Associação dos Amigos do Conservatório de Música da UFPel festeja aniversário

A soprano Jéssica Souza interpretou “Se tu m´ami” de  Giovanni Battista Pergolesi        Foto: Danieli Schiavon

Por Danieli Schiavon

     Nos dias 16, 17 e 18 de Abril aconteceu a Semana de Música Assamcon, evento alusivo à comemoração do aniversário de criação da Associação dos Amigos do Conservatório de Música (Assamcom), que completou 23 anos dia 5 de maio.

A História do Conservatório

     No dia 4 de junho de 1918 foi fundado o Conservatório de Música de Pelotas, instituição que na época desenvolvia atividades com ensino de piano, violino, canto, teoria e solfejo. Foi a primeira escola oficial criada especialmente para o ensino da música na cidade.

     O Conservatório sempre teve o compromisso com a promoção da cultura e a construção da cidadania, tomando para si a tarefa de promover e organizar os concertos realizados na cidade – tantos dos alunos da escola quanto de artistas convidados.

Regina de Sá Britto Fiss no discurso de abertura da Semana de Música                          Foto: Danieli Schiavon

     A Assamcon foi criada pela preocupação com o desenvolvimento cultural na cidade. O Conservatório manteve atividades ininterruptas desde sua criação, porém passa por problemas estruturais e administrativos que já ocasionaram, inclusive, a interdição da principal Sala da Escola, o Salão Milton Lemos.

     De acordo com a presidente da Associação, Regina de Sá Britto Fiss, o trabalho com o conservatório tem sido uma luta diária, principalmente no que se refere às dificuldades enfrentadas em relação ao prédio histórico, que demanda uma atenção especial.

     Regina conta que desde que a associação foi reativada, cinco anos atrás, os esforços por recursos para manter o Conservatório em bom funcionamento são incansáveis. A instituição foi selecionada para receber recursos através da Lei Rouanet, mas o processo está sendo lento e não há previsão para que os fundos sejam convertidos em benefício do Conservatório.

     “O evento é para que as pessoas percebam que o Conservatório tem que continuar existindo. É uma das veias da música mais antigas de Pelotas e do Estado. É uma pena que essas coisas acabem por ficar de lado,” destaca a presidente da Assamcon.

     A programação do evento se dividiu em três dias. No primeiro, houve a Gala Lírica. Trouxe clássicos de compositores como Giacomo Puccini, Amadeus Mozart e Johann Sebastian Bach. As interpretações ficaram por conta de alunos do Curso de Canto da Instituição com a colaboração do professor Marcelo Cazarré, pianista e docente da Universidade Federal de Pelotas.

     A segunda noite contou com a apresentação do Grupo Instrumental Chorei Sem Querer. O grupo exibiu repertório de composições próprias e releituras de choros clássicos. A participação especial foi dos professores do Conservatório, o saxofonista Rafael Velloso e o acordeonista Vinícius Terres.

     Para encerrar a semana comemorativa, o grupo A Barda, composto por Raíssa Leal, Arthur Salles, Mateus Messias e Gabriel Faro levou ao público um espetáculo que integra música folk e cultura neomedieval.

     Na opinião de Luiz Carlos Carvalho Almeida, pelotense que já foi aluno do Conservatório de Música, a realização de eventos como esse é essencial para a manutenção da cultura pelotense, que apesar de rica, muitas vezes tem sua grandeza apagada. “Eu, sempre que tenho a oportunidade, venho prestigiar. Gosto muito desse meio e como ex-aluno, acho importante acompanhar as atividades do conservatório.”

PRIMEIRA PÁGINA

COMENTÁRIOS

Comments

comments

%d blogueiros gostam disto: