Canvas, o que é?

O Canvas é uma ferramenta o qual se baseia num esquema visual onde possibilita as pessoas co-criarem modelos de negócios analisando 9 elementos que toda empresa ou organização possui, são eles: proposta de valor, parcerias chaves, atividades chaves, recursos chaves, relacionamento com clientes, segmentos de clientes, canais de distribuição, estrutura de custos e fluxo de receitas.

Essa metodologia possibilita descrever e pensar sobre o modelo de negócios da organização do empreendedor, de seus concorrentes ou qualquer outra empresa. Além de possibilitar descrever e pensar sobre o modelo de negócios.

A ferramenta Canvas é em formato de quadro, permitindo analisar o modelo de negócios que está sendo criado, remodelado, adaptado com o pensamento visual, que consiste em usar desenhos para representar situações ou ideias.

Dessa forma, essa plataforma nos possibilita ver o modelo como um desenho e não como uma folha de texto, assim ao olhar para o quadro do Canvas é possível compreender rapidamente e comparar as relações entre os nove elementos e descobrir se existe sentido e complementação entre eles. E ,por ser uma ferramenta somente visual, a Co-criação é facilitada, permitindo que pessoas não envolvidas (diretamente no negócio) possam auxiliar na construção e análise do modelo.

Gestão de Pessoas na Prática: Desenvolvimento Emocional

A Emad Jr. promoverá no dia 13 de novembro o evento “Gestão de Pessoas na Prática: Desenvolvimento Emocional”.

A palestra será ministrada por Kelen Rosa, Personal Coach, formada pela sociedade Brasileira de Coaching em 2013 e Bacharel em Direito, UCPel – 2011, Graduada em Relações Humanas pelo Instituto Dale Carnegie. Graduada em Eneagrama – O estudo dos Padrões de Personalidade pelo Instituto Eneagrama.

As inscrições podem ser realizadas até o dia 13/11 pelo link ou na sala 447 – Campus Anglo com o valor de R$ 10,00. As inscrições a partir do dia 10/11 terão custo de R$ 15,00.

O evento será realizado no auditório da reitoria, quarto andar, Câmpus Anglo – UFPel.

As vagas são limitadas. A participação na palestra dá direito a certificação de 03h.

Surgiu alguma dúvida? Entre em contato através do email marketing@emadjr.com.br

Plano de Marketing

Plano de marketing são ações realizadas para chegar em um objetivo específico, como aumentar a visibilidade de uma marca, de uma mercadoria, e até mesmo da empresa e seus serviços oferecidos.

O marketing não é mais visto apenas para vender algo, com a era digital ter um bom plano de marketing na empresa significa planejamento e crescimento para esta, tornando-a mais competitiva no mercado e sempre atual.

É muito importante que a empresa tenha um profissional do campo de marketing para lhe auxiliar no planejamento de como ele deve seguir e ser feito, existem muitas empresas no mercado que prestam consultoria ajudando a fazer este planejamento. Focando no público e nos ideais da empresa para escolher qual é o melhor caminho a ser traçado.

Após ser traçado o plano pelo profissional de marketing, um cronograma de acompanhamento é necessário para obter sucesso e avaliar o que precisa ser corrigido para melhorar o plano, o cronograma também determina o momento em que cada ação deve ser realizada, como e por quem.

Fonte: https://goo.gl/iVgWb3

– Diretoria do Marketing

Avaliação 360°

As avaliações de desempenho, são uma parte importante dos sistemas de gestão de desempenho, são o resultado de um processo trimestral, semestral ou anual, em que um gerente avalia o desempenho de um funcionário de acordo com as exigências do cargo e usa as informações para mostrar à pessoa em que aspectos as melhorias são necessárias e por quê.

É um método que permite os gestores identificar os “elos fracos” de uma equipe. No dia a dia, no desempenho de suas atividades, muitos gestores cometem o erro de centralizar tudo, não dividindo as tarefas e responsabilidades com sua equipe. O resultado desse comportamento não costuma gerar bons resultados para os indivíduos e para a empresa.

Como funciona?

Na Avaliação de desempenho 360°, os participantes recebem feedbacks estruturados de seus superiores e subordinados. Além disso, o profissional elabora sua própria autoavaliação.

Como o nome indica, o Feedback de 360 graus destina-se a fornecer aos funcionários a visão mais precisa possível, com pareceres de todos os ângulos: supervisores, pares, subordinados, clientes e outros.

Fontes de avaliação do colaborador

Para chegarem a esse tal ‘feedback estruturado’, os membros da equipe preenchem um questionário específico, que descreve os comportamentos de liderança considerados essenciais pela organização.

É importante observar algumas questões apresentadas abaixo:

  • Responsabilizar os respondentes: Os supervisores devem discutir a contribuição de cada integrante da equipe de avaliação, informando a cada membro se ele usou as escalas classificatórias adequadamente, se suas respostas foram confiáveis e como outros participantes avaliaram o funcionário.
  • Evitar “jogar” com o sistema: Alguns indivíduos podem tentar ajudar ou magoar um funcionário dando-lhe uma avaliação alta ou baixa demais. Os membros da equipe podem tentar fazer um complô concordando em dar avaliações altas. Os supervisores devem fazer uma verificação para identificar respostas inválidas.

Graças aos feedbacks recebidos, o profissional pode guiar melhor o seu próprio desenvolvimento, perceber em quais pontos ele pode e deve melhorar e, assim, corresponder plenamente às expectativas da empresa.

Fontes:

BOHLANDER, George W., Scott Snell. Administração de Recursos Humanos: Tradução da 16ª edição norte-americana, 3rd edição. Cengage Learning Editores, 04/2015.

FRAGOSOS, Carolina. Avaliação 360 graus. Disponível em: <https://www.rhportal.com.br/artigos-rh/avaliao-360-graus/>.

– Diretoria de Gestão de Pessoas

Palestra “Empreendedorismo 3 Tempos”

 

A Emad Jr. promoverá no dia 25 de setembro o evento “Empreendedorismo 3 tempos”, uma série de palestras com três empreendedores de diferentes áreas com o intuito de compartilhar suas experiências e desafios ao decorrer da carreira.

Os convidados são David Lubke – Administrador na Imperatriz Doces Finos,
Luisa Gielow – Gerente de Projetos na NODO, agência de produtos digitais e
Suelen Matievicz – Proprietária da Com Amor e Sem Lactose, empresa de gastronomia dedicada a restrição alimentar.

As inscrições podem ser realizadas até o dia 24 de setembro pelo link com os seguintes valores:
1º lote – prazo esgotado
2º lote – prazo esgotado
3º lote – prazo esgotado

O pagamento poderá ser realizado presencialmente na sala 447 – Campus Anglo, através de depósito bancário ou PagSeguro (cartão de crédito, débito e boleto). Iremos confirmar sua inscrição, via e-mail.

As vagas são limitadas. A participação na palestra dá direito a certificação de 03h.

*Para confirmar a inscrição, deve ser efetuado o pagamento da taxa de inscrição até a data limite informada acima.

Surgiu alguma dúvida? Entre em contato através do email marketing@emadjr.com.br

Processo Seletivo 2018/2

Já estamos à procura de novos consultores! Inscreva-se no Processo Seletivo Emad Jr.

Buscamos pessoas dedicadas e dispostas a fazer a diferença em nossos projetos e consultorias! Há vagas nas áreas de Finanças, Gestão de Pessoas e Marketing.

Para participar do Processo Seletivo é necessário estar regularmente matriculado nos cursos de Administração, Gestão Pública, Processos Gerenciais ou Turismo da UFPel.

As inscrições vão até dia 31/08.

Surgiu alguma dúvida? Sinta-se a vontade para entrar em contato através do e-mail rh@emadjr.com.br.

Clique aqui e inscreva-se!

 

 

 

 

Marketing Digital, o que é?

     Marketing Digital é um conjunto de atividades que uma empresa executa online com o objetivo de atrair novos negócios, criar relacionamentos e desenvolver uma identidade, isto é promover as marcas por meio de mídias digitais que é uma forma das empresas se comunicarem com o público.

    Dessa forma, o marketing digital são ações de comunicação que as empresas podem utilizar por meio da internet, celular e redes sociais, para assim divulgar e comercializar seus produtos, conquistando novos clientes e melhorando a sua rede de relacionamentos.

    Existem diversas vantagens ao se utilizar este tipo de marketing, podemos citar: A interatividade com o público, com esta nova experiência as empresas podem ver o lado do consumidor através da interação em alguns cliques, o que aumenta o engajamento com a marca.

    Em relação ao consumidor há também um melhor direcionamento ao seu público, ou seja, atrair as pessoas que realmente tem o perfil para consumir a sua marca.

    Em um mundo virtual e online a obtenção de dados segue muito mais rápida e fácil de mensurar e analisar. Podendo então, identificar mais rapidamente as falhas e encontrar métodos para melhorar e corrigir.

Assim o marketing utiliza diversas disciplinas para identificar personas e quais suas necessidades e cobiças para entregar não somente produtos e serviços, mas também gerando lucro para quem o utiliza.

Fonte: https://goo.gl/gpf6i8

Fonte Imagem: https://goo.gl/mg9n7J

Diretoria de Marketing

Qual a importância da Pequisa de Clima Organizacional?

      Há empresas que atuam somente de forma operacional e possuem um péssimo ambiente de trabalho. Como mudar essa situação? É essencial que não apenas os gestores, mas também os diretores e os acionistas saibam da importância do clima para uma empresa.

      Um ambiente de trabalho positivo faz com que os funcionários se sintam bem sobre a vinda para o trabalho, e isso proporciona a motivação para sustentá-los ao longo do dia. A aplicação de uma pesquisa de clima organizacional ajuda a mensurar esses fatores que afetam o relacionamento que as pessoas têm entre si e a relação que possuem com a própria empresa. Pesquisas desse tipo são essenciais para a gestão da organização.

      O clima da instituição também pode ser definido como a percepção coletiva que as pessoas têm da organização, por meio das experiências práticas, políticas e estruturais. Ele é uma esfera psicológica que abrange a ligação entre a empresa e seus funcionários, configurada por um conjunto de características do ambiente de trabalho que podem ser medidas por meio de uma pesquisa.

Como aplicar esta pesquisa?

      Para aplicar a pesquisa de clima organizacional, o responsável pela área de Gestão de Pessoas deve observar as seguintes fases: elaboração do formulário, comunicação, aplicação da pesquisa, apuração dos dados, relatórios e plano de ação.

      A primeira fase é a criação de um formulário e para isso não há um padrão definido, pois as perguntas poderão variar de acordo com a realidade e com a cultura da empresa. A etapa seguinte é a comunicação, em que os gestores serão informados e passarão para sua equipe os benefícios dessa ferramenta. A divulgação poderá ser feita em reuniões e através dos meios de comunicação interna, como a TV corporativa para disseminar a pesquisa, bem como mostrar o seu resultado posteriormente.

      Com essas informações extraídas da pesquisa, é possível elaborar um relatório sugerindo um plano de ações para atacar os focos de problemas, com o intuito de melhorar o ambiente organizacional. A partir de pesquisa de clima aplicada, a organização poderá realizar uma avaliação sobre sua atuação, possibilitando um melhor planejamento de suas ações e favorecendo o desenvolvimento das habilidades e das competências organizacionais.

Fonte: https://blog.teclogica.com.br/importancia-das-pesquisas-de-clima-organizacional/

Diretoria de Gestão de Pessoas

Prêmios em dinheiro funcionam?

 

O neuroeconomista Uri Gneezy e seu colega Aldo Rustichini queriam resolver uma antiga questão sobre quanto o dinheiro pode afetar na motivação dos indivíduos. Muitas empresas adotam incentivos em dinheiro, como bônus e prêmios por metas e comissões para os funcionários na crença de que são um estímulo para que trabalhem melhor. Ambos, queriam resolver uma antiga questão entre economistas tradicionais (aos quais consideram que pagar recompensas em dinheiro melhora o desempenho das pessoas) e comportamentais, que consideram o contrário. Alguém tem razão?

Para Uri, o desempenho está relacionado ao esforço, que pode não ser agradável, mas é pago, relacionando o trabalho de um jeito positivo. Sabendo-se que, a relação dinheiro e o bem estar, pode ser diretamente proporcional, o efeito de longo prazo é a melhoria contínua da qualidade na área. Foi abordado também, “motivação intrínseca” da tarefa, pois muito do que fazemos é porque gostamos, temos aptidão ou estamos motivados por alguma razão.

Para testar quem está certo, Gneezy comandou um estudo na Universidade de Haifa, em Israel. Os resultados foram publicados em seu trabalho seminal de 2000 no Quarterly Jornal of Economics. A primeira etapa envolveu 160 estudantes, convidados a responder um teste de QI. Eles foram divididos em quatro grupos, cada um com 40 pessoas. O teste continha 50 perguntas. O primeiro grupo apenas respondeu quantas questões sabia, sem nenhuma recompensa. Ao grupo nº 2, foi oferecido o equivalente em shekels (a moeda israelense) a R$ 0,10 em dinheiro por acerto. O grupo nº 3 também seria pago, mas ganharia o mesmo que R$ 1 por cada questão correta. Por último, cada vez que alguém do grupo nº 4 acertasse uma pergunta, receberia R$ 3.

Se os livros de economia estavam certos, acertaria mais questões o grupo nº 4. Depois viriam o nº 3, nº 2 e nº 1. Mas eis os resultados:

  • Grupo 3 – 34 acertos
  • Grupo 4 – 34 acertos
  • Grupo 1 – 28 acertos
  • Grupo 2 – 23 acertos

Pagar mais do que o valor mais baixo levou a mais acertos, mas não houve vantagem em oferecer R$ 3 ou R$ 1. Também aconteceu que o grupo que respondeu às questões sem ganhar nada foi muito melhor do que aquele que recebeu R$ 0,10 por questão. Oferecer dinheiro, notou o estudo, gerou uma reação negativa, mas nos grupos melhor remunerados valeu a regra de que altos pagamentos exigem altas performances.

Não obstante, foi realizado um segundo experimento, o qual envolveu mais 180 alunos de colégios da cidade que fazem trabalho voluntário (jovens de até 16 anos que vão nas residencias pedindo doações para pesquisas contra o câncer e ajuda a crianças deficientes). Estes, foram divididos em três grupos.

Os primeiros 60 participantes, antes de ir para a rua, ouviram um discurso dos pesquisadores sobre a importância do trabalho deles. Mais tarde, um segundo grupo de 60 voluntários também ouviu o discurso, mas a eles foi prometida uma comissão: ficariam com 1% do valor arrecadado. Para o terceiro grupo, depois do discurso, a comissão seria de 10%.

O maior incentivo era o pagamento de 10%, que devia ter levado ao maior número de doações, mas como foram os resultados? Mais uma vez os shekels estão convertidos em reais:

  • Grupo 1 (nenhum incentivo) – R$ 238,67 (Shekels convertidos em Reais)
  • Grupo 2 (1% de comissão) – R$ 153,67
  • Grupo 3 (10% de comissão) – R$ 219,33

Um exemplo do papel da motivação intrínseca, é quem mais obteve doações, trabalhou de graça.Captar doações é uma ação nobre e o que motiva as pessoas pode ser muito mais a vontade de ajudar do que o dinheiro. E mais uma vez a pequena recompensa resultou no pior desempenho.

Segundo o estudo, uma explicação, é de que nenhum de nós gosta de trabalhar por pouco. Introduzir uma quantia de dinheiro, qualquer valor, numa rotina gratuita faz todo mundo pensar: “Sobre o que é esse contrato?” Diante da oferta de um pequeno valor, podemos nos sentir ofendidos ou nos perguntamos se não estamos abrindo mão de algo melhor no futuro. Uma recompensa maior encerra as dúvidas. Mas, para as empresas, se não dá para pagar muito, o melhor é não pagar.

Nem sempre pouco é melhor do que nada. A partir do momento em que você passa a ser pago por algo, o foco passa a ser o valor a receber quando devia estar sendo estimulada sua motivação para o trabalho.

Artigo disponível em https://g1.globo.com/economia/educacao-financeira/blog/samy-dana/post/2018/06/02/dar-premios-em-dinheiro-funciona-depende-do-valor.ghtml acessado em 10/07/2018.

Diretoria do Administrativo-Financeiro

Palestra Prática Profissional

 

Em parceria com a ABRH-RS, a Emad Jr. promoverá no dia 21 de junho uma palestra com o tema “Prática Profissional”, em que será abordado o estágio, elaboração de currículos, linkedin, dinâmicas de entrevistas e o início da vida profissional.

A palestra será ministrada pela psicóloga Juliana Fabião e pela administradora Brenda Sandrine.

As inscrições podem ser realizadas até o dia 20 de junho pelo link (https://goo.gl/8a5qKd ) ou na sala 447 – Campus Anglo, sem custo.

As vagas são limitadas. A participação na palestra dá direito a certificação de 03h.

Estaremos arrecadando roupas para nossa campanha do agasalho 2018. Caso possível, traga sua doação!

Surgiu alguma dúvida? Entre em contato através do email marketing@emadjr.com.br