Promoção à Saúde

Inverno com Saúde

MS_INFLUENZA_CARTAZ_46x64cm

Já se sabe que normalmente os surtos de H1N1, um dos tipos da Influenza A, acontecem a partir de junho, com a chegada do inverno, mas nos estados de São Paulo e no Rio Grande do Sul, por exemplo, casos graves da doença e óbitos começaram a ser registrados mais cedo.
A campanha nacional da gripe vai de 30 de abril a 20 de maio, mas no Rio Grande do Sul a campanha de vacinação começou no dia 26 de abril. As autoridades de Saúde recomendam que as pessoas procurem as Unidades Básicas e Postos de Saúde mais próximos para serem imunizadas.

A influenza (gripe) é uma infecção viral aguda que afeta o sistema respiratório. É facilmente transmitida por meio de secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir, espirrar ou pelas mãos, que após contato com superfícies recém contaminadas por secreções respiratórias pode levar o agente infeccioso direto a boca, olhos e nariz. O vírus pode permanecer em superfícies como madeira, aço e tecidos por até 48 horas.

O conjunto de sintomas é denominado síndrome gripal e se caracteriza pelo aparecimento súbito de febre alta (38 a 40°C), cefaleia (dor de cabeça), dores musculares (mialgia), tosse, dor de garganta e fadiga. Casos mais graves, com dificuldade respiratória, podem necessitar internação e cuidados mais intensivos. Procure um médico quando apresentar sintomas de gripe que não melhora, ou agravamento dos sintomas. Normalmente o tratamento é sintomático e, se iniciado logo no início, tem boas chances de ser efetivo. O resfriado comum apresenta sintomas semelhantes, porém menos intensos, que melhoram de 2 a 4 dias.

A melhor forma de prevenção da gripe é a vacinação, principalmente do grupo onde o risco de complicações é elevado e a eliminação e transmissão do vírus é maior. Devem receber a imunização gratuitamente os idosos, crianças de seis meses a cinco anos, gestantes, pessoas com doenças crônicas, obesidade, diabetes, asma, hipertensão e HIV, pacientes com câncer e transplantados, profissionais da área de saúde, indígenas, detentos e funcionários do sistema carcerário. Aqueles indivíduos que não se enquadram nesse grupo podem optar pela vacinação na rede particular.

Além disso, medidas simples podem ser adotadas para evitar a propagação da gripe, entre elas: restringir contatos sociais desnecessários; não partilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal; utilizar lenços descartáveis ao tossir ou espirrar; lavar as mãos com água e sabão frequentemente; usar álcool gel quando não puder lavar as mãos; evitar visitas a hospitais ; evitar sair de casa estando gripado; evitar ambientes mal ventilados e com aglomeração de pessoas; entre outros.

A gripe é coisa séria, por isso vacine-se e viva com mais saúde!

Fonte:

http://www.saude.rs.gov.br

http://portalsaude.saude.gov.br

http://www.blog.saude.gov.br