Início do conteúdo
Disciplinas

DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS

Teoria Antropológica I
Apresentar o contexto histórico do surgimento da Antropologia como disciplina científica.
Estudar a consolidação teórica da disciplina através da influência de suas escolas de pensamento tradicionais: a americana, a inglesa e a francesa.

Teoria Arqueológica I
História das teorias arqueológicas clássicas, com ênfase nos critérios de institucionalização da disciplina na Europa e nas Américas. Arqueologia Histórico-cultural. Nova Arqueologia ou Arqueologia Processual. Arqueologia Social Latino-americana. Arqueologia Pós-Processual. Arqueologia Brasileira.

Teoria Antropológica II
História das teorias antropológicas contemporâneas e temas que sustentam o debate atual no campo da Antropologia mundial, tais como: diversidade teórica no pensamento antropológico a partir da década de 1960, Antropologia e marxismo, situação pós-colonial, hermenêutica, pós-modernismo, teoria da etnicidade, identidade cultural, antropologias “periféricas” e fronteiras interdisciplinares.

Teoria Arqueológica II
Epistemologia da Arqueologia, com ênfase na história do pensamento arqueológico contemporâneo, e aspectos convergentes e divergentes das distintas teorias arqueológicas. Hermenêutica das linhas de pesquisa contemporâneas da Arqueologia, tais como: Arqueologia e poder, Arqueologia de gênero, Arqueologia pós-colonial, Arqueologia das coisas e Arqueologia e os usos do passado.

Metodologia em Antropologia
O método etnográfico como processo e produto. Preparação para realização de trabalho de campo, interpretação e análise dos dados através das técnicas e procedimentos que envolvem a pesquisa qualitativa.

Metodologia em Arqueologia
Conceito, natureza e objetivos da Arqueologia. Cronologia e métodos de datação. Estratégias de levantamento e escavação de sítios arqueológicos. Classificação, quantificação e análise de dados em geral. Arqueologia, interdisciplinaridade e Etnografia. Explanação em Arqueologia sob diferentes abordagens teórico-metodológicas. Gestão do patrimônio arqueológico. Organização e desenvolvimento de artigos científicos, dissertações de mestrado e teses de doutorado.

Seminário de Orientação I
Disciplina relacionada ao desenvolvimento do trabalho de orientação da dissertação de mestrado ou tese de doutorado, cujo conteúdo será definido e ministrado pelo docente orientador/a.

Seminário de Orientação II
Disciplina relacionada ao desenvolvimento do trabalho de orientação da dissertação de mestrado ou tese de doutorado, cujo conteúdo será definido e ministrado pelo docente orientador/a.

DISCIPLINAS OPTATIVAS

Antropologia do Consumo
Teorias e abordagens pertinentes à prática da investigação antropológica sobre os fenômenos socioculturais relacionados ao consumo em geral, incluindo os objetos.

Antropologia e Imagem
Antropologia, imagem e o uso de recursos visuais e audiovisuais como método de pesquisa integrado à investigação dos fenômenos humanos. Investigação antropológica dos processos, técnicas e significados da produção imagética nas culturas pesquisadas.

Antropologia e Meio Ambiente
Relação sociedade, cultura e natureza, culturas-naturezas. Processos de (des/re) territorialização em tempos de globalização. A sociedade de risco e o movimento por justiça ambiental. Ecologia política. Modernidade ecológica e (in) sustentabilidade. Populações “tradicionais”, saberes sensíveis e conflitos ambientais.
Reflexão em torno da relação entre sociedade, cultura e natureza, a partir da contribuição da ecologia política, da teoria social contemporânea e da teoria das territorialidades. Enfoque sobre a diversidade sociocultural de grupos e/ou comunidades a partir da problematização de questões e gestões ambientais no âmbito de processos políticos históricos e sociais singulares

Arqueologia Histórica
História da Arqueologia Histórica em nível mundial e no Brasil, desde seu início até o tempo presente, centrando-se em debates epistemológicos e estudos de caso. Discussões recentes em Arqueologia Histórica.

Arte e Arqueologia
Os estudos da Arte e a Arqueologia não estiveram gravemente separados em seus inícios, constituindo tradições interpretativas comuns que nos chegam sobretudo pela via institucional (em alguns países, na formação de arqueólogos e historiadores da arte segundo programas acadêmicos únicos ou similares; também na propagação de museus que são de Arte e Arqueologia a um só tempo, por quase todos os países). Por outro lado, no plano das pesquisas acadêmicas, certa partilha dos achados arqueológicos parece vir a cindir o que as instituições mantiveram em união: tudo o que tivesse apelo estético, valor artístico ou constituísse suporte de imagem seria destinado à História da Arte, à apreciação artística, ao mercado de arte; enquanto os muitos testemunhos arqueológicos que não despertassem tais interesses, vestígios ordinários e fragmentários em sua maioria, importavam quase exclusivamente às interpretações arqueológicas, e seu destino era quase sempre as gavetas da reserva técnica. As vicissitudes da problemática distinção entre Artístico e Arqueológico; do desmembramento e dispersão de acervos; e de suas implicações ideológicas e identitárias, são temas desta disciplina.

Cultura, Corpo e Subjetividades
Diferentes concepções de corpo em períodos históricos e suas influências nas concepções do eu e de saúde. Visões sobre a construção do corpo e da subjetividade. Dinâmicas sociais entre corpo, cultura e mídia. O sofrimento e a construção da subjetividade, assim como o corpo contextualizado e a experiência da doença na visão biomédica e psicológica.

Estágio Docência
Observação, participação e regência no ensino superior sob a supervisão preferencial do/a orientador/a durante o oferecimento de disciplinas em cursos de graduação. As atividades serão desenvolvidas conforme a ementa e programação específica da disciplina. Deverão levar a um aperfeiçoamento didático dos/as discentes de pós-graduação, familiarizá-los com a posição de docente e fixar melhor seus conhecimentos relativos à área de concentração em que estiver vinculado.

Etnologia Ameríndia I
Estudo de populações ameríndias, com atenção etnográfica voltada para as Terras Baixas da América do Sul. Enfoque tanto teórico-etnográfico, através do estudo de trabalhos monográficos e artigos a respeito de grupos étnicos específicos, quanto metodológico, por meio das diversas etapas e objetivos que a pesquisa etnológica congrega, tais como: organização social e parentesco, história, cosmologia, concepção, corpo e saúde, categoria de pessoa e a inter-relação com outros grupos e com a sociedade regional. Refletir criticamente sobre a construção do imaginário relacionado às populações ameríndias, ultrapassando fronteiras nacionais e de conhecimento e a formação de políticas de Estado para essas populações.

Etnologia Ameríndia II
Aspectos teóricos e metodológicos acerca de narrativa, pensamento mitológico, história, crônica genealógica, ritual, alteridade, território e origem dos coletivos ameríndios.

Etnologia Ameríndia das Terras Baixas da América do Sul
Estudo de populações ameríndias, com atenção etnográfica voltada para as Terras Baixas da América do Sul. Enfoque tanto teórico-etnográfico, através do estudo de trabalhos monográficos e artigos a respeito de grupos étnicos específicos, quanto metodológico, através das diversas etapas e objetivos que a pesquisa etnológica congrega, como: organização social e parentesco, história, cosmologia, concepção, corpo e saúde, categoria de pessoa e a inter-relação com outros grupos e com a sociedade regional. Refletir criticamente sobre a construção do imaginário relacionado às populações ameríndias, ultrapassando fronteiras nacionais e de conhecimento e a formação de políticas de Estado para essas populações.

Etnologia Ameríndia: Mitologia, Narrativa e Território
Aspectos teóricos e metodológicos acerca de narrativa, pensamento mitológico, história, crônica genealógica, ritual, alteridade, território e origem dos coletivos ameríndios.

Identidade, Alteridade e Reciprocidade
Discussão das noções de identidade, sociabilidade e alteridade, enfatizando a dinâmica das dimensões simbólica e sociológica. Conceituação de identidade em seus aspectos emblemáticos, contrastivos e valor. Individualismo e holismo. Noção de pessoa, cultura de classes trabalhadoras urbanas. Projeto, identidade e papéis sociais. Conceituação de sociabilidade. Sociabilidade e moderno estilo de vida em Simmel. Intimidade, solidão, despossessão subjetiva e violência. Mediação e redes sociais. Sociabilidade e reciprocidade. O estudo do outro, diferença e pertencimento. Pontos de vista ocidental versus ameríndio. Alteridade íntima.

Manifestações Culturais Afroamericanas
Pretende-se estudar, por meio de recortes sincrônicos e diacrônicos, os fluxos e trocas culturais constitutivos de manifestações expressivas dos diversos segmentos afro-descendentes, com enfoque para as Américas. Estes fluxos e trocas, impulsionados por massivos deslocamentos populacionais ao longo da história (compulsórios ou não), ensejaram a criação de culturas da diáspora em que o estético e o político comumente apresentam-se indissociáveis. Além disso, a intensa circulação e fusão de idéias, valores ético-estéticos, matrizes performáticas e frentes discursivas encontra-se em constante tensão com elaborações culturais de tendência essencializadora, relacionadas a demandas por reconhecimento formal seja por políticas de Estado que primem pela igualdade de condições, seja de formas singulares de ser e estar no mundo. Este componente curricular pretende sensibilizar para a diversidade de lógicas de ação, visões de mundo e categorias ético-políticas elaboradas e manifestas pelos coletivos afro-descendentes, bem como para os imperativos situacionais que tornam possíveis a sua transmissão, reprodução e/ou transformação em diferentes contextos e níveis de interação.

Música em Contextos Urbanos e/ou Rurais
Estudo teórico-prático de manifestações musicais em contextos urbanos e rurais do sul do Brasil e países limítrofes da região do Uruguai, Argentina e Paraguai, suas dimensões sociais, antropológicas, estéticas e culturais.

Objetos de Identidade e Criação de Territórios Tradicionais
Cultura material, objetos, identidades e memória de povos e comunidades tradicionais.
Processos e territorialização e territorialidades.

Religiosidades e Subjetividades Contemporâneas
A disciplina visa estudar os fenômenos religiosos contemporâneos em sua relação com a sociedade e a cultura. Em especial tratar dos processos de diversificação das formas religiosas contemporâneas e sua relação com o fenômeno da globalização da cultura. Estes processos serão estudados no contexto da sociedade brasileira.

Seminário Especial I
Seminário a ser desenvolvido a partir de um tema especial, vinculado ao trabalho de pesquisa do/a docente proponente, preferencialmente desenvolvido por professor visitante ou de outro programa de pós-graduação.

Seminário Especial II
Seminário a ser desenvolvido a partir de um tema especial, vinculado ao trabalho de pesquisa do/a docente proponente, preferencialmente desenvolvido por professor visitante ou de outro programa de pós-graduação.

Seminário Especial III
Seminário a ser desenvolvido a partir de um tema especial, vinculado ao trabalho de pesquisa do/a docente proponente, preferencialmente desenvolvido por professor visitante ou de outro programa de pós-graduação.

Seminário Especial IV
Seminário a ser desenvolvido a partir de um tema especial, vinculado ao trabalho de pesquisa do/a docente proponente, preferencialmente desenvolvido por professor visitante ou de outro programa de pós-graduação.

Populações Indígenas Pré-coloniais do Litoral e Pampa Sul-brasileiro
As macro-regiões do litoral sul, Pampa e serra como parte dos atuais territórios do Sul do Brasil, Uruguai e Argentina. Origens do povoamento, sociodiversidade, contatos, mudança cultural, complexidade social e territórios entre populações indígenas pré-coloniais que se estabeleceram no litoral e Pampa sul-brasileiro. Povos indígenas às vésperas do início dos contatos interétnicos com os conquistadores europeus.

Temas do Mundo Rural
Teorias e abordagens pertinentes à prática da investigação antropológica e da tradição etnográfica produzida no estudo de fenômenos sócio-culturais do mundo rural. Subsídios teórico-metodológicos a projetos, pesquisas, análises e escritura de textos de pós-graduandos que, originários de campos disciplinares diversos, trabalham com temas referentes ao rural em uma perspectiva ampla, tais como: apreensão de saberes e práticas camponesas e de grupos tradicionais; representações de natureza e de rural; inter-relações entre campo e cidade; alimentação, consumo e/ou patrimônio; movimentos sociais; etc.

Teorias Feministas e Estudos de Gênero
Diálogos entre Antropologia, Arqueologia e feminismo na abordagem do gênero enquanto processo social ligado à construção de sentido e como categoria de análise social a partir de temas conexos, tais como: natureza e cultura; etnicidade, classe e geração; poder; sexualidade. Gênero e imbricações entre pessoas e mundo material à luz do escrutínio científico, com visibilidade a atores inanimados e/ou não materiais na produção de identidades, imposição de papeis sociais e agência.

Tópicos Especiais de Antropologia Social e Arqueologia I
Disciplina de ementa livre, preferencialmente compartilhada por docentes antropólogos sociais e arqueólogos a partir das demandas temáticas de cada turma do PPGAnt.

Tópicos Especiais de Antropologia Social e Arqueologia II
Disciplina de ementa livre, preferencialmente compartilhada por docentes antropólogos sociais e arqueólogos a partir das demandas temáticas de cada turma do PPGAnt.