Início do conteúdo
Regime escolar

ESTRUTURA CURRICULAR

O Curso de Bacharelado em Turismo da Universidade Federal de Pelotas é desenvolvido em regime semestral conforme regimento da UFPEL, tendo como forma de ingresso o processo seletivo adotado pela Universidade.

O Curso de Turismo oferece 44 vagas, com ingresso no primeiro semestre do ano letivo, noturno, sendo que aulas práticas, visitas técnicas, atividades complementares e estágios poderão ser realizadas em outros turnos, inclusive em finais de semana.

O discente deverá matricular-se no mínimo em oito (8) e no máximo em trinta e dois (32) créditos por semestre.

O currículo do Curso de Bacharelado em Turismo é organizado de acordo com a resolução s/n° de 28/01/71 do Conselho Federal de Educação e tem por base as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Turismo (Resolução Nº 13, de 24.11.2006). O currículo está distribuído da seguinte forma:

Quadro 1 – Distribuição do Currículo do Curso de Bacharelado em Turismo.

Formação

Horas

%

Formação Básica

578

18,39

Formação Específica

1.768

56,25

Atividades Complementares

100

3,18

Formação Livre

408

12,98

Estágio Obrigatório em Turismo

289

9,20

TOTAL

3.143

100

 

As disciplinas da área de Formação Básica buscam atender as Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Turismo no que diz respeito aos Conteúdos Básicos, que se referem aos estudos relacionados com os aspectos sociológicos, antropológicos, históricos, filosóficos, geográficos, culturais e artísticos que conformam a sociedade e suas diferentes culturas. As disciplinas da área de Formação Específica buscam atender as recomendações dessas Diretrizes no que tange aos Conteúdos Específicos da área, contemplando estudos relacionados à Teoria Geral do Turismo, Teoria da Informação e da Comunicação, da Administração, Direito, Economia, Estatística, Contabilidade e Língua Estrangeira (MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO, 2006)[1].

A Formação Básica, assim como a Formação Específica, é constituída por disciplinas denominadas obrigatórias, ou seja, disciplinas que obrigatoriamente fazem parte da formação acadêmica do discente, atendendo as exigências das Diretrizes Curriculares.

A Organização Curricular do Curso de Turismo, através das disciplinas que compõem tanto a área de formação básica, quanto a específica e as atividades complementares, procura contemplar os dois eixos propostos: 1. Aspectos sócio-culturais, históricos e educacionais; e, 2. Planejamento e gestão, ambos pensados de modo interdisciplinar procurando atender a transversalidade que caracteriza o turismo e na busca de transcender visões mais especializadas e fragmentadas de algumas estruturas curriculares, contemplando a formação de um profissional capaz de entender as nuances e complexidade do fenômeno turístico. A previsão na grade curricular de disciplinas, estágios supervisionados, atividades complementares e formação livre, tem o intuito de relacionar a teoria e a prática e também proporcionar ao discente a vivência da realidade do fenômeno turístico.

Essa inter-relação entre ensino, pesquisa e extensão se efetivará ainda através de aulas práticas, visitas técnicas e atividades nos laboratórios específicos do Curso de Bacharelado em Turismo e outros da UFPel, conforme as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Turismo (MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO, 2006)[2].

A fim de garantir a interdisciplinaridade inerente ao fenômeno turístico será realizada, pelo menos uma visita técnica por semestre letivo, que deverá envolver as disciplinas ofertadas com previsão deste tipo de atividade.

Enfatizamos que todos os elementos do sistema turístico estão interligados, ainda que tenham sido isolados artificialmente para efeitos de ensino e aprendizagem. As disciplinas foram separadas e serão estudadas individualmente, mas na realidade estão relacionadas e interagem, e o entendimento desse inter-relacionamento conduz à compreensão do turismo.

A grade curricular do curso prevê nove (09) semestres para sua integralização, podendo o aluno concluí-lo em no mínimo oito (08) semestres e no máximo quatorze (14) semestres.

 Formação Básica – 578 horas

DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS:

As Disciplinas Obrigatórias caracterizam-se como aquelas que obrigatoriamente são parte da formação acadêmica do discente, atendendo as exigências das Diretrizes Curriculares no que diz respeito aos Conteúdos de Formação Básica e Específica e que garantem o perfil do profissional proposto pelo Curso.

Disciplinas

CH

Antropologia

68

Ética e Turismo

68

Geografia do Turismo

68

História da Cultura Brasileira e o Turismo

68

História do Brasil e do Turismo

68

Pesquisa em Turismo I

34

Pesquisa em Turismo II

68

Psicologia do Turismo

68

Sociologia do Turismo

68

 

Formação Específica – 1.768 horas

DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS:

Disciplinas

CH

Administração Financeira e Orçamentária no Turismo

68

Comunicação e Turismo

68

Economia do Turismo

68

Estatística Descritiva

68

Fundamentos Históricos e Teóricos do Turismo

68

Gastronomia

68

Gestão de Agências de Viagens e Transportes Turísticos

68

Gestão de Destinos Turísticos

68

Gestão de Eventos

68

Gestão de Meios de Hospedagem

68

Gestão de Pessoas

68

Gestão de Serviços

68

Hospitalidade e Turismo

68

Inglês para o Turismo I

68

Inglês para o Turismo II

68

Inglês para o Turismo III

68

Inglês para o Turismo IV

68

Lazer e Turismo

68

Legislação Turística

68

Marketing Turístico

68

Monografia em Turismo

68

Patrimônio e Turismo

68

Políticas Públicas, Planejamento e o Turismo

68

Projetos Turísticos

68

Turismo Contemporâneo

68

Turismo e Meio Ambiente

68

 

As disciplinas específicas da língua inglesa poderão ser substituídas por prova(s) de dispensa sob a responsabilidade da área de língua inglesa do Centro de Letras e Comunicação (CLC) – UFPel e de acordo com as orientações e exigências do CLC.

 

Estágios

De acordo com a Resolução nº 4/2009 do COCEPE/UFPel, “Estágio é ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação para o trabalho produtivo de educandos (…)” (art. 2º), e “visa ao aprendizado de competências próprias da atividade profissional e à contextualização curricular, objetivando o desenvolvimento do educando para a vida cidadã e para o trabalho” (art. 3º).

As atividades de estágio, no contexto do Curso de Bacharelado em Turismo, são desenvolvidas na modalidade de estágio obrigatório e de estágio não obrigatório e estão regulamentados conforme a Lei Nº 11.788/08 (Lei dos Estágios) e as Resoluções Nº 3 e 4, de 08 de junho de 2009, do COCEPE/UFPel.

 

ESTÁGIO OBRIGATÓRIO – 289 horas

Disciplinas

CH

Estágio em Turismo I

85

Estágio em Turismo II

204

 

O estágio obrigatório é desenvolvido ao longo do Curso de Bacharelado em Turismo e está dividido em duas disciplinas, sendo requisito obrigatório para a obtenção do grau de Bacharel em Turismo. As atividades do estagiário serão acompanhadas por dois supervisores, sendo um deles no local de estágio e o outro o professor da disciplina Estágio em Turismo I ou Estágio em Turismo II. As atividades de estágio obrigatório estão respaldadas no Manual de Estágio do Curso de Bacharelado em Turismo (ANEXO 4).

O aluno poderá escolher o local e a área de realização do estágio sendo em organizações públicas, privadas, comunitárias, governamentais ou não governamentais (organizações concedentes) que possuem atividades relacionadas com as áreas de estágio do Curso de Bacharelado em Turismo.

O estágio obrigatório também poderá ser desenvolvido em projetos de Ensino, Pesquisa e Extensão dos Professores e Técnicos de nível Superior da Universidade Federal de Pelotas e de outras instituições de ensino, no caso de Mobilidade Acadêmica ou Convênio Institucional.

Quando o aluno não encontrar local para a realização de seu estágio, caberá aos professores das disciplinas de Estágio em Turismo I e II, bem como aos demais professores do Curso de Bacharelado em Turismo, contatar e solicitar novas oportunidades de estágio priorizando a adequação do aluno, que satisfaçam aos objetivos do estágio e do Projeto Pedagógico do Curso. Estes locais não estão restritos ao município de Pelotas, desde que obedeçam aos critérios e demais requisitos do Manual de Estágio e das normas da UFPel.

É pré-requisito indispensável à realização do estágio a celebração do termo de compromisso entre o educando, a parte concedente do estágio e o representante Institucional.

 

O Estágio em Turismo I será realizado no 7º semestre do curso, com carga horária de 85 horas, visando à integração e conhecimento do aluno com a realidade social, econômica e do trabalho de sua área.

O aluno deverá matricular-se nesta disciplina em época estabelecida pelo calendário acadêmico, totalizando um mínimo de 85 horas. O Estágio em Turismo I será um instrumento de iniciação profissional, familiarização do aluno com as atividades turísticas e de aquisição de uma visão crítica. Este estágio poderá ser desenvolvido em organizações públicas, privadas e do terceiro setor de qualquer ramo da atividade turística.

O Estágio em Turismo II será realizado no último semestre do curso, 9º semestre, com carga horária de 204 horas, tendo o aluno concluído os pré-requisitos. Este estágio visa à iniciação profissional, oportunizando o aluno a refletir, sistematizar e aplicar os conhecimentos apresentados e discutidos em sala de aula às atividades práticas reais do mercado de trabalho, podendo intervir na realidade com a intenção de propor mudanças para os fenômenos observados.

Esta disciplina, assim como a disciplina de Monografia em Turismo, será oferecida por linhas. Os alunos deverão optar por uma das linhas a seguir e se matricular em ambas as disciplinas na mesma linha. Assim, busca-se garantir uma integração entre a prática profissional e o trabalho científico.

Prática 1 – Turismo, Educação e Comportamento Humano;

Esta linha visa desenvolver atividades e pesquisas relacionadas a questões de ensino e educação em turismo, bem como aspectos psicossociais do fenômeno turístico.

Prática 2 – Aspectos sócio-culturais, memória e história do Turismo, do lazer e da hospitalidade;

Esta linha tem por objetivo desenvolver atividades e pesquisas voltadas para os aspectos sócio-culturais e históricos do turismo, bem como do lazer, do patrimônio, da hospitalidade e de iniciativas sociais.

Prática 3 – Política e Gestão Pública e Institucional do Turismo;

Esta linha visa desenvolver atividades e pesquisas voltadas para os aspectos da gestão compartilhada do turismo, dando ênfase às questões políticas e institucionais do mesmo.

Prática 4 – Gestão de Organizações Turísticas;

Esta linha possibilita desenvolver atividades e pesquisas junto às organizações privadas do turismo, como meios de hospedagem, agências, eventos, restaurantes, etc.

 

ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO

O aluno poderá realizar estágio não obrigatório a partir de seu ingresso no Curso de Bacharelado em Turismo. Esta é uma atividade opcional, acrescida à carga horária regular e obrigatória e deverá ser realizada nas áreas da atividade profissional do Bacharel em Turismo.

O estágio não obrigatório deverá ser supervisionado pelo coordenador do Colegiado do Curso de Bacharelado em Turismo e sua realização deve seguir a legislação supra citada, bem como o Manual de Estágio do Curso de Bacharelado em Turismo (ANEXO 4).

 

 Monografia em Turismo

A monografia será desenvolvida através da matricula do aluno na disciplina de Monografia em Turismo, oferecida no último semestre do curso – 9º semestre. Esta disciplina, assim como a disciplina de Estágio em Turismo II, será oferecida por linhas. Os alunos deverão optar por uma das linhas a seguir e se matricular em ambas as disciplinas na mesma linha: Turismo, Educação e Comportamento Humano; Aspectos sócio-culturais, memória e história do Turismo, do lazer e da hospitalidade; Política e Gestão Pública e Institucional do Turismo; Gestão de Organizações Turísticas.

A monografia se caracteriza como um trabalho de iniciação científica, onde o aluno deverá desenvolver uma pesquisa científica sobre um tema relacionado ao turismo ou áreas afins, o qual deverá ser apresentado por escrito e oralmente a uma banca examinadora.

As condições para a elaboração da monografia e sua apresentação, bem como o processo de avaliação, estão estabelecidas no Regulamento da Disciplina de Monografia em Turismo (ANEXO 5).

 

Atividades Complementares – 100 horas

As atividades complementares objetivam possibilitar ao acadêmico do Curso de Bacharelado em Turismo a oportunidade de construir a própria formação intelectual, participando de outras atividades curriculares, que não só disciplinas.

Essas atividades obrigatórias poderão ser realizadas em qualquer semestre do curso, com uma carga horária mínima de 100 horas, para integralização curricular; e serão consideradas válidas mediante comprovação documental e análise pelo Colegiado de Curso, sem conceito ou nota.

As atividades complementares são divididas em quatro grupos: atividades de ensino, atividades de pesquisa, atividades de extensão e representação discente, conforme quadro a seguir. Os discentes deverão realizar atividades complementares em, pelo menos, dois grupos das atividades mencionadas.

O discente deverá encaminhar ao Colegiado do Curso todos os comprovantes das atividades desenvolvidas, para que a carga horária seja contabilizada em seu histórico escolar, conforme o limite de horas estabelecido no quadro a seguir. Os comprovantes deverão ser entregues no Colegiado até dois meses antes do final do último semestre do curso. Caberá ao Colegiado o encaminhamento ao DRA. O Colegiado poderá recusar a atividade se estiver em desacordo com este Projeto Pedagógico.

Atividades não contempladas no quadro poderão ser avaliadas pelo Colegiado, mediante solicitação por escrito do aluno, com a respectiva comprovação.

 


[1] MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Resolução Nº 13, de 24 de Novembro de 2006. Diário Oficial da União, Brasília, 28 de novembro de 2006, Seção 1, p. 96.

[2] Idem.