Filme nigeriano aborda assédio na universidade

Por Danieli Schiavon

Produção aparece entre mais assistidas da plataforma de streaming Netflix

O assédio moral e sexual no ambiente acadêmico é o tema abordado pelo lançamento da Netflix, que estreou na plataforma no começo de novembro. O longa-metragem nigeriano “A Lição de Moremi” (Citation) é baseado em fatos reais, e foi inspirado no documentário da BBC Africa Eye, Sex for Grades. 

A produção da BBC reporta a história de jornalistas que se matricularam em universidades na Nigéria e em Gana e flagraram casos de assédio sexual por palestrantes e professores das instituições. O documentário pode ser assistido na íntegra no Youtube da BBC News Africa.

“A Lição de Moremi” ilustra, com personagens fictícios, a história de Moremi Oluwa (Temi Otedola), uma pós-graduanda que passa a sofrer assédio de seu professor e orientador de mestrado, Lucien N’Dyare (Jimmy Jean-Louis). O docente começa suas investidas ao conquistar a amizade de Moremi, e, aos poucos, passa a atitudes mais agressivas, que chegaram ao ponto de uma tentativa de estupro. Após o último incidente, Moremi decide levar o tema à reitoria da universidade. O problema é que a acusação não é levada a sério no campus, e muitos se voltam contra Moremi, devido à influência do professor, que é admirado e respeitado internacionalmente pelo seu trabalho.

Protagonista de “A Lição de Moremi” rompe o silêncio sobre o assédio                      Foto: Divulgação

O filme se passa, em grande parte, no tribunal criado pelo comitê da universidade, e flashbacks dos momentos contados por ambas as partes são trazidos aos espectadores. A direção do filme deixa claro o papel de vilão do professor, pois todas as cenas protagonizadas entre N’Dyare e Moremi mostram os avanços inapropriados por parte do docente. Mesmo não havendo dúvidas para quem assiste o filme, o comitê da universidade levanta muitos questionamentos sobre a veracidade do caso, e a tensão sobre o veredito permanece até os minutos finais do filme.

A montagem do filme peca pela falta de organização. Diálogos longos e cenas que não contribuem para a história principal tornam o filme de duas horas e 30 minutos um tanto cansativo, mas a história dramática e séria acaba prendendo a atenção para a decisão sobre a acusação de Moremi. Outro ponto alto do filme é a representatividade cultural da Nigéria. O figurino é bem colorido e as estampas estão presentes nas vestes de todos os personagens. Os cenários da Nigéria, Gana e Cabo Verde são bem explorados e situam o espectador quanto à ambientação do filme. 

No geral, vale a pena assistir ao longa, que toca num tema tão sensível e presente dentro das universidades em todo o mundo. A Netflix vem apostando em produções estrangeiras foras do padrão hollywoodiano. Esses trabalhos se destacam entre as opções disponíveis no catálogo.

Grande parte do filme se passa no tribunal criado pelo comitê da universidade     Foto: Divulgação

PRIMEIRA PÁGINA

COMENTÁRIOS

Excelente filme. Sem ressalvas. Também mostra outro lado da Nigéria. Com pessoas estudando, universidades organizadas etc.

Fátima

Excelente filme. Muito bom entrar em contato com outros signos culturais e outra estética e forma de direção. Fora ouvir diversas línguas diferentes em um mesmo filme e, principalmente, a ótima história e atuação dos atores.

Laufer

Filme impecável, apaixonante, não só pelo tema abordado. Garantindo ao espectador uma voraz torcida pela inocência da protagonista.
O colorido do figurino impecável dos personagens, vindo a mostrar-nos um ângulo de glamour e cultura deste povo tão eloquente!
Prendendo do início ao fim , na torcida veemente a favor, é claro, desta estudante que com louvor numa façanha sagaz lutou pelos seus direitos!

Ana Luiza Machado

Comments

comments

%d blogueiros gostam disto: