Voltar para Projetos de pesquisa

Territórios microcervejeiros no estado do Rio Grande do Sul: uma análise do Circuito Espacial de Produção e do Círculo de Cooperação Econômica.

A produção cervejeira no Brasil movimenta um significativo mercado, que permeia deste o setor primário até o terciário. Nesta conjuntura o que estrutura-se é a uma crescente dicotomia entre o oligopólio produtivo de cerveja e as microcervejarias, constituindo na atualidade um campo de disputas de mercados e a tentativa de sobrevivência destas ultimas frente a um poder econômico das grandes corporações do setor. Esta problemática evidencia-se ao observarmos o crescente número de empresas deste ramo que são criadas no final do século XX e início do XXI. Constatou-se que existiam aproximadamente 100 cervejarias na década de 1990, totalizando no ano de 2017, o equivalente a 675 estabelecimentos registrados no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). No contexto de expansão, o estado do Rio Grande do Sul/BR desponta como o líder no setor, possuindo um total de 142 empresas. Nesse sentido, o presente projeto busca analisar os territórios microcervejeiros no estado do Rio Grande do Sul tendo como base as dinâmicas do Circuito Espacial de Produção (CEP) e dos Círculos de Cooperação Econômica (CCE). Em termos metodológicos, dividimos a pesquisa em três etapas. A primeira consiste no levantamento teórico e na construção da pesquisa de campo, sendo está caracterizada por uma revisão bibliográfica que visa analisar as dinâmicas econômicas e sociais vinculadas a construção dos territórios microcervejeiros, com o intuito de construir um roteiro de entrevistas com base no referencial teórico/metodológico dos Circuitos Espaciais de Produção (CEP) e os Círculos de Cooperação no Espaço (CCE). A segunda etapa concentra-se na realização do campo empírico, que ocorrerá com base no mapeamento das empresas do estado do Rio Grande do Sul; em seguida serão elencados 20% do total por região para a realização da pesquisa, objetivando a construção de um diagnóstico do setor. A terceira e última etapa metodológica centra-se na sistematização dos dados, tendo como referencial teórico o CEP e CCE em conjunto com a ferramenta de análise textual discursiva. Após a realização das três etapas, será elaborado o relatório final do projeto em conjunto com a publicação dos dados em periódicos, livros e eventos da área. Tem-se como meta apresentar respostas para a estruturação deste setor emergente no Brasil e no Rio Grande do Sul, possibilitando construir um planejamento territorial efetivo para a manutenção das microcervejarias.