Início do conteúdo

Visita à escola Jardim De Allah

Na terça-feira, 10 de maio de 2022, o projeto LEIAA desenvolveu, em parceria com o projeto GAMA: Grupo de Apoio em Matemática da UFPel, uma atividade na Escola Estadual de Ensino Fundamental Jardim de Allah.

A atividade contou com a colaboração das professoras Amanda Pranke e Emília Cristina Rodrigues Teixeira, dos estudantes Carlos Eduardo de Miranda Bellomo, Felipe Gonçalves de Souza, Gustavo Weirich Corrêa e Rodrigo Oliveira Moreira, todos estudantes do curso de Licenciatura em Matemática integral e noturno da UFPel, além do professor Cícero Nachtigall, coordenador do projeto LEIAA.

A atividade foi desenvolvida pelo grupo durante a disciplina de Projeto de Vida, com o objetivo de fomentar a aprendizagem autorregulada, apresentar a UFPel, seus cursos e suas principais formas de ingresso.

A professora Amanda Pranke, doutora em Educação pela UFPel e professora das turmas, destacou a importância do projeto LEIAA na escola, especialmente, ao abordar a temática das estratégias autorregulatórias para a promoção da autorreflexão, autonomia e projeção no futuro. Para os estudantes de Ensino Fundamental, esse tipo de atividade, segundo ela, potencializa a percepção e o desenvolvimento de habilidades como a proatividade, responsabilidade, persistência e resiliência, o que pode contribuir para a tomada de decisão a respeito da carreira profissional, sendo esse o objetivo principal da disciplina de Projeto de Vida.

O professor Cícero, ex-aluno da escola, destacou a gratidão pela oportunidade e o compromisso desta instituição para com a formação dos seus estudantes. Ele acrescenta, ainda, a importância de aproximar a universidade da escola, estabelecendo parcerias como esta, na qual todos saem fortalecidos. Nas palavras dele, à escola e aos estudantes do ensino básico, é oportunizado um espaço fecundo que pode fomentar o estabelecimento de novos objetivos e/ou potencializar as metas já traçadas para a formação profissional. À universidade, por sua vez, agrega-se um precioso espaço de inserção dos estudantes e professores dos cursos de licenciatura em matemática da UFPel no espaço escolar, implicando em novas experiências e aprendizagens.

No primeiro momento o encontro destinava-se aos alunos do 8º ano, mas logo ao saber do que se tratava os alunos do 9º ano entusiasmados solicitaram sua presença na participação da atividade. De início havia uma mistura de euforia e receio do que aquele momento se tratava, mas aos poucos os alunos foram se familiarizando com o assunto e o clima foi se destinando a uma conversa descontraída e produtiva a favor do propósito do encontro, tendo a participação natural da turma em sua maioria, com perguntas e curiosidades dos mais diversos assuntos.

Poder participar da vida escolar dessas crianças, mesmo que por um breve momento, e deixar uma contribuição para sua jornada estudantil é de fato algo gratificante, pois fica a sensação de que mesmo que em um momento futuro, alguns deles podem lembrar desse encontro e sobre o que foi falado a eles, e dessa forma aplicarem em suas rotinas de estudos alguns dos pontos que foram abordados, como relato de cada um dos colaboradores do projeto ou como algum aconselhamento passado nesse momento.

O acadêmico Felipe, bolsista do projeto LEIAA, acrescenta que devido ao tempo curto (aproximadamente uma hora e meia), não foi possível contemplar todos os tópicos previstos para o encontro e disso resultou um convite das turmas para uma segunda conversa que ocorrerá terça-feira, dia 24 de maio. Ele adiciona que a atividade foi muito gratificante de ser realizada e que contribuiu para sua formação como professor. Segundo Felipe, a atividade lhe trouxe o sentimento de que está no caminho certo, que por experiências como esta que ele vê que a profissão que quer para sua vida é ser docente.

O acadêmico Rodrigo, bolsista do Projeto GAMA e colaborador do LEIAA, evidencia o fato de que essa experiência é essencial no processo de formação de qualquer professor, ter a oportunidade de estar em sala de aula, em contato com os alunos é de uma riqueza incomensurável. O colaborador também descreve que o encontro foi uma das melhores experiências vividas até agora na graduação: “Além de ter sido uma conversa descontraída e cheia de risadas, poder perceber nas expressões deles e nas incontáveis perguntas o quanto aquele momento estava sendo proveitoso, é a melhor recompensa que eu poderia ter”.

Por fim ele destaca que o exercício desta atividade é uma via de mão dupla, uma vez que a conversa sobre a autorregulação da aprendizagem e a presença da UFPel dentro das escolas de ensino básico oportunizam que os alunos sintam-se um pouco mais perto da universidade pública. Além de incentivar a reflexão sobre importantes assuntos que poderão auxiliá-los a melhorar seus desempenhos escolares e orientá-los nas tomadas de decisões sobre quais os melhores caminhos a serem escolhidos nos seus processos de formação. Para os colaboradores, a atividade permite colocar em prática todas as referências e aprendizados que foram incentivados pelo professor Cícero, coordenador do projeto.

De acordo com Carlos Eduardo, colaborador do projeto LEIAA, a atividade representou a possibilidade de aproximação à realidade vivida por aquelas crianças, muitas sem o simples conhecimento de como uma instituição de ensino superior público funciona e o que lhes pode proporcionar.

O acadêmico Gustavo, colaborador do projeto, ressalta a importância dessa atividade tanto para os estudantes do ensino básico, quanto para os licenciandos em formação. Para os alunos, essa disponibilidade e proximidade com acadêmicos da UFPel, cria uma ligação entre a comunidade e a universidade, mostrando que essa instituição é lugar democrático e que está disponível a todos. Além disso, diversas dúvidas foram sanadas, tal ação é fundamental para o futuro ingresso desses estudantes à universidade pública. Ele destaca ainda que “foi uma experiência diferenciada para nós enquanto projeto. Após dois anos com várias rodas de conversas com estudantes da UFPel, atividade de extensão no IFSul (Instituto Federal Sul-riograndense), escritas de resumo, e muito trabalho remoto, uma atividade presencial com estudantes da educação básica foi de suma importância para colocar em prática os aprendizados adquiridos ao longo do primeiro ano do LEIAA”. O acadêmico agradeceu a oportunidade de sua participação ao professor Cícero, o convite da professora Amanda, e pela receptividade e carinho dos alunos da Escola Jardim de Allah. 

Participaram desta atividade, um total de 24 estudantes de oitavo ano e 20 de nono ano.

Escolas interessadas em agendar atividades similares poderão enviar mensagem para: projetoleiaaufpel@gmail.com 

Publicado em 16/05/2022, em Notícias.