Início do conteúdo
Processo Seletivo Específico para Indígenas e Quilombolas

Sobre as políticas de acesso para estudantes Indígenas e Quilombolas

Resolução nº 15/2015, aprovada pelo Conselho Coordenador do Ensino, da Pesquisa e da Extensão da UFPel (COCEPE), criou dez vagas específicas, destinadas a estudantes provenientes de comunidades indígenas e quilombolas.

Os estudantes indígenas estão amparados também pela Lei nº 12.711/12, que instituiu as cotas étnico-raciais nas Instituições Federais de Ensino Superior; A política de ação afirmativa para estudantes quilombolas é uma política autônoma da UFPel.

A criação dessas vagas visa promover o acesso para grupos cuja possibilidade de ingresso nas universidades públicas é dificultada por sua cultura e modos de vida próprios, e que foram historicamente excluídos de diversos espaços da sociedade brasileira. Assim, a política de ações afirmativas para indígenas e quilombolas tem o objetivo de reparar injustiças históricas que foram cometidas sobre esses povos.

Durante o processo de aprovação da Resolução nº 15/2015, do COCEPE, foi destacado que “a sociedade mantém uma dívida histórica” com essas comunidades e que “se a Universidade não adotasse formas especiais de acesso desses grupos, iria manter sempre uma porta fechada para a formação humana e profissional desse grupo”. afirmações que foram corroboradas pelo COCEPE (Ata nº 13/2015).

Recentemente, o Núcleo de Ações Afirmativas e Diversidade (NUAAD) realizou uma pesquisa com os estudantes Indígenas e Quilombolas da UFPel. Os resultados e uma breve análise podem ser acessados aqui.

Outras informações em: Coordenação de Registros Acadêmicos – Processos Seletivos Especiais