Início do conteúdo
    Notícias
  • Comprovação do Programa Auxílio Moradia 2018-1

    Todos(as) os(as) estudantes que integram o Programa Auxílio Moradia deverão comprovar a utilização do benefício conforme previsto na normatização do Programa no período de 26/03/18 até 06/04/18.

    A comprovação a partir deste semestre deverá ser feita de forma virtual acessando o formulário eletrônico na página da PRAE:

    https://wp.ufpel.edu.br/prae/coordenadoria-de-beneficios-estudantis/nucleo-de-gestao-de-programas/comprovacao-programa-auxilio-moradia/

    O arquivo a ser enviado para fins de comprovação deve estar com todos os documentos em um único arquivo de PDF, nomeado com o número da matrícula do aluno (contendo 8 números) e rigorosamente na ordem abaixo, de acordo com a situação de moradia do aluno:

     

    A – SE O ALUNO FOR O LOCATÁRIO DO IMÓVEL (QUEM ALUGA):

     

    1. Cópia do contrato de locação (página inicial e página com as assinaturas do locatário, locador e fiador (es);
    2. Cópia do recibo de pagamento atual do aluguel;
    3. Cópia do comprovante de residência atualizado, podendo ser: conta de luz, água, telefone, TV a cabo, internet e condomínio (em nome do locatário);
    4. Comprovante de matrícula em 2018/1.

     

    B – SE O ALUNO NÃO FOR O LOCATÁRIO DO IMÓVEL (QUEM ALUGA):

     

    1. Cópia do contrato de locação (página inicial e página com as assinaturas do locatário, locador e fiador (es);
    2. Cópia da carteira de identidade do locatário;
    3. Declaração de divisão de aluguel, emitida pelo locatário, com assinatura e cópia da carteira de identidade de todos os residentes no imóvel;
    4. Cópia do recibo de pagamento atual do aluguel;
    5. Cópia do comprovante de residência atualizado, podendo ser: conta de luz, água, telefone, TV a cabo, internet e condomínio (em nome de qualquer morador residente no imóvel);
    6. Comprovante de matrícula em 2018/1.

     

     C – SE O ALUNO RESIDIR EM PENSIONATO:

     

    1. Declaração do (a) proprietário (a) do Pensionato de que o aluno reside no imóvel;
    2. Cópia da carteira de identidade do (a) proprietário (a) do Pensionato;
    3. Cópia do recibo de pagamento atual do Pensionato
    4. Comprovante de residência do Pensionato;
    5. Comprovante de matrícula em 2018/1.

     

    D – SE O ALUNO LOCAR UM ESPAÇO EM RESIDÊNCIA PARTICULAR

     

    1. Declaração do (a) proprietário da Residência que o aluno reside no imóvel;
    2. Cópia da carteira de identidade do proprietário (a) do imóvel;
    3. Cópia do recibo de pagamento atual do aluguel;
    4. Cópia do comprovante de residência atualizado, podendo ser: conta de luz, telefone, TV a cabo, internet (em nome do proprietário do imóvel);
    5. Comprovante de matrícula em 2018/1.
  • UEE fará plantão no Campus II para confecção das carteirinhas dias 22 e 23/03

    Nos dias 22 e 23 de março (quinta e sexta-feira) a União Estadual dos Estudantes (UEE) estará novamente atendendo no Campus II (Rua Alm. Barroso, 1202) para a confecção das carteirinhas, conforme os horários abaixo:

    • 22/03 – 09 às 12h30  e  18 às 21h
    • 23/03 – 09 às 12h30  e  13h30 às 18h

    Nesse plantão não haverá agendamento prévio. Para a confecção da carteirinha são necessários os seguintes documentos:

                    – Carteira de identidade (RG)

                    – Atestado de matrícula ou atestado de vínculo com a UFPel

          O atestado de vínculo pode ser obtido no Cobalto: “Aluno/Consulta/Vínculo” ou no link https://cobalto.ufpel.edu.br/academico/alunos/vinculo

    Observações:

                    – A taxa de confecção é de R$ 30,00.

                    – Conforme a Lei Federal nº 12.933 e o Decreto nº 8.537, é vedada a cobrança da Taxa de Confecção para estudantes que comprovarem estar inscritos no CadÚnico. 

    A carteirinha também pode ser encaminhada pelo site:

    https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSeJBGL6ALqUNkkyR8AehGOvZ_OUTtLFuPtrZaCIFQhQag0Z1g/viewform

    ATENÇÃO – Para baixar o boleto de pagamento: acessar o logotipo do “PagSeguro” na página http://ueers.com.br/carteiras.html

     

    Importante lembrar que a carteirinha (ou o comprovante de pagamento) é um dos documentos necessários para a solicitação do passe livre. A PRAE já está agendando as entrevistas para o cadastro no passe livre: https://wp.ufpel.edu.br/prae/coordenadoria-de-beneficios-estudantis/passe-livre/

     

     

  • Resultado de benefícios 2017/2 – Instruções

    Informamos que os alunos inscritos no edital de benefícios  2017/2 NÃO DEVEM se inscrever no edital 01/2018 dos programas de assistência estudantil. O resultado dos beneficiados de 2017/2 será divulgado antes dos alunos beneficiados em 2018/1. A data da divulgação do resultado do edital de assistência estudantil do ano passado sairá em meados de abril.

  • Cadastro no Passe Livre 2018

     

    Desde o dia 23 de agosto de 2017 a UFPel está autorizada pela Metroplan para a realização do cadastro estudantil para o acesso ao passe livre. Leia com atenção as informações abaixo para poder fazer a sua solicitação.

     

    Quem tem direito ao passe livre?

    – Estudantes com renda familiar per capta de até 1,5 salário mínimo.

     

    Quais os trechos de deslocamento cobertos pelo passe livre?

    – Estudantes residentes nas cidades de Rio Grande, São José do Norte e Capão do Leão que estudam em Pelotas (nas diferentes Unidades Acadêmicas da UFPel);

    – Estudantes residentes nas cidades de Rio Grande, São José do Norte e Pelotas que estudam no Campus Capão do Leão da UFPel.

     

     Como fazer o cadastro no passe livre?

     

    1º PASSO – Realização do cadastro junto à União Estadual dos Estudantes (UEE) e a confecção da carteirinha. Fique atento a divulgação dos plantões que a UEE realizará na UFPel. São necessários os seguintes documentos: 

     

                    – Carteira de identidade (RG)

                    – Atestado de matrícula ou atestado de vínculo com a UFPel

                    O atestado de vínculo pode ser obtido no Cobalto: “Aluno/Consulta/Vínculo” ou no link https://cobalto.ufpel.edu.br/academico/alunos/vinculo

    Observações:

                    – A taxa de confecção é de R$ 30,00.

                    – Conforme a Lei Federal nº 12.933 e o Decreto nº 8.537, é vedada a cobrança da Taxa de Confecção para estudantes que comprovarem estar inscritos no CadÚnico. 

     

    A carteirinha também poderá ser feita pelo site:

    https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSeJBGL6ALqUNkkyR8AehGOvZ_OUTtLFuPtrZaCIFQhQag0Z1g/viewform

    Para baixar o boleto de pagamento: acessar o logotipo do “PagSeguro” na página http://ueers.com.br/carteiras.html

     

    Maiores informações sobre a UEE e a carteirinha estudantil podem ser obtidas em:

    http://ueers.com.br/carteiras.html

     

    2º PASSO – Cadastro na Metroplan – Envio dos documentos necessários através da página da PRAE e agendamento da entrevista.  Em se tratando de uma renovação anual, documentos enviados em 2017 não serão considerados. Os documentos a serem enviados diferem entre bolsistas e não bolsistas da PRAE.

     

    A partir do dia 20 de março, na página da PRAE estarão disponibilizadas as orientações, links para envio dos documentos e solicitação de agendamento da entrevista para cadastro do passe livre junto à Metroplan. Confira tudo em:  https://wp.ufpel.edu.br/prae/coordenadoria-de-beneficios-estudantis/passe-livre/

     

    As entrevistas ocorrerão a partir do dia 21/03, quando estarão disponíveis no Cobalto os Atestados de Matrícula 2018-1, com informações sobre as disciplinas, dias e horários das aulas.

     

    Ressarcimento da taxa de confecção da carteirinha para estudantes bolsistas da PRAE

    No mês de abril será publicado um Edital de ressarcimento da taxa de confecção da carteirinha (R$30,00) para alunos bolsistas da PRAE. A estimativa é que o pagamento ocorra até o dia 10 de maio.

  • Previsão de data para divulgação da Lista Parcial de ingresso por Cotas Sociais Chamada Regular Pave e Sisu 2018/1:

     

    O Núcleo de Serviço Social da PRAE/UFPel informa que a lista de resultado parcial de Cotas Sociais L1, L2, L9 e L10, Chamada Regular, PAVE e SISU 2018/1, será divulgada dia 23/03/2018. A lista de candidatos ingressantes pelo PAVE será divulgada no site da UFPel e a lista dos ingressantes pelo SISU será divulgada diretamente no site do SISU/UFPEL.

    A publicação irá acompanhada de listagem nominal, sendo a primeira como “resultado parcial” e a segunda publicação, em outra data, como “resultado final”.

    A primeira divulgação com o “resultado parcial” dá direito a RECURSO para candidatos indeferidos. Neste caso, a publicação vem acompanhada com instruções para essas situações.

    A segunda divulgação informa um “resultado final” de deferimento ou indeferimento da solicitação de ingresso por Cotas Sociais.  Nessa etapa é regularizado definitivamente o vínculo do candidato no curso requerido e modalidade de ingresso com a UFPel. Sendo assim, o vínculo definitivo de matrícula só se conclui após a divulgação do resultado final.

    Cabe salientar que todos os candidatos cotistas sociais de todas as chamadas, mesmo em situação de matrícula provisória, podem começar a frequentar as aulas dia 26/03/2018, início do período acadêmico 2018/1.

     

  • EDITAL 01/2018 – PROCESSO DE INSCRIÇÃO PARA OS PROGRAMAS DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL 2018/1

    A Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis, através do Núcleo de Serviço Social da Coordenação de Integração Estudantil, torna público que estarão abertas as inscrições, das 10h do dia 16 de março até as 14h do dia 05 de abril de 2018, para solicitação dos Programas de Assistência Estudantil aos (às) estudantes de graduação e pós-graduação da UFPEL que apresentam as condições expostas neste edital.

    ATENÇÃO: Ingressantes 2018-1 por cotas L1, L2, L9 e L10 que solicitaram os auxílios no momento da matrícula não precisam se inscrever neste edital, devendo aguardar o resultado da análise socioeconômica.

    EDITAL BENEFÍCIOS 2018 1

    Anexo I

    Anexo II

    Anexo III

    Anexo IV

    Anexo V

    Anexo VI

    Anexo VII

    Anexo VIII

  • Políticas para mães estudantes

    Certamente as políticas de inclusão nas esferas públicas suscitam uma série de debates que as IFEs, de maneira geral, até então, não se propuseram a fazer. Neste sentido, a permanência de jovens mães necessita, urgentemente, de um novo pensar na Instituição.  A UFPel precisa se preparar para recebe-las e garantir, para além do acesso, estruturas para que consigam permanecer até a conclusão da sua vida acadêmica. Temos que considerar a grande dificuldade que nossas estudantes passam, já que vivenciam a vida acadêmica, por si só bastante exigente, e ainda, a maternidade, situação que modifica por completo a vida da mulher.

    Essas estudantes, além da infinita jornada de trabalho que vivenciam, têm os afazeres e responsabilidades da maternidade entre suas atribuições. Muitas fazem esta jornada acompanhada somente da criança, sem o apoio da família ou do genitor desta, enfrentando um processo fortemente marcado pelo patriarcado.

    Não há necessidade de citarmos qualquer pesquisa para sabermos que o mundo, nestas circunstâncias, é bem mais fácil para o homem, que não tem nem mesmo qualquer dificuldade para se inserir no mercado de trabalho, por exemplo, no caso de ter filhos. É comum nos depararmos com mulheres jovens que demandam politicas públicas para que possam permanecer na vida acadêmica. Tal fato, obrigatoriamente, exige que a UFPel pense em um maior e melhor investimento, inovando nestas políticas.

    A proposta que se pretende construir perpassa por uma discussão maior, mais ampla e, necessariamente, com a inclusão das mães universitárias.

    Devemos levar em consideração, também, além dos entraves de infraestrutura (falta de creches, horários de aula, eventual doença da criança, excesso de trabalho…) toda a questão de preconceito, desconhecimento, dificuldade de ser olhado como uma acadêmica por parte do corpo institucional, entre outros.

    Algum tempo atrás, em um grupo de rede social da comunidade da UFPel, evidenciou-se claro preconceito e desconhecimento, além de falta de empatia, por parte da comunidade acadêmica, quando surge um questionamento da “necessidade” de uma mãe levar uma criança para a sala de aula. Tal discussão foi permeada por um desconhecimento sem precedentes e gerou uma discussão acirrada, mas que evidenciou, mais ainda, todas as dificuldades que nossas mães estudantes vivenciam.

    Neste sentido, a Coordenação de Políticas Estudantis, como lhe cabe, apresenta uma proposta de discussão e já alguns encaminhamentos para que se amenize tal situação, enquanto encaminhamos uma discussão maior.  São elas:

    – Necessidade de discussão com todas as mães interessadas e ampla discussão na comunidade acadêmica, através de reuniões em Unidades.

    – Fraldário nas Unidades Acadêmicas (aos moldes da FAUrb, por exemplo). Na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo foi disponibilizada uma mesa com um colchão móvel, em local que pode ser facilmente acessado por homens e mulheres. Importante lembrar que, pedagogicamente, visto que tal tarefa não pode ser apenas da mulher, tal local NUNCA seja o banheiro feminino.

    – Um local tranquilo para amamentação, ou, onde mãe e criança se sintam a vontade para compartilhar este momento. Tal local pode exigir apenas uma reunião entre Direção de Unidade, que pode disponibilizar o empréstimo, por alguns minutos, de uma sala de reuniões com uma cadeira confortável para tal.

    – Levar em consideração que as mulheres compõem um grupo em desvantagem em relação a permanência e, em alguns casos, desempenho, quando se encontram na condição de mães universitárias. Portanto, se faz necessária a revisão de alguns Programas de Assistência Estudantil em relação a tal fato. Sabemos que uma condição para a permanência nos Programas, são, principalmente, a frequência e o desempenho acadêmico. Nas normas que regem tais Programas, o tempo de permanência usufruindo de benefícios é “o tempo do Curso, mais 2 semestres, mediante justificativa” (Normas PRAE/UFPel). Oras, sabemos que, historicamente, e já discutido o mérito, as mulheres aposentam-se após cumprirem um período menor que os homens no mercado de trabalho tradicional. Além disso, a tripla jornada de trabalho é uma realidade já exaustivamente comprovada. Seria justo, portanto, que no caso de mulheres mães, este período pudesse ser estendido, levando em consideração o histórico acadêmico, visto as dificuldades já apresentadas anteriormente.

    – Garantir que durante o período da gestação e posterior a este, os Programas de Assistência Estudantil revoguem o dever de matricula em todas as disciplinas do Curso no semestre.

    – Possibilitar o acesso de crianças até 12 anos de idade, desde que acompanhadas pelas mães, ao Restaurante Universitário, levando-se em consideração o horário das aulas da mãe. Caso a mãe tenha aula a noite, possibilitar o horário da janta. Se o horário de aula for a tarde, possibilitar o almoço.

    – Facilitar o direito a atividades domiciliares, em caso de problemas de saúde da gestante. Embora a Lei 6.202 estabeleça o direito da mãe estudante ao regime domiciliar durante três meses, a partir do oitavo mês de gestação, na prática, tal situação acaba ficando a critério de cada professor.

    – Propor mudanças no Regimento de Graduação que viabilizem o atendimento das mães estudantes no que diz respeito às necessidades dos filhos e filhas, como a possibilidade de justificar eventuais faltas em dias de entrega de trabalhos ou realização de provas.

    – Intervir, junto ao Colegiado de Curso, ou professor/a, no caso da necessidade de que as crianças frequentem, na companhia da mãe, a sala de aula.

    – Intervir, junto à turma, no caso da necessidade de que as crianças frequentem, na companhia da mãe, a sala de aula.

    – Priorizar atendimento psicológico e acompanhamento pedagógico às mães.

    – Propor a inclusão no Regimento de Graduação de dispositivos institucionais que viabilizem a frequência da mãe à sala de aula acompanhada da criança. Além disso, ressaltar que a Administração Central incentiva que sejam facilitadas ações para que a estudante não abandone o Curso.

    – Propor palestras, relatos de casos, em todos os Cursos ou Unidades que demonstrarem resistência a política de mães estudantes.

     

    Neste dia 8 de março, uma data que simboliza a resistência e luta das mulheres, a PRAE dá o primeiro passo em relação à Politica de Mães na UFPel.  Sigamos!

  • Atenção Ingressantes 2018 – Matrículas SISU – Segunda Convocação (08/03)

    A PRAE já está preparada para recepcionar os ingressantes de 2018!

     

    Se você busca informações sobre quem pode ser beneficiário do programa de assistência estudantil, pode ser útil acessar o link: https://wp.ufpel.edu.br/prae/coordenadoria-de-beneficios-estudantis/normas-dos-programas-assistencias/

     

    No dia da matrícula do SISU 2018 – Segunda Convocação (08/03) a PRAE realizará uma reunião com os alunos ingressantes que tiverem dúvidas sobre os benefícios da assistência estudantil, bem como sobre a possibilidade de acolhimento imediato e assistência provisória, tanto para os estudantes que estão vindo realizar a matrícula e para aqueles que já permanecerão na cidade a partir da data da matrícula do SISU. As reuniões acontecerão no Campus II (Alm. Barroso, 1202, Sala 211) às 15h.

     

    Maiores informações sobre os editais para seleção dos benefícios da assistência estudantil podem ser obtidos junto à Coordenação de Integração Estudantil: cb.prae@ufpel.edu.br

     

    Informações sobre a Moradia Estudantil podem ser obtidas pelo e-mail da Coordenação de Políticas Estudantis (cpe.prae.ufpel@gmail.com).

  • Atenção Bolsistas PRAE – Análise do aproveitamento acadêmico (2017-1)

    A PRAE torna público a relação dos(as) alunos(as) que não obtiveram o aproveitamento mínimo de 70% exigido nas Normas dos Programas de Assistência Estudantil. Os(as) mesmos(as) terão até 12 de Março de 2018 para apresentar justificativa junto à PRAE. Os (as) estudantes que não o fizerem dentro deste prazo terão os programas suspensos automaticamente. A referida justificativa deverá ser apresentada digitada contendo nome completo, curso e número de matrícula do (a)estudante. A Coordenação de Integração Estudantil da PRAE analisará os motivos apresentados individualmente e o(a) estudante deverá aguardar ser chamado(a) para ciência, portanto, solicita-se que na justificativa contenha também telefone para contato e e-mail atualizados.

    Em caso de dúvidas, favor enviar email para: cb.prae@ufpel.edu.br

    Lista falta de aproveitamento 2017-1