Início do conteúdo
Disciplinas

DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS

Teoria Antropológica I
Apresentar o contexto histórico do surgimento da Antropologia como disciplina científica.
Estudar a consolidação teórica da disciplina através da influência de suas escolas de pensamento tradicionais: a americana, a inglesa e a francesa.

Teoria Arqueológica I
História das teorias arqueológicas clássicas, com ênfase nos critérios de institucionalização da disciplina na Europa e nas Américas. Arqueologia Histórico-cultural. Nova Arqueologia ou Arqueologia Processual. Arqueologia Social Latino-americana. Arqueologia Pós-Processual. Arqueologia Brasileira.

Teoria Antropológica II
História das teorias antropológicas contemporâneas e temas que sustentam o debate atual no campo da Antropologia mundial, tais como: diversidade teórica no pensamento
antropológico a partir da década de 1960, Antropologia e marxismo, situação pós-colonial, hermenêutica, pós-modernismo, teoria da etnicidade, identidade cultural, antropologias “periféricas” e fronteiras interdisciplinares.

Teoria Arqueológica II
Epistemologia da Arqueologia, com ênfase na história do pensamento arqueológico
contemporâneo, e aspectos convergentes e divergentes das distintas teorias arqueológicas. Hermenêutica das linhas de pesquisa contemporâneas da Arqueologia, tais como: Arqueologia e poder, Arqueologia de gênero, Arqueologia pós-colonial, Arqueologia das coisas e Arqueologia e os usos do passado.

Metodologia em Antropologia
O método etnográfico como processo e produto. Preparação para realização de trabalho de campo, interpretação e análise dos dados através das técnicas e procedimentos que
envolvem a pesquisa qualitativa.

Metodologia em Arqueologia
Conceito, natureza e objetivos da Arqueologia. Cronologia e métodos de datação.
Estratégias de levantamento e escavação de sítios arqueológicos. Classificação,
quantificação e análise de dados em geral. Arqueologia, interdisciplinaridade e Etnografia.
Explanação em Arqueologia sob diferentes abordagens teórico-metodológicas. Gestão do
patrimônio arqueológico. Organização e desenvolvimento de artigos científicos, dissertações de mestrado e teses de doutorado.

Seminário de Orientação I
Disciplina relacionada ao desenvolvimento do trabalho de orientação da dissertação de
mestrado ou tese de doutorado, cujo conteúdo será definido e ministrado pelo docente
orientador/a.

Seminário de Orientação II
Disciplina relacionada ao desenvolvimento do trabalho de orientação da dissertação de
mestrado ou tese de doutorado, cujo conteúdo será definido e ministrado pelo docente
orientador/a.

 

DISCIPLINAS OPTATIVAS

Antropologia do Consumo
Teorias e abordagens pertinentes à prática da investigação antropológica sobre os
fenômenos socioculturais relacionados ao consumo em geral, incluindo os objetos.

Antropologia e Arqueologia do Colonialismo
Origens e desenvolvimento da Antropologia e da Arqueologia do colonialismo. Os contatos interétnicos e o colonialismo como objeto de investigação científica e como conceitos subjacentes à conformação dos campos da Antropologia e da Arqueologia no Ocidente. Colonialismo global, movimentos indígenas, feminismo e vozes de sujeitos coloniais. Contatos, etnicidade, territorialização e novas modalidades de colonialismo. Saberes administrativos, processos políticos, poder e produção de laudos antropológicos e arqueológicos. Descolonização de saberes, desobediência epistêmica e (re) aproximação dos campos da Antropologia e da Arqueologia no Brasil.

Antropologia e Imagem
Antropologia, imagem e o uso de recursos visuais e audiovisuais como método de pesquisa integrado à investigação dos fenômenos humanos. Investigação antropológica dos processos, técnicas e significados da produção imagética nas culturas pesquisadas.

Arqueologia Histórica
História da Arqueologia Histórica em nível mundial e no Brasil, desde seu início até o tempo presente, centrando-se em debates epistemológicos e estudos de caso. Discussões recentes em Arqueologia Histórica.

Arte e Arqueologia
Os estudos da Arte e a Arqueologia não estiveram gravemente separados em seus inícios, constituindo tradições interpretativas comuns que nos chegam sobretudo pela via institucional (em alguns países, na formação de arqueólogos e historiadores da arte segundo programas acadêmicos únicos ou similares; também na propagação de museus que são de Arte e Arqueologia a um só tempo, por quase todos os países). Por outro lado, no plano das pesquisas acadêmicas, certa partilha dos achados arqueológicos parece vir a cindir o que as instituições mantiveram em união: tudo o que tivesse “apelo estético”, “valor artístico” ou constituísse “suporte de imagem” seria destinado à História da Arte, à apreciação artística, ao mercado de arte; enquanto os muitos testemunhos arqueológicos que não despertassem tais interesses, vestígios ordinários e fragmentários em sua maioria, importavam quase exclusivamente às interpretações arqueológicas, e seu destino era quase sempre as gavetas da reserva técnica. As vicissitudes da problemática distinção entre Artístico e Arqueológico; do desmembramento e dispersão de acervos; e de suas implicações ideológicas e identitárias, são temas desta disciplina.

Cultura, Corpo e Subjetividades
Diferentes concepções de corpo em períodos históricos e suas influências nas concepções do eu e de saúde. Visões sobre a construção do corpo e da subjetividade. Dinâmicas sociais entre corpo, cultura e mídia. O sofrimento e a construção da subjetividade, assim como o corpo contextualizado e a experiência da doença na visão biomédica e psicológica.

Estágio Docência
Observação, participação e regência no ensino superior sob a supervisão preferencial do/a orientador/a durante o oferecimento de disciplinas em cursos de graduação. As atividades serão desenvolvidas conforme a ementa e programação específica da disciplina. Deverão levar a um aperfeiçoamento didático dos/as discentes de pós-graduação, familiarizá-los com a posição de docente e fixar melhor seus conhecimentos relativos à área de concentração em que estiver vinculado.

Etnoarqueologia
Origens e desenvolvimento da Etnoarqueologia no âmbito da Arqueologia Mundial. Métodos e teorias em Etnoarqueologia. Etnoarqueologia, cultura material, observação participante e formação do registro arqueológico. Etnoarqueologia, histórico-culturalismo, processualismo e pós-processualismo. Etnoarqueologia, Etnologia e teoria antropológica. Cultura material, etnicidade e territórios étnicos. Etnoarqueologia no Brasil.

Etnologia Ameríndia I
Estudo de populações ameríndias, com atenção etnográfica voltada para as Terras Baixas da América do Sul. Enfoque tanto teórico-etnográfico, através do estudo de trabalhos monográficos e artigos a respeito de grupos étnicos específicos, quanto metodológico, por meio das diversas etapas e objetivos que a pesquisa etnológica congrega, tais como: organização social e parentesco, história, cosmologia, concepção, corpo e saúde, categoria de pessoa e a inter-relação com outros grupos e com a sociedade regional. Refletir criticamente sobre a construção do imaginário relacionado às populações ameríndias, ultrapassando fronteiras nacionais e de conhecimento e a formação de políticas de Estado para essas populações.

Etnologia Ameríndia II
Aspectos teóricos e metodológicos acerca de narrativa, pensamento mitológico, história,
crônica genealógica, ritual, alteridade, território e origem dos coletivos ameríndios.

Identidade, Alteridade e Reciprocidade
Discussão das noções de identidade, sociabilidade e alteridade, enfatizando a dinâmica das dimensões simbólica e sociológica. Conceituação de identidade em seus aspectos emblemáticos, contrastivos e valor. Individualismo e holismo. Noção de pessoa, cultura de classes trabalhadoras urbanas. Projeto, identidade e papéis sociais. Conceituação de sociabilidade. Sociabilidade e moderno estilo de vida em Simmel. Intimidade, solidão, despossessão subjetiva e violência. Mediação e redes sociais. Sociabilidade e reciprocidade. O estudo do outro, diferença e pertencimento. Pontos de vista ocidental versus ameríndio. Alteridade íntima.

Laudos Antropológicos e Arqueológicos
Laudos administrativos, periciais e técnico-científicos em Antropologia e Arqueologia.
Desafios teórico-metodológicos, responsabilidade social e dilemas éticos na aplicação de
saberes antropológicos e arqueológicos para o reconhecimento de etnicidades e a
regularização de territórios étnicos. Antropologia, Arqueologia, contratos e licenciamento
socioambiental de empreendimentos e projetos desenvolvimentistas.

Manifestações Culturais Afroamericanas
Pretende-se estudar, por meio de recortes sincrônicos e diacrônicos, os fluxos e trocas culturais constitutivos de manifestações expressivas dos diversos segmentos afro-descendentes, com enfoque para as Américas. Estes fluxos e trocas, impulsionados por massivos deslocamentos populacionais ao longo da história (compulsórios ou não), ensejaram a criação de “culturas da diáspora” em que o estético e o político comumente apresentam-se indissociáveis. Além disso, a intensa circulação e fusão de idéias, valores ético-estéticos, matrizes performáticas e frentes discursivas encontra-se em constante tensão com elaborações culturais de tendência essencializadora, relacionadas a demandas por reconhecimento formal seja por políticas de Estado que primem pela igualdade de condições, seja de formas singulares de “ser” e “estar” no mundo. Este componente curricular pretende sensibilizar para a diversidade de lógicas de ação, visões de mundo e categorias ético-políticas elaboradas e manifestas pelos coletivos afro-descendentes, bem como para os imperativos situacionais que tornam possíveis a sua transmissão, reprodução e/ou transformação em diferentes contextos e níveis de interação.

Música em Contextos Urbanos e/ou Rurais
Estudo teórico-prático de manifestações musicais em contextos urbanos e rurais do sul do Brasil e países limítrofes da região – Uruguai, Argentina e Paraguai, suas dimensões sociais, antropológicas, estéticas e culturais.

Objetos de Identidade e Criação de Territórios Tradicionais
Cultura material, objetos, identidades e memória de povos e comunidades tradicionais.
Processos e territorialização e territorialidades.

Patrimônio Arqueológico: Estratégias de Conservação
O curso objetiva analisar as políticas de gestão e as estratégias de conservação do patrimônio arqueológico. A partir de estudos de caso se avaliarão as diferentes políticas de representação do patrimônio arqueológico, os distintos conceitos de patrimônio cultural e os modelos de gestão do patrimônio cultural. Com relação à conservação do patrimônio arqueológico, serão analisadas as distintas estratégias empregadas a nível regional e internacional, abrangendo a conservação in situ, a conservação em campo, a conservação no laboratório e na reserva técnica. Serão avaliados os distintos agentes ambientais e antrópicos que incidem na conservação dos bens culturais arqueológicos móveis, desde as fases de enterramento até o acondicionamento a médio e longo prazo.

Religiosidades e Subjetividades Contemporâneas
A disciplina visa estudar os fenômenos religiosos contemporâneos em sua relação com a sociedade e a cultura. Em especial tratar dos processos de diversificação das formas religiosas contemporâneas e sua relação com o fenômeno da globalização da cultura. Estes processos serão estudados no contexto da sociedade brasileira.

Seminário Especial I
Seminário a ser desenvolvido a partir de um tema especial, vinculado ao trabalho de
pesquisa do/a docente proponente, preferencialmente desenvolvido por professor visitante ou de outro programa de pós-graduação.

Seminário Especial II
Seminário a ser desenvolvido a partir de um tema especial, vinculado ao trabalho de
pesquisa do/a docente proponente, preferencialmente desenvolvido por professor visitante ou de outro programa de pós-graduação.

Seminário Especial III
Seminário a ser desenvolvido a partir de um tema especial, vinculado ao trabalho de
pesquisa do/a docente proponente, preferencialmente desenvolvido por professor visitante ou de outro programa de pós-graduação.

Seminário Especial IV
Seminário a ser desenvolvido a partir de um tema especial, vinculado ao trabalho de
pesquisa do/a docente proponente, preferencialmente desenvolvido por professor visitante ou de outro programa de pós-graduação.

Populações Indígenas Pré-coloniais do Litoral e Pampa Sul-brasileiro
As macro-regiões do litoral sul, Pampa e serra como parte dos atuais territórios do Sul do
Brasil, Uruguai e Argentina. Origens do povoamento, sociodiversidade, contatos, mudança cultural, complexidade social e territórios entre populações indígenas pré-coloniais que se estabeleceram no litoral e Pampa sul-brasileiro. Povos indígenas às vésperas do início dos contatos interétnicos com os conquistadores europeus.

Temas do Mundo Rural
Teorias e abordagens pertinentes à prática da investigação antropológica e da tradição
etnográfica produzida no estudo de fenômenos sócio-culturais do mundo rural. Subsídios
teórico-metodológicos a projetos, pesquisas, análises e escritura de textos de pós-
graduandos que, originários de campos disciplinares diversos, trabalham com temas
referentes ao rural em uma perspectiva ampla, tais como: apreensão de saberes e práticas camponesas e de grupos tradicionais; representações de natureza e de rural; inter-relações entre campo e cidade; alimentação, consumo e/ou patrimônio; movimentos sociais; etc.

Teorias Feministas e Estudos de Gênero
Diálogos entre Antropologia, Arqueologia e feminismo na abordagem do gênero enquanto
processo social ligado à construção de sentido e como categoria de análise social a partir de temas conexos, tais como: natureza e cultura; etnicidade, classe e geração; poder;
sexualidade. Gênero e imbricações entre pessoas e mundo material à luz do escrutínio
científico, com visibilidade a atores inanimados e/ou não materiais na produção de
identidades, imposição de papeis sociais e agência.

Tópicos Especiais de Antropologia Social e Arqueologia I
Disciplina de ementa livre, preferencialmente compartilhada por docentes antropólogos
sociais e arqueólogos a partir das demandas temáticas de cada turma do PPGAnt.

Tópicos Especiais de Antropologia Social e Arqueologia II
Disciplina de ementa livre, preferencialmente compartilhada por docentes antropólogos
sociais e arqueólogos a partir das demandas temáticas de cada turma do PPGAnt.