Início do conteúdo

Sobre os processos de acompanhamento pedagógico da PRAE

Qual é a dúvida entre ter benefício da PRAE e desempenho acadêmico?

           Desde o último semestre, a PRAE tem publicado uma série de informações relacionadas ao acompanhamento pedagógico dos bolsistas. Além das publicações na página da PRAE e da UFPel, vários foram os e-mails enviados através do Cobalto com orientações a todos os bolsistas, alertando-os sobre as normas dos programas de assistência estudantil, o cuidado para uma adequada solicitação de matrícula com vistas a não onerar o tempo de permanência na UFPel, a necessidade de justificar o baixo rendimento acadêmico quando solicitado, divulgação dos grupos de apoio pedagógico, entre outras comunicações.

          Desta forma, é de conhecimento público que a PRAE vem buscando aprimorar o acompanhamento de seus bolsistas, em especial junto àqueles que apresentam alguma dificuldade em se manter regular quanto à integralização curricular, através de grupos sistemáticos de apoio.

          A PRAE, desde a criação do Programa Nacional de Assistência Estudantil (PNAES), administra seus diferentes programas de auxílios. O estudante, ao ser deferido em análise socioeconômica, passa a recebê-los mediante contrapartidas acadêmicas, as quais destacamos: aprovação, no mínimo, em 75% das disciplinas matriculadas no semestre; matrícula em todas disciplinas regulares do semestre; tempo de permanência máximo com benefícios iguais ao tempo do curso, com possibilidade de prorrogação por até dois semestres, conforme a justificativa, entre outras.

        Ainda que os critérios para a perda dos benefícios sejam objetivos, a PRAE vem adotando processos de diálogo com todos os estudantes em baixo rendimento para, em conjunto, buscar medidas que favoreçam a recuperação do rendimento acadêmico, tendo como referencial as dificuldades dos próprios estudantes e as normas estabelecidas. Eventuais perdas de direito ao benefício não são encaminhadas sem uma análise do histórico escolar do estudante ou de recomendações e acordos anteriores com a PRAE.

     Ao final do período letivo de 2019-1, uma série de publicações e comunicações por e-mail foram encaminhadas aos estudantes que tiveram baixo rendimento no referido período (conferir links abaixo).

            Divulgação das fases de avaliação do rendimento acadêmico 2019/1:

https://wp.ufpel.edu.br/prae/2019/07/25/avaliacao-de-rendimento-academico-2019-1/

           Chamado para a fase 2:

https://wp.ufpel.edu.br/prae/2019/07/29/justificativa-de-baixo-rendimento-academico-2019-1/

 

         Chamado para a prorrogação da fase 2:

https://wp.ufpel.edu.br/prae/2019/08/05/prorrogacao-da-justificativa-de-baixo-rendimento-academico-2019-1/

         Divulgação do prazo de para recursos:

 https://wp.ufpel.edu.br/prae/2019/08/12/prorrogacao-ausencia-de-justificativa-de-baixo-rendimento-academico-2019-1/

            Encaminhamento para quem não justificou no prazo:

https://wp.ufpel.edu.br/prae/2019/08/15/rendimento-academico-2019-1-discentes-que-nao-justificaram-em-tempo-habil/

           Encaminhamento inicial para quem justificou no prazo:

https://wp.ufpel.edu.br/prae/2019/08/07/rendimento-academico-2019-1/

           Encaminhamento final para quem justificou no prazo:

https://wp.ufpel.edu.br/prae/2019/08/29/resultado-avaliacao-de-rendimento-academico-2019-1/

            Após análise das justificativas apresentadas, a PRAE encaminhou a suspensão de benefícios daqueles estudantes com aproveitamento inferior a 70% nos três últimos semestres, com a possibilidade de apresentação de recurso, etapa na qual a Comissão de Permanência tem dedicado atenção especial no presente momento.

              Demais alunos com baixo aproveitamento em 2019-1 foram chamados para reuniões nos dias 10 e 16/09, momento no qual os bolsistas foram ou serão orientados sobre as medidas adotadas no acompanhamento pedagógico, as obrigações previstas nas resoluções dos programas de assistência estudantil e sobre a participação em atividades de grupo com a finalidade de apoiar e qualificar os estudos de cada aluno. Mais do que isso, nesses encontros são reafirmadas as condições para a manutenção dos benefícios e que, fundamentalmente, PRAE e estudante são corresponsáveis por esse processo.

            Importante destacar que todas essas medidas são necessárias pelas seguintes razões: a) a PRAE/UFPel é responsável pela implementação dos recursos PNAES e, portanto, deve primar pela adequada utilização dos recursos públicos investidos; b) a PRAE entende que esse processo, na qual evita a retirada do direito aos benefícios no primeiro insucesso do aluno, é o mais adequado frente ao compromisso com a política de assistência estudantil; e c) compromete o estudante em se responsabilizar por sua trajetória acadêmica e possibilidade de manutenção dos benefícios da assistência estudantil.

          O apoio aos bolsistas, não apenas àqueles com baixo rendimento, tem envolvido ações como: orientação quanto à matrícula ou trancamento de disciplinas; diálogo com coordenações de curso e docentes sobre dificuldades em disciplinas específicas ou questões gerais no curso; orientação sobre medidas a serem adotadas em caso de intenção na mudança de curso e perspectiva de manutenção dos benefícios, entre outras.

            Pelo exposto, é possível verificar que a PRAE vem dedicando esforços para que, junto ao aluno, possa identificar as potencialidades para o enfrentamento das dificuldades. Portanto, importante frisar, que a ausência do aluno neste processo, de forma presencial, dificulta muito o trato das situações que envolvem as barreiras para atender aos critérios acadêmicos. Em especial, considerando que a atividade fim desta pró-reitoria é a Assistência Estudantil e, para tanto, deve fazer gestão no equilíbrio entre o benefício recebido pelo estudante e seu respectivo desempenho.

 

Alguma dúvida?

 

A PRAE convida a todas e todos para uma reunião, a ser realizada no dia 17/09, às 17h30, na sala 309 do Campus II.

 

Publicado em 13/09/2019, em Notícias.