Início do conteúdo
Ingresso 2013/1

Cristiano Machado Teixeira

  • Orientadora: Drª. Patrícia Jacqueline Thyssen
  • Co-Orientador: Dr. Flávio Roberto Mello Garcia
  • Projeto de Pesquisa: Chave taxonômica interativa para formas imaturas das principais espécies de coleópteros e lepidópteros (Insecta) encontradas em grãos armazenados
  • Resumo: As dificuldades apresentadas na identificação de insetos é devido especialmente por envolver várias áreas do conhecimento, em especial por conta dos agravos causados por estes artrópodes em diferentes contextos, sejam agrícola, econômico, de saúde publica ou forense. Quando presentes em armazenamento de grãos ou quaisquer outros alimentos industrializados, são considerados praga devido ao seu potencial de crescimento populacional e de dano. A maior parte dos problemas com insetos inicia-se na fase imatura, com larvas ou ninfas que causam severos prejuízos uma vez que, em geral, é a fase mais duradora do seu ciclo de vida. Adultos são bem conhecidos e ainda que a identificação apresente dificuldades, existem várias chaves disponíveis. Para as formas imaturas, os poucos trabalhos que existem são em forma de chaves dicotômicas ou pictóricas que exigem certo conhecimento de morfologia de cada grupo e suas terminologias, além disso, devem ser utilizadas seguindo-se uma sequencia pré-definida que pode, em certos casos, gerar erros de identificação. Duas das maiores Ordens de Insecta, Coleoptera e Lepidoptera, têm representantes como pragas em grãos armazenados. Neste estudo elaborou-se uma chave interativa para formas imaturas das principais espécies de coleópteros e lepidópteros encontrados em grãos armazenados. Chaves interativas, ou policlaves, permitem que o utilizador comece a identificação do espécime a partir de qualquer opção de caracteres presente na chave, sem precisar seguir uma sequencia pré-determinada. Foram levantados caracteres e estados de caracteres para as principais espécies de Coleoptera e Lepidoptera encontradas comumente em grãos armazenados. Além da inclusão de uma sólida base de dados morfológicos, levantaram-se dados sobre aspectos biológicos dos insetos alvo, úteis para promover uma acurada identificação. Chaves que agrupam diferentes taxa de insetos e estudos que compilam dados biológicos são escassos nessa área. Este trabalho irá contribuir para um melhor entendimento da entomofauna associada ao armazenamento, uma vez que atualmente muitas espécies deixam de ser, ou são erroneamente identificadas, por pessoas envolvidas nas áreas de vigilância sanitária e controle de pragas, e mesmo peritos quando da investigação da contaminação de alimentos ou quaisquer outros produtos industrializados. Esta é a primeira chave interativa das formas imaturas de Coleoptera e Lepidoptera presentes em grãos armazenados.
    Palavras-chave: pragas, infestação em alimentos, chaves dicotômicas, policlaves.
  • Download (PDF)

Darlan Rutz Redü

  • Orientador: Dr. Edison Zefa
  • Projeto de Pesquisa: Taxonomia de espécies de Anurogryllus Saussure, 1877 (Orthoptera, Gryllidae, Gryllinae) do Rio Grande do Sul e do Amazonas: morfologia e bioacústica
  • Resumo: Anurogryllus possui atualmente 26 espécies válidas distribuídas por todo o continente americano. Caracterizados pelo ovipositor rudimentar, estes grilos possuem hábitos subterrâneos, comportamento subsocial e cuidado parental. O objetivo desse trabalho foi ampliar o conhecimento taxonômico das espécies de Anurogryllus que ocorrem em municípios da região sul do Rio Grande do Sul, bem como as da Reserva Florestal Adolpho Ducke, em Manaus, Amazonas. No sul do Rio Grande do Sul foram encontradas três espécies, Anurogryllus tapes sp. nov coletada em Canguçu e Capão do Leão, Anurogryllus patos sp. nov proveniente de Capão do Leão e Anurogryllus toledopizai (De Mello, 1988) registrado em Canguçu, Capão do Leão e São Lourenço do Sul. Na Reserva Florestal Adolpho Ducke foram encontradas duas espécies, Anurogryllus paxillus sp. nov. e Anurogryllus velox sp. nov.. Apresentamos descrição morfológica, dos escleritos fálicos e do som de chamado, bem como figuras do material examinado.
    Palavras-chave: Ensifera; Gryllini; grilo; som de chamado; genitália.
  • Download (PDF)

Elisa Machado Milach

  • Orientador: Dr. Edison Zefa
  • Projeto de Pesquisa: Taxonomia de espécies de Oecanthus Serville, 1831 (Orthoptera, Gryllidae, Oecanthinae) ocorrentes no Brasil: morfologia do complexo fálico, tégminas e glândula metanotal
  • Resumo: O gênero Oecanthus inclui 69 espécies validas, com ampla distribuição mundial, sendo encontradas em arvores, arbustos ou gramíneas; nove espécies ocorrem na América do Sul, cinco com localidade tipo no Brasil. O objetivo desse trabalho foi descrever espécies de Oecanthus que ocorrem no territorio brasileiro, destacando a morfologia do complexo fálico, da glândula metanotal, venação das tégminas e som de chamado, além de elaborar uma chave pictórica para as espécies brasileiras. Descrevemos duas espécies novas, Oecanthus pictus sp. n. coletada no município de São Lourenço do Sul, Rio Grande do Sul 31º17’39.43″S,52º09’02.76″W, que apresenta variação na coloração corporal, e Oecanthus valensis sp. n. da Reserva Natural Vale, Estado do Espírito Santo 19º05’817″S, 040º03’116″W, Brasil. O reconhecimento especifico de O. pictus sp. n. e a determinação da variação da cor e pigmentação corporal como característica intraespecífica foi determinada pela comparação da morfololgia dos escleritos fálicos, glândula metanotal, tégminas e som do chamado, em indivíduos previamente separados (in vivo) em quatro morfotipos, de acordo com a coloração e pigmentação corporal. A partir dessas analises, destacamos as seguintes características diagnósticas: manchas pós e interoculares; região basal da tíbia com manchas formando um triângulo, seguidas por um anel pigmentar incompleto, mais três manchas em triângulo e três pares de manchas; abdômen com bandas pigmentadas nos tergitos, diminuindo de intensidade posteriormente; pedicelo com banda transversal apical; ramo externo do esclerito endofálico lateral truncado; lobo principal do pseudoepifalo com dois lobos dilatados, afilados no ápice; esclerito ectofalico bifurcado posteriormente em ”V”; e glândula metanotal com lobo médio posterior identado. A segunda espécie apresenta como diagnose o lobo médio da glândula metanotal dobrada posterodorsalmente, fêmur I, II e III com um par de manchas negras ventrolaterais e apicais; e tibia I e II em vista dorsal com uma macha puntiforme na regiao baso-dorsal. Elaboramos uma chave pictórica para as espécies brasileiras, a partir de características de fácil reconhecimento, com base nas informações obtidas nesse trabalho, e nas descrições originais das espécies validas.
    Palavras-chave: Ensifera; inseto; grilo; plantação de tabaco; bioacústica; sistemática.
  • Download (PDF)

Jucelio Peter Duarte

  • Orientador: Dr. Paulo Bretanha Ribeiro
  • Co-Orientadores: Dr. Carlos Eugênio Silva e Dr. Eduardo Bernardi
  • Projeto de Pesquisa: Impacto de diferentes estresses no peso e estado imunológico em Periplaneta americana (Linnaeus, 1758) (Blattaria, Blattidae)
  • Resumo: Periplaneta americana tem grande importância médica, pois pode atuar como vetor de diversos patógenos. Sabe-se que populações dessa espécie desenvolveram características para resistir à escassez de alimento e água. Estresse em insetos pode ser causado por múltiplos fatores, como a fome e a desidratação, podendo causar consequências na sua biologia. O objetivo do presente estudo foi avaliar a influência do estresse alimentar, hídrico e hídrico/alimentar no peso, número total de hemócitos e contagem diferencial de
    hemócitos de adultos de P. americana. Foram utilizados adultos de P. americana com três a dez dias após a emergência. Foram estabelecidos grupos de tratamentos compostos por oito casais cada, onde cada espécime foi isolado em frascos de vidro contendo ou não alimento e/ou água. Para a avaliação da perda de peso, os espécimes foram pesados no momento em que foram isolados, e novamente a cada 10 dias, num total de quatro pesagens (0, 10, 20 e 30 dias). Nos grupos reidratados, os insetos receberam água por 24h após o período de estresse ter terminado e então eram novamente pesados. Para as análises imunológicas, após a pesagem final, os insetos foram imobilizados para a coleta de hemolinfa para realizar a contagem dos hemócitos. Os estresses alimentar, hídrico e hídrico/alimentar reduziram o peso dos indivíduos, sendo o estresse hídrico/alimentar o que causou a maior redução. As fêmeas do grupo controle ganharam peso, enquanto que os machos tiveram seu peso inalterado. Adultos submetidos aos estresses perderam mais peso no primeiro decêndio, sendo o estresse hídrico/alimentar o que causou o maior impacto nos primeiros dez dias. Quanto maior o tempo privado de água e alimento, maior foi o peso adquirido por adultos em 24 horas de reidratação, sendo os machos os que ganharam mais peso durante esse período. Os estresses e o tempo de estresse não influenciaram no número total de hemócitos. Houve variações na porcentagem dos tipos celulares quando os insetos foram privados de alimento e de água e alimento. Geralmente essas alterações consistiram no aumento de pró-hemócitos e redução de plasmatócitos. Esse estudo pode servir como base para estudos posteriores de bioecologia, comportamento e a capacidade de resistência a inseticidas químicos e biológicos, bem como servir como modelo para estudos em outras espécies de insetos.
    Palavras-chave: barata; desidratação; fome; hemócitos; massa corporal.
  • Download (PDF)

Leandro Encarnação Garcia

  • Orientadora: Drª. Élvia Elena Silveira Vianna
  • Projeto de Pesquisa: Inventariamento de Coleoptera (Scarabaeidae: Scarabaeinae) no bioma Pampa do Rio Grande do Sul, Brasil
  • Resumo: Scarabaeinae (Coleoptera: Scarabaeidae), compreende os besouros popularmente chamados de “rola-bosta”, que constituem importante grupo de decompositores e bioindicadores de impactos ambientais nos ecossistemas. Áreas do bioma pampa são ecossistemas naturais com alta diversidade de espécies vegetais e animais, no entanto, pouco conhecidas em comparação com outros biomas do Brasil. Dados sobre a escarabeinofauna do bioma pampa é escassa. Portanto, os objetivos deste trabalho foram inventariar a fauna destes besouros em áreas localizadas no extremo-sul do Rio Grande do sul, bem como, conhecer seus hábitos e comportamentos alimentares. As áreas de amostragem se localizaram nos municípios de Herval e Arroio Grande. Foram dispostas 216 armadilhas do tipo pitfall iscadas com esterco humano e suíno e, carne bovina em decomposição, distribuídas em seis áreas. Registraram-se 2.243 indivíduos, organizados em 6 tribos, 13 gêneros e 35 espécies. As espécies foram classificadas em coprófagas, generalistas e necrófagas. Foi capturado um maior número de indivíduos em armadilhas iscadas com esterco suíno e humano do que em carne apodrecida. Pela primeira vez a espécie Trichillum morelli foi encontrada no Brasil e Canthidium taurino é um novo registro para o estado.
    Palavras-chaves: besouros; rola-bosta; pitfall.
  • Download (PDF)

Lenon Morales Abeijon

  • Orientador: Dr. Mauro Silveira Garcia
  • Co-Orientadores: Dr. Flávio Roberto Mello Garcia e Drª. Patrícia Braga Lovatto
  • Projeto de Pesquisa: Assembleia de Formigas em Pomares de Pessegueiro sob Manejo Convencional e Orgânico e seu Potencial como Predadoras de Anastrepha fraterculus (Diptera, Tephritidae)
  • Resumo: A agricultura de base ecológica vem se estabelecendo como opção produtiva à agricultura convencional e surgiu através da demanda da sociedade na busca por alimentos saudáveis, livres de resíduos químicos sintéticos respeitando o meio ambiente. O Estado do Rio Grande do Sul é o maior produtor de pessegueiro do país, o qual se destaca por sua importância econômica e social. A biodiversidade no planeta encontra-se amplamente modificada devido à antropização pela ocupação de paisagens naturais para conversão em agroecossistemas, resultando em perda de biodiversidade. Os estudos de organismos bioindicadores são importantes para o delineamento de políticas de uso da terra permitindo ampliar as estratégias de sustentabilidade nos agroecossistemas. Formigas destacam-se como um dos grupos mais estudados no Brasil como bioindicadores de qualidade ambiental. Desta forma objetivou-se caracterizar a assembleia de formigas em pomares de pessegueiro em sistema de manejo convencional e orgânico e fragmento florestal adjacente através análise faunística no sul do Rio Grande do Sul e verificar o potencial como predadoras de Anastrepha fraterculus (Wiedemann, 1830) (Diptera, Tephritidae). As formigas foram amostradas semanalmente com o auxílio de armadilhas pitfall em pomares de pessegueiro e fragmentos de floresta adjacentes em duas propriedades sendo uma sob sistema de manejo convencional e a outra sob sistema orgânico. Além disso, registrou-se, em ensaio a campo na propriedade com sistema de manejo convencional, o potencial das formigas como predadoras de A. fraterculus bem como a influência dos parâmetros de densidade e umidade do solo no enterramento/remoção das larvas. Foram amostrados 5.775 espécimes de formigas de 93 espécies, em oito subfamílias, pertencentes a 30 gêneros, correspondendo à 1.717 registros de ocorrência. Destacaram-se em riqueza as subfamílias Myrmicinae (S=45), com os gêneros Camponotus (S=11), Acromyrmex (S=8), Pheidole (S=8) e Crematogaster (S=6), Formicinae (S=19) e Ponerinae (S=13). Essa última com o gênero Pachycondyla com seis espécies registradas. Observou-se maior riqueza no pomar com manejo convencional (PC), sendo, de acordo com o índice de diversidade de Shannon-Wiener (H’) também o mais diverso (H’ = 3,36). Associaram-se ao PC Pheidole sp.2, o qual constitui o gênero de formigas generalistas, exploradoras e hiperdiversas em ambientes antropizados e Wasmannia sp. e no PO as espécies Cyphomyrmex rimosus e Wasmannia auropunctata. A influência dos tipos de manejo foi verificada através dos registros de abundância sendo similar em PC ao PO. Quanto ao potencial de predação de A. fraterculus, a espécie Solenopsis saevissima removeu 42,86% das larvas oferecidas no ensaio. A riqueza de espécies entre os pomares convencional e orgânico e suas respectivas áreas adjacentes foram semelhantes A densidade e a umidade do solo não influenciaram na remoção e no enterramento das larvas. S. saevissima mostra-se promissora como agente no controle biológico conservativo A. fraterculus.
    Palavras-chave: inventariamento; Agroecologia; mirmecofauna.
  • Download (PDF)
  • Ficha_Catalográfica (PDF)

Letícia Hellwig

  • Orientadora: Drª. Ana Paula Schneid Afonso da Rosa
  • Co-Orientador: Dr. Anderson Dionei Grützmacher
  • Projeto de Pesquisa: Reavaliação do nível de dano de Spodoptera frugiperda (J. E. Smith, 1797) (Lepidoptera: Noctuidae) em milho convencional e avaliação de tecnologias de refúgio no saco para milho transgênico em terras baixas
  • Resumo: O milho é um dos mais importantes e tradicionais cereais do mundo. O Brasil ocupa a 3ª posição na produção mundial, cultivando mais de 15 milhões de hectares e produzindo aproximadamente 80 milhões de toneladas por ano. No estado do Rio Grande do Sul, apresenta importância sócio-econômica, em termos de renda e emprego e é responsável por 6,6% dessa produção. Nos últimos anos a produção de milho tem sofrido grandes avanços, conseqüência das novas tecnologias disponíveis para os agricultores, propiciando aumento de produtividade, no entanto, os problemas fitossanitários têm se agravado a cada safra. Neste contexto, a lagarta-do-cartucho Spodoptera frugiperda (J. E. Smith, 1797) (Lepidoptera: Noctuidae) é considerada a principal praga nas condições brasileiras, podendo causar perdas de até 100% da produção. Nesse sentido, os objetivos do estudo foram: a) reavaliar o nível de dano de S. frugiperda em milho convencional, BG7060, através de infestação artificial com diferentes densidades populacionais de lagartas (0, 1, 3, 5, 10, 15 e 20 lagartas planta-1) em diferentes estádios fenológicos da planta (V0-V12; V2-V4; V4-V8 e V8-V12 folhas completamente expandidas) em casa de vegetação; e b) avaliação de tecnologias de refúgio com diferentes proporções de misturas de sementes de milho Bt e não-Bt (BG7060: 100% transgênica, 100% convencional e 90% transgênica + 10% convencional; AG9045: 100% transgênica, 100% convencional e 95% transgênica + 5% convencional) em condições de campo. Os resultados obtidos evidenciaram que o aumento do número de lagartas de S. frugiperda por planta para o milho BG7060 afeta todas as variáveis relacionadas à produtividade, exceto a altura de planta e comprimento da espiga, propiciando uma menor produtividade conforme ocorre aumento no número de lagartas planta-1 e que o nível de controle de S. frugiperda para o milho BG7060 para o estádio V4-V8 é 29% de plantas atacadas em uma amostragem de 100 plantas, quando ocorre uma lagarta planta-1. Também constatou-se que os híbridos influenciam na eficácia da tecnologia “Refuge in the Bag – RIB”, concluindo que ambas as misturas testadas, BG7060 H (90%) + BG7060 (10%) e AG9045 PRO2 (95%) + AG9045 (5%), podem ser utilizadas na substituição do refúgio estruturado, apesar de que o híbrido AG9045 sempre apresentou o menor número médio de lagartas e a menor porcentagem de plantas atacadas quando comparado ao híbrido BG7060. Sendo assim, a intensidade de dano, de maneira geral, diminui com a redução na proporção de sementes não transgênicas usadas na tecnologia.
    Palavras-Chave: nível de controle, lagarta-do-cartucho, Zea mays, manejo da resistência.
  • Download (PDF)