Início do conteúdo

INÍCIO DA REFORMA DO GRANDE HOTEL

Um dos prédios de referência em Pelotas, o Grande Hotel, começa a receber as obras que o transformarão, em 20 meses, no Hotel Escola da UFPel. A ordem de serviço do trabalho foi assinada na tarde desta segunda-feira (18), no salão principal do Hotel, em ato que contou com as presenças de autoridades da Universidade, do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) e do Executivo Municipal e de professores e alunos do curso de Hotelaria da UFPel.

Durante o ato, o reitor Pedro Hallal agradeceu ao Iphan, à Secretaria de Cultura de Pelotas, ao curso de Hotelaria e à empresa Marsou Engenharia, que realizará a obra. “Este é um trabalho que terá uma grande acompanhamento por parte da sociedade”, disse o reitor. Ele ressaltou a importância do espaço para a formação acadêmica, na prática. Dois andares do Hotel receberão os quartos e o último piso será destinado ao curso de Hotelaria. Outros cursos da Universidade também atuarão no local, lembrou Hallal.

O reitor fez questão de sublinhar a importância das instituições públicas no processo, no caso a UFPel, o Iphan e a Prefeitura de Pelotas, que dou o prédio à Universidade, e também do grande trabalho feito por todos para que se chegasse a este momento. Recordando as dificuldades de estrutura física que o curso de Hotelaria enfrentou até agora, desenhou um futuro promissor e único para o curso da UFPel. “Nenhuma outra universidade federal no país tem o que teremos aqui”, festejou.

“É um marco na cidade”. Assim o representante do Iphan no ato, Luís Antônio Custódio, definiu a importância da obra de restauro e de preparação do Hotel Escola. Ele elogiou a persistência e esforço de todas as equipes das instituições envolvidas no trabalho para que fosse possível a obra.

Representando a prefeita Paula Mascarenhas no cerimônia, o secretário de Cultura de Pelotas, Giorgio Ronna, parabenizou a UFPel e ressaltou o valor da aprovação do projeto para a sociedade. Contextualizou o trabalho dentro do que está sendo chamado de renascimento de Pelotas. A capacidade de investimento das instituições para que se atinja os maiores objetivos foi frisada pelo pró-reitor de Planejamento e Desenvolvimento da Universidade, Otávio Peres.

A ordem de serviço foi assinada pela arquiteta Márcia Rotta, pela UFPel, e por Emanuel Lopes da Silva, pela empresa Marsou, que já está instalada no prédio, com material administrativo. Nos próximos dias começarão a chegar os materiais, equipamentos e pessoal especializado na obra. Os recursos destinados pelo Iphan para o trabalho atingem a R$ 8,7 milhões. O histórico imóvel, de 4,3 mil metros quadrados, além da atividade acadêmica, terá capacidade para atender 56 hóspedes e oferecer serviços gastronômicos.

Publicado em 19/11/2019, em Sem categoria.