Início do conteúdo

Compras online com segurança

O crescimento do número de consumidores que utilizam o comércio eletrônico no seu dia a dia é evidente. A comodidade de não ter que se deslocar para um estabelecimento comercial e receber as mercadorias em casa é um grande atrativo, mas o consumidor deve saber melhor onde ele irá realizar suas compras pois “o barato de mais pode custar caro”.

  •  Indicadores de sites fraudulentos incluem:
    • Não existe nenhum número de telefone ou chat de atendimento para o cliente.
    • O site usa uma gramática ou ortografia pobre.
    • É uma replica de um site bem conhecido, com algumas diferenças quase imperceptíveis como nome e logotipo.
    • Não utiliza HTTPS no momento da autenticação (inserção de usuário e senha) e da inserção de dados do cartão para efetivar o pagamento.
    • Promoções extremamente discrepantes dos demais sites.
  • Em caso de dúvida, verifique o site:
    • Considere ligar para o número de telefone listado na seção “contato” do site para confirmar que o número é válido.
    • Pesquise (Google, Bing, outros) para ver o que outras pessoas falaram sobre o site no passado.
    • Verifique no site ReclameAqui.
    • Avalie a reputação do site no ebit, e considere usar sites de pesquisas de preços como Buscapé ou Zoom, os quais já possuem avaliações sobre os sites.
    • Se ainda não obteve confiança para realizar a compra, identifique os contatos do site e descubra a data em que o site foi criado no endereço: identifique aqui. Sites fraudulentos geralmente ficam pouco tempo online e sua data de criação será recente.
  • Antes de realizar as compras verifique o seu computador:
    • Tenha certeza que o seu computador não está infectado por algum malware – considere as dicas de antivírus (neste link) e de anti-malware (neste link).
    • Confirme se todos os programas do seu computador – especialmente o antivírus, navegador (Mozilla Firefox, Google Chrome, Microsoft Edge, …) e o sistema operacional – estejam atualizados.
    • Não utilize o computador de terceiros, nem mesmo o de um amigo.
    • Não utilize redes públicas como de cafeterias, rodoviárias, hotéis, entre outros.
    • Se possível, utilize um computador separado para as crianças e considere criar usuários individuais no sistema com permissões restritivas para elas.
  • Cuidados com o seu cartão de crédito:
    • Solicite um cartão virtual para a sua instituição financeira, é bem simples. Você pode estabelecer um limite específico para este cartão. Sempre que necessário, o limite pode ser alterado, respeitando o limite total do cartão de crédito do titular. Em caso de “sequestro” deste cartão por sites fraudulentos, vulnerabilidades em sites legítimos ou problemas em seu computador, o impacto será o mínimo e bastará cancelar o cartão virtual sem perda das funcionalidades do cartão “original”.
    • Não utilize a opção de salvar o cartão para compras futuras.
    • Dê preferência para crédito ao invés de débito, assim você tem mais controle.
    • Habilite a opção para receber notificações via e-mail ou SMS sempre que o seu cartão for usado.
    • Se disponibilizado pelo site, considere a utilização de serviços como o Paypal ou PagSeguro.
    • Acompanhe seus extratos sempre que possível.
  • Cuidado com pagamentos via boleto bancário:
    • Caso suspeitar do boleto preste atenção nos três primeiros números do documento e no campo “Nosso Número” (sequência de 12 números). Por exemplo: uma cobrança do banco Itaú que comece com o número 237 (do banco Bradesco) é falsa, pois o número do banco é 341.
      •   Os códigos dos bancos podem ser encontrados no site da Febraban (Federação Brasileira de Bancos): consulte aqui.
    • Veja as diferenças entre um boleto falso (parte superior da figura abaixo) e um boleto verdadeiro (parte inferior da figura). No primeiro, o boleto está com logotipo do Banco do Brasil, mas começa com o número 341 do Itaú; note também que a sequência “Nosso Número” está diferente do código que segue a identificação do banco, o qual representa o código de barras.24154837ohhkxiqr
    • Outro problema é que boletos falsos geralmente têm o código de barras alterado para não serem lidos em leitores de caixa eletrônico ou de aplicativos bancários de celular. Caso seja impossível realizar a leitura, o cuidado com os números digitados deve ser redobrado, pois esse truque geralmente é feito para forçar a pessoa a digitar o número alterado.

Com essas dicas você poderá fazer suas compras online com mais de tranquilidade. Assista também a notícia sobre fraudes em sites pela internet em compras de final de ano: assista aqui (sempre fique atento à datas comemorativas).

Referências:

[1] – TECMUNDO – Como descobrir se um site é confiável.

[2] – Tecnologia UOL – conheça cuidados para não pagar títulos fraudados.

[3] – CERT.br – Cartilha de Segurança: Golpes (Phishing, entre outros)

[4] – SANS – Fazendo compras na internet com segurança.

Publicado em 03/01/2017, em Notícias.