Início do conteúdo

Conversas sobre Conservação e Restauração do Patrimônio Cultural: palestra com Virginia Costa

Na próxima segunda-feira (04), às 17h, a Rede de Museus da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) promoverá a palestra “Impacto das condições ambientais sobre os objetos do patrimônio”, da professora Virginia Costa. A palestra, uma ação do projeto “Conversas sobre Conservação e Restauração do Patrimônio Cultural”, será realizada on-line e contará com a mediação de Mariana Wertheimer. Para participar, acesse o link.

Para receber o certificado de participação será necessário preencher o formulário disponibilizado pela organização durante a palestra.

Virginia Costa
Graduada em Engenharia Metalúrgica e mestre em Engenharia de Minas, Metalúrgica e de Materiais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), doutora em Ciência dos Materiais pela Technische Universität Berlin (TU-Berlim), especializada em conservação do patrimônio histórico e cultural metálico. Professora aposentada da Escola de Engenharia da UFRGS. Lecionou 15 anos no Institut National du Patrimoine (Paris/França), além de realizar oficinas sobre conservação de metais em diversos países. Trabalhou como consultora independente para diversas instituições, entre as quais Musée du Louvre (Paris), Kunsthistorisches Museum (Viena), English Heritage (Londres), Museu Paulista e Museu de Arte Contemporânea (São Paulo). Bolsista convidada do ICCROM (Roma) e Getty Museum (Los Angeles), publicou inúmeros artigos sobre caracterização, tratamento e conservação preventiva de metais e um livro “Modern Metals in Cultural Heritage” (Getty Conservation Institute, 2019).

Sobre a palestra
As interações dos artefatos com agentes atmosféricos produzidos por outros materiais presentes no mesmo ambiente, como vitrines e reservas técnicas, podem levar à sua deterioração precoce. O reconhecimento deste fato tem conduzido a novas estratégias de conservação, que privilegiam a prevenção de danos, ao invés dos, muitas vezes impraticáveis, tratamentos de alterações já provocadas. Através da identificação das fontes e dos agentes agressivos, bem como da consideração de sua ação sinérgica sobre os artefatos, as condições ambientais podem ser adaptadas de forma a minimizar seu efeito. Tal atitude preventiva requer reflexão a longo prazo, incluindo planejamento e uma visão clara das prioridades, e é fundamental para assegurar a longevidade do patrimônio. A palestra apresentará estudos de caso e algumas reflexões sobre o impacto das condições ambientais sobre a conservação dos artefatos metálicos.

Sobre o projeto
O projeto, realizado em parceria com a Associação dos Conservadores e Restauradores de Bens Culturais do Rio Grande do Sul (ACOR-RS) e com o Curso de Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis da UFPel, tem como objetivo divulgar trabalhos de conservação e restauração na área do patrimônio cultural.

Publicado em 29/09/2021, em Notícias.
%d blogueiros gostam disto: