Adobe MAX Conferência de Criatividade 2020

Olá pessoal! Estou passando por aqui pra dizer que esse ano a Adobe MAX Conferência de Criatividade vai ser gratuita e online. Eles abordam vários temas em diferentes níveis, desde mídia social, passando por Photoshop, Indesign, after effects, premier, manejo de equipe criativa e por aí vai. Para nós que estamos em atividades remotas esse semestre, desenvolvendo uma série de conteúdos à distância com tecnologias diversas, é uma oportunidade única.

Livro: Criando Ambientes Construídos: Unindo Divisões de Conhecimento e Prática

Roderick Lawrence, Membro do Hall de Homenageados do IAPS, lançou o livro ‘Criando Ambientes Construídos: Unindo Divisões de Conhecimento e Prática’ (Routledge) https://www.routledge.com/Creating-Built-Environments-Bridging-Knowledge-and-Practice Divides/Lawrence/p/book/9780815385394

Este livro apresenta e ilustra as vantagens e os desafios das contribuições transdisciplinares para projetos inovadores que transgridem as lacunas conceituais e metodológicas entre a pesquisa interdisciplinar, a prática profissional e os meios de subsistência dos residentes nas cidades. O livro explica como e porque a pesquisa e a prática baseadas nos princípios fundamentais dos Estudos de Pessoas-Ambiente e a investigação transdisciplinar podem ser aplicadas criativamente em projetos contemporâneos. Ele propõe que a área de meio ambiente construído deve ser creditada com um conjunto muito maior de funções nas respostas da sociedade aos desafios globais contemporâneos, incluindo mitigação das mudanças climáticas, doenças infecciosas e não transmissíveis, produção local de alimentos, habitação e condições de vida e promoção da saúde e bem-estar, além de facilitar o avanço em direção aos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU. Numerosos exemplos neste livro mostram que as cidades e iniciativas lideradas pela comunidade contornaram a negação e a inércia dos governos nacionais e estaduais para produzir respostas contextuais aos desafios contemporâneos da sociedade em um mundo em rápida urbanização.

Internacionalização

O LabCom participou da reunião sobre Internacionalização entre Brasil, Argentina, México e Venezuela, para o desenvolvimento de um Projeto Internacional sobre Saúde na Cidade, no dia 25/08/2020. Os Professores Adriana Portella e Eduardo Rocha do Brasil (Universidade Federal de Pelotas) e Juan Manuel Diez Tetamanti da Argentina (CONICET, Instituto de Investigaciónes Geográficas de la Patagonia) estavam presentes.

LabCom Online Cafe Meeting. 28.08.2020

Venha participar do nosso LabCom Online Cafe Meeting que acontece toda sexta-feira as 16 horas.

Nesta sexta, dia 28/08, iremos conversar sobre ‘Senior Co-housing: Experiências de Projeto’.

Nosso encontro é pelo GoogleMeet. Entre em contato conosco para solicitar o link da sala virtual.

LabCom Online Café Meetings

Não esqueçam, toda sexta-feira estaremos esperando por vocês!

Às 14 horas.

Quem quiser participar entre em contato conosco para obter o link da sala virtual.

 

Imagem de Free-Photos por Pixabay

Reuniões Online Semanais

A pandemia não nos desmotivou, pelo contrário, nos deu mais energia para estudar como planejar cidades saudáveis para todos, sem desigualdade social, buscando atingir os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU. Compartilhamos do lema: Leaving No One Behind.

Todas as sextas-feiras as 14 horas a equipe do Laboratório se reúne via Googlemeet. Se você quiser participar é só entrar em contato que compartilhamos o link da sala.

Refugiados da Venezuela no Brasil e na Colômbia

O Laboratório de Estudos Comportamentais da UFPel juntamente com a Universidad de La Sabana na Colômbia e a Heriot-Watt University no Reino Unido está investigando os efeitos da pandemia sobre a vida dos refugiados da Venezuela no Brasil e na Colômbia do ponto de vista social, comportamental e urbano.

A pandemia do COVID-19 criou desafios significativos para populações mais vulneráveis, comprometendo a capacidade desses grupos de acessar serviços básicos de saúde e assistência social, participação social e engajamento cívico (The Lancet, 2020). Em resposta a isso, busca-se propor ferramentas tecnológicas que possam auxiliar a entender e abordar questões relativas à vulnerabilidade e marginalização dos refugiados venezuelanos no Brasil e na Colômbia, considerando o contexto da pandemia do COVID-19. Este projeto propõe um conjunto de ferramentas para o planejamento e gestão urbana integrada, que contribuam para o desenvolvimento de políticas e práticas eficazes de resposta ao COVID-19. Essas ferramentas buscarão intervenções inclusivas, de caráter tecnológico, que ofereçam suporte aos órgãos públicos para auxiliar e apoiar a saúde e o bem-estar desse grupo vulnerável.

Este projeto é uma prioridade agora, pois o impacto do COVID-19 está causando efeitos deletérios nos países de baixa e média renda (LMICs – Low and middle income countries), como Brasil e Colômbia. 80% dos refugiados vivem em LMICs, que são os locais da quarta onda esperada de COVID-19 atrás da China, Europa e EUA. Essas áreas já possuem fracos apoios formais de saúde e infraestrutura urbana, o que comprometerá ainda mais o bem-estar dos refugiados (Daniels, 2020). Muitos refugiados já tentaram escapar de conflitos armados, violências e violações de direitos humanos, muitas vezes vivendo em situações transitórias em campos temporários. Os esforços de reassentamento agora foram suspensos pela ONU, em um momento em que as pessoas já estão separadas das famílias e não têm acesso a redes de apoio, o que aumenta ainda mais sua vulnerabilidade (ACNUR, 2020). Experiências anteriores com o vírus Ebola e outros surtos mostraram que as políticas públicas precisam incluir refugiados e pessoas deslocadas em seus planos para combater o impacto das pandemias e garantir que eles tenham acesso à saúde e ao bem-estar (Langlois et al, 2016 ) Reconhecemos que as políticas públicas devem incluir refugiados em medidas de preparação / resposta à pandemia do COVID-19. Isso é vital, sendo necessário apoio urgente para explorar como as comunidades podem ser resilientes e estarem preparadas para enfrentar pandemias, tanto mais imediatamente no contexto do COVID-19 quanto em cenários futuros.

Os objetivos são:

(i) desenvolver uma GIS plataforma inovadora capaz de mapear as condições de saúde e de bem-estar dos refugiados venezuelanos no Brasil e na Colômbia, a fim de entender as necessidades dessa população em resposta à pandemia do COVID-19;

(ii) mapear as experiências dos refugiados venezuelanos no Brasil e na Colômbia a partir de um aplicativo para celular que consiga identificar as barreiras, os desafios e as oportunidades que existem e/ou que poderiam ser criadas para promover um planejamento urbano sustentável e saudável para as comunidades durante e após a pandemia do COVID-19;

(iii) desenvolver capacidade tecnológica além da pesquisa, trabalhando em estreita colaboração com comunidades, atores humanitários, formuladores de políticas públicas e profissionais e pesquisadores no Brasil e na Colômbia.

O desenvolvimento inicial da GIS plataforma estará disponível dentro de 6 meses e rapidamente colocada a disposição das principais partes interessadas, financiadores e beneficiários. Essa GIS plataforma terá o potencial de ser adaptada e expandida para outros países e regiões afetadas pela pandemia. A proposta é de que ela seja acessada no ambiente de computadores e também sob a forma de aplicativo gratuito para celulares smartphones a ser desenvolvido pelo Projeto. Esse aplicativo, inicialmente denominado BondCommunities, dará acesso aos dados da plataforma como também possuirá outras funcionalidades.

Coordenadora do estudo no Brasil: Profa. Dra. Adriana Portella.

Coordenador do estudo na Colômbia: Prof. Dr. William Rueda.

Coordenador do estudo no Reino Unido: Prof. Dr. Ryan Woolrych.