Grafite chega às telas

Reportagem de  Endrio Chaves, Silvia Camargo e Wagner Leitzke – 

O que um dia já foi considerado vandalismo, hoje encanta aos olhos de quem circula pelas cidades mundo a fora. O grafite teve seu início na década de 70, quando jovens nova-iorquinos manifestavam a arte em forma de marcas e desenhos pelas paredes da maior cidade norte-americana. Estas, com o tempo, ganharam técnicas e aprimoramentos. Ao mesmo tempo, seus artistas e idealizadores sofriam com a discriminação por seu trabalho. Muitos deles buscavam através do grafite uma forma de responder às opressões vividas.

A arte de Bero Moraes ganhou reconhecimento por seus traços marcantes baseados no Expressionismo (Foto: Rogério Peres)

A arte de Bero Moraes ganhou reconhecimento por seus traços marcantes baseados no Expressionismo (Foto: Rogério Peres)

No princípio, a ideia era apenas manifestar e delimitar espaços, mas com o passar dos anos, o grafite foi conquistando seu devido reconhecimento, para nos dias de hoje ser considerado uma das mais admiradas formas de arte.

Em Pelotas não tem sido diferente, e já não é surpresa quando um grafiteiro da cidade ganha o merecido reconhecimento. Quem reconhece e apoia a arte é Rogério Peres, produtor audiovisual e diretor da Agência Rubra Cinematográfica. Através de suas produções, Rogério proporciona um alcance ainda maior para artistas locais. Um exemplo disso foi o documentário Sprayssionismo, retratando o trabalho de Vinícius Moraes, ou simplesmente o “Bero”, como é conhecido.

Depois que conheceu o mundo do grafite, Rogério Peres decidiu unir sua paixão pelas produções cinematográficas, com o encantamento pelas artes das ruas. Em meio a diversos artistas locais, um lhe chamou atenção: “Eu brincava que achava a arte dele “expreyssionante” e, realmente, era baseada na vanguarda artística do Expressionismo, e foi então que eu propus ao Bero Moraes gravar um documentário sobre a arte dele”, contou Rogério.

Rogério Peres: produtor Audiovisual e diretor da Agência Rubra Cinematográfica

Rogério Peres: produtor Audiovisual e diretor da Agência Rubra Cinematográfica

Na época, segundo semestre de 2013, Rogério ainda fazia parte da “Bah Produtora” e, juntamente com a produtora cultural “Trilhas de Cinema”, iniciou um projeto baseado na arte de Bero Moraes, para ser proposto ao financiamento do Pró-Cultura do Rio Grande do Sul.

O projeto foi contemplado pelo Edital do Pró-Cultura do Estado. Assim, foi produzido um filme de 26 minutos para a televisão, contando a história de vida de Bero e todo seu envolvimento com o meio artístico. Passou por sua defesa do trabalho de conclusão de curso universitário, o qual também tratou da sua arte, até a exposição final das suas obras.

“O filme foi aprovado, hoje faz parte do Patrimônio Cultural do Rio Grande do Sul, mas não pode ser exibido pelos próximos dois anos, contando da data de entrega que foi em fevereiro deste ano, em função da entrada do novo governo do Estado, que cortou o programa que apresentava os filmes na TVE”, explicou Rogério.

Devido à espera pelo término do contrato de dois anos com o governo do Estado, pelo qual o filme está retido, Rogério planeja a produção de um videoclipe musical. Conta com a participação dos artistas locais, Zudizilla, rapper e também grafiteiro, e outros dois que fizeram a trilha do filme, Tiago Vandal e Nick Beats, todos amigos de Bero Moraes. Haverá remakes do filme Sprayssionismo, já que as imagens originais não podem ser exibidas.

Vinícius Maraes, o "Bero", expõe sua arte nas ruas (Foto: Rogério Peres)

Vinícius Maraes, o “Bero”, expõe sua arte nas ruas (Foto: Rogério Peres)

“Desta forma eu dou uma recompensa ao artista, para que ele possa ter uma obra audiovisual de seu trabalho e também somo a um projeto lançado em 2012, Arte das Ruas, que conta com videoclipes de artes realizadas nas ruas de Pelotas”, disse o produtor.

Depois de seu surgimento, o grafite enfrentou preconceitos e muitos anos de turbulência. De lá pra cá, sua recompensa foi se dando através do empenho de seus artistas. Conhecendo o trabalho de Rogério Peres, atribui-se também a projetos cinematográficos, como o do produtor, uma das formas para alavancar a arte de muitos artistas que almejam reconhecimento, não só no meio, mas em toda a sociedade.

PRIMEIRA PÁGINA

 

 

 

 

Comments

comments

%d blogueiros gostam disto: