alguns exames e descobriram que era um osteossarcoma, um tumor ósseo maligno comumente diagnosticado em cães de porte grande, assim como eu.

No meu caso, o tratamento mais indicado foi a amputação do membro. Nossa!!! Essa notícia caiu como uma bomba para mim e para minha tutora. Nós dois ficamos muito apreensivos e assustados! Mas durante a consulta, o médico nos tranquilizou, nos explicou como seria a cirurgia, o período pós operatório e de adaptação, deixou tudo claro e aceitamos realizar a cirurgia. Fiz outros exames pré operatórios (afinal sou um senhor de idade) e fui operado. A cirurgia foi um sucesso e acreditem, a dor foi absolutamente nula, pois o anestesista, além da anestesia geral, fez uma anestesia epidural, uma maravilha! A recuperação foi super tranquila e em uma semana, mesmo com três patas, eu já estava desempenhando todas as minhas funções normalmente, sem dificuldades. Agora, estou realizando um tratamento quimioterápico complementar e estou indo muito bem. Estou sem dor e muito feliz. Mas a mensagem que eu realmente gostaria de deixar, assim como explicou meu médico, é que esses tumores ósseos malignos são muito doloridos e tem um potencial muito grande de se disseminar para outras partes do corpo. Por isso, estou em constante acompanhamento, realizo meus exames periodicamente para monitorar a doença. 

Olha eu aí uma semana depois da cirurgia!

Totalmente adaptado, feliz e mais importante, sem dor!!

 

 

 

 

DORA

Oi pessoal tudo bem? Meu nome é Dora, tenho 6 anos e muita disposição. Meus tutores me trouxeram até o HCV da UFPel, pois eu estava com um nódulo na patinha que estava me incomodando um pouco.

O médico que me atendeu examinou, solicitou alguns exames e diagnosticou como mastocitoma, um tumor de pele comum entre nós cães. Eu passei por uma cirurgia para retirada do nódulo e agora estou fazendo um tratamento complementar para evitar a recidiva do tumor. Até agora, eu já realizei 5 sessões de quimioterapia e estou muito bem, tive pouquíssimos efeitos colaterais. O meu médico disse que eu terei de fazer 8 sessões para terminar o tratamento e eu não vejo a hora de acabar. Felizmente, tive a sorte de ser levada ao médico quando a doença ainda estava em um estágio inicial, onde as chances de cura sempre são maiores. Estou aqui dando o meu depoimento para que mais tutores como os meus possam entender a importância do diagnóstico precoce para o sucesso do tratamento. Assim que eu terminar meu tratamento, volto aqui para dar mais notícias. Mil lambeijos a todos!!!

CHIVITA