Decreto proíbe a publicidade de alimentos infantis

O governo vetou a publicidade de alimentos infantis que seriam prejudiciais à amamentação, como papinhas, leites artificiais e até mamadeiras. A ideia é regular a alimentação das crianças de até 3 anos e evitar a interferência da publicidade nas campanhas de incentivo ao aleitamento materno.

De acordo com o Ministério da Saúde, os estabelecimentos terão o prazo de um ano, a partir da publicação do decreto, para se adequarem às novas medidas. As restrições à propaganda infantil também vêm sendo debatidas no Senado e são tema de projetos que se encontram em tramitação na Casa.

O Decreto 8.552/2015, que regulamenta a Lei 11.265/2006, foi assinado no dia 3 pela presidente Dilma Rousseff na 5ª edição da Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional.

A lei trata da comercialização de alimentos para mães e crianças durante o período da amamentação e proíbe que esses produtos, além de mamadeiras e chupetas, tenham propagandas veiculadas nos meios de comunicação.

A regulamentação também restringe descontos e exposições especiais desses alimentos e produtos em supermercados. Quanto à rotulagem, a regra proíbe que as embalagens contenham fotos, desenhos e textos que induzam ao uso. E obriga que elas tragam a idade correta indicada para o consumo.

Os rótulos deverão exibir um destaque sobre os riscos do preparo inadequado e instruções para o uso correto, inclusive com medidas de higiene a serem observadas e dosagem para diluição, quando necessário.

__

Fonte: CFN

Leia a matéria na íntegra acessando o site de origem aqui.

Diretoria da Agência aprova realização de audiência pública sobre gordura trans

A Diretoria Colegiada (Dicol) da Anvisa aprovou a realização de uma Audiência Pública sobre o uso de gordura trans industrial em alimentos. A reunião está prevista para ser realizada no mês de março de 2016, com intuito de obter subsídios adicionais sobre o impacto das diferentes alternativas regulatórias disponíveis.

A gordura trans industrial é encontrada principalmente na gordura parcialmente hidrogenada. O ingrediente é utilizado na formulação de diversos tipos de alimentos industrializados, como margarinas, biscoitos, snacks, bolos, massas instantâneas, sorvetes, chocolates, pratos congelados e pipoca de micro-ondas.

O consumo desse tipo de gordura aumenta o risco de doenças cardiovasculares. Por isso, a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda aos governos a adoção de medidas regulatórias destinadas a eliminar essa substância dos alimentos.

Desde então, o uso de gordura trans industrial em alimentos tem sido uma preocupação da Anvisa. A Agência publicou regulamentos de rotulagem nutricional de alimentos com o objetivo de garantir que os consumidores brasileiros tivessem acesso a informações sobre a quantidade dessa substância nos alimentos, contribuindo para escolhas alimentares mais saudáveis. Os regulamentos também forneceram um incentivo para que as indústrias de alimentos adotassem iniciativas voluntárias de reformulação, reduzindo a quantidade de gordura trans em seus produtos.

Porém, apesar dos avanços obtidos, constata-se que o mercado nacional ainda possui muitos produtos industrializados com adição de gordura trans industrial e que possuem um preço inferior aos alimentos equivalentes sem adição da substância.

__

Fonte: CRN

Leia a matéria no site de origem clicando aqui.

Brasil institui Pacto pela Alimentação Saudável

A presidenta Dilma Rousseff assinou terça-feira (3) o decreto que institui o Pacto Nacional pela Alimentação Saudável. O documento prevê a promoção do consumo de alimentos saudáveis e adequados e a ampliação das condições de oferta e disponibilidade desses alimentos para combater o sobrepeso, a obesidade e as doenças decorrentes da má alimentação da população brasileira.
“Precisamos enfrentar essa epidemia decorrente da má alimentação. Queremos proporcionar aos brasileiros hábitos alimentares saudáveis, essa é nossa meta principal, meu compromisso”, destacou durante a abertura da 5ª Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, em Brasília.
A presidenta ressaltou que a assinatura do decreto é o primeiro passo para uma parceria ainda mais sólida com os estados e a sociedade nessa agenda. “Queremos comida de verdade, que promova saúde, qualidade de vida, que dê prazer, que valorize nossas tradições, culturas alimentares diferenciadas e que seja um reconhecimento da sociobiodiversidade do nosso país.”
O governo do Distrito Federal foi o primeiro a aderir ao pacto, por meio de acordo de cooperação assinado entre a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, e o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg.
Saúde – Dilma Rousseff também assinou decreto que regulamenta a Lei 11.265, que assegura o aleitamento materno e reduz a interferência de produtos comerciais na amamentação. O documento estabelece orientações para comercialização e publicidade de produtos direcionados às crianças de até três anos, como leites artificiais, papinhas industrializadas, mamadeiras e chupetas.
“Temos que cuidar dos nossos recém-nascidos, das nossas crianças. Promover uma alimentação saudável desde pequenos resulta em mais desenvolvimento para essas crianças que são o futuro do nosso país. Eles merecem nossa atenção e cuidado”, reforçou a presidenta.
Fonte: Asbran
Leia a matéria no site de origem clicando aqui.

Câmara aprova alerta de agrotóxicos em rótulos de alimentos

“Hoje cada brasileiro consome em média 7,3 litros de agrotóxicos por ano sem saber, sem ser avisado sobre os danos à sua saúde da ingestão destes venenos”, destaca o autor da proposta, deputado Jorge Solla (PT-BA).
Ele diz que a proposta não entra no mérito da proibição dos agrotóxicos, “mas do direito de cada cidadão saber o que está ingerindo, os malefícios à sua saúde e ter o poder de escolher se quer mesmo assim continuar a consumir”, afirmando que 22 dos 50 agrotóxicos mais empregados no Brasil estão banidos em outros países.
O projeto de lei agora segue para a apreciação na Comissão de Agricultura. Caso aprovado no colegiado, conclui a tramitação na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Caso a Comissão de Agricultura rejeite a matéria, ela precisará ser submetida ao plenário da Câmara.
Segundo dados da Associação Brasileira de Agroecologia (ABA), o Brasil registrou, entre 2007 e 2014, 34.147 casos de intoxicação por agrotóxico. Entre os problemas causados por esse tipo de intoxicação estão má formação de feto, câncer, disfunção fisiológica, problemas cardíacos e neuronais.
 –
Fonte: CRN 
Leia matéria no site de origem clicando aqui.

Concurso Melhores Receitas da Alimentação Escolar tem inscrições prorrogadas

Concurso Melhores Receitas da Alimentação Escolar tem inscrições prorrogadas

Merendeiros e merendeiras de todo o país terão até o dia 2 de novembro para se inscreverem no concurso Melhores Receitas da Alimentação Escolar. O prazo, que era até 25 de outubro, foi prorrogado para que mais pratos regionais sejam adicionados ao cardápio, que já conta com receitas de vatapá, peixada, feijão tropeiro, caldos e outras dezenas de iguarias que são servidas diariamente nas escolas do Brasil.

Todos os 26 estados brasileiros e o Distrito Federal serão representados no concurso. Até agora, São Paulo, Minas Gerais e Paraná são as unidades da federação com mais receitas cadastradas.

Criada pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), a iniciativa busca valorizar o papel dos merendeiros, além de promover a formação de hábitos alimentares saudáveis no ambiente escolar e fora dele. Também é uma forma de comemorar os 60 anos da alimentação escolar no Brasil. O Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) é considerado referência internacional para países interessados em criar ou aprimorar suas políticas na área. Atualmente, mais de 42 milhões de estudantes brasileiros são beneficiados pelo programa.

Para participar, a merendeira ou o merendeiro deve inscrever sua receita na página eletrônica do concurso e mobilizar a escola onde trabalha para desenvolver pelo menos uma atividade de educação alimentar e nutricional que tenha a ver com a preparação inscrita. A escolha ocorrerá em quatro etapas, nas quais serão selecionadas as receitas mais caprichadas e saborosas de cada região. Os cinco vencedores da etapa nacional ganharão uma viagem internacional e um prêmio de R$ 5.000,00.

Os merendeiros já inscritos devem ficar atentos aos novos prazos. Além das inscrições, foram prorrogadas as datas das etapas estadual e regional, bem como as fases de divulgação dos resultados.

Fonte: Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação do Ministério da Educação

Rotulagem Nutricional em pauta na Sexta Básica

 As maneiras de desvendar os rótulos dos alimentos e fazer escolhas mais saudáveis serão destaque na próxima Sexta Básica. A teleconferência “Rotulagem Nutricional” ocorre no dia 30 de outubro, às 16h30min, em Porto Alegre e é retransmitida para Caxias do Sul.

As nutricionistas Carolina Costa Cabral da Costa Silva Grehs e Samantha Peixoto Silva serão as palestrantes desta edição. Elas apontarão os principais passos para a leitura de rótulos e as dificuldades encontradas pelos consumidores a partir de suas experiências.

Carolina é formada pela Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA). Possui pós-graduação em Gestão em Segurança de Alimentos e atua como responsável técnica do Programa Nacional de Alimentação Escolar em Santo Antônio da Patrulha.

Samantha é formada pela Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA) e atua com atendimento nutricional em consultório. Possui especialização em Nutrição Clínica pela Universidade Gama Filho (UGF) e mestrado em Ciências da Reabilitação (UFCSPA).

A teleconferência, uma promoção do CRN-2 e do SESI-RS, está aberta a nutricionistas, técnicos em Nutrição e Dietética, estudantes, profissionais de outras áreas, técnicos das indústrias e público em geral.

Para obter informações sobre como realizar a inscrição, clique aqui.

Fonte: Conselho Regional de Nutricionistas – 2° Região

Arca do Gosto: conheça os incríveis ingredientes brasileiros que correm o risco de desaparecer

A Arca do Gosto é um catálogo mundial do movimento Slow Food para localizar, descrever, divulgar e proteger produtos ameaçados de extinção, mas que se encontram ainda vivos, com potencial produtivo e comercial. A lista, dividida em categorias como raças animais, frutas e verduras, reúne hoje mais de 2000 ingredientes de diversos países, sendo quase 50 brasileiros.

Sem título

Conheça melhor alguns deles aqui!

 

 

Campanha no Rio de Janeiro une governo e sociedade na batalha contra obesidade e sobrepeso

Brasília – No mês em que se comemora o Dia Mundial da Alimentação, o governo federal, a Prefeitura do Rio, organizações da sociedade e o setor privado se reúnem para tratar da campanha de promoção da alimentação saudável, que será lançada na cidade do Rio de Janeiro, em 2016.

No encontro, serão firmados os primeiros compromissos dos parceiros para a campanha Brasil Saudável e Sustentável. A iniciativa tem como principal objetivo unir forças para travar a batalha contra a obesidade e o sobrepeso da população na Cidade Maravilhosa.

De acordo com o secretário nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Arnoldo de Campos, “o momento é de unir esforços em torno do objetivo de tirar o Rio de Janeiro das primeiras colocações das capitais com maior percentual de obesidade”.

A proposta, segundo o secretário, é que as ações ganhem escala e inspirem outras iniciativas pelo país. “O Brasil tem um patrimônio físico de produção diversificada de alimentos saudáveis que nos dá base para promover esta mudança nos hábitos alimentares da população, com tudo dentro de casa”, disse ele nesta segunda-feira (19), na abertura do encontro, na Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro.

A campanha vai chamar a atenção para os benefícios dos alimentos produzidos localmente e para as vantagens do consumo de produtos orgânicos e agroecológicos. Em contraposição, trará alertas contundentes para os riscos do consumo de produtos ultraprocessados para a saúde das pessoas – tudo expresso em materiais de educação alimentar e nutricional, como cartilhas, folderes, vídeos, ações nas redes sociais, entre outras.

Informações sobre os programas do MDS:
0800-707-2003
mdspravoce.mds.gov.br

Fonte: Conselho Federal de Nutricionistas

Ver Matéria Completa

Universidade de Pelotas abre chamada pública para adquirir alimentos orgânicos e da agricultura familiar

PAA

Produtos vão compor a refeição dos alunos nos restaurantes universitários.

A Universidade Federal de Pelotas (UFPel) abriu chamada pública para adquirir produtos da agricultura familiar. Os alimentos vão compor as refeições oferecidas em dois restaurantes universitários. A compra de 62,4 toneladas de produtos será feita por meio da modalidade Compra Institucional do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). O investimento previsto para a compra é de aproximadamente R$ 600 mil.

Na lista de alimentos estão frutas, verduras, hortaliças, laticínios, doces e grãos. A prioridade de compra será para organizações da agricultura familiar e para produção de orgânicos. Os interessados devem apresentar a documentação para habilitação e proposta de venda na até o dia 28 deste mês, na sede da Fundação de Apoio Universitário (Rua Marcílio Dias nº 939, em Pelotas). A entrega dos alimentos nos restaurantes começa em novembro.

Para acessar o edital da chamada pública, clique aqui.

Alimentos Orgânicos para Todos: da mesa à merenda

No mês de outubro o Idec lança a Campanha “+ Orgânicos”, com objetivo de informar os consumidores sobre as vantagens de preferir alimentos orgânicos e os perigos do consumo de alimentos com agrotóxicos.

Além da pesquisadora do Idec Ana Paula Bortoletto, convidamos o Departamento de Alimentação Escolar de São Paulo e Ana Flávia Badue, do Instituto Kairós,para falar sobre a experiência de inserir alimentos orgânicos na alimentação escolar da cidade.

Online e Presencial
Evento Gratuito | Inscrições limitadas

Dúvidas e informações: eventos@idec.org.br ou (11) 3874-2150

 

Campanha incentiva consumo de pescado em todo o país

Preço baixo, sabor e saúde para você e sua família! Com essa proposta acontece a 12ª Semana do Peixe, de 28 de setembro a 16 de outubro. Como a campanha é em todo o Brasil, os estados estão com programações específicas para incentivar o consumo entre a população.

Durante o período é possível encontrar peixes de qualidade e por um preço bem mais acessível do que de costume. A iniciativa tem o apoio de redes de supermercados, feiras, mercados públicos, bares e restaurantes, escolas, colônias e sindicatos dos pescadores.

O Caminhão do Peixe, por exemplo, estará ainda mais presente nos municípios durante a campanha, ofertando peixe de qualidade e com preço baixo para os consumidores.

O pescado é a proteína animal mais saudável e consumida no mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). No Brasil, o consumo chega a 14,50 quilogramas por habitante/ano, de acordo com levantamento feito em 2013.

Além do valor nutricional, o pescado brasileiro também gera negócios, inclusão social, emprego e renda. A nossa produção, por meio das atividades da pesca e da aquicultura, não deixa de ser uma grande oportunidade de crescimento ao país.

A Semana do Peixe ocorre há 12 anos com o objetivo principal de incentivar o consumo de pescado no país. “Este é o momento de o Brasil ter a oportunidade de experimentar essa proteína fantástica que é a qualidade do pescado brasileiro”, diz o ministro da Pesca e Aquicultura, Helder Barbalho, ao lançar a campanha deste ano.

Para aproveitar as ofertas, é necessário que o consumidor faça as suas compras nos estabelecimentos participantes. Eles estarão identificados com as peças da campanha, como cartazes e banners. Além dessas peças também será distribuído um livro de receitas.

Todas as peças estão disponíveis no site www.mpa.gov.br/semanadopeixe.

A Semana do Peixe é uma realização do Ministério da Pesca e Aquicultura, das Superintendências Federais de Pesca e Aquicultura nos estados, em parceria com a Associação Brasileira de Supermercados (Abras) e supermercados de todo o país.

Fonte: Consea com informações Ascom/MPA

SIMPÓSIO LÁCTEOS E SAÚDE

O Centro de Tecnologia de Laticínios do Instituto de Tecnologia de Alimentos- Tecnolat/ITAL, realizará, no período de 17 a 18 de novembro de 2015, em Campinas, São Paulo, o SIMPÓSIO LÁCTEOS E SAÚDE, cuja proposta é divulgar o conhecimento técnico científico relacionado ao consumo de lácteos para os setores da sociedade formadores de opinião e responsáveis pelo desenvolvimento da tecnologia de laticínios no País. O evento seguirá tendência do debate envolvendo ciência e tecnologia e buscará agregar a opinião de profissionais das áreas de saúde, que são também responsáveis pela transferência e aplicação desses conhecimentos para os clientes a quem prestam serviço.

Os pesquisadores que desejarem discutir os resultados de seus trabalhos poderão apresentá-los na forma de pôsteres, devendo para isso enviar seus resumos para avaliação, de acordo com as instruções e normas disponíveis no site do evento, no link abaixo.

Visite o site do SIMPÓSIO LÁCTEOS E SAÚDE em: https://eventos2.fundepag.br/TL171115

Exibindo ATT00002

3° Fim de Semana: Glúten Free

11924552_921874707883994_7631181676951295547_n

Serão 4 dias de Workshops imperdíveis destinados especialmente ao Público Celíaco e/ou Intolerantes à Lactose! Aberto também para profissionais em Gastronomia, Nutrição e Engenharia em Alimentos que queiram aprender ou se atualizar nesse assunto.

Este evento tem o Apoio da ACELBRA-RS !

Anote em suas agendas::
04 e 05/09 – Passo Fundo
05 e 06/09 – Porto Alegre
06 e 07/09 – Caxias do Sul

Para conhecer o conteúdo completo dos cursos, clique aqui:
https://docs.google.com/document/d/1Fpn15SUhxwfsS5Rsxvpw1fCWhWhNoSCVuJ1gEmmijd0/edit?usp=sharing

Os workshops serão 100% prático com a participação dos alunos e receberão apostilas e certificados.
————————————–
PARA SABER MAIS SOBRE A AGENDA,
VALORES DE INVESTIMENTOS NOS
WORKSHOPS E CONDIÇÕES ESPECIAIS,
CLIQUE NO LINK ABAIXO:

http://goo.gl/forms/852DiO4slm
————————————

Acompanhe na página:
https://www.facebook.comFabbrica/ dei sapori
Para conhecer ainda mais os trabalhos dos Chefs participantes.

Diretoria da Anvisa aprova regulamento sobre rotulagem de alergênicos

A Diretoria Colegiada da Anvisa aprovou, nesta quarta-feira (24/6), a Resolução que trata dos requisitos para rotulagem obrigatória dos principais alimentos que causam alergias alimentares. A norma deverá ser publicada no Diário Oficial da União nos próximos dias.

Segundo o regulamento – que abrange alimentos e bebidas – os rótulos deverão informar a existência de 17 (dezessete)alimentos:trigo (centeio, cevada, aveia e suas estirpes hibridizadas);  crustáceos; ovos; peixes; amendoim; soja; leite de todos os mamíferos;  amêndoa; avelã; castanha  de caju; castanha do Pará; macadâmia; nozes; pecã; pistaches; pinoli; castanhas,  além de látex natural.

Com isso, os derivados desses produtos devem trazer a informação: “Alérgicos: Contém (nomes comuns dos alimentos que causam alergias alimentares)”, “Alérgicos: Contém derivados de (nomes comuns dos alimentos que causam alergias alimentares)” ou “Alérgicos: Contém (nomes comuns dos alimentos que causam alergias alimentares) e derivados”.

Já nos casos em que não for possível garantir a ausência de contaminação cruzada dos alimentos (que é a presença de qualquer alérgeno alimentar não adicionado intencionalmente, como no caso de produção ou manipulação), o rótulo deve constara declaração “Alérgicos: Pode conter (nomes comuns dos alimentos que causam alergias alimentares)”.

Essas advertências, segundo a norma, devem estar agrupadas imediatamente após ou logo abaixo da lista de ingredientes e com caracteres legíveis, em caixa alta, negrito e cor contrastante com o fundo do rótulo.

Os fabricantes terão 12 (doze) meses para adequar as embalagens. Os produtos fabricados até o final do prazo de adequação poderão ser comercializados até o fim de seu prazo de validade.

fonte: http://portal.anvisa.gov.br