Anime: do Japão para o mundo

 

A partir de 1967 foram produzidos os primeiros desenhos animados criado por japoneses         Foto: Google

Sara Carulina Silva da Rosa

Que a cultura japonesa está em quase, se não em todos os lugares do mundo, não se tem dúvida. Que comidas, roupas, acessórios e principalmente tecnologias oriundas do Japão estão incorporadas na cultura mundial, devido à globalização, não há o que questionar. Mas ainda há uma produção japonesa que, recentemente, tem chegado ao Brasil: o anime.

Desde o fim da Segunda Guerra Mundial, os japoneses entraram em contato frequente com a cultura ocidental, principalmente com os Estados Unidos. A passagem da produção dos quadrinhos para os desenhos animados nos EUA chamou a atenção dos japoneses e, em 1967, foram produzidos os primeiros desenhos animados criado por japoneses. O primeiro anime de sucesso foi “Hakujaden” (“A Lenda da Serpente Branca”).

O anime é tradicionalmente desenhado a mão. Porém, com o desenvolvimento dos recursos tecnológicos de animação, principalmente a partir da década de 1990, muitos animes passaram a ser produzidos em computadores e a cada dia ganham mais fãs. Eles possuem características marcantes, como os olhos dos personagens, que são muito grandes e muito definidos, além dos enquadramentos diferentes dos desenhos animados ocidentais e também o uso de cores fortes. Outra característica marcante é a presença de personagens andrógenos e homossexuais.  As temáticas são variadas, podem ser abordados desde romance, passando por drama e ficção cientifica, e chegando em terror. Além de todas as características já citadas, tem também a expressão marcante de sentimentos, como uma gota de água que aparece do lado do rosto do personagem, representando o seu constrangimento; dentes e chifres aparecendo repentinamente nos personagens, representando raiva ou maldade; a diminuição súbita do personagem, representando a vergonha; nervos estilizados na testa de um personagem, também representando raiva. Outro elemento que é notório é a voz do personagem. Elas são selecionadas de acordo com a personalidade dos personagens, tendo vozes muito poderosas, infantis, estridentes, harmoniosas ou cavernosas.

No Brasil, os animes são exibidos há mais de 40 anos, e séries como “Don Drácula”, “Piratas do Espaço”, “Menino Biônico” e “Sawamu” colecionam fãs.  Mas o maior fenômeno foi “Cavaleiros do Zodíaco”, que, sozinho, gerou em 1994 o “boom” dos desenhos japoneses que ecoa até os dias atuais. A série virou referência, foi reprisada muitas vezes e rendeu muito merchandising.

Além do grande crescimento dos animes nos últimos anos no Brasil, outra atividade que tem ganhado mais adeptos todos os dias é o cosplay. Trata-se do ato de vestir-se igual a um personagem e realizar encenações de seus atos e falas característicos. A ideia surgiu nos Estados Unidos, no final dos anos 70. O Brasil se destaca em competições de cosplay, como a World Cosplay Summit.

Renata Faria adentrou no mundo dos animes há 15 anos. Conheceu os desenhos na infância por assistir canais como Cartoon Network, que transmitiam animes. Ao gostar dos desenhos, começou a alugá-los em fita VHS nas locadoras e também receber de presentes dos amigos e da família, por saberem do seu gosto por fantasia animada. Aprendeu a ler muito cedo e, em decorrência disso, criou encanto pelo gênero fantástico e pelo mundo dos animes. Segundo Renata, “ele possui grande variedade de histórias com personagens cativantes e enredos bem escritos, fugindo da fórmula pré-pronta que se encontra nas produções dos filmes e livros atuais”. Seu gosto pelos animes acontece pela diversidade das histórias em todos os sentidos, tanto nas narrativas como nas animações. De acordo com a fã dos animes, “quanto mais a história fugir do clichê, mais ela a mantém presa e esperando pelo próximo episódio”.

Encantada pelos animes, Renata Faria é uma adepta do cosplay                Foto: Arquivo Pessoal

 Suas temáticas favoritas são fantasia, com bastante ação e aventura. Além de acompanhar os animes, Renata também faz cosplay desde 2014. Seu encanto é por poder interpretar por alguns instantes um personagem que gosta, sendo desafiada a tornar-se o mais próximo possível do personagem, em todas as formas. No entanto, ela confessa que não é nada fácil ser cosplay, as dificuldades vão desde juntar o dinheiro para montar a fantasia, criar um método para fazer a roupa tal qual o personagem, inclusive com acessórios. Para ela é uma prática bastante divertida e saudável, por que se adquire muito conhecimento sobre áreas que nunca tinha conhecido, como mecânica, tecelagem e costura. Para Renata, o cosplay envolve gostar muito do personagem e o desafio é divertido e prazeroso quando chega até o resultado final.

Como visto ao longo dessa reportagem, os animes são muito mais do que simples desenhos originados no Japão, têm histórias fortes e características peculiares. Veja nos links abaixo os cinco animes mais famosos mundialmente, considerando popularidade, qualidade e originalidade. Conheça um pouco mais dessa produção que vem ganhando o mundo:

Dragon Ball Original 1986

Naruto Shippuden

Pokémon

Death Note

PRIMEIRA PÁGINA

COMENTÁRIOS

Amigos, espero muito me dar bem no trabalho que estou fazendo em cima desse artigo.
Mas essa Renata Faria é um exemplo de pessoa no mundo dos animes.

Lucas

Bom…,eu achei bem útil essas informações, por que assim eu sei mais sobre animes, eu vejo animes faz cinco anos, mas…as vezes queria entender mais sobre…,e agradeço por passar essas informações, agora eu compreendo melhor, não 100%, mas…fazer o quê, não se dar para entender as coisas 100% , mesmo assim…,obrigada, tchau.

Roseane Souza Santos

Aaah, literalmente foi bem útil para mim. Agora eu sei por onde posso fazer meu trabalho de arte com assunto que eu amooo…

Luiza

Esse site possui várias informações, e estou muito grato, sou fã de animes há mais de três anos e, agora, estou fazendo um trabalho escolar sobre o mesmo, estas informações me ajudarão muito. Obrigado à autora!

Lucas Daniel

 

Comments

comments

%d blogueiros gostam disto: