Animação: “Rick and Morty” pensa a humanidade

Rick e Morty em uma de suas aventuras intergalácticas e de questionamentos existenciais (Foto: Reprodução)

Rafael Gonçalves

     “Rick and Morty” é uma animação estadunidense de comédia e ficção científica criada por Justin Roiland e Dan Harmon para o bloco de programação noturno Adult Swim. A série narra as aventuras de Rick, um cientista alcoólatra e de seu neto Morty, um adolescente que acompanha seu avô em suas jornadas através das dimensões intergalácticas. O enredo conta também com Beth, Jerry e Summer.

Beth, filha de Rick e mãe de Morty é uma cirurgiã de cavalos frustrada profissionalmente, mas que herdou a inteligência e digamos o apreço por álcool de seu pai. Jerry é o marido de Beth, um pai apaixonado, mas ao mesmo tempo extremamente inseguro e infantil. Summer é a irmã mais velha de Morty, o típico estereótipo da adolescente alienada e fútil, mas que com o tempo começa a participar das aventuras de seu avô junto com seu irmão.

Muitos já sugerem que “Rick and Morty” seja a melhor série de animação já feita, ultrapassando até mesmo shows consagrados como “Simpsons”, “Family Guy” e “South Park”.

Isso se deve pela animação mesclar muito bem a ficção científica, com suas jornadas no espaço, visitas a planetas desconhecidos e realidades paralelas com questões mais profundas, como a crise existencial de seus personagens, as questões a respeito da vida e a relação do indivíduo perante o mundo.

A animação aborda temas existencialistas e até mesmo pesados como: Qual a nossa função na Terra? Por que existimos? Qual o objetivo de tudo isso? Tudo isso, é claro, com muito humor.

Uma das cenas mais marcantes do show é quando os personagens têm acesso a um óculos que lhes permite ver como seriam suas vidas em diferentes realidades, fazendo com que Summer descubra que ela nasceu de uma gravidez indesejada e, portanto, ela se questiona do propósito de sua existência. Então, seu irmão Morty revela que, em uma de suas aventuras com seu avô, eles acabaram destruindo o mundo inteiro e consequentemente matando a si mesmos, fazendo com que eles partissem para outra realidade. Morty mostra para Summer sua cova, que ele mesmo teve que cavar para enterrar seu corpo. Foi aí que Morty disse uma das frases mais famosas de toda a série: Ninguém existe sobre algum propósito, ninguém pertence a algum lugar, todos vamos morrer.”

Morty contando a Summer sobre sua aventura com Rick     (Foto: Reprodução)

A série critica de um modo ácido toda a relação humana, seja como forma de sociedade ou até mesma a relação com Deus. No episódio Get Schwifty (temporada 2 – episódio 5), o planeta Terra é abduzido por seres de cabeça gigante que realizam um concurso de melhor número musical da galáxia. Obrigam que Rick and Morty tenham que criar um número musical para a ocasião e evitar a destruição do planeta. Enquanto os dois trabalham nisso, toda a população vê as cabeças gigantes como um novo Deus a quem eles devem total idolatria, criando uma religião extremista e descabida.

Cidadãos usam Beth e Jerry como oferenda aos deuses     (Crédito: Reprodução)

Rick and Morty faz uma crítica sobre nossa sociedade de forma genial no episódio “The Ricks Must Be Crazy” (Temporada 2 – episódio 5). Neste episódio Rick fica sem bateria em sua nave espacial e acaba nos mostrando de onde ele obtém tanta energia, tanto para a nave como para seus experimentos. Ele a obtém escravizando um universo inteiro que trabalha sem parar gerando a energia necessária para carregar sua nave e seu celular, por exemplo. O que ele não esperava é que nesse mini-universo criado por ele, outro cientista também teve a mesma ideia de escravizar outra sociedade para gerar sua energia, criando um ciclo de trabalhos forçados.

Morty então questiona Rick se isso não era escravidão, e ele então responde: “Isso se chama sociedade. Eles trabalham uns para os outros, pagam uns aos outros, compram casas, se casam e até mesmo fazem filhos para os substituir quando ficarem velhos.”                  

Universos escravizados para geração de energia   (Foto: Reprodução)

A animação também é conhecida como uma metralhadora referências da cultura pop, uma piscada de olhos e algo pode passar desapercebido. Algumas das referências são sobre “Mad Max”, “Inception”, “A hora do pesadelo”, “Game of Thrones” e por aí vai.

Rick and Morty, sem dúvida, é a série do momento. Tem o poder e a sutileza de abordar temas dos mais variados e pesados aspectos, mas tudo da forma mais hilária possível.

Ainda não há previsão de estreia para a quarta temporada do Show. Dan Harmon, criador da série, afirmou que a animação terá mais episódios na temporada que está por vir, quatorze ao invés de apenas dez.

“Gosto de pensar que aprendi o suficiente com meus erros na terceira temporada, então definitivamente podemos fazer 14 capítulos agora. Uma forma saudável de fazer isso é provar – para nós mesmos, para emissora e para a produção – que os dez primeiros episódios serão tão fáceis que ganharemos capítulos adicionais,”  declarou Dan Harmon.

As duas primeiras temporadas da série estão disponíveis no Netflix. Veja alguns dos melhores episódios de “Rick and Morty” na internet:

Vazio existencial

Momentos mais absurdos

Veja mais referências de Rick and Morty aqui.

PRIMEIRA PÁGINA

COMENTÁRIOS

Comments

comments

%d blogueiros gostam disto: