Sobre

A falta de profissionais bem formados e de mão de obra qualificada é uma realidade no Brasil. A globalização econômica e as inovações tecnológicas mudaram o perfil do profissional requerido pelos diversos setores da economia. Um trabalhador é cobrado por seu conhecimento, desempenho, colaboração, criatividade, pensamento crítico, responsabilidade e capacidade de solucionar problemas.

Concomitante a esta realidade, surge o Pensamento Computacional como uma metodologia para resolver problemas capaz de desenvolver muitas das habilidades requeridas hoje pelo mercado de trabalho. Pensamento Computacional é um método para solução de problemas que utiliza como base os fundamentos e técnicas da ciência da computação.

De forma geral, habilidades comumente utilizadas na criação de programas computacionais para resolver problemas específicos são utilizadas como uma metodologia para resolver problemas de forma geral. Empresas multinacionais apoiaram esta ideia e se empenharam na disseminação desta metodologia.

Diante destas experiências e dos resultados científicos já atingidos neste ramo, este projeto propõe o desenvolvimento de ações para promover o Pensamento Computacional em escolas do Ensino Fundamental do município de Pelotas, como resposta a necessidade de preparar os estudantes de hoje para o mercado de trabalho atual e futuro.

Objetivo

Este projeto tem como objetivo geral sensibilizar a rede de ensino para a relevância do ensino dos fundamentos da Ciência da Computação desde a Educação Fundamental. São objetivos específicos:

  • Introduzir alunos do Ensino Fundamental de escolas do município de Pelotas ao processo de solução de problemas denominado Pensamento Computacional;
  • Elaborar atividades e tarefas, assim como adequar atividades já propostas, que desenvolvam habilidades e incentivem atitudes consideradas essenciais no Pensamento Computacional;
  • Propor uma metodologia adequada para o desenvolvimento do Pensamento Computacional em escolas do Ensino Fundamental da cidade de Pelotas, considerando as particularidades da rede de ensino municipal e a realidade dos estudantes;
  • Qualificar a formação dos estudantes de graduação e pós-graduação envolvidos no projeto;
  • Integrar a comunidade e a universidade.