Exposição “MALG in loco: obras de Leopoldo Gotuzzo”

O MALG, por ocasião da inauguração da sua nova sede, apresenta a partir do dia 02 de julho de 2018 a exposição “MALG in loco: obras de Leopoldo Gotuzzo”.

A exposição fica em cartaz de 02 de julho a 02 de setembro de 2018 e marca a reabertura do Museu.

O MALG funciona de terça à domingo, das 8h30 às 20h. Seu novo endereço é na Praça Sete de julho, 180, em frente ao Mercado Central.

 

Estamos de casa nova a partir desta segunda, dia 02 de julho

O Museu de Arte Leopoldo Gotuzzo da UFPel estará em nova casa a partir desta segunda-feira, dia 2 de julho, quando abrirá as portas novamente ao público, agora no prédio do antigo Lyceu da Universidade, local da primeira Escola de Agronomia da cidade, situada em frente ao Largo do Mercado, no centro de Pelotas.

O horário de visitação é de terça à domingo, das 10h às 19h.

Arlinda Nunes: a trajetória de uma artista e sua atuação nas Artes Plásticas de Pelotas e Leopoldo Gotuzzo: “caricaturas de gente boa” e obras do sul.

O Museu de Arte Leopoldo Gotuzzo inaugura no dia 1º de julho as exposições Arlinda Nunes: a trajetória de uma artista e sua atuação nas Artes Plásticas de Pelotas e Leopoldo Gotuzzo: “caricaturas de gente boa” e obras do sul.

Com curadoria de Carmen Regina Bauer Diniz e Jose Luiz de Pellegrin, a exposição da artista Arlinda Nunes traz para o público uma síntese de sua vida artística e a importância do trabalho executado durante quase sete décadas de atuação. A artista contribuiu para o enriquecimento e a modernização das Artes Plásticas e para a consolidação do Sistema das Artes de Pelotas.

Leopoldo Gotuzzo: “caricaturas de gente boa” e obras do sulcom curadoria de Helena Neves, Juliana Angeli e Lauer Alves Nunes dos Santos apresenta caricaturas inéditas realizadas por Gotuzzo para o Jornal A Cavação, publicado em Pelotas no início do século XX e obras produzidas pelo pintor no Rio Grande Sul. As reproduções dos jornais com as caricaturas realizadas pelo artista serão expostas pela primeira vez para o público e pertencem a Paulo Brasil do Amaral Júnior.

“A Trajetória do Museu” e “A Coleção Leopoldo Gotuzzo” abrem para o público no próximo sábado, dia 08 de abril de 2017.

“A Coleção Leopoldo Gotuzzo”, com curadoria de Carmen Regina Bauer Diniz, Raquel Santos Schwonke e Jose Luiz de Pellegrin, apresenta uma parte representativa das pinturas, desenhos, objetos e documentos do patrono e que pertencem ao acervo.
“A Trajetória do Museu”, com curadoria de Jose Luiz de Pellegrin, expõe através do material gráfico a história do MALG.
As exposições ficam em cartaz até o dia 04 de junho.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O MALG/CA/UFPel apoia às mobilizações contrárias à aprovação da PEC 55 e da medida provisória que propõe a reforma do ensino médio, tornando a disciplina de ARTES optativa.
No dia 01º/12 estaremos juntos na (Re)existência.

 

re-existencia-malg

AS 7 COLEÇÕES DO MALG

as-7-colecoes-do-malg

 

A exposição apresenta obras que compõem as sete coleções do Museu de Arte Leopoldo Gotuzzo: Coleções Leopoldo Gotuzzo, Faustino Trápaga, João Gomes de Mello, Século XX, Século XXI, Escola de Belas Artes e L.C. Vinholes.

A curadoria foi realizada pelo Núcleo de Curadoria do Museu: Carmen Regina Bauer Diniz, Carolina Rochefort, Caroline Bonilha, Giorgio Ronna, José Luiz de Pellegrin, Juliana Angeli e Lauer Alves Nunes dos Santos.

A exposição fica em cartaz até o dia 04 de setembro de 2016.
O horário de visitação do Museu é de terça a domingo, das 10h às 19h.

“Gotuzzo Revisitado” e “Mudanças: este é o nosso lugar”

 convite_Gotuzzo_FINAL

GOTUZZO REVISITADO apresenta obras de 17 artistas que tecem diálogos com a produção ou com a vida de Leopoldo Gotuzzo, patrono do Museu. Os artistas convidados para a exposição possuem em comum o fato de ter, em diferentes momentos e sob distintas condições, cruzado suas trajetórias com o espaço do MALG: seja através da realização de exposições, seja por afinidades de suas poéticas e trajetórias, seja pela expansão possibilitada pelo Museu no momento em que assume sua condição de Museu Universitário. Participam da exposição Ana Paula Maich, André Venzon, Adriani Araújo, Arlinda Nunes, Duda Gonçalves, Fernando Duval, Graça Marques, Harly Couto, Helena Pinto Ferreira, Helene Sacco, Janaína Schvambach, Júnior Asnoum, Lenir de Miranda, Mário Rönhelt, Nádia Senna, Vivian Herzog e Zeca Nogueira.

Gotuzzo Revisitado é a primeira das quatro grandes exposições que celebram o trigésimo aniversário do MALG – Museu de Arte Leopoldo Gotuzzo, do Centro de Artes /UFPel.

 

MUDANÇAS – ESTE É O NOSSO LUGAR

EXPOSIÇÃO DE ANDRÉ VENZON, Curadoria de Francisco Dalcol

Convite-FernandoDuval_20x20

MUDANÇAS – ESTE É O NOSSO LUGAR é uma exposição que se concentra nos trabalhos em fotografia de André Venzon (Porto Alegre/RS, 1976), e revisita um momento pregresso de sua produção, sobretudo a primeira década dos anos 2000, situando uma pesquisa poética que posteriormente se aprofundaria em uma quase-simbiose entre corpo e matéria, pele e tapume. A mostra com curadoria de Francisco Dalcol, jornalista e doutorando no Programa de Pós-Graduação em Poéticas Visuais da UFRGS, é um segundo momento da exposição MUDANÇAS, que teve itinerância ano passado em Caxias do Sul e Gramado. Agora chega ao Museu de Arte Leopoldo Gotuzzo – MALG, em Pelotas, e ainda segue este ano para a Museu de Arte de Santa MariaMASM, no segundo semestre.

A exposição reúne cerca de 25  obras em fotografia e é a primeira vez que um recorte curatorial da sua produção é apresentado assim. Conta ainda com o texto de apresentação do curador Francisco Dalcol, e no catálogo de bolso ─ com distribuição gratuita na abertura do evento ─ com os textos dos críticos de arte Vitor André Rolim de Mesquita, Mônica Zielinsky, Paula Ramos e Gilberto Habib de Oliveira.

Segundo Dalcol, “nos trabalhos de André Venzon, os tapumes encravados nas cidades funcionam como uma moldura do olhar”. O curador afirma também que “por sua condição temporalmente transitória, o tapume funciona nas fotografias do artista como um dispositivo que opera visualmente questões simbólicas envolvendo noções de espaço e território, memória e pertencimento, sujeito e coletividade. São imagens que instigam a pensarmos sobre a percepção que temos do nosso lugar, tanto o lugar de que fazemos parte quanto aquele que nos possui”.