Início do conteúdo
Estudantes cotistas na Pós-Graduação (Em construção)

O sistema de cotas étnico-raciais na Pós-Graduação configura a questão das ações afirmativas como um processo amplo dentro da UFPel, visando atender a demanda criada pelas cotas na graduação e promover a democratização e a equidade das oportunidades de acesso à educação. Entende-se que todos os Programas de Pós-Graduação da Universidade irão se beneficiar com a adoção de uma política que promova a diversidade étnica e cultural.

O Núcleo de Ações Afirmativas e Diversidade (NUAAD) está atualmente mapeando a presença dos cotistas étnico-raciais nos Programas de Pós-Graduação da UFPel, considerando que ainda não há um banco de dados específico, e que eventualmente os candidatos autodeclarados Negros, Indígenas e/ou Quilombolas acabam ingressando nos cursos de Pós-Graduação pela modalidade de ampla concorrência, escapando assim de qualquer controle por parte do NUAAD. O levantamento está sendo feito manualmente.

De acordo com os dados preliminares, no primeiro ano da política de cotas na Pós-Graduação, 33 estudantes autodeclarados Negros, Indígenas e/ou Quilombolas ingressaram em cursos de Mestrado e Doutorado;

Em 2018, foram 39 estudantes.

O Programa que recebeu mais estudantes cotistas étnico-raciais foi o Programa de Pós-Graduação em Educação, com 16 ingressantes entre 2017 e 2018.

Em breve, novos dados serão divulgados.